My destiny is you Follow story

alyssa Alyssa ~

"Quando se acredita em destino qualquer coisa pode acontecer em sua vida; seja elas boas ou ruins. Nem tudo está ao nosso controle exatamente, ainda mais quando o mundo decide conspirar contra você. E eu, Maisie Evans, vi isso acontecer. Diante dos meus próprios olhos senti o meu mundo mudar drasticamente em poucos minutos. Ainda não tinha certeza se seria algo bom ou ruim, mas qualquer coisa diferente da minha realidade atual seria pra melhor. Bem, era o que eu achava até conhecer todos eles, com diferentes visões e pensamentos. E, tantas vezes mudando o meu destino e, também o meu jeito de pensar. E quem sabe até o de amar…"


Fanfiction Games Not for children under 13.

#romance #mistério #castiel #nathaniel #kentin #oc #amor-doce #armin #lysandre #Alyssa #Maisie
0
4864 VIEWS
In progress - New chapter Every 30 days
reading time
AA Share

Prólogo

Por: Maisie Evans


      A morte é algo que ninguém pode evitar, afinal como diz o velho ditado, "para morrer só basta estar vivo". Só lamento ter aprendido sobre isso cedo demais… eu era apenas uma criança de 5 anos quando tudo aconteceu. Naquela noite fria de inverno, enquanto esperava meus pais chegarem da pequena festa de natal antecipada, que meu tio organizara na empresa da família. A casa da vovó era sempre aconchegante e calorosa não importava o frio que estivesse lá fora. Bebericava uma grande caneca de chocolate quente, enquanto comia pequenos biscoitos natalinos em forma de estrelas brilhantes. Dona Carmélia, assim como chamavam a minha adorada vovó, era uma mulher ainda bonita, mesmo sendo uma senhora já na casa dos 50 anos. Tivera minha mãe ainda quando estava no início de sua fase adulta. Poderia ser uma criança, mas adorava ouvir histórias assim enrolada numa manta quentinha sentada em frente à lareira. Ouvia pequenas e divertidas histórias sobre o meu vovô, que já se encontrava com os anjos que moravam nas estrelas do céu. Embora não soubesse como ele fizera pra subir lá.

         Bem antes eu não sabia.


         Naquela noite uma forte nevasca acontecia, o que tornava as ruas mais perigosas para se viajar. Meus pais tinham uma certa pressa em me rever e, assim me encher de beijos e abraços como sempre faziam quando ficávamos alguns dias afastados. Talvez aquilo pudesse ter sido evitado se eles tivessem deixado para vir na manhã seguinte, ou não, afinal eu acredito em destino. Perto das 00h da noite foi quando aconteceu. O carro que meus pais estavam derrapou na pista por causa da lisa camada de gelo e, o mesmo saindo da pista indo em direção a uma pequena queda perto do riacho. Faltava tão pouco para eles chegarem aqui. Muito pouco… mas eles nunca chegaram. E naquela noite eu vi minha vovó me abraçando forte, enquanto sussurrava que meus pais estariam indo visitar o vovô mais cedo do que ela. Mesmo sem entender o que acontecia chorei junto e muito. Entretanto, eu chorava em desespero por não conseguir mais achar o sorriso meigo que a vovó sempre tinha, mas que agora estavam banhados por grossas lágrimas.

         Vó, por favor não chore mais.


         Após aquilo que chamavam de o último adeus minha vida mudou completamente. Não tendo mais com quem ficar minha guarda foi parar na única pessoa de sangue e com idade para tal, o irmão mais velho do meu pai, meu tio Albert. Nunca tive muito contato com ele, a não ser quando meus pais se juntavam para um pequeno chá nas tardes de primavera. Agora o meu destino estava nas mãos dele. Sabia que ele não era uma pessoa ruim, mas não tinha muita paciência com crianças e adolescentes, por isso uma babá que tomaria conta de mim em tempo integral. E isso foi até os meus 10 anos de idade. Sim, cinco anos haviam se passado desde aquilo. Pouca coisa havia mudado no meu dia a dia. Exceto por ter que dividir a casa com uma recente moradora, a namorada do tio Albert, senhorita Rachel. Rachel era uma mulher muito mais nova que meu tio, mas ele não parecia se importa muito com isso, e ela menos ainda. Uma mulher de longos fios ruivos e olhos num verde flamejante, tinha um ar de superioridade e, pouco senso de humor. Sabia que não gostava nenhum pouco de mim, mas não é como se me importasse tanto assim. Contudo, algo parecia ter mudado no último mês e, Rachel e o tio Albert viva de sussurros toda vez que me viam. Talvez o meu destino estivesse para mudar mais uma vez.

         E novamente isso veio mais cedo do que eu imaginava!


Continua

July 25, 2018, 8:21 p.m. 0 Report Embed 0
To be continued... New chapter Every 30 days.

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~