Por eles Follow story

one_nightmare One Nightmare

"Ele faria qualquer coisa por eles." > Feita para o desafio do Dia dos Pais.


Fanfiction Games Not for children under 13.

#papyrus #sans #gaster #undertale #tiposdepai #angst
Short tale
6
4854 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Notas do autor: Eai pessoal! Espero que gostem da história! :3 Tipo de pai escolhido é "pai quem vê cara não vê coração".

_________________________________



W.D. Gaster


Quem o visse, logo o descreveria como alguém sério, fechado e que sempre parece estar pensando em algo. Essa era a imagem que muitos tinham do grande cientista real, porém havia três monstros que discordavam disso.


O primeiro é o rei Asgore, um amigo de longa data do cientista, que já compartilhou longas conversas acompanhadas de xícaras de chá. E os dois restantes, aqueles que agora são o centro de sua vida, Sans e Papyrus, seus dois filhos que lhe eram tão importantes que daria sua vida por eles.


Frutos de seu relacionamento com sua falecida esposa Arial, essa que morreu na guerra entre os humanos e os monstros. Pensar nela ainda lhe causava grande tristeza, mas tinha que ser forte pelos seus filhos, ele era a única coisa que eles tinham agora.


Sans era o mais velho, e mesmo com só sete anos era muito inteligente e aprendia as coisas bem rápido, porém ele era muito, muito preguiçoso, além do seu evidente gosto por piadas. Já Papyrus era o total oposto do irmão, com apenas quatro anos ele era a criança mais energética que Gaster já havia conhecido, bastava tirar os olhos dele por um segundo e pronto! Passava horas correndo atrás dele pela casa, e Sans só ria da situação.


Ele adorava passar o tempo com seus filhos, cada momento era valioso para ele, ver seus filhos aprendendo e descobrindo muitas coisas. Ele lembrava perfeitamente do dia em que Papyrus descobriu uma certa paixão pela culinária, ele passou o dia inteiro tentando convencer Gaster a deixá-lo cozinhar algo, e no final, conseguiu.


A cozinha tinha virado uma grande bagunça nesse dia, farinha e tomates pra todo lado! No final, eles haviam feito um lindo espaguete que tinha um gosto exótico, mas era a primeira vez de Papyrus, no futuro com certeza ele seria bem melhor. Pensando nisso, elogiou o prato feito por seu filho mais novo fazendo a criança abrir um grande sorriso, pobre Gaster, mal sabia ele que, com isso, estaria assinando um contrato onde concordava em ser o provador oficial das experiências de Papyrus, contrato esse que também incluía Sans.


Ele faria qualquer coisa por eles, por isso se dedicava em suas pesquisas, acharia um jeito de quebrar a barreira e trazer a liberdade para todos do subsolo, seus filhos seriam livres.


~~☆~~


Três anos havia se passado, muitas coisas haviam mudado. Sans mostrou um enorme interesse pela ciência, e como tinha uma inteligência elevada ele pôde ajudar seu pai em pequenos experimentos no laboratório - com a total supervisão de Gaster, ele poderia ter sua pose de sério no laboratório, mas nunca deixaria de se preocupar com os filhos. E Papyrus, que com os passar dos anos acabou ficando um pouco maior que seu irmão - coisa que deixou o outro meio chateado -, tinha agora um grande sonho: se tornar um guarda real! Ele passava a maior parte do tempo falando do quanto seria legal se tornar um guarda real, que teria vários amigos e que todos o amariam.


Gaster queria que o sonho dos seus filhos fossem realizados, que eles fossem feliz, e por isso ele estava ali.


Há alguns meses, uma criança humana havia caído no subsolo, e o Rei e a Rainha tinham a adotado, porém, uma coisa havia lhe chamado atenção, a determinação daquela criança. A determinação humana era algo muito forte, tão forte que Gaster tinha certeza que se fosse manuseada de maneira correta, se ele pudesse controlá-la, poderia até mesmo quebrar a barreira com ela.


Em frente àquela máquina que se assemelhava a um crânio de algum animal sustentado acima de um enorme buraco por grossos fios, Gaster depositava todas as suas esperanças. Com a permissão do rei, ele havia extraído um pouco da determinação do humano, depois de várias pesquisas e tentativas falhas, estava na hora, dessa vez daria certo.


Olhou para o lado onde estava Sans que observava tudo de longe ao lado de um dos seus assistentes, logo pensou em Papyrus que deveria estar treinando agora. Faria isso por seus filhos.


Por eles.


Acionou a máquina que começou a emitir um brilho, olhou para as telas dos computadores, todos eles diziam que a máquina estava estável, estava dando certo. Um sorriso escapou de seus lábios, ele iria conseguir, só mais um pouco e todos do subsolo seriam livres. O brilho se intensificou e pequenas rachaduras se fizeram presentes nas laterais da máquina, algo estava errado. Mais rachaduras, o brilho se intensificava mais e mais, os computadores começaram a apitar, a máquina estava perdendo o controle.


Ele foi rapidamente até os computadores, tentava reverter aquela situação mas nada dava certo, o único jeito seria desligar a máquina. Foi até os controles e apertou o botão de desligar, porém, nada aconteceu. Era tarde demais.


A máquina começou a se quebrar, a determinação que ela continha era tão forte que criou um vácuo que estava sugando tudo, mandou um assistente levar Sans dali, não queria que seu filho fosse sugado, o viu sendo levado pela assistente com lágrimas nos olhos, ele o chamava com desespero, mas ele não poderia o atendê-lo agora, tinha que dar um jeito naquela situação.


Porém, antes que pudesse fazer qualquer coisa, o chão começou a rachar e vários pedaços estavam sendo sugados pelo vácuo. Mandou que todos se retirassem rápido, ele tentou correr até a saída, porém o chão ao seus pés ruiu, o fazendo ser levado junto aos destroços.


Enquanto era levado, lembrou-se de toda sua vida. Quando se tornou o cientista real, o seu casamento com Arial, o nascimento de seus filhos, a guerra, a morte de sua esposa e o crescimento de seus filhos que ela não pôde acompanhar. Seus filhos ficariam sozinhos, ele havia falhado, não conseguiu a liberdade para seus filhos e agora não poderiam nem mesmo ficar com eles.


Não poderia fazer mais nada por eles, seus filhos teriam que ser fortes e cuidar um do outro agora. E antes de tudo se tornar escuro, a última coisa que ouviu foi um chamado ao longe.


"PAPAI!"

Aug. 20, 2018, 12:39 a.m. 10 Report Embed 4
The End

Meet the author

One Nightmare Apenas um ser qualquer (~'u')~

Comment something

Post!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela. 1)Vírgula desnecessária depois de "porém" (coloca-se "porém" entre vírgulas quando ele está deslocado em uma oração"), em vez de "cientista real, porém, havia três monstros que discordavam" em vez de "cientista real, porém havia três monstros que discordavam"; "mau sabia ele que com isso, estaria" em vez de "mal sabia ele que com isso estaria" (ou "com isso" pode ficar entre vírgulas). Falta de vírgula em pronomes relativos e concordância em "do cientista ao qual já compartilharam" em vez "do cientista, que já compartilhou". Falta de vírgula em conjunção adversativa "mas". Falta de vírgula em "até a saída porém o chão" em vez de "até a saída, porém o chão". 2)Uso de dois tempos verbais na narração, quando deve-se escolher apenas um, como em "O primeiro era", no pretérito, e em "agora são o centro", no presente. "mau sabia" em vez de "mal sabia". "Ele faria qualquer coisas por eles" em vez de "Ele faria qualquer coisa por eles". "Três anos haviam se passado" em vez de "Três anos havia se passado". "todos o amaria" em vez de "todos o amariam". 3)Crase desnecessária e falta de acento em "à deixa-lo" em vez de "a deixá-lo". "nunca deixaria de ser preocupar" em vez de "nunca deixaria de se preocupar". Falta de crase em "Enfrente aquela máquina" em vez de "Enfrente àquela máquina". "que deveria está treinando" em vez de "que deveria estar treinando". "só mais o pouco e todos" em vez de "só mais um pouco e todos". "tinha que dá um jeito" em vez de "tinha que dar um jeito". "Quando ser tornou" em vez de "Quando se tornou". Obs.: os apontamentos acima são exemplos; há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, assim como ajudar-nos com a gramática e ortografia. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Gostei bastante da sua história; inclusive o final, que foi muito intrigante. Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
March 6, 2019, 12:49 p.m.

  • One Nightmare One Nightmare
    Olá! Tudo bem? Espero que sim :3 Obrigado, fico bastante feliz em saber que gostou da minha história! Sério, isso me anima paaaaaacas! Bem, eu revisei a história com a ajuda de uma amiga e creio que todos os erros tenham sidos corrigidos. Espero que esteja tudo certinho dessa vez :D E obrigado por me apontar esses erros, ás vezes isso pode passar despercebido. Até mais :3 May 10, 2019, 9:25 p.m.
  • Karimy Karimy
    Haha, imagina. Eu não tenho contato com o mundo que você escolheu narrar, mas ficou tudo tão explicadinho, que foi fácil entrar na história e imaginar tudo. Então, fiz uma nova revisão na sua história e, sinto informar, ainda existem coisas que precisam de uma verificação mais atenta. Coisas, inclusive, que foram ditas no primeiro informe de verificação; como o uso de vírgula depois de "porém" quando ele não está deslocado na frase, há um "mas" sem vírgula antecedendo-o, ainda há o uso de dois tempos verbais na narração, como em "O primeiro é" - no presente - e "era" - no pretérito; na última frase, por exemplo, há o uso de "ser" em vez de "se" (antes de tudo ser tornar escuro). Gostaria de recomendar, mais uma vez, a serviço de betagem do Inkspired. Pense a respeito, a experiência pode ser muito boa <3 May 11, 2019, 7:14 p.m.
  • One Nightmare One Nightmare
    OI! Putz, achei que tinha corrigido tudo :'c Olha, a senhora poderia me indicar aonde estaria esses erros (porém, mas e era)? Eu e a pessoa que está me ajudando não conseguimos achar. Desculpa por isso ;-; May 12, 2019, 10:50 a.m.
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, tudo bem? Quinze pessoas enganadas! Meu Deus, que história de partir o kokoro! Primeiro o Gaster, por quê? No início eu realmente pensei que era um fluffy, Gaster faria tudo por seus filhos, mesmo que sua cara fechada dissesse o contrário, inclusive libertar seu povo do reino subterrâneo só para vê-los felizes. Foi isso que entendi. Então sua história, além de tudo, é didática para quem não tem conhecimento algum no universo. Alguma coisa já não cheirava bem quando Gaster construiu a máquina para livrar seu povo com o poder da determinação humana, porém conforme foi chegando a hora, meu coração já sabia. A história está incrível, sério. Você, mesmo com poucas palavras, conseguiu explicar parcialmente o universo do jogo e ainda narrar os acontecimentos com muita eficácia! O sentimento de fracasso do Gaster ficou muito coerente e aparente na história. Está de parabéns! Só notei algumas palavras repetidas desnecessárias ao decorrer do texto que poupariam algumas para um aprofundamento maior da parte reservada do cientista. Por exemplo, “era”: tem em quase todos os parágrafos, mas isso se resolve apenas com uma revisão, e não é o pior tipo de erro, já que a parte ortográfica está quase perfeita! E a forma abordada do tipo de pai escolhido foi muito boa, de verdade! Eu amei! Espero que tenha se divertido com o desafio! Beijinhos e até o próximo! 😘
Sept. 4, 2018, 12:37 a.m.
Emily C Souza Emily C Souza
Masoq é isso, autora-san?? Confesso que não sei quem são os personagens, mas isso n]ao diminuiu minha dor!! Ai meu coração, tenha pena dessa reles mortal, não me faça sofrer assim de novo, meu coração é fragil!!! Agr eu so consigo imaginar o San e o Papyrous crescendo sem pai, e isso é muito cruel... to sem palavras.
Aug. 23, 2018, 3:38 p.m.

  • One Nightmare One Nightmare
    Cuidado com o coração '0' Realmente é triste, a mãe morreu quando eles eram mais novos, e agora foi o pai ;^; Mas eles conseguirão! Eles são muito unidos! Olha, esses personagens são de um jogo chamado Undertale, seria legal você jogar ou vê a gameplay, é bem interessante :3 Aug. 23, 2018, 3:50 p.m.
Tali Uchiha Tali Uchiha
Depois eu te mato e eu que sou a errada. Eu amei, tá choroso, tá triste, eu quero um abraço, esse "PAPAI" no final acabou com minhas estruturas. Você é uma pessoa má. Vou te esquecer no churrasco
Aug. 19, 2018, 8:02 p.m.

  • One Nightmare One Nightmare
    SHUASHUAHSHUHSYH essa era a intenção 'u' Vem cá, eu te abraço \(*^*)/ Não me esquece nãããooo... Pera, em num churrasco, pode me esquecer lá sim, vou comer tudo (e colocar na sua conta cof cof) :'v Aug. 20, 2018, 2:07 p.m.
~

Related stories