4 por 4 Follow story

tiatatu Tatu Albuquerque

Em meio às desgastantes missões e as próprias relações amorosas, os 4 jounins-senseis da Folha buscam um diferente tipo de relaxamento em grupo, cientes de que um 4 por 4 não atrapalha em nada o 2 por 2 vosso de cada dia.


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only. © Personagens do Masashi Kishimoto, eu só botei pra foder.

#konohana #UniversoOriginal #UdonMoe #QueroBiscoitoFNS #UdonHana #KonoMoe #MoeHana #HanaMoe #KonoHanaMoe #KonoHanaUdon #KonoHanaUdonHana #KonoUdon #UdonKono
Short tale
5
5073 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

4:4/2:2

Notas: antes de mais nada, quero deixar claro que isso aqui não é um tipo de poliamor, apenas uma suruba bissexual muito louca. Fanfic feita de forma extraoficial para a gincana do biscoito da FNS. Boa leitura! 



Beijou seu par e se ausentou da cama desforrada para tomar um pouco de descanso. 


Por mais que não estivessem há muito naquilo, havia voltado há muito pouco de uma missão desgastante com suas meninas, precisava de mais fôlego se quisesse ter pique para tudo o que aquela noite lhe reservava. 


Pegou a garrafa de sakê, sentou sobre a poltrona confortável que felizmente havia convencido Konohamaru à comprar e bebeu, rindo ladina para a bela visão de seu namorado unido em um sensual beijo com Udon e Moegi. 


Assistiu o beijo que antes era triplo se tornar comum quando a Kazamatsuri também os deixou ali sozinhos ajoelhados na cama, deitando na cama, rindo maliciosa e admirando a visão dos ex colegas de time se beijando enquanto, com as mãos, masturbava aos dois. 


Cruzou as pernas por conta do tesão e bastava a cena para voltar a tirar o fôlego. Sentia até saudade do calor que havia entre eles e também de aproveitá-los, por isso se sentia até ansiosa para voltar. 


Bebeu mais um pouco, respirando fundo e estalando o pescoço. Sentindo-se um pouco mais disposta, voltou a integrar o quarteto, levando consigo a garrafa, distribuindo a bebida entre os outros três, derramando do sakê nos seios de Moegi, que sentiu que precisava de mais uma mão para puxar os cabelos de todos ao mesmo tempo. 


Já arrepiada pelo frio da bebida em seus mamilos, isso só aumentou quando Hanabi se pôs por cima de si, enquanto os dois bebiam mais um pouco para se recuperarem da sede, abraçando a outra jounin, beijando sua boca e pescoço, repousando um pouco entre seus seios, lambendo o restante do sakê, e descendo mais, apalpando-lhe a virilha e a masturbando antes de lhe provar com a língua mais uma vez. 


Deixando a garrafa de lado novamente, voltaram à ativa na cama, com Udon voltando à boca de Moegi enquanto Konohamaru aproveitava de seus seios numa boa espanhola, dando seu jeito de continuar beijando o outro. 


Felizmente, Konohamaru não tinha vizinhos que pudessem lhes ouvir aquela hora, lhes dando total liberdade e privacidade para que as vozes fossem altas e as fodas violentas. 


Que Konoha não soubesse o que os 4 faziam para relaxar mais da vida agitada de senseis que levavam, seria um verdadeiro escândalo, mas que se fodesse como Moegi era fodida, entre os seios por Konohamaru, na boca por Udon e mais embaixo pelos dedos da Hyuuga que usava de seu controle de Chackra para potencializar o prazer que ela sentia. 


Estavam acostumados a ter aquele tipo de interação além das relações comuns de namorados. Nada que afetasse a relação dos 4 como amigos e de cada casal, pelo contrário, sempre que passavam por aquelas experiências tão inusitadas, sentiam que saiam com suas respectivas relações ainda mais fortes. 


Também não havia abalo algum às amizades, outro dia sairiam em algum programa de casais mais comum, assim como não deixavam de serem dois casais ali, mas ali se permitiam serem os quatro pelos quatros, principalmente no que se dizia respeito ao prazer dos quatro. 


Os quatro experimentavam os quatro; os quatro beijavam os quatro; os quatro chupavam os quatro; os quatro masturbavam os quatro; os quatro fodiam os quatro; e os quatro gozariam com os quatro se aguentassem. 


Udon segurou firme nos cabelos do rapaz em seus braços, beijando o pescoço dele que se arrepiou inteiro, permanecendo assim até quando ele deu uma breve pausa para respirar e evitar que seu nariz escorresse e estragasse todo o clima da situação. 


As duas pararam por um momento apenas para apreciar os excitantes gemidos dos dois, enquanto o Sarutobi beijava e mordia o pescoço do outro. 


Hanabi achava uma gracinha as bochechas coradas de Konohamaru quando ele decidia assumir que também gostava de ter experiências sexuais com homens e, por mais que aquela estivesse longe de ser a primeira vez dele com Udon ali, ele sempre se mantinha daquele jeito e com o Ise não era diferente, mas os deixou de lado, afinal, tinha coisa melhor para aproveitar. 


Entre o revezamento oral que fazia numa rola e na outra, Moegi gemia animada, com todos os pêlos ruivos de seu corpo arrepiados a cada nova carícia da língua da Hyuuga, rebolando seu quadril contra ela, que o agarrou firme, apertando a pele já avermelhada após tantos apertos e tapas levados naquelas que eram só as preliminares. 


Teve os cabelos puxados por ambos os homens que disputavam sua boca pelos poucos momentos antes que Hanabi fosse ajudá-la. 


Juntas, lamberam, cada uma de um lado, primeiro Konohamaru e depois Udon, depois se separando, com a namorada de um chupando o outro. 


Impressionantemente, Konohamaru gostava da visão da namorada chupando seu amigo igual gostava do boquete que Moegi lhe fazia, assim como a Kazamatsuri assumia que adorava ver outra caindo de boca na sua “rola favorita”, mas sentiu vontade de retribui-la e foi assim que as posições mudaram. 


Deitou para que Hanabi sentasse em seu rosto, segurando e estapeando o rabo dela, vendo que Udon estava sentado sobre as pernas, um pouco acima de sua cabeça, e que após ser beijada na boca e nos peitos que continuavam a ser acariciados por ele, ela continuava o boquete. 


Lambeu a ponta, vendo Udon suspirar excitado. Logo estava fazendo um vai e vem com a boca, enquanto massageava os testículos e a base do talo.



Embriagado pelo desejo, pegou seus cabelos mais forte, fazendo um rápido vai e vem, levando seu pênis até a garganta dela, que o arranhava na altura de sua lombar, deslizando as unhas pela bunda, a lateral alta da coxa e indo em direção ao baixo ventre, vendo, por sob as lentes dos óculos dele, o revirar de seus olhos. 


Riu, subindo para beijar a boca dele, sussurrando em seu ouvido, estimulando-o a parar para assistir mais dos outros dois e assim fizeram. 


Desceu do rosto de Moegi e, com os dedos, motivou seu namorado a beijá-la, mordendo o lábio vendo o quão gostosa podia ser a cena, principalmente depois que ela gemeu ao sentir Konohamaru tocando e beijando seus seios, aumentando mais o volume de sua rouca voz onforme Konohamaru deslizava as mãos por seu corpo como se o conhecesse tão bem quanto ao de Hanabi, tentando encontrar as áreas mais sensíveis dela. 


Konohamaru desceu os beijos dos seios pela barriga, mordiscando o caminho inteiro, esfregando a ponta de seus dedos por ali, acariciando o baixo ventre até chegar na virilha da sensei que se agarrou com força em seus cabelos quando ele passou a lambe-la, explorando-a de uma excelente forma, acariciando de leve seus lábios com a ponta dos dedos para massagear toda a sua zona erógena. 


Devia agradecer muito à Hanabi por tê-lo ensinado aquele tipo de carícia, mas devia admitir para si mesma que ele não chegava aos pés dela no que fazia, mas dava pro gasto, às vezes até superava suas expectativas, como naquele momento em que, ao descer e passar a estimular seus clitóris interno por carícias de sua língua nos pequeno e grandes lábios, ele estendeu as mãos de forma a manipular seus seios.


Arranhou a nuca do parceiro da vez, que interpretou o ato como um "pode continuar", passando a lamber toda a região, buscando dar o maior prazer possível a amiga, apertando levemente seus mamilos, esfregando seus dedos em zigue-zague ao descer, voltando a acariciá-la. 


Passou os dedos pela intimidade completamente úmida dela, deixando a mulher gemer coisas desconexas. Girou a ponta da língua tentando massagear mais de Moegi com ela, saindo para lamber mais de seu exterior. 


Ela negou, pedindo por outra coisa e foi assim que ele entendeu que ela desejava avançar, por isso a agarrou pelas coxas, a encaixando em seu quadril, esfregando-se nela enquanto abria e colocava o preservativo.


Por um momento Hanabi sentiu inveja, por isso pulou sobre Udon, o beijando e o provocando a aproveitar os breves momentos em que Konohamaru ainda estava fora de Moegi para lambê-lo também e assim ele fez, mas para ela não era o bastante. 


Tinha seus rompantes de fujoshi e adorava vê-los se pegando e por isso eles podiam fazer bem mais. 


Como mediadora da situação, indicou que, enquanto metia na amiga, seu namorado deveria chupar Udon e ele não reclamou, pelo contrário. 


Colocou Moegi de lado para continuar a penetração nela enquanto masturbava o amigo e ainda olhou nos olhos dele a todo tempo enquanto sugava-o na glande, antes que a cabeça da Hyuuga entrasse em seu campo de visão, indicando que ela o beijava enquanto apertava o seio esquerdo de Moegi. 


Udon, por sua vez, mordeu o lábio e segurou as ancas de Hanabi, gemendo contra a boca dela quando Konohamaru usou sua dominação de vento para criar um pequeno e leve redemoinho na mão, envolvendo melhor o pau do parceiro, que passou a beijar o pescoço e o colo da Hyuuga, se divertindo com seus seios. Abocanhou um dos mamilos enquanto massageava o outro com os dedos, levando-a à loucura.


Quando Konohamaru voltou sua atenção apenas para Moegi, que o puxou pelos cabelos, o beijando e arranhando seu rosto, rebolando contra ele, foi a vez de Hanabi ganhar total atenção de Udon daquela vez e riu, quando ele a pôs sentada na cama, beijando seu pescoço e mordendo sua orelha, apertando firme seus seios, lambendo ali da orelha até a nuca e voltando. 


Basicamente estava deitado sobre a Hyuuga que arranhava sua bunda, instigando Konohamaru a bater ali, subindo as unhas de volta às costas do homem que agora mordia seu pescoço, a fazendo arrepiar. 



Lambeu todo o colo dela, acariciando seu mamilo esquerdo enquanto ela arranhava seu pescoço. Sua excitação pulsava, ansiando por ter o corpo da mulher que estava embaixo de si e ela, já ansiosa, abriu mais as pernas num convite.


Com os dedos, Udon fez movimentos circulares sobre a glande do clítoris dela, assim como acariciou melhor a área que correspondia ao clitoris inteiror, trocando os dedos pela glande de seu pênis, se esfregando ali.


Ao mesmo tempo, por conta conta da junção dos muitos estímulos sexuais recebidos, a Kazamatsuri começou a se contorcer numa visão apreciada pelos outros três, que, como se aquilo os excitasse ainda mais, assistiram ao bom orgasmo que ela teve. 


Gritou ao sentir uma sensação de prazer violenta lhe invadir o corpo, fazendo Konohamaru sorrir de canto. Era sempre uma massagem em seu ego fazer uma mulher gozar. 


Um a um, a beijaram e, quando notaram, já estavam os quatro unidos num beijo múltiplo e nem mais reconheciam quem tocava quem, apenas rindo e aproveitando a situação. 


Exausta e querendo descansar, Moegi se retirou da cama, tomando a poltrona para si e assistindo quando os três continuaram. 


Udon agarrou Hanabi por trás enquanto Konohamaru fez isso pela frente, ambos beijando cada qual um lado de seu pescoço e um de seus ombros, mordiscando enquanto ela se empinava para um e agarrava os cabelos do outro, deslizando suas mãos sem pudor algum pelo corpo do Sarutobi enquanto o Ise fazia o mesmo com o seu, usando da lubrificação dela e também de um dos lubrificantes que eles haviam trago para aquela noite em especial, para prepará-la para o sexo anal.


Gemeu, mordeu o lábio inferior e olhou para trás, vendo ele ajeitar os óculos embaçados, usando o poder de seus olhos para conseguir ver melhor o tesão refletido nos dele, principalmente quando girou seu quadril para provocá-lo, sendo segurada por Konohamaru para conseguir masturbá-lo sem problema. 


Subiu a mão, o arranhando inteiro pelo caminho até o pescoço, o puxando pelos cabelos da nuca, lambendo de seu gogó até sua orelha, sugando o lóbulo.


Sussurrou no ouvido dele que queria sentir os dois ao mesmo tempo, ganhando sorrisos maliciosos e tapas na bunda que Udon estava louco para começar a foder, já até mesmo prevenido para isso, mas esperou que ela aprontasse a verdadeira peripécia que era usar a boca para colocar o preservativo no namorado, que a ajudou a não engasgar com o plástico, ao mesmo tempo que empurrava sutilmente a cabeça dela contra seu pau, gemendo ansioso quando ela voltou, verificando rapidamente se estava tudo seguro e então a agarrou, sugando seus mamilos enquanto Udon beijava as costas da Hyuuga que revirava os olhos, suada e ansiosa. 


Udon lambeu do centro de suas costas até a nuca, mordendo dali até sua orelha esquerda, enquanto Konohamaru lambeu do seio ao ombro direito, mordiscando dali até a orelha direita. 


Para aumentarem a expectativa dela, sussurraram juntos. 1, 2… No 3, ela já gemia arrepiada, tendo um grito abafado por um beijo de Konohamaru quando os dois meteram juntos, num tom meio desacertado de início. 


O Sarutobi tentou controlar sua euforia enquanto ela se adaptava a foda traseira, virando o rosto para beijar Udon, cravando as costas nos ombros do namorado enquanto Moegi se divertia com a bela e excitante vista, se masturbando, sentindo que o último ápice ainda não havia sido suficiente para lhe satisfazer e, sabendo do quanto isso provocava a Hyuuga, olhou no olhos dela assim que ela deixou de revirá-los, penetrando-se com dois dos seus próprios dedos, usando de sua dominação de madeira para deixá-los ainda mais rígidos, fodendo-se um pouco antes de criar um clone apenas para passar os dedos melados dele na boca de Hanabi, acabando por fazer o mesmo com os outros dois, antes de desaparecer, voltando a Kazamatsuri que riu da face deles, principalmente ao vê-los eufóricos quando ela própria lambeu os dedos. 


Hanabi achou injusto deixá-la de fora da brincadeira e por isso também criou um clone. 


Provavelmente xingou três gerações de seu clã ao ver o quão delicioso era se ver chupando a sensei que segurava firme em sua cabeça, tanto quanto era ouvir os elogios sussurrados e gemidos pelas vozes dos dois que lhe fodiam sem pena, num belo e frenético vai e ver enquanto disputavam o controle da ginga de seu quadril. 


Levou tapas. Na bunda por Udon e no rosto, seu e do clone, dos outros dois e riu. Adepta da arte do pompoar, contraiu-se enquanto rebolava, dando uma bela amostra do que seu jutsu familiar podia fazer naquela cama. 


Em resposta, os alucinados homens que a devoravam, aumentaram o ritmo numa sincronia forte e rápida, com Udon segurando os longos cabelos dela com a mão esquerda, enquanto a direita apertava o mamilo esquerdo. 


De tão insana, ela nem notou quando o clone se desfez e muito menos quando Moegi surgiu à beira da cama, distribuindo mais sakê na boca de cada um, sendo surpreendida por um clone do Ise que a agarrou por trás, pelos cabelos, perguntando aos sussurros se ela queria mais, a vendo arrepiar inteira, principalmente quando usou os dedos para servi-la, com elas abrindo as pernas para que ele tivesse mais acesso à boceta, jogando a cabeça para trás, agarrando os cabelos dele quando ganhou uma mordida no pescoço e na orelha, com ele passando a ponta da língua em todo o arco e sugando o lóbulo. 



Assentiu animada, gritando baixo quando ele a jogou na cama, buscando uma nova camisinha. Ansiosa, rebolou contra o homem que, já protegido, por impulso, a penetrou de uma só vez. 



Puxou-a pelos cabelos, a trazendo até ele, mordendo seu pescoço e orelha. Lhe deu um leve tapa no traseiro enquanto ela rebolava contra seus quadris.



Devia dizer que era um tremendo esforço fazer aquilo com as duas, por isso deixou Hanabi apenas para Konohamaru um pouco, vendo quando ele deitou na cama para que ela fosse por cima, não voltando de cara à penetração para poder aguentar mais um pouco.


Tocou-a delicadamente com os dedos enquanto beijava seus seios, mordiscando seus mamilos e ela gemeu ao sentir seus dedos lhe penetrarem em um gostoso vai e vem inicial, logo passando a massagearem suas paredes internas. 


Sentiu o homem erguer seus quadris, então posicionou o sexo do homem no seu, deslizando até o quadril de Konohamaru, gemendo com o contato mais íntimo naquela posição, voltando à massagem erótica, apertando levemente o pescoço dele na lateral.


Rebolando bastante enquanto eles segurava seus quadris lhe dando leves tapas que aos poucos evoluíram, afinal, ela não estava ali para brincadeiras infantis e levava bem a sério seu gosto pela brutalidade daquele bacanal. 


Apertou os seios dela em resposta ao rebolado que ela mantinha enquanto se descia e subia, os largando apenas por achar bela a visão dos seios dela pulando, erguendo seu corpo apenas para esfregar seu rosto neles, voltando a tombar e estapear seu rabo e sua cara, apertando suas bochechas com a mão esquerda, a fazendo morder seu dedão, rindo de canto e mordendo o lábio ao vê-la sugá-lo e chupá-lo. 


Provocante, foi até ele, arranhando lentamente, de um lado para o outro, o peitoral dele, gemendo baixo em seu ouvido, o provocando, enquanto Konohamaru passou a controlar os movimentos, erguendo seu próprio quadril, chocando-se contra o dela.


Após jogar o preservativo que usava na lixeira ao lado da cama, Udon segurou forte nos cabelos ruivos da namorada, a empurrando sutilmente contra sua rola, revirando os olhos e girando a cabeça com o sugar dela em sua glande e com o quão bem a língua dela esfregava seu pau inteiro. 


Ajeitou melhor os óculos, torcendo para que o embaço das lentes passasse rapidamente para que pudesse ver a cara de safada que ela tinha naquele tipo de situação e que a infeliz miopia atrapalhava de ver nitidamente como queria, assim como, em seu clone, resmungava de não ver claramente a ginga dela, requebrando para aumentar o prazer da foda. 


Parecia divertido para o outro casal, por isso, maliciosa e pervertida, Hanabi mordeu a boca, sinalizando aos outros dois que deveriam dar distância e, com a expectativa, Konohamaru mordeu o lábio, principalmente quando ela se ergueu para aproveitar que ainda agia o lubrificante para fazer a penetração anal assim, sentada. 


Quando ela ativou os olhos e girou seu kaiten enquanto gingava o quadril, Konohamaru não se aguentou mais. Uma, duas, três voltas. Na quarta a fez parar e a jogou na cama, com a bunda empinada, fodendo-a como ela bem merecia, gozando na última enfiada que aguentou dar, com seus joelhos já não aguentando bem o peso de seu corpo. 


Caído perto de onde Moegi ainda chupava Udon, mesmo fraco e tremendo, decidiu ajudá-la, lambendo-o de um lado enquanto ela fazia de outro, antes de ser puxado novamente por Hanabi para um beijo, enquanto ela exigia que ele voltasse à ativa de alguma forma por estar prestes a chegar a seu ápice e assim ele fez, deitando sobre ela, penetrando-a com dois dedos numa velocidade que deixaria até o relâmpago amarelo de Konoha com inveja, assim como deixava a Hyuuga louca. 


Aumentou os dedos para três, chupando o lábio inferior e a língua dela, que sentia a garganta seca e já não se sentia plena de suas faculdades mentais, assim como Udon, cujo qual o clone estourou, tal como seu orgasmo, enfiando até a garganta de Moegi, que tentou ao máximo engolir tudo o que foi solto em sua boca. 


Pausou para respirar, voltando a mamar enquanto ele terminava de gozar, olhando nos olhos dele, mesmo com os óculos, lambendo tudo o que restava, limpando seu pau com um sacana riso no rosto, enquanto, discretamente, massageava o rego e o traseiro dele, estimulando a zona erógena que havia ali, potencializando então o efeito do orgasmo. 


Exaustos! Era essa a palavra que resumia bem o estado de Udon e Konohamaru que ainda sentiam os efeitos do orgasmo recente, caídos lado a lado, ganhando um bom chamego da já recuperada Hanabi, sendo beijados por ela, que depois roçou o rosto dos dois em seus seios, logo puxando-os para um novo beijo triplo, com eles lhe mordendo o queixo e o lábio inferior, disputando sua boca enquanto ela arranhava as nucas.


Ofegantes, ouviram o pedido dela para que pudesse ficar a sós na cama com Moegi e mal eles saíram, sentando Udon no colo de Konohamaru, elas já estavam em pleno pique.


Hanabi lambeu-a do pescoço a orelha, encaixando seu quadril no dela, rebolando as duas enquanto se atracavam, gemendo com o bom roçar do sexo de uma na outra, enquanto os dois que faziam a vez de voyeur se serviam de mais bebida. 


Brindaram às deliciosas mulheres que tinham e que agora transavam sozinhas na cama que eles juravam que viam pegar fogo. 


Hanabi aproveitava bastante do seu tempo com Moegi, afinal, um homem ela tinha a qualquer momento, uma mulher não e sentia falta por tanto tempo que não tinha uma em sua cama que não podia desperdiçar aquela oportunidade. 


Deslizou os dedos pelas curvas laterais dela, apertando sua bunda, deixando-a ainda mais marcada que antes, beijando o pescoço dela antes de aventurar sua mão por entre as coxas dela, voltando às carícias que tanto gostava de fazer. 


Puxou uma mecha de cabelo da Kazamatsuri de forma certeira, a vendo arrepiar e esfregar o rosto por seus seios, passando a sugar o direito e massageava o esquerdo com a respectiva mão, enquanto a outra arranhava a nuca da Hyuuga, cravando as unhas ali. 


Revirou os olhos, gemendo rouca ao pé do ouvido dela, a chamando dos piores nomes possíveis numa dinâmica que os fez sentir inveja. 


Se encararam, riram e negaram com a cabeça. Não ficariam para trás, ainda mais excitados por aquela excelente visão da dominação de Hanabi sobre o corpo de Moegi, com Udon apenas respirando mais fundo para controlar seu nariz, o beijando talvez ainda mais desinibido por conta da bebida ingerida, mas isso já não tinha importância. 


Konohamaru agarrou sua cintura e sua bunda, rindo malicioso entre um beijo e outro, com Hanabi lhe jogando o lubrificante que havia acabado de usar para melhorar a experiência com Moegi. 


Udon usou sua habilidade com congelamento para resfriar um pouco o gel e assim melhorar a punheta feita em Konohamaru, que fez o mesmo, mas usando a manipulação de fogo, esquentando levemente e lhe preparando. 


Gemeriam se a boca de um não estivesse no pescoço do outro, adicionando mais uma marca em meio aos vários chupões que já haviam em ambos, mas Udon não segurou muito a voz quando Konohamaru, após se proteger, agarrou seu quadril, o suspendendo e encaixando seu rego em seu pau, conflitando as duas temperaturas de uma forma provocante demais para permanecer parado. 


De 4 na cama, apanhando de Moegi como nunca havia apanhado de oponente nenhum – até mesmo porque nas missões nenhum tapa era bom –, Hanabi mordeu a boca, eufórica tanto com o dedilhar da parceira quanto em ver Udon rebolando no colo de seu namorado enquanto tinha o pescoço mordido. 


Subiu e desceu apoiado na mesma poltrona que Konohamaru agarrava antes de voltar a apertar seu rabo e suas costas, mordendo-lhe a boca e sendo retribuído, com Udon erguendo seu queixo para beijá-lo ali e no pescoço, dando um chupão sobre o gogó, acariciando sua pele arrepiada. 


Hanabi mordeu o próprio dedão, salivando com a cena. Faria algum comentário incitando os dois se não tivesse perdido a fala com o esfregar dos dedos de Moegi pela área correspondente ao clitóris interior usando seu jutsu novamente para também poder ter uma pele arrepiada para tocar e uma voz mais gostosa gemendo ao seu ouvido, tirando também boa parte do fôlego da parceira, que virou o rosto para trás apenas para beijá-la, olhando-a nos olhos e pegando um pouco mais de gás ao ver nos olhos dela o tanto de desejo que sentia em seu corpo, mas ainda assim não estava satisfeita. 


Mesmo cansada e enlouquecida, criou um clone apenas para que pudesse estimulá-la. Bendito fosse o controle de Chackra dos Hyuuga e bendito Byakugan que permitia que Hanabi localizasse todos os seus pontos erógenos que pudesse tocar e estimular, dessa forma não sentia tanta inveja dos dois que por pouco não viravam a poltrona naquele rala e rola. 


A bebida fazia milagres. Nunca tinha visto Udon tão solto quanto naquele momento. Mesmo que não tivesse a prática, o jogo de cintura e o rebolado de uma delas, Konohamaru não parecia estar sofrendo com isso, pelo contrário. 


Quem diria que a cena de dois homens transando frente a elas fosse tão máscula. Entendeu o que de especial tinha isso para que Hanabi gostasse tanto de assistir, sentiu até vontade de gritar para que Konohamaru fosse mais forte na foda e, também, naquela punheta que parecia ser deliciosa.


Foi impressionante quando aquele redemoinho que parecia caloroso começou a fazer tudo sozinho, mas não tanto quanto foi quando Udon se levantou, pegando na mão de Konohamaru e o lançando de volta à cama, com ele caindo basicamente de quatro aos pés da cama, se apoiando ali. 


Desfez a técnica erótica anterior e não reclamou quando o amigo usou o gel, novamente um pouco resfriado, para lubrificá-lo, introduzindo, primeiramente, um dedo, ensaiando um vai e vem enquanto abria a embalagem de preservativo mais lubrificado com a boca. 


Foi bruto com gosto, estapeando a raba que parecia ainda mais gostosa depois que o penetrou só com a glande, ensaiando para o que viria, metendo com força e sem dó alguma. 


A visão de Konohamaru mordendo os lençóis amarrotados da cama quando foi enrabado devia ter um alerta de altamente sexy, Moegi pensou, se entregando mais ao que recebia de Hanabi, que adorou senti-la mais molhada.


Com seu clone, seguiu ziguezagueando com a ponta de sua língua a partir da orelha dela, passando pelo pescoço, nuca, costas, cintura, lombar e bunda, mordendo-a inteira antes de agarrar e separar as coxas dela, explorando toda aquela região com os dedos e a própria boca, enquanto os dedos de Moegi voltavam a lhe servir, fazendo movimentos circulares ao explorar grandes e pequenos lábios sutilmente, voltando à invadi-la forte e rapidamente. 


A cena das duas também animava Udon, que tentava continuar a punheta em Konohamaru enquanto metia forte, mordendo suas costas. Já estava se cansando, mas nada que diminuísse o embalo e a ânsia de gozar mais uma vez, ainda mais com Konohamaru mais empinado, se entregando à ele e até se permitindo rebolar, mesmo sem muito jeito para isso, porém de uma forma gostosa que não ficava muito atrás das duas mulheres que se roçavam e enrolavam pela cama. 


Porra… Elas tinham que gemer tão alto e gostoso mesmo? Isso estava literalmente de foder, principalmente com sua mente mais embaçada que a lente de seus óculos, que, ao voltarem ao normal, permitiram que visse, junto do Sarutobi, praticamente de camarote o gozar unificado das duas com o clone de Hanabi explodindo ao passar nos lábios de Moegi seu próprio licor. 


Tremeram e deitaram, cansadas na cama, trocando um último e cúmplice beijo, terminado com mordidas no lábio inferior uma da outra, que, satisfeitas, apenas assistiram a foda alheia e, para Hanabi, era quase alucinante vê-lo servindo de vadia para alguém e ela não negava, pelo contrário, incentivava cada vez mais Udon a meter forte, sabendo que ele aguentava mais do que já recebia, batendo e apertando a nádega esquerda dele e levando Moegi a fazer o mesmo com a direita, enquanto Udon segurava ele pelos cabelos, mordendo-o na nuca.


Para estimulá-los ainda mais, Hanabi tomou o lugar da mão de Udon, usando o restante Chackra que tinha para impulsionar a masturbação enquanto Moegi massageava as costas do namorado, mordendo seus ombros e sua nuca, arranhando suas costas como se fosse ela a fodida e, olha, só de olhar o que ele fazia com Konohamaru, sentiu vontade de experimentar.


Aliás, certamente usariam as técnicas novas aprendidas com os amigos no sexo com seus próprios companheiros e essa era uma das melhores partes do 4 por 4.


O quatro gozavam, tanto de novas experiências quanto com o próprio sexo, com Hanabi fazendo uma verdadeira acrobacia para mamar de Konohamaru o que ele gozava enquanto Moegi lambia os testículos de Udon, que, ao gozar, preferiu se retirar de Konohamaru, assim como da camisinha, e gozar nas nádegas dele. 


Não ficaram surpresos quando as duas lamberam a trilha de porra deixada ali, com direito à travessa Hanabi mordiscando aquela bundinha marcada, com os quatro, após isso, sentando amontoados no chão, risonhos e ofegantes, torcendo os dedos numa cumplicidade infantil, jurando mais uma vez manter aquele segredo só entre os quatro. 


Estavam tontos e não sabiam se era de cansaço ou por conta da bebida, ficando muito surpresos ao tomarem o restante da garrafa e notarem que aquela era a última das 10 que haviam trago. Haviam bebido demais e fodido demais e isso não era uma reclamação de arrependimento. 


Cambaleante e sorridentes, um a um seguiram para o banheiro para tomar uma boa ducha que não passou de mais alguns beijos por conta do extremo cansaço que nem mais os permitia excitarem ainda rindo, escorando nas paredes às vezes, e precisando dos outros para que não caíssem num tombo colossal após isso. 


Riram das marcas de mãos que estavam nos corpos uns dos outros e também do escândalo que Hanabi fez com a água gelada resfriando seu rabo quente, sentindo um pouco mais de disposição e equilíbrio após o banho. 


Vestiram as roupas que antes haviam guardado para evitar mais bagunça do que já haviam feito, em conjunto mais uma vez para arrumar pelo menos a cama e a poltrona usadas, rindo quando Udon quase caiu ao se abaixar para pegar o tubo de lubrificante vazio e algumas das camisinhas que ficaram pelo chão. 


Konohamaru estalou o corpo por conta dos esforços feitos, contagiando os demais com seu bocejo. Estavam exaustos demais até para isso e bastou que terminasse de forrar a cama para que Hanabi caísse de cansada nela, puxando Konohamaru para lhe fazer companhia. 


Os outros dois negaram com a cabeça diante dos rompantes de menina mimada que ela tinha, admirando a paciência e o carinho que o amigo de infância tinha com ela, beijando sua testa e a acomodando no peito, pedindo a eles que fechassem a porta ao sair por estar exausto demais pra isso e juravam que ele havia dormido após o pedido. 


Não podiam negar que no momento invejavam o descanso deles, por isso os deixaram rumo à casa de Udon, que ajeitou o colete que ajudava a disfarçar as marcas em seu pescoço e esperou Moegi arrumar(?) o penteado de seu cabelo, saindo com ela dali como se nada tivesse acontecido, afinal, o 4 por 4 em nada influenciava o 2 por 2 de cada dia. 

Aug. 12, 2018, 6:35 p.m. 5 Report Embed 4
The End

Meet the author

Tatu Albuquerque Mãe de Konohamaru, madrinha de Hanabi, adepta da Fé do Sagrado KonoHana. Você tem 5 minutos pra ouvir a palavra da minha igreja? Kaiten no cu e gritaria, kore!

Comment something

Post!
Claudia  Santana Claudia Santana
Senhor 🔥
Aug. 21, 2018, 7:34 a.m.
Fox Bella Fox Bella
Tatu sua fodida, pqp q hot foi esse mulier?!?!?! ESTOU B È R R A N D O!
Aug. 14, 2018, 10:03 a.m.

  • Tatu Albuquerque Tatu Albuquerque
    Meu Deus AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA VAMO GRITAR QUE ESSES QUATRO SAO QUENTE PARA UM CARALO Aug. 14, 2018, 6:31 p.m.
brener Silva brener Silva
consegui e ler e menina até deu um calor aqui se tivesse valendo era dez de dez a nota, tá incrível
Aug. 12, 2018, 2:28 p.m.

  • Tatu Albuquerque Tatu Albuquerque
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA Aug. 14, 2018, 6:33 p.m.
~