Vale dos elfos Follow story

patricia-moraes1533508454 Patricia Moraes

Quando a luz e a treva entram em confronto o amor não é um escudo forte o suficiente para proteger os envolvidos de se ferirem


Short Story All public.

#espadas #amor #sangue #elfos
Short tale
4
4910 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

vale dos elfos

Muito abaixo da nossa capacidade de compreensão existe um reino subterrâneo chamado "Vale dos Elfos" um mundo onde a magia e fantasia reinam com perfeição,um lugar de criaturas imortais onde seres humanos são proibidos de entrarem,mas como nenhum lugar é tão perfeito assim,lá também há maldades,existem os elfos de luz que são do bem,e os elfos da noite que são do mal um deles é o bondoso Arion de coração puro e nobre o outro é Adem de coração tão frio quanto o gelo e tão duro quanto uma rocha,ambos irmãos separados na infância,Adem continuou vivendo no castelo de cristal ao lado de seu pai ,o rei Salus,já Arion foi viver como um simples plebeu ao lado de sua mãe Deana uma mera camponesa.

O Vale dos Elfos já fora uma terra pacífica talvez a vinte e três primaveras atrás,porém atualmente os seus residentes vivem em constantes batalhas onde criaturas que um dia já viveram lado a lado,hoje se encaram frente a frente com unhas e dentes.

Enquanto Arion cavalgava em seu cavalo Onyx pela floresta sem fim avistou com seu olhos de elfos dois guerreiros fieis de Adem,Ateus e Uliceu,sentira que estavam atrás dele,mas pelo qual motivo se perguntava.

Arion decide encará-los e saber o que queriam.

-Horas,vejam se não são os fieis guerreiros de mau irmão.O que ele quer comigo?

-Só saberás se vier conosco camponês!

Rapidamente apontou sua flecha dourada para os dois e disse:

-Ou posso me negar e matá-los aqui mesmo.

-A escolha é tua,mas tu sabeis até onde Adem vai quando quer algo,não sabe Arion?!pronunciou Ateus . Então o elfo de luz montou em seu cavalo branco da cor do mais puro algodão e fora em direção ao castelo de cristal.

-parece que meu irmão realmente não teme a nada.disse Adem.

-Eu não sou teu irmão,eu não tenho irmão desde que a maldade comecou a reinar em teu coração Adem diga o que quer de minha pessoa.

-Que tu faças para os meus soldados as mais afiadas espadas.Ordenou Adem .

-Nunca,jamais atenderei a teu pedido.Negou-se Arion.

-Eu não pedi,eu dei uma ordem e você sabe que não tem escolha.

Arion sem se quer dar uma resposta saiu porta fora montou em Onyx e voltou para sua cabana.Escurecia,a noite estava tão cinza quanto seus penasamentos.Arion sabia do que seu irmão era capaz,porém sabia também que mais armas acarretaria em mais batalhas.Ele não conseguia raciocinar direto e fora caminnhar estrada afora totalmente solitário,andou durante toda a noite e quando os primeiro raios solares começaram a aparecer ele decidiu retornar a sua velha casa.

Ao entrar Arion se supreendeu ao avistar tua mãe no chão quase morrendo,só dando tempo de dizer o que houve.

- Foi teu irmão meu filho que me feriu,foi Adem..

-Mas como ele conseguiu mãe?

-Ele estava com o punhal de Antares e disse isso foi apenas um aviso de que da próxima vez é para você obedecer as ordens dele.

-Não podes morrer eu preciso de ti minha mãe,irei buscar a feiticeira Candara,ela pode te curar.


-Não da mais tempo Arion,deixe que minha alma flutue através do horizonte azul em paz!

A dor de Arion era tão gigantesca que suas lagrimas mal conseguiam rolar por teu rosto que um dia já fora de muita luz.

Deana teve todas a honras dignas de qualquer criatura élfica do vale já tiveram.Fora colocada sobre uma jangada feita com madeira da floresta sem fim,duas záfiras foram colocadas,uma em cada olho e enquanto seu corpo flutuava pelo lago de águas cristalinas um grrupo de arqueiros atiravam sob a madeira flechas de fogo do vulcão Vulcan.

Com sede de vingança Arion montou em teu cavalo em direção ao encontro de Adem guiado pelo ódio em seu coração e não mais por seus olhos de elfo.

-Adem como pode matar a tua própria mãe?

-Mas eu não matei,foi ti que mataste ela,quando negaste a forjar as espadas para meus soldados você se esqueceu disto meu ilustre irmão?

Apontando uma flecha para a garganta de Adem ele disse:

-Eu deveria mata-lo.

-Arion tu sabeis que a única arma que pode matar um ser imoltal é o punhal de Antares.

-Sim,eu sei,o punhal forjado no fogo de um vulcão e malhado em sangue humano, mas como conseguiu-o?

Adem apontou o punhal para o coração de Arion e disse:

-Esta vendo-o eu consegui,não importa como,o que realmente importa é que eu posso te matar mas você não pode me ferir com a tua mera flecha,

-Por que não me matas agora então,você precisa de mim não é?

-Como és esperto meu irmão,exatamente isto,tu farás as espadas para mim ou terei que matar mais um ente querido seu?

Arion sabia do que o seu irmão era capaz e aceitou a proposta de Adem.

- Eu farei as espadas.

-Foi a sua melhor escolha Arion.

-Eu queria poder dizer o mesmo.Então vai abaixar o seu punhal ou vai me matar antes que eu forje suas espadas?

- É que tem mais uma coisa.

-Pois diga então.

-Quero que faças as espadas do mesmo jeito que foi feito esse punhal.

- O que?Mas onde vou consegui o sangue de um humano?

-No mundo dos humanos é claro.

Adem mostrou á Arion uma pedra branca e explicou:

-Arion essa pedra te transportará para o reino dos humanos e quando quiser voltar é só esfregá-la.

Arion então se transportara para a Terra á procura da mera mortal, mesmo estranhando aquele mundo,contimou sua procura, mas parecia que era em vão,quando estava quase a desistir ele avistou uma humanna.,ela tinha uma beleza de elfa mas também tinha um horrível olhar triste.

Arion estava com um capuz para esconder a sua origem e foi em direção a moça..

-Olá?

A moça amedrontada respondeu:

- Olá,mas quem é você?

-Meu nome é Arion e você?

-Eu me chamo Atrícia.


-Mas é horrível ver essa tristeza no teu olhar Atrícia.

-Posso te levar para um mundo onde não existe tristeza um mundo de magia e fantasia.

-Então porque não começa por tirar esse capuz e me deixe ver teu rosto?

-Não posso.

-Então eu tiro.

Atricia tirou o capuz de Arion e teve uma grande surpresa.

-Você é um elfo,eu sabia que existia.

Atricia nunca tinha visto algo semelhante não era nada parecido como nos livros e filmes,parecia humano não havia orelhas pontudas mas seu corpo havia alguns desenhos em espirais seus olhos parecia de um gato e seus cabelos eram tao brancos quanto neve

-Você não poderia ter descoberto.

-Eu não contarei á ninguén.

-Já que descobriu a minha origem,te levarei onde vivemos,te levarei para o Vale dos Elfos

Então Arion esfregou a pedra e ambos se transportaram para o vale,Atrícia nem podia imaginar o que a esperava.

-Esse é o lugar mais lindo que eu já vi em toda a minha vida!

Já de inicio deram de frente com a feiticeira Candara.

-Arion?

-Candara?

-O que essa humana esta fazendo aqui Arion?

-Não posso te dizer.

Candara ergueu seu arco e flecha e direção á Atricia e disse:

-Então devo acabar com a vida dela,pois ti sabe que é proibido seres humanos ousarem invadir o nosso mundo.

Arion entrou na frente de Atrícia e fez um pedido á Candara:

-Por favor não faz isso,por mim.

-Por ti e somente por ti meu amigo.

-Agredecido

Atrícia montou no cavalo de Arion e estavam indo para um lugar onde um não queria ir e o outro não sabia que estava indo.Para a”toca do lobo”,para o covil de Adem.

-Meu irmão,parece que você conseguiu!

A humana assustada  indagou:

-O que você conseguiu Arion?

- Espero que possa me perdoar algum dia, eu preciso fazer isso.

-Me matar não é?

-Sim.

-Eu pensei que os elfos fossem do bem, mas pelo visto eu me enganei.

-Faça o que tens de fazer Arion,mate-a agora.

-Vai logo Arion,me mate rápido antes que eu fuja .

Enquanto Arion apontava uma fleha para o coração de Atrícia uma lágrima rolava pelo rosto de ambos

-Mate-me,mas antes deixe-me sentir como é a pele de um elfo,me deixe sentir como é cheiro de um elfo,não posso partir sem saber que nem tudo que eu acreditava se transformou em decepção.

Atrícia se aproximou de Arion lentamente sem deixar de olhar nos olhos dele,tocava sua pele,em seus lábios,sentiu o seu aroma.

Arion não consegiu matá-la,talvez estava encantado demais para fazer o que tinha de fazer,ele pegou a mão dela e foram em direção á Onyx e fugiram floresta adentro.Ao longe se ouvia os gritos cheios de raiva deAdem dizendo:

-Arion volte aqui, tu irá se arrepender muito por isso, sabeis do que sou capaz.

O maldoso Adem chamou dez de seus mlhores soldados:

-Vã atraz deles seus soldado inúteis,vão agora.

Então os soldados cavalgararam com toda a velocidade atraz de ambos.Enquanto isso Arion e Atrícia já estavam muito longe do castelo,porém ainda corriam extremo perigo.

Atrícia estava dividida, de um lado estava decepcionada,do outro lado estava com medo,era tudo tão estranho e o pior era que ela não sabia se podia continuar confiando naquele elfo.

-E ai humana,tu nunca vai me perdoar ,vai?

-No meu mundo eu aprendi que confiança é um cristal que quando se quebra não pode ser colado, porém como você não me matou, não quebrou o cristal,mas este se trincou e pode se quebrar a qualquer momento. Então cuidado para não deixá-lo cair.

-Eu tomarei cuidado.

-Mas por quão grande motivo você ia me matar afinal de contas?

-Adem é cruel, ele é movido pela maldade,tanto que matou a própria mãe apenas porque foi lhe negado uma ordem.

-Sim,mas ti ainda não me respondeu o porque ia me matar.

-Ele quer que eu forje espadas para seus soldados.

-E o que eu tenho haver com isso?

-A única arma capa de matar um ser imortal é o punhal de Antares,esse punhal foi forjado no fogo de um vulcão e malhado em sangue humano,então ele ordenou que eu faça as espadas da mesma forma que foi feito o punhal.

- E é ai que a humana aqui entra não é?

-Exatamente.

-E você vai cumprir essa ordem Arion?

- Eu não tenho escolhas,tu não consegue entender? Não sabeis do que ele é capaz.

- É mas parece que eu sei do tu é capaz .

-Atrícia você realmente não intende,na primeira vez que eu descumpri a ordem dele,a minha mãe foi morta,ou melhor,a mãe de nós dois foi morta.

-Como assim?

-Adem é meu irmão,eu também nasci no castelo,mas meu pai espulssou minha mãe,ele ficou vivendo com meu pai e eu fui pra o povoado viver com minha mãe.

-Eu sinto muito por você mas ele é realmente seu irmão?

´-Sim porque?

-Os dois são diferente na aparência´

Adem tinha os cabelos negros e olhos completamente  negros  

-Não só na aparência mais em tudo pode ter certeza agora vou te levar para o seu mundo de volta,aqui é perigoso demais pra você ficar Atrícia.

-Mas e você?Seu irmão vai te matar se  desobedece-lo.

-Eu vou ficar bem.

Arion esfregou a pedra branca e ambos se transportaram para o mundo mortal,enquanto lagrimas rolavam dos olhos de Atrícia,Arion lhe deu um beijo inoscente na testa e disse:

-Adeus.

-Por favor não diga essa palavra,adeus é distante demais.

Cada um fora para seu mundo de origem,Atrícia voltou ao mundo dos humanos e Arion para o Vale dos Elfos.

Se passou dois anos e Atrícia de certa for sabia que os elfos existiam, ela não sabia onde e nem se algum dia os veriam mas tinha absoluta certeza de que aquilo que para alguns é apenas imaginação,para ela era a mais pura realidade..O que ela não sabia era se veria Arion novamente ou ficaria na eterna saudade.Era quase que isurportável viver escondendo a experiência que tivera no vale,mas para quem contaria,chamariam ela de louca,nunca acreditariam na sua história,pensava,decidiu contar para a sua melhor amiga Taisda mas foi em vão

-Taisda você tem que acreditar e mim.

- eu bem que queria minha amiga,mas é difícil,talvez foi só um sonho.

-Se a minha melhor amiga não acredita em mim quem é que vai acreditar,aposto que acha que estou louca.

-Não disse isto,só disse que poderia ter sido um sonho.

Todos o dias Atrícia ia para onde o elfo apareceu pela primeira vez,mas tudo que avistava era um lugar vazio e solitário,porém em um dia ela ouviu som de cavalo era Onyx,porém quem o cavalgava era Candara.

-Onde esta Arion Candara?

-Adem aprisionou ele por sua culpa,se ele não tivesse se negado a te matar ele teria feito as armas e não estaria preso agora

-Se ele que é um ser imortal não pode fazer nada como eu que sou mera humano poderia fazer?

-Poderia ter morrido.

-Então se é assim eu morrerei por ele me leve até lá.

Ambas foram em direção ao salvamento de Arion ,ele seria morto ao por-do-sol ,mas antes foi aprisionado em uma enorme caixa de vidro.Atricia tentava quebra-la,mas parecia inútil.

-Nem adianta tentar quebrar esta caixa,ela foi feita pelas mão de Ninfas,é inquebrável,,meu irmão agora poderás fazer as espadas para mim

-Jamais vou machucá-la.

-Então deixe que eu a machuque para ti .

Adem malhou o punhal no pulso dela,a dor era insurportavel tão forte que até Arion sentiu,ele sentiu tanto que com o seu grito conseguiu quebrar a caixa de vidro supostamente inquebrável

-Candara faz alguma coisa .

-Atrícia ,posso tirar a dor,mas irá ficar a marca.

-Tudo bem.

A feiticeira Candara retirou a dor,põrém a marca irá ficar para sempre.

-Ò vejam se não é comovente.

Adem colocava o punhal no pesco de Arion enquanto dizia isto e Atrícia aproveitando a distração pegou uma espada que Candara a dera e enfiou no coração de Adem.

-Mas só o punhal pode nos matar,como você conseguiu?

Parece que o meu sangue é realmente útil e Candara também é uma ótima ferreira.

-Maldita!

Adem então finalmente deu o seu ultimo suspiro e literalmete virou poeira,deve ser por isso que nunca se vê elfos mortos por ai,simplesmente porque eles viram pó de deserto,Arion então deu um profundo beijo em Atrícia ambos tocando seus lábios um no outro como se nada mais existisse,como se nada mais importasse, além daquele mágico instante,porém como nem tudo é eterno e até mesmo o imortal morre no final,eles teriam que se despedir novamente e dessa vez para sempre ou não.

-Arion?

-Sim,o que?

-Eu irei me lembrar de você mesmo passando anos e anos?

-O que você acredita?

-Eu acredito que sim.

-Então você lembrará.

-Arion e você lembrará de mim?

-Se lembrares de mim com certeza também me lembrarei de ti é só acreditar.

-Eu acredito!

Arion deu a ela um lindo presente,era um broxe.

-Só se dá um presente desse quando amamos muito alguém ,e eu te amo demais para saber que jamais poderemos ficar junto,isso não é uma regra somente do meu mundo,mas também é uma regra do seu mundo.

-Esse foi o melhor presente que eu nunca vou ganhar na minha inteira. E eu também te amo demais para te dizer que enfrentaria os imortais e mortais e a fúria de qualquer Deus para ficar do teu lado

-Eu sei disso.Elen sila s omentielvo !

-Sabe o que significa né?

-Uma estrela brilha ao nosso encontro!

-Exato.

Ambos se despedieam,lagrimas e tristezas brincavam juntas nas estradas de seus rosto.É difícil ter que dizer adeus com vinte anos de idade,mas muito mais difícil seria para Arion vê-la envelhecer aos poucos,é cruel você ver as pessoas que você mais ama morrendo uma a uma.Se passou mais um ano e Atrícia não o via mais,a saudade era tanto que ela estava adoecendo,não queria comer,não queria sair da cama,estava muito fraca,vida estava fugindo de seus olhos ,parecia que já não valia apena viver não valia apena se quer respirar.

Enquanto isso no vale,Arion e Candara treinavam arqueismo,ele sentiu uma sensação estranha,seus olhos mudaram de forma e Candara lhe perguntou:

-O que os seus olhos de elfos estão avistando meu amigo?

-É ela .

-Atrícia?

-Ela esta doente,ela esta morrendo Candara.

Você sabe porque,não sabe Arion?

-Sei,por minha causa.

-Você não pode deixá-la morrer.

-Eu vou vê-la.

Atrícia mal conseguia abrir os olhos,mas pelo pouco que consegiu abri-los,avistou um vulto conhecido,ela estava certa,era o seu amado elfo.

-Arion é você?

-Sim,sou eu.

-Achei que você estivesse esquecido de mim.

-Jamais esquecerei de ti.

-Não me deixe jamais, jure .

-Eu sempre estarei contigo,enquanto você continuar se lembrando de mim,enquanto você acreditar que eu existo,eu sempre estarei contigo.

-Mas não é a mesma coisa.

-Você não pode morrer,tem tanto para viver,o futuro te espera .

-Se eu fosse imortal não precisaria morrer e talvez você ficaria comigo.

-Se eu pudesse escolher, escolheria ser mortal.

-Por que?

-Pois quando se é mortal,pessoas valorizam mais as pequenas coisas da vida,porque sabem que podem morrer a qualquer momento.

-Então faça a minha vida mortal ser a mais feliz de todas!

-E sei que você esta fraca,mais venha comigo.

-Onde vamos?

-Venha,me de a mão.

-Abra os olhos.

Ambos estavam em um lugar mágico,mas que existia somente na terra dos humanos.

-Aqui não é o vale dos elfos,onde estamos Arion?

-Nãõ reconhece o mar Atrícia?

-Pra falar a verdade eu nunca fui pro mar.

-Olhe para o fundo dele.

-Mas eu não tenho olhos de elfos como os seus,eu não vou conseguir.

-Só olhe.

-Eu estou vendo,mas como?

-O que você vê Atrícia?

- Estou vendo um elfo peso numa caixa de vidro ou cristal.

-E teus olhos não te emganam,pois esta certa,é um elfo mesmo,que esta preso em uma caixa de cristal,castigado por revelar as belezas das mágicas terras subterrâneas para uma mera mortal e ter se apaixonado por ela,ele não pode morrer,mas está destinado a viver eternamente submerso em um mundo solitário nas profundezas do oceano.

-E ninguém pode libertá-lo?

-Infelizmente,não.

-Por que?

-Dizem que há uma terrível maldição ao redor da caixa.

-E o que aconteceu com a humana?

-Não sei, mas o que se ouve falar é que ela morreu afogada tentando tirá-lo de lá.

-Nossa,que história triste.

-Vê o porque não podemos nos envolver?

-Eu morreria afogada por ti Arion.

-E eu ficaria preso nas profundezas do oceano por ti,eu só não conseguiria é vê-la morrer tentando me salvar.

Atrícia fechou os olhos e quando abriu,estavas em seu leito novamente,Arion desaparecera,os anos passavam e ele já não mais apareceu,os anos continuam a passar e ela nunca mais se apaixonou,mais e mais anos se passaram e sua imagem no espelhos não é mais a mesma,seu rosto envelheceu,é parece que o tempo é mesmo muito cruel,nos mata aos poucos,tão lentamente que nem percebemos,desintegra a nossa pele e faz nossos ossos virarem poeira,simplesmente chega e leva nossa alma para não sei onde e não sei se quero saber,o tempo faz as certezas virar dúvida e as lembranças virar esquecimento.Atrícia morrera,estava muito velha e fragilizada,o tempo a levou,mas nunca transformara suas lembranças em esquecimento,nunca esquecera do elfo.

Ai vocês me perguntam o que houve com Arion,bom ele foi transformado em uma estátua de pedra por desafiar Odin,pois o Deus havia dito que a humana tinha que sofrer as penalidades dadas a quem quebra as regras do reino,ou seja ela tinha que morrer por amor literalmente,pois havia se apaixonado por um elfo,porém dizem que sua alma esta no broxe que ele dera a ela anos atrás,ninguém sabe onde esta,mas aquele que o achar, descobrirá os segredos mais profundos das terras imortais,inclusive os mistérios do Vale dos Elfos.

Aug. 7, 2018, 11:02 p.m. 0 Report Embed 3
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Related stories