Promessa Follow story

sr.-artie Sr. Artie

Depois de tudo pelo que Itachi havia passado, Shisui tinha uma última promessa para fazê-lhe.


Fanfiction Anime/Manga Not for children under 13.

#lgbt #yaoi #songfic #fluffy #naruto #ShisuiUchiha #ItachiUchiha #shiita
Short tale
3
4710 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único: Promessa

Notas da História:

Os personagens pertencem ao Masashi Kishimoto, porém, a história é de minha autoria. 

História betada pela Rebel Princess (Nyah- Liga dos Betas)

História baseada na música Finding You daa Kesha

História postada no Inkspired, Social Spirit e Wattpad

*ShiIta*


Notas Iniciais do Capítulo:

Oi, genteee!

Eu apareci outra vez com uma fic do fandom Naruto em um intervalo inferior a um mês e, não, isso não é uma ilusão.

Essa é minha primeira ShiIta e só escrevi ela para dedicar a Vanessa, porque dia 20 é o aniversário dela, mas eu sou alguém ansioso, então estou postando antes. Vanessa, meu anjo, obrigado por sua amizade e por toda ajuda que você me dar nesse mundo das fanfics. Te amo e espero que você goste, escrevi de coração pensando apenas em te fazer sorrir lendo essa história. Talvez, esteja um pouco (MUITO) doce, você sabe como meus fluffy são. Então, é isso, boa leitura, sua rata disléxica biscoiteira e mal vista. 


Promessa

By: Sr. Artie

Capítulo Único


Abriu os olhos e deparou-se com uma clareira verde, ao fundo, escutando o som de água corrente, não precisando de muito esforço para perceber que tratava-se de um rio. Sentiu mãos grandes, com dedos esguios, passeando pelos seus cabelos longos. Itachi estava bem aconchegado naquele momento, perdido em uma sensação de paz que não desfrutava há anos.

— Tachi, você acordou — a voz grave de Shisui se fez audível, chegando aos seus ouvidos e fazendo-o perceber que estava deitado com a cabeça no colo dele.

— Shisui.. — Itachi tentou formular uma frase, mas a sua mente estava atordoada, presa na ilusão da qual acabara de acordar. — Eu tive um sonho estranho — confessou.

Ouviu a risada divertida de seu primo, como se ele soubesse de algo que Itachi não sabia, enquanto tentava manter-se sério para falar algo, mas falhando graciosamente.

— Oh, eu imagino o quão estranho deve ter sido esse sonho.

— O que você sabe que não me contou?

— Nada, só estava me perguntando se esse sonho envolvia uma guerra e lutar ao lado de Sasuke.

— Como você sabe? — Perguntou espantado pelo fato de seu primo ter descoberto a fantasia que tomara conta de seu sono.

— Não era um sonho — revelou risonho.

Itachi levantou a cabeça, sentando-se ereto enquanto olhava para Shisui, numa tentativa de assimilar com maior precisão as palavras ditas pelo outro. Como toda aquela loucura não foi um sonho?, pensou. Nada fazia sentido, Konoha estava à beira de um golpe de estado que seria empreendido pelo seu clã, uma Grande Guerra Ninja só tornaria mais fácil para os Uchihas usurparem o poder. Ele e seu primo eram os mediadores entre o governo da Vila e o seu clã; se houvesse um confronto entre grandes nações, eles não estariam deitados em um fim de tarde como se a paz da aldeia não dependesse deles.

— Se meu sonho fosse real, significaria que o mundo shinobi estaria em guerra e isso implicaria em tudo, menos em estarmos lado a lado desfrutando um fim de tarde — rebateu exasperado.

O bom humor de Shisui não sumiu, deixando Itachi mais exaltado. Seu primo não o estava levando a sério, divertindo-se às suas custas.

— Tachi, você está confuso — disse —, é normal quando acabamos de chegar aqui, eu também fiquei assim e demorei para compreender tudo. A diferença entre mim e você é que você me tem ao seu lado agora — acalentou o mais novo. — Qual é a última coisa que você se lembra? Vamos, vou te ajudar a dissipar essa nuvem de confusão que está sobrevoando sua mente. Sabe, você é excepcional, eu sei que entenderá com facilidade.

Itachi escutou atentamente as palavras dirigidas a si, detectando um tom de exaltação e, de certa forma, zelo. Tinha conhecimento do cuidado que Shisui tinha consigo, além do respeito e estima, logo entendendo que o mais velho não caçoaria dele. Vasculhou na memória a última recordação que lhe vinha à cabeça, sentindo o coração apertar e se contorcer por ter sua mente tomada pela imagem de Shisui, com um dos olhos sangrando, coberto pela pálpebra, dirigindo-lhe palavras de boa fé e conforto,antes de se jogar de um penhasco, chocando seu corpo contra a água que corria fissura abaixo.

Sentiu os olhos arderem e a garganta queimar, tremendo o queixo enquanto tentava silenciar o choro que insistia em escapar pelos seus lábios. Por algum tempo, manteve-se estático, procurando recompor a postura.

— Você — iniciou calmo — se suicidou — disse a última sentença quase em um sussurro, porque achou algo pessoal demais para se dizer com a voz alta.

— Sim — Shisui concordou. — Do que mais se lembra? — Questionou, como se o fato de ter tirado sua própria vida não fosse algo que merecesse importância.

Itachi gostaria de gritar contra o rosto de Shisui que ele havia se suicidado e que aquilo era um assunto muito sério para ele reagir com certo descaso. Céus, onde estava o juízo de seu primo?, reclamou. Sentiu vontade de esbofeteá-lo bem no nariz para retirar aquele sorriso e olhos serelepes de sua face. Estava prestes a abrir a boca e começar uma discussão, antes de ser interrompido.

— Eu sei que provavelmente você está querendo me bater, mas acredite em mim, você já passou pelo seu processo de luto. Não adianta entrar em negação ou se zangar comigo. Concentre-se em suas memórias, é tudo o que peço, Tachi.

Então, Itachi desistiu de fazer tudo o que queria e se focou em relembrar os acontecimentos que sucederam o suicídio de Shisui, deixando de lado os sentimentos ruins que tomaram conta de si ao se lembrar da morte precoce dele.

Recordou da pressão por parte do clã e pela vila também, do massacre e do barulho de sua espada atravessando os corpos de sua mãe e de seu pai, além da promessa feita a eles sobre cuidar e proteger Sasuke. Naquele momento, pediu perdão aos seus progenitores, porque a lembrança seguinte foi a do seu irmão mais novo petrificado de medo por causa do genjutsu que lançara nele. Itachi sabia que mente alguma, depois de passar por aquele trauma, se recuperaria.

Os anos seguintes passaram em relapsos, a época em que esteve na Akatsuki não lhe deu memórias grandiosas quando comparadas ao massacre ou ao suicídio de Shisui, as coisas pareciam opacas e sem importância, salvo poucas ocasiões, como quando enfrentou Sasuke, durante sua pré-adolescência, e o humilhara, pedindo para odiá-lo com mais afinco. Outra vez, Itachi falhara com seus pais.

O período irrelevante e neutro mudou quando Sasuke veio até ele novamente. Dessa vez, mais forte e mais imbuído pelo ódio. Itachi recordou do sentimento bom que se apossara de seu ser ao conseguir enxergar finalmente em seu irmão a sua chance de redenção. Sasuke estava decidido a pôr um fim em sua vida e Itachi estava pronto para morrer pelas mãos dele. Levara consigo a lembrança do toque singelo e cheio de significado na testa de seu irmão.

O próximo evento que Itachi se recordava era ter sido revivido pelo Edo Tensei e estar envolvido na Grande Guerra Ninja — aquela que falara mais cedo para Shisui. Sob o controle de Kabuto, estava lutando contra Konoha e as nações aliadas. O Uchiha sempre fora alguém precavido, estava cinco passos à frente de seus inimigos, e, por essa razão, por intermédio de Naruto, usando o olho de Shisui, conseguiu quebrar o domínio do ex-discípulo de Orochimaru, indo em direção a ele para pará-lo.

Depois de muito esforço e com a ajuda de Sasuke, Itachi conseguiu parar Kabuto e desfazer o Edo Tensei, tendo enfim sua alma liberta. Antes de partir, confortou seu irmão, que tinha descoberto a verdade sobre o massacre e tinha decidido destruir Konoha, dizendo que não poderia mudar a mente dele, mas o amaria independentemente do caminho que ele resolvesse escolher, porque ninguém ama como os Uchihas e ninguém ama Sasuke como Itachi amava.

— Eu lembro de tudo — falou em resposta a pergunta feita por Shisui.

— Não tinha dúvidas que você iria conseguir, Tachi — disse alegre —, você reagiu bem melhor que eu depois que descobri que estava morto.

— O que é isso? — Perguntou apontando com os dedos o seu entorno. — A pós-vida?

Shisui negou com a cabeça.

— Estamos no limbo, o limiar entre um plano e o outro. Estar aqui significa estar morto, mas não quer dizer que você esteja já no outro plano.

— Por que você está aqui?

— Estive te esperando, Tachi — falou como se fosse óbvio. — Por qual outro motivo seria?

— Talvez você não tivesse ganhado o direito de passar para o outro plano e ficou estagnado aqui.

— Só almas odiosas e que fizeram o mal não ganham esse direito — explicou. — Você acha que eu sou uma dessas almas?

Itachi sabia que não, Shisui era puro, mesmo vivendo em um mundo shinobi e já tendo matado. Parecia algo contraditório de se dizer, mas Shisui era leve e alegre, cheio de vida e alguém que emanava boas vibrações, era atencioso, bondoso e paciente, era amável e carinhoso, cuidava de Sasuke e zelava pelo bem estar de seu irmão tanto quanto o de si mesmo. Shisui não era uma alma tomada pela fúria, era oposto a ela.

— Eu fiz o mal a muitas pessoas — confessou baixo, deixando o mais velho sem uma resposta.

Shisui compreendeu o que estava passando pela cabeça de Itachi, ele estava com medo de ficar sempre ali, preso e excluído, do lado de fora do lugar onde estava o pai e mãe dele, novamente afastado de sua família.

— Seus pecados não são os piores, eles vieram em consequência as suas escolhas e nenhuma delas fora egoísta. Você nunca pensou só em si, Tachi. não se julgue com uma pessoa ruim, você não é, e mesmo que fosse, eu estaria ao seu lado independente de qualquer coisa, é onde pertenço.

Shisui alcançou o rosto de Itachi com sua mão e o aproximou de si, beijando a boca fina e correndo a sua língua para dentro, prendendo o lábio alheio entre os seus. Não estava ligando que estavam quase passando para a pós-vida e que aquele ato poderia ser visto como pecaminoso, ele só queria acabar com a saudade dentro de seu peito que o consumiu por esses longos anos que fora obrigado a ficar longe de seu amor.

Por tanto tempo, Shisui desejou esse momento de paz que apreciavam nesse fim de tarde. Não tiveram a oportunidade de passar por isso quando estavam vivos, porque as responsabilidades de um ninja sempre estavam na frente. Naquela época que antecedeu o massacre, sob toda aquela pressão de uma guerra civil iminente, o Uchiha somente desejava deitar nos braços de Itachi. O mundo poderia está queimando, mas ele queria apenas o direito de viver o seu amor.

Vendo Itachi em sua frente, machucado e triste, Shisui sentiu o coração doer. A pior dor que alguém pode sentir é a de não conseguir proteger alguém amado. Apesar de ter tentado acalentar o mais novo, sabia que a paz completa só viria quando ele se perdoasse e isso era algo que exigia tempo. Shisui queria cavar o coração de seu primo e tirar de lá as suas feridas, mas não podia.

As bocas se afastaram e Itachi permaneceu calado, recuperando o fôlego, se pronunciando após acalmar a sua respiração.

— Acho que aqui não era um local indicado para se beijar, Shisui.

— Esperei por você por tanto tempo, eu merecia esse mimo — falou casual, dando de ombros.

— Por que você esteve me esperando? Não poderia apenas fazer a travessia e me aguardar do outro lado?

Shisui ficou incerto sobre como dizer aquilo a Itachi, pensou em umas dez maneiras diferentes de falar, mas preferiu, por fim, a forma mais direta.

— Não existe outro lado — afirmou e notando a confusão que tomara conta do rosto de Itachi apressou-se em explicar. — Quando se decide partir do limbo, o que te espera é a reencarnação, é uma nova vida e uma nova oportunidade de ser feliz.

— Shisui, eu sou grato por você ter me esperado para fazer a travessia comigo, mas se não existia a possibilidade de nos vermos em uma outra vida, por que se manteve esse tempo todo sozinho?

— Porque nunca te fiz uma promessa quando éramos jovens, então te esperei para que você pudesse ouvir de mim. Eu sei que o para sempre não existe, mas te prometo que depois desta vida, vou te encontrar na próxima.

— Shisui...

— Tachi, não sou um adolescente apaixonado se declarando, sou um homem e, quando eu digo para sempre, é para sempre mesmo, estou te falando a minha verdade absoluta. Esperei por você todo esse tempo para poder compartilhar contigo.

Shisui tomou a mão de Itachi, envolvendo-a na sua. Caminharam poucos passos e um luz branca surgiu diante deles. Itachi fez uma nota sobre como a maneira que a passagem de uma vida para outra é representada nas histórias, espantado por elas estarem certas.

— Então — Shisui tornou a falar —, eu vou procurar o seu amor, através do céu ou do inferno, não importa; por milhões de anos vindouros e em todas as dimensões possíveis, eu continuarei encontrando você, porque sei que você sempre será meu final feliz.

Era um juramento grandioso para ser feito da boca para fora, mas Shsui falava sério sobre permanecer procurando por Itachi através de suas futuras vidas, não desejava que seu coração pertencesse a outro alguém. Aquela era a sua promessa e ele iria cumpri-la.

Aug. 14, 2018, 10:45 p.m. 2 Report Embed 3
The End

Meet the author

Comment something

Post!
Vany-chan 734 Vany-chan 734
E sabe o mais legal? Permiti meu shipp doido Sarada X Mirai. Coisa linda nom?
Oct. 14, 2018, 10:04 p.m.
Vany-chan 734 Vany-chan 734
AAAAAAAAAAAA MINHA FIC É MUITO XUXUZINHA
Oct. 14, 2018, 9:41 p.m.
~