Flawless Follow story

sr.-artie Sr. Artie

Jimin desejava alcançar o sucesso em diferentes esferas, fosse na sua carreira artística, fosse adquirindo o corpo perfeito, e ele estava disposto a se submeter à dietas insanas por isso. Mais uma vez Jimin tentava alcançar os padrões inalcançáveis e, felizmente, mais uma vez, Jungkook estava lá para lembrá-lo de que não havia nada de errado consigo e que o companheiro era perfeito exatamente da maneira que era


Fanfiction Bands/Singers Not for children under 13.

#yaoi #lgbt #bts #jeonjungkook #jungkook #parkjimin #jimin #songfic #boyslove #fluffy #jikook #bangtanboys #koomin
Short tale
8
4844 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único: Flawless

Notas da História:

JungKook e Jimin são pessoas reais, pertencem ao grupo BTS, e essa história aqui não passa de ficção.

História betada pela Rebel Princess (Nyah- Liga dos Betas)

História baseada na música Just The Way You Are do Bruno Mars

História postada no Nyah, Social Spirit e Wattpad

*JiKook/KookMin*

Notas Iniciais do Capítulo:

Oi, genteee!

Cá estou eu com mais Jikook no universo canon. Dessa vez, a fic é levinha e muito fofa, eu amei escrevê-la. O plot surgiu quando meu squad de amigos sensatos e eu estávamos falando sobre como Jimin emagreceu ao longo dos anos e sobre como a dieta dele na época de BS&T era louca. Durante a conversa, eu soltei a frese “JK, cuide do seu mino”, então basicamente, a história é sobre JK cuidar do Jimin quando ele pensa em fazer mais uma dieta insana. Contudo, no entanto, todavia, não pensem que Jimin vai ter sua personalidade anulada como em meio mundo de fanfic que existe por aí. Eu e Rebel (a beta da história) trabalhamos para que isso não acontecesse.

Bem, é isso, boa leitura. 

Flawless

By: Sr. Artie

Capítulo Único


Os corpos suados movimentavam-se de acordo com o ritmo da música que tocava ao fundo da sala de ensaio, tentando, ao máximo, não errar um dos passos e quebrar a excelente harmonia que tinham desde que deram o primeiro passo de dança. Sem sutileza, com a mesma agressividade da canção, JungKook e Jimin executavam movimentos precisos e contavam, através de seus corpos, a narrativa que estava sendo cantada por Beyoncé.

Em Flawless, uma música sobre amor próprio e autoaceitação, Beyoncé cantava, com eloquência, sobre estar se sentindo perfeita e impecável, mesmo ao acordar, porque ela sempre acordava desse jeito. A expressividade e força com que as palavras saíam de sua boca denunciavam a verdade e o brilho por trás de cada um de seus versos cantados.

Tentando captar isso e transmitir com a sua dança, Jimin e JungKook resfolegavam enquanto repetiam a sequência de passos pré-ensaiados. Executavam cada movimento, rápidos e energéticos, sem descanso.

Continuaram a reproduzir os movimentos até que a música parou de tocar, cessando o som que saía pelos alto falantes, restando apenas as respirações pesadas e cansadas dos dois ali presentes.

— Hoje você dançou com muito afinco, parecia que era a coreografia de uma das nossas músicas e não que estávamos apenas relaxando um pouco — disse JungKook, enquanto sentava-se no chão da sala, surpreso pela maneira como Jimin dançou, doando tudo de si.

— Ah, eu amo essa música, o ritmo acelerado e a maneira como Beyoncé a canta, como se tivesse vociferando contra toda uma sociedade que exige algo de sua aparência que é perfeita como ela é, é empoderadora; me sinto elétrico — respondeu, repetindo o mesmo processo que o mais novo, acomodando-se no chão.

JungKook ouviu o outro, seu sorriso aumentando a cada palavra que escapava pela boca dele. Era incrível como Jimin era apaixonado pela dança e se empolgava ao falar sobre o assunto, contagiando com seu sorriso quem estivesse ao seu entorno para escutá-lo, maravilhado.

Com a mão, JungKook o chamou para que se aproximasse de si, batendo levemente em uma de suas pernas, indicando que Jimin repousasse a cabeça ali e ele o fez sem pensar duas vezes. Os dedos compridos começaram a passear pelos cabelos loiros acastanhados, subindo e descendo o couro cabeludo, afeiçoado àquele mar de fios macios.

— Está com fome? — JungKook perguntou ao mais velho apenas para vê-lo negar com a cabeça. — Eu estou faminto, não sei como você consegue passar tanto tempo sem comer.

— Ah, só como quando sinto fome e não estou sentindo no momento.

— Nova dieta?

— Talvez… — respondeu receoso, pois já conhecia o comportamento do outro quando o assunto era suas dietas, ele nunca aprovava.

JungKook iria rechaçar a resposta de Jimin, deixando claro que ele não precisava fazer dieta ou qualquer coisa do tipo, não havia nada de errado com o corpo dele, mas o barulho da barriga do mais velho denunciou a fome que ele sentia e tentava manter escondida.

— Jimin-sshi, então você mentiu sobre estar com fome?

Incapaz de responder JungKook após ter sido pego mentindo sobre algo tão bobo, Jimin desviou o olhar para qualquer canto da sala desde que o rapaz em que descansava a cabeça não aparecesse em seu campo de visão. Estava envergonhado, podia-se notar sem esforço.

— O quê? Vai dizer que nunca mentiu para mim? — Perguntou com um tom leve de irritação. — Já se esqueceu daquela vez em que mentiu sobre estar bem, se forçando a subir no palco, passando mal e me matando de preocupação? Admita, somos o sujo falando do mal lavado — terminou com a voz mais calma, tentando silenciar um sorriso que insistia em surgir.

Apesar da forma descontraída que brincou com JungKook, a verdade era que Jimin estava esfomeado, mas a dieta que tinha iniciado possuía horários regrados e rigorosos sobre as refeições e, por mais difícil que fosse, Jimin estava tentando segui-los à risca. Sabia que não estava acima do peso, seu IMC revelava que estava saudável e dentro da faixa do que se considera magro. No entanto, magreza não tem a ver com saúde, mas com ser visto como magro e esbelto pelos outros.

A vida de um idol implica em estar sendo constantemente observado pelos olhos de todo um país e Jimin sabia que tinha ser visto como alguém magro por eles. Uma nação como a Coréia, em que a cada esquina existia uma clínica de estética, era bem apegada aos padrões de beleza e, embora soubesse que não eram nada saudáveis, forçava a se caber neles.

Suas bochechas sempre foram um incômodo para si, eram grandes demais e sempre foram um dos alvos para sua baixa autoestima. No começo, conseguiu ignorar as críticas direcionadas a si e sua imagem, mas, com o tempo, começou falhar em bloquear os comentários negativos. Jimin tinha uma uma personalidade forte, mais intensa e enérgica que a da maioria das pessoas, só que ainda era um humano e palavras ruins o afligiam.

Então, deu início a sua tentativa de caber dentro do que os outros esperavam de um idol. Suas dietas eram insanas, passava longos períodos sem refeição alguma apenas para que a falta de carboidratos em seu corpo, buscasse uma outra fonte de energia, as gorduras no caso. Contudo, o percentual de lipídios em sua constituição física era baixo, não tendo uma segunda fonte de energia que funcionasse como reserva. A época de divulgação de Blood, Sweet & Tears era tão pesada que mal conseguia se manter em pé e dançar, era exaustivo ao extremo e Jimin sabia disso, porém continuava se forçando além de seus limites.

A perda de peso veio gradativamente: as bochechas gordas emagreceram, deixando o seu rosto menos redondo, as coxas grossas e os braços definidos afinaram, mas definhar não significava desfazer-se, ao longo do processo, de suas inseguranças; elas ainda estavam lá, o rondando sempre que dizia respeito à sua aparência. Por essa razão, de tempos em tempos, Jimin começava mais uma de suas dietas malucas, porque conseguia resolver o problema que enxergava fora de si, só que não combatia os demônios que tinha por dentro. Então, sim, ele tinha mentido para JungKook e estava com vergonha por isso.

— Levante-se — JungKook pediu —, vamos para casa, farei meu ramén especial para você comer.

— Não precisa se incomodar, JungKook-ah.

— Você precisa de carboidrato e proteína e eu irei te fornecer isso — falou, gesticulando para que ele se levantasse —, mesmo que você teime ou faça a cara de zangado que sempre usa quando está de birra com Tae para conseguir o quer.

Jimin retirou sua cabeça da coxa alheia e, em seguida, colocou-se de pé, oferecendo a mão para que JungKook fizesse o mesmo. Recolheram seus pertences que estavam espalhados pela sala de ensaio e saíram do prédio da Big Hit e cuidaram em pedir um táxi para irem para casa.

Durante o caminho percorrido para que chegassem na residência que dividiam com os outros meninos, JungKook e Jimin não tentaram estabelecer uma conversa, o silêncio entre eles estava agradável o suficiente e não passou pelas suas cabeças quebrá-lo. Mantiveram as mão unidas no decorrer de todo o percurso, vez ou outra, trocando gestos ternos.

Quando entraram na moradia, JungKook pediu para que, enquanto cuidava da comida, Jimin fosse tomar banho. Para cozinhar ramén, ele sabia que precisaria de 400 ml de água para cada pacote de massa pré-cozida, como seriam dois, necessitaria de 800 ml. Mediu com a ajuda do copo de liquidificador a quantidade de água necessária, colocando-a numa panela e ligando o fogão para que a água fervesse. O segredo de sua receita era sempre colocar o pó de tempero antes da água ferver, não tinha um motivo plausível para isso, era apenas como ele gostava de fazer. Esperou que água começasse a borbulhar para adicionar o macarrão, mexendo em espaços regulares de tempo a penela.

JungKook sabia que somente macarrão não era um refeição boa o suficiente para repor as energias de Jimin, então vasculhou pela geladeira alguns legumes, adicionando-os a fervura também. Quando a massa estava quase cozida, incrementou o ramen com salsichas picadas e ovos.

Agora, era uma refeição boa o bastante para Jimin. Saiu da cozinha para avisá-lo que a comida estava pronta e que poderiam comer, mas o achou na sala, indo a seu encontro.

— A comida está pronta, vamos comer — chamou-o.

— Não vai tomar banho antes? Eu te espero.

— Estou com fome demais para não comer agora — avisou.

Acomodaram-se na mesa disposta na cozinha, onde JungKook tinha deixado o ramen cozido, e serviram-se.

JungKook observou, calado, Jimin servindo-se e quis reclamar com ele quando viu que não era intenção dele comer realmente bem, pegando poucos fios de macarrão dentro da combuca, junto com legumes e o caldo temperado. Levantou-se e caminhou até estar ao lado do mais velho, tomando da tijela das mãos pequenas e aumentando a quantidade de comida, colocando os ovos e os pedaços de salsichas ignorados antes pelo mais velho.

— Coma bem, sim? — Pediu.

— JungKook-ah…

— Você não quer que eu decida te imitar e seguir suas dietas mais uma vez, quer? — Questionou calmo.

Jimin negou com um aceno, concentrando sua atenção na comida que lhe foi oferecida. Viu JungKook retornar para o lugar dele e começar a comer também. Fizeram a refeição em quietude e, somente quando terminaram, o silêncio foi quebrado.

— Quer jogar Overwatch? — JungKook perguntou.

— Ah, você sabe que eu sou péssimo, só me chama porque ganha todas — lamentou-se.

— Eu prometo pegar leve com você pelo menos dessa vez — riu.

— Aish, esse garoto sinceramente — disse Jimin em falsa indignação.

Combinaram que Jimin lavaria a louça e as panelas usadas, enquanto o outro tomaria o banho dele, e iria até JungKook quando terminasse a tarefa pela qual ficou responsável.

Encontrou o mais novo alguns minutos depois, no quarto que lhe pertencia, secando os cabelos com uma toalha. A visão era tentadora demais e Jimin chegou a pensar em deixar overwatch de lado para se divertir de outra maneira naquela noite, mas logo largou o pensamento porque seus músculos estavam doloridos após dançar por horas. JungKook ligou o videogame e escolheu seu personagem, Jimin repetiu o mesmo processo depois. Como o jogo era multijogador, com combates entre equipes rivais, cada uma composta por seis participantes, procuraram online parceiros para completar o time.

O modo de jogo era o híbrido, uma mistura entre o ataque e o defesa. A missão que lhes foi dada era transportar uma carga sem permitir que a equipe adversária a reivindicasse, assim como conseguir conquistar a mercadoria escoltada pelos seus rivais. O personagem de Jimin era ofensivo, o que significava que possuía alta mobilidade e uma grande capacidade ofensiva, mas baixos pontos de vida. Por essa razão — e por ser um péssimo jogador —, ele continuava morrendo diversas vezes seguidas.

Apesar de inapto para jogos eletrônicos, Jimin realmente gostava de gastar seu tempo ao lado de JungKook fazendo aquilo, era divertido ouvi-lo reclamar sobre cada jogada errada que fazia. O riso era constante e o som de sua risada reverberava pelo quarto.

JungKook sorria sempre que via Jimin gargalhando, porque ele ria com o corpo, jogando-o para o lado e o deixando ser tomado pela alegria que o consumia; era uma cena que agradava aos seus olhos, principalmente quando o olhar dele formava aquele eye smile que tanto amava e os cabelos recaíam com perfeição, emoldurando seu rosto. Na concepção de JungKook, se comparadas a Jimin, as estrelas seriam foscas, porque brilho algum equivalia-se àquele que provinha dele, tão suntuoso e luminoso ele era.

A sensação de estar sendo observado fez Jimin tirar seus olhos da tela à sua frente e dirigi-los em direção ao local em que sentiu estarem à sua espreita, encontrando JungKook vidrado em si.

— O quê? Tem algo no meu rosto? — Perguntou enquanto passava uma das mãos pela face de pele lisa.

— Não — negou. — Só estava divagando sobre o quão bonito Jimin-sshi é — confessou.

Jimin sorriu ao ouvir o elogio e fez um gesto com a mão como se dissesse que o mais novo estivesse exagerando. Provavelmente, estava sendo humilde ao fazer pouco caso do comentário de estima feito a si, mas JungKook sabia que, às vezes, quando o elogiava, Jimin não acreditava no que lhe era dito, porque não se enxergava como JungKook o via. Partia seu coração as ocasiões em que o ouvia se chamar de porco, era algo triste de escutar saindo da boca de uma pessoa que se referia a ela mesma.

Não existia nada que JungKook deseja-se mudar em Jimin, porque ele era incrível exatamente daquele jeito. Um único sorriso dele e o mais novo seria capaz de parar a rotação da Terra apenas para observá-lo em calmaria, semelhante a sensação de paz que o vislumbre da felicidade dele transmitia para si.

Aproximou-se do rosto de Jimin, tomando os lábios dele em um beijo calmo conforme sua mão subia pelo pescoço alheio até se encaixar nas bochechas redondas. Sem pressa, modeus os lábios cheios, passando a língua para dentro da boca que estava colada com a sua. JungKook poderia passar o resto dia ali, beijando-o e não se importaria com outra coisa além dele.

— Jimin-sshi, se é perfeição que você busca, não há absolutamente nada que você deva mudar em si — disse ao desvencilhar sua boca da dele. — Então, continue assim — pediu.

Só que JungKook sabia das razões pelas quais Jimin acreditava não ser bom ou bonito o bastante e tinha noção que essas inseguranças não desapareceriam facilmente com o tempo, era exigido um trabalho árduo para amar a si mesmo. Estaria ao lado dele a cada novo dia em que o sol nascesse, dizendo-lhe, quantas vezes fossem precisas, o quão bonito ele era. Não falaria isso somente por amá-lo, mas por ser a verdade, diria-lhe isso todos dias, naqueles em que ele estivesse se achando perfeito e naqueles em que não, confortando-lhe e sendo empático, pois amá-lo compreendia além dos dias bons e calmos.

Para JungKook, Jimin era perfeito exatamente como ele era. 

Aug. 18, 2018, 1:08 a.m. 2 Report Embed 4
The End

Meet the author

Comment something

Post!
Isis Isis
Eu ainda quero te bater por prometer fluffy e tacar o assunto delicado da auto estima do Jimin na roda. Mas não vou pq realmente foi fofo. eu amo uma historinha de rotina e essa ficou tão a cara deles aaaa cuida do seu mino JK!
Aug. 18, 2018, 8:26 a.m.

  • Sr.  Artie Sr. Artie
    AAAAAAAAAAA MDS DESCULPAS Da próxima vez eu deixo uma nota sobre, eu juro. Eu também amo histórias de rotina, passo o dia pensando em como deve ser o dia a dia de JiKook, por isso escrevo sempre sobre. Fico feliz que tenha gostado da história, obrigado pro comentá-la. Aug. 19, 2018, 5:22 p.m.
~