Ao Meu Lado Follow story

BeatrizPFT25 Beatriz PFT25

Sempre que eu olhava na direção delas, elas iluminavam-se, sorriam e coravam. Eu ignorei-as, pensei que que elas fossem tolas, mas quando ele olhou para mim, eu finalmente entendi. [TodoDeku]


Fanfiction Anime/Manga All public.

#romance #yaoi #shonen-ai #bnha #tododeku #mha #midoriyaizuku #boku-no-hero-academia #my-hero-academia #todorokishouto
Short tale
4
4726 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único - Ao Meu Lado

Estava a caminho da academia, era segunda-feira e tinha passado o fim-de-semana todo a treinar o meu lado esquerdo, como antes não tinha intenção de o usar para lutar nunca o treinei, e agora era complicado controlá-lo, tinha de treinar essa parte intensivamente para poder ficar cada vez mais forte.

A minha mãe disse que eu ia conseguir, assim como consegui controlar o direito, eu fiquei muito feliz com essas palavras vindas dela. Depois do torneio fui falar com ela pela primeira vez depois de tanto tempo, fiquei muito feliz quando ela me sorriu e abraçou, e desde esse dia eu ia visitá-la sempre que possível, após tantos anos, tínhamos muito sobre o que conversar.

Um dos assuntos que mais surgia era sobre a pessoa que me fez ver as coisas de maneira diferente, que me abriu, à força, os olhos para a realidade, Midoriya Izuku. A minha mãe ficou curiosa sobre a razão de eu ter decidido ir visitá-la agora, e eu expliquei o que tinha acontecido na minha luta contra o Midoriya, a minha mãe ficou muito feliz, disse que estava muito contente e aliviada por saber que eu tinha um amigo que ia tão longe para me ajudar, desde esse dia ela perguntava-me inúmeras vezes por ele, e eu ficava feliz por falar dele, o meu coração aquecia de uma maneira que parecia que o meu lado esquerdo estava ativo, parecia que o meu lado esquerdo reagia quando o assunto era ele.

Graças à luta que tivemos e ao que ele fez por mim, nós tínhamos nos tornado muito mais próximos, tínhamos o número de telefone um do outro e às vezes trocávamos mensagens ou ligávamos para conversar um pouco, quer fosse sobre treinamento, sobre matéria das aulas ou sobre o que iríamos jantar mais tarde, eu ficava feliz por falar com ele, ele era a primeira pessoa que podia chamar de amigo, mas algo dentro de mim queria mais, pedia mais, parecia que a relação em que estávamos no momento não era suficiente para eu ficar completamente feliz, mas porquê? Eu não tinha a certeza. Eu ponderei em falar diretamente com ele sobre o assunto mas pensei que isso poderia estragar a amizade que tínhamos e isso eu não queria, acho que já não me imagino sem ele ao meu lado, por essa razão tinha de descobrir sozinho a razão para me sentir assim.

Cheguei por fim à academia e quando passava nos corredores, até há minha sala, ouvi umas raparigas a falarem o meu nome, elas olhavam para mim, nem sequer se davam ao trabalho de disfarçar, elas estavam a murmurar mas consegui ouvir algumas coisas que estavam a dizer, “O Todoroki é tão bonito”, ”Ele é tão misterioso”, “Será que tem namorada?”, “Ele é tão perfeito” e “Estou apaixonada”, eu sinceramente não percebia esse tipo de comentários, elas nem sequer me conheciam, eu não sabia o nome delas sequer, estarem apaixonadas por mim? Como é que isso era possível? Eu olhei para elas e elas coraram e sorriram ainda mais, pareciam brilhar de felicidade, como ficaram caladas a olhar para mim, eu ignorei-as e segui o meu caminho, ouvindo mais murmúrios sobre mim, achei que elas deviam ter algum problema, o comportamento delas era insensato, era aquele tipo de comportamento que mostrava que estavam apaixonadas?

Continuei o meu caminho até à sala e ao abrir a porta alguns alunos já se encontravam presentes, dentre eles Midoriya, isso fez-me logo sorrir, segui o meu caminho até à minha mesa cumprimentados as pessoas por quem passava que também me cumprimentavam a sorrir, eu ficava muito feliz por isso, sentia que havia uma ligação entre nós, que não eramos meros conhecidos que tinham aulas juntos.

Sentei-me no meu lugar e o Midoriya veio ter comigo, como ele se sentava na mesa do lado da janela, eu não passava por ele para chegar ao meu lugar.

– Todoroki-kun! Bom dia! – Cumprimentou-me sorrindo.

Eu senti o meu rosto a aquecer e o meu coração a acelerar, abri um sorriso sem nem perceber, fiquei feliz, este tipo de reações começaram a acontecer após o torneio, aconteciam sempre que o Midoriya vinha falar comigo pessoalmente, só o facto dele sorrir para mim fazia-me mais feliz do que quando os outros membros da turma me cumprimentavam, olhei para ele e ele parecia brilhar para mim, foi aí que finalmente percebi, eu tinha em relação ao Midoriya o mesmo comportamento que as raparigas no corredor tiveram comigo. Será que para elas eu também parecia brilhar assim? Será que o meu sorriso parecia tão perfeito como o dele? Sentiam-se nervosas e felizes só por eu olhar na sua direção?

– Todoroki-kun? – Chamou Midoriya, provavelmente pelo tempo que tinha ficado apenas a encará-lo sem dizer nada.

– Bom dia Midoriya. – Respondi ignorando os pensamentos que tinha tido quando ele falou comigo.

Depois de uma conversa rápida o professor chegou e o Midoriya foi sentar-se. Agora que pensava no assunto, por que razão o meu comportamento era diferente quando se travava do Midoriya? Quando ele fala comigo eu não consigo não sorrir, fico extremamente feliz por ele estar ao meu lado, o meu coração acelera e sinto o meu rosto ficar mais quente, pensei que fosse porque a minha peculiaridade estava a reagir a ele, mas por que razão é que ela reagia? Nem com o meu pai ou com a minha mãe isso acontecia, então por que é que com o Midoriya era diferente?

Eu passei o resto das aulas a pensar sobre o assunto, então as minhas reações significavam que eu estava apaixonado pelo Midoriya? Não tinha muita experiência mas sabia a diferença entre amizade e amor, agora que pensava no assunto, estar apaixonado seria a resposta mais óbvia, as reações que tinha quando ele sorria na minha direção, do sorriso que vinha sempre que recebia uma mensagem dele, como o meu lado esquerdo reagia às ações dele nos treinos da academia, como queria estar ao seu lado e até mesmo aquela pontada no coração quando ele sorria para o Bakugou mesmo quando este era rude com ele, como uma luz tudo fez sentido. Eu estava apaixonado. Apaixonado pelo Midoriya.

Mas… agora que tinha chegado a esta conclusão o que deveria fazer? Se eu lhe disser ele pode não sentir o mesmo e podemos acabar por nos afastar… mas se eu não disser e ele acabar por se apaixonar por outra pessoa? Eu teria de sorrir e fingir que estava tudo bem enquanto ele andava de mãos dadas com alguém que não fosse eu? Eu iria conseguir fingir e esconder os meus sentimentos assim? Mas se eu disser ele pode simplesmente compreender e aceitar e fica tudo normal… O que deveria fazer?

Estava tão perdido em pensamentos que nem notei quando tinha tocado para sinalizar o início, só me apercebi quando quase todos os presentes saíram da sala. Levantei-me e suspirei, ainda não tinha chegado a nenhuma conclusão.

– Passa-se alguma coisa? – Ouvi a voz que bem conhecia atrás de mim.

Virei-me rapidamente e vi o Midoriya com uma cara preocupada, o meu coração disparou, não só pelo susto, como por ser ele.

– Pareceste pensativo durante a aula toda e agora estás a suspirar, se quiseres falar eu estou aqui. – Ao dizer aquelas palavras ele sorriu para mim, eu não o queria ver com mais ninguém, podia parecer egoísta mas eu queria-o, queria o Midoriya para mim.

– Midoriya… Alguma vez estiveste apaixonado? – Perguntei sério e nervoso, se ele já estivesse apaixonado a felicidade dele seria a minha prioridade, mas se não fosse esse o caso eu teria uma oportunidade. Eu olhei para o Midoriya nos olhos, e ele corou e começou a gaguejar sem dizer coisa com coisa.

– Po-porquê a pergunta? – Ele perguntou por fim.

– Eu estou apaixonado. – Admiti, eu não tinha razões para esconder. – E quero saber se lhe devia dizer ou não. – Comentei, ele olhou para mim surpreso, depois encarou o chão e começou a mexer as mãos.

– Eu acho que é preciso muita coragem para dizermos os nossos sentimentos a outra pessoa, escondermos os nossos sentimentos acaba por fazer-nos mal ao fim de um tempo, começamos a pensar nos “e se” todos e podemos acabar por nos arrepender mais tarde por não dizermos nada, então acho que devias dizer. – Aquelas palavras eram mais que suficiente para mim, já sabia o que fazer.

Mais tarde nesse dia, há hora de saída.

– Midoriya. – Chamei-o, tinha decidido que hoje não me ia embora antes de lhe dizer. – Podes vir comigo? – Pedi, ele prontamente aceitou e fomos até uma parte um pouco mais escondida atrás do edifício onde tínhamos aulas. Ao chegar lá encostei-me à parede e meti as mãos nos bolsos, seria mais fácil disfarçar os nervos assim.

– O que se passa Todoroki-kun? – Ele perguntou sem me encarar nos olhos.

– Eu estou apaixonado. – Disse com uma voz firme e pronto para qual fosse a reação que ele fosse ter.

– Eu sei… Já tinhas dito… – Ele murmurou de cabeça baixa. – Era só isso? – Ele deu um passo atrás, como se quisesse ir embora.

– Midoriya… É por ti… Que me apaixonei. – Disse calmamente, nunca me tinha declarado, então não tinha a certeza de como o fazer.

O Midoriya por fim me encarou, ele ia chorar a qualquer momento, as lágrimas juntaram-se nos seus olhos prontas para saírem.

– De-Desculpa. – Pedi, a culpa dele estar a chorar era minha?

– Idiota… – Ele murmurou com um sorriso deixando por fim as lágrimas escorrerem livremente pelo seu rosto.

Eu não sabia o que fazer, estava paralisado com a sua reação.

– Não me assustes assim! – Ele disse numa voz um pouco mais elevada, dando um passo na minha direção, eu estava encostado à parede então não me podia afastar, estávamos muito próximos, o suficiente para ao olhar nos olhos dele sentir a sua respiração.

– O que se passa Midoriya? – Eu estava confuso com o seu comportamento.

– Quando disseste que estavas apaixonado na sala… eu só queria chorar. – Ele começou a falar, levou a sua mão à parte lateral da minha roupa e apertou-a um pouco. – Eu queria acreditar que se estivesses feliz com a pessoa por quem eras apaixonado eu também o seria… Mas eu estava a enganar-me a mim mesmo… Eu queria ser essa pessoa… Eu sou apaixonado por ti há tanto tempo… Pensei que não te sentias da mesma maneira por isso não disse nada… Agora que estávamos tão próximos…. Não te queria afastar… Não queria afastar de mim a pessoa por quem me tinha apaixonado! – Ele encarou-me nos olhos de maneira que não conseguia desviar o olhar.

Cada palavra dele fazia o meu coração acelerar e os meus olhos arregalarem, não sabia que ele se sentia assim, da mesma maneira que eu, eu não lhe conseguia dizer nada, só consegui sorrir na sua direção.

– Então… – Comecei a falar para ter a certeza do que estava a acontecer.

– Então que pensei que te ia perder! – Ele disse, limpando as lágrimas com a mão direita, sem me largar com a esquerda.

Eu tirei a minha mão esquerda do bolso e levei-a à sua cara, limpando um rasto de lágrimas.

– Nunca me irias perder… – Comentei a falar num sussurro. – Eu sou apaixonado por ti. – Falei novamente e desta vez ele sorriu na minha direção, ele já não chorava, ele sorria, aquele sorriso tão brilhante que fazia o meu coração falhar uma batida.

Meti a minha mão nos seus cabelos e aproximei lentamente o meu rosto, ao perceber a minha intenção ele fechou os olhos e aproximou-se um pouco.

Os nossos lábios tocaram-se, um toque simples e doce, era aquilo que eu queria, era aquilo que me faltava para ser realmente feliz.

Separámo-nos sorrindo, estávamos os dois corados e envergonhados, mas isso não nos impediu de nos beijarmos uma vez mais.

– Midoriya posso pedir-te uma coisa? – Perguntei quando nos separamos. Ele assentiu e eu continuei. – Podes vir comigo visitar a minha mãe? Ela já há um tempo que me andava a pedir para eu apresentar-te a ela… E agora… que isto aconteceu… Eu queria apresentar-lhe o meu namorado. – Confessei, eu estava envergonhado mas não conseguia parar de sorrir.

Ele abriu outro sorriso radiante antes de me responder.

– Eu ia adorar conhece-la! – Ele afirmou fazendo-me sorrir e voltar a beijá-lo.

Estava feliz por tê-lo conhecido, feliz por me ter apaixonado por ele, feliz por ser correspondido. Estava feliz… por ter o Midoriya ao meu lado.

Aug. 29, 2018, 11:31 p.m. 2 Report Embed 1
The End

Meet the author

Beatriz PFT25 Viciada em BNHA! ❤ Apaixonada pelo Todoroki Shouto! ❄❤🔥 Escrevo nos tempos livres! ✍ TT: Beatriz_Kami7 Sintam-se livres para falar comigo :3 Tenho conta também no Spirit, Wattpad e Nyah, todas com o mesmo nome

Comment something

Post!
. . . .
Eu tô tão soft :(( ♡
Aug. 4, 2019, 12:17 p.m.

~