Move Follow story

nguyen Jinro '

Yoongi só queria que Taehyung se movesse. ❛ taegi ~ play!my ~ pwp ~ cya!day❜


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only.

#yaoi #bts #pwp #taegi #taemin #yoontae #daigu #sugatae #playmy #move
Short tale
1
5034 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

;got the rhythm?

[Taehyung]

“Por um momento me livrei de tudo.

Apenas confiando na minha visão,

Ao admirar você.”

Observando o céu estrelado do anoitecer, confundi a mistagem de azuis e roxos espalhados pelo horizonte.

Com o clima ameno, presenciei quem estava ao meu redor, sentindo toda a diversão e luxúria daquelas pessoas. Cheio de acompanhantes, lá estavam os pecadores, que assim como eu, só queriam se deleitar por qualquer tipo de carícia vinda de outro alguém; e aquele era o lugar perfeito.

Ansioso, foquei os pedregulhos do bairro tailandês, exaurindo risos para quem passasse. Não era uma região comum, e, mesmo que fosse mal-falada, era uma área muito bem frequentada, até cara eu diria.

Era, de fato, muito a se assimilar.

Talvez eu estivesse tornando-me um completo viciado. Fazia muito pouco tempo desde minha última visita, e cá estava eu de novo. Contudo, ainda que meu gasto fosse alto, valia a pena pagar por cada centavo.

Tapei a boca com a destra, contendo o riso safado. Instigado a me relacionar, coloquei as mãos sobre os bolsos do terno, meneando a cabeça ao comprimentar as pessoas do recinto luxuoso. Acenei, me dispersando sobre o balcão de granito gélido e escutar o riso acanhado da moça do outro lado da pedra.

— O de sempre? — questionou com a voz doce, batendo as unhas longas no balcão, ao me ver assentir. — Ahn, Taehyung-sshi, você deveria provar mulheres também… Você é o cliente mais solicitado por todas nós. — apontou para as moças do lugar, que sorriam acanhadas.

Espalhadas pelas mesas espelhadas, o reflexo de seus corpos refletia sobre os lustres, enquanto o bartender ocupava-se limpando os copos de bebidas caras. Acendendo um cigarro, me reverenciou, observando profundamente minha alma.

— Bem… — comecei, abrindo um sorriso.

— Ah, aquele maldito tem tanta sorte… — remoeu os lábios vermelhos, torneando um bico. — Ele faz com que desejássemos ser homens. — brincou, percorrendo o indicador leve sobre meu maxilar. — De qualquer jeito, quando quiser é só chamar, Oppa. — riu, apontando que já poderia subir pela escadaria do prédio chique.

Mesmo que pudesse utilizar o elevador, eu gostava de explorar até mesmo os degraus da escada.

Conseguia me lembrar bem, do andar e do quarto ao qual deveria me dirigir. A minha caminhada até o quarto andar era acompanhada das janelas amplas de vidro, que traziam a bela visão da cidade. Um dos horizontes mais belos a qual já tinha tido o prazer de visualizar.

Mas nada, poderia superar aquele horizonte.

A voz cálida, junto ao corpo branco, trajado apenas ao lençol vermelho a qual usávamos. Com a fresta da porta aberta, consegui admirar seu dorso de trás, unido à janela, levantando sensualmente o braço direito ao espreguiçar-se.

— Eu sei que está aí, Taehyung.

“Sob as luzes escuras, novamente o movimento começa

Seu gesto elegante, olhares secretos

Você reflete na janela clara, seu movimento cintilante”

A ausência de luz no ambiente tornava seus atos ainda mais sensuais, e sem se virar, ele assoprou o ar, movendo a nuca ao deixar os poucos panos que vestia caírem no chão. Eu sabia bem o que ele queria.

E ele sabia também, o que eu queria.

— Você tem me visitado bastante. — riu, deslizando a destra pelo ombro nu, convidando-me para me aproximar. — Mas não é o suficiente para me saciar. — concluiu, virando o queixo pelo ombro ao me encarar.

— Você é um luxo muito caro Yoongi-hyung. — disse, unindo as mãos ao seu quadril magro, trazendo o mais baixo para mais perto.

— Quer dizer que você acha que eu não valho isso tudo? — questionou, finalmente torneando-me com o olhar provocativo.

— Vale muito mais. — guiei-o até meu encalço, consigo movimentando-se sobre meu corpo, puxando meu pescoço até sua altura para que pudesse me explorar.

— Vai demorar muito para se despir, Tae-sshi?

“Então sua maquiagem cuidadosamente aplicada irá borrar

Até mesmo a sua camisa bem arrumada ficará amassada

Isso mesmo, olhe diretamente para mim eh, eh sim”

Avancei delicadamente sobre seus lábios, aproveitando da abertura de sua boca para dizer qualquer coisa desconexa; eu poderia até estar louco, mas seu gosto anterior de menta transformara-se em algum outro a qual eu não podia definir. Era estranha toda aquela atração que sentia pelo Min, e a beirada da loucura estava ali presente, sempre que levantava suas pernas para levá-las à minha cintura.

Com os orbes presos aos meus, ele separou o beijo molhado, ofegante pelo aperto que pressionei ao seu corpo, enquanto o mais velho dispunha-se a desabotoar cada botão das minhas roupas.

“Embriagado com um humor estranho

Você pode se deixar ir

Mas você não pode fugir de mim.”

Arrepiado, ansiou um momento antes de ter minha boca presa à sua nuca acatando marquinhas vermelhas sobre sua tela branca —, deslizando levemente o pano indesejado por meu semblante. As mãos frágeis seguravam meus ombros firmemente ao passo que minha língua percorria sua nuca; com o pescoço jogado para trás num ato de satisfação.

A passos curtos, derrubei-o sobre a cama, despejando todo meu peso sobre si, ao delinear cada uma de suas ações. Com o lenço que havia guardado exclusivamente para o Min, juntei os punhos magros num nó, vendo-o abrir a boca em desejo, reclamando.

— O que você quer de mim hoje, Tae-sshi? — questionou, excitando o rosto em bonina.

— Eu quero tudo o que puder aproveitar, Hyung. — riu, abrindo as pernas devagar, encostando o abdome sobre o lençol rubro que não demoraríamos para sujar.

— Você quer que eu me mova, Oppa?

O seu cabelo bem penteado pode ficar embaraçado

Até mesmo a sua postura reta ficará torta

Isso mesmo, olhe diretamente para mim Oh sim”

Empinou-se, necessitado.

Aproximei a boca de seu ouvido, sussurrando baixo aquilo que Yoongi queria ouvir.

— Eu vou te deixar sem fôlego.

Com as mãos firmes, prensei suas coxas ao voltar o corpo para trás e pousar a boca sobre a parte externa delas, sentindo-o estremecer abaixo de mim. Com um resmungo baixo, o mais velho lamentou-se comigo, ao finalmente envolver minha canhota sobre seu membro desperto.

“Sob as luzes escuras, novamente o movimento começa

Seu gesto elegante, olhares secretos.

Não se preocupe”

A dança de corpos nos envolveu, de tesão, suor, embriaguez e rubor — e sequer havíamos começado. Montei-o abaixo de mim, deixando para si o esforço de movimentar-se e colidir com minha virilha à cada estocada. Com o rosto pausado em luxúria, mal respirávamos enquanto minhas mãos o puxavam para trazer o impacto de semblantes mais rapidamente.

“Agora, quando nos tornamos tão indiferentes

Nem mesmo uma expressão, nem mesmo uma frase

Pode descrever você completamente

Por que somos perfeitos do jeito que somos.”

E eu podia ver claramente, sua expressão de prazer.

Com deleite, levei o indicador à seu ventre, estimulando seu íntimo com velocidade e maestria, apenas para continuar vendo seu esforço para com nossos atos.

“Assim, repita

Assim, repita.”

De olhos fechados, o Min desfez-se em minha destra com facilidade, mas isso não iria me impedir de continuar com os movimentos de masturbação. Sussurrando sôfrego, ele pousou os cotovelos sobre o colchão, desperto o suficiente para rebolar comigo dentro de si, me fazendo tocar seu interior; Então, dispôs-se novamente, nos torneando de prazer.

Joguei o pescoço para trás, mostrando-lhe como o menor de seus movimentos poderiam me afetar.

E não demorou para que voltássemos a nos divertir novamente, consigo me ordenando.

“Você pegou, pegou o ritmo

Você pegou, pegou o ritmo.”

Mova-se. — assoprou.

July 21, 2018, 9:42 p.m. 0 Report Embed 2
The End

Meet the author

Jinro ' .life is colorful.

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~