NI · OM Follow story

tiatatu Tatu Albuquerque

Nihil, a palavra em latim para "nada" que é a mesma coisa que Naruto fez quando Hinata o deixou. Omnia, a palavra para "tudo", que é pelo o que ele pode se desculpar. Songfic de Nihil e Omnia, ambas do Faustino Beats.


Fanfiction Anime/Manga All public.

#naruto #songfic #naruhina #FNH #fns
11
5072 VIEWS
In progress - New chapter Every Sunday
reading time
AA Share

Nihil

Nihil. Nada.

Nada se pôde fazer. Era tarde demais.”


“Deixa eu voltar
Pra um tempo onde tudo fazia sentido”


O mesmo lugar, o mesmo bar, tudo continua igual, bem, nem tudo. A minha vida está completamente diferente e aqui falta uma estrela a mais na noite.


O mesmo tipo de som, o mesmo tipo de público, o mesmo tipo de festa… Olhei para o lado, parece até mesmo que eu vou vê-la mais uma vez, mas sei que a Hinata não virá mais aqui e nem a outro lugar onde saiba que eu a esteja procurando.


Eu já estou acostumado com o fato de que ela é só uma lembrança boa na minha vida e que eu não fui merecedor de estar com ela.


Suspirei pesado, fui direto pro bar, sob protestos dos meus amigos de balada, que me seguraram.


— Qual foi, Naruto? Bora pra pista! - não, eu não quero!


— Por favor, me larga! - pedi e então eles pararam.


— O que foi, cara? Você quase não sai mais com a gente e quando sai é com essa cara? - assenti.


Eu não posso fazer nada se esse tipo de rolê já não me agrada.


— Pode crer que eu tô de boa! - mesmo que seja mentira, disse essas palavras e eles acreditaram, me deixando só no bar.


— Fica aí na fossa então! - Kono me zombou bagunçando meu cabelo e enfim me deixando em paz.


Neguei com a cabeça, respirei fundo, esperei o garçom trazer minha dose de whisky costumeira, onde eu me afogo pra esquecer da maior burrada da minha vida!


Eu ainda me lembro dela, daquele sorriso, daqueles olhos claros que me decifravam, daqueles cabelos longos que faziam ela parecer um anjo e a Hinata era um anjo…


Eu que não soube aproveitar esse presente dos céus, que eu conheci aqui, nessa mesma boate.


Aquela dança, aquela boca, aquele beijo… É como se tudo ainda estivesse tão fresco na minha mente… Talvez seja porque a ferida, que eu sou incapaz de culpá-la por deixar em mim, ainda não fechou.


O gosto da culpa é tão amargo quanto o da bebida. Eu evito tanto vir a esse tipo de lugar desde então, porque sempre tudo lembra ela.


Nossa música está tocando, uma melodia doce, uma mistura de jazz e rap que a gente sempre dançava, mas que hoje tem a letra que descreve a minha vida.


Quando eu estava com a Hinata, minha vida era alegre, sabe? Eu meio que tinha sossegado, mas eu ainda gostava de ir pra farra, saía escondido dela, mesmo que a felicidade estivesse ao lado dela.


Eu sempre quis alçar novos voos longe dela, porque eu não era capaz de entender a verdadeira joia que eu tinha nas mãos e fiquei o tempo todo buscando o brilho de bijuterias.


Não, não precisa se sentir culpado por não sentir pena de mim. Eu sei que eu mereço por ser um lixo de pessoa que nem sequer teve peito pra assumir isso há tempos.


“Ainda bem que não pedi pra tu me seguir
Em alguma curva dessa eu me perdi
Faltou você pra ser minha estrela-guia”


Eu também cometi o erro de sugar dela todo o amor que ela podia me dar e não retornar uma única gota que fosse do meu.


Ela me amou bastante, um amor que dificilmente eu vou ter novamente.


Ela sempre me escutava, apoiava, dava carinho e eu? Eu nunca tinha tempo pra ela, eu nunca… Eu nunca a amei como ela merecia, eu nunca fui digno desse amor, eu nunca soube como retribuir da forma certa e isso matou a ela por dentro, eu sei, mas só depois eu fui ver que me aniquilou inteiro também.


Eu nunca sequer quis assumir a Hinata, nunca sequer consegui pedir pra ela ficar ao meu lado pensando em como seria se eu perdesse todas as quais tinha à disposição se passasse a namorar oficialmente com ela.


Eu era burro, né? Como eu não consegui ver que sem ela eu não vivia? Como eu não conseguia ver que o carinho de todas não valia o dela? Que ninguém me amaria como ela, ninguém me faria tão feliz quanto ela?


Eu sempre quis seguir o meu caminho, até o dia em que, nessa trilha sem rumo, eu me perdi o suficiente pra não conseguir voltar pro meu porto seguro, eu já não tinha o meu farol, eu não tinha a luz das estrelas de seus olhos, que me pareciam vermelhas de tanto chorar por mim. Esse foi o meu maior erro, quase que um crime: fazê-la chorar.


Ela me pediu pra parar
Me disse que a vida é tão rara
Se vestiu com a roupa mais cara
E voou leve tipo fada”


Se ela era a minha fada do amor, eu a perdi pra sempre e com ela os meus poderes, não o de amar, porque eu ainda a amo e muito, mas o de ser amado.


Um belo dia ela se cansou de mim e das migalhas de amor que eu dava a ela, eu ainda me lembro de suas palavras:


— Eu não tenho a vida toda pra esperar por você, esperar que você cresça, que você mude, Naruto, a vida é curta demais pra esperar amor de quem não sabe me amar! - ela me amava, mas se amava demais para continuar ao meu lado e eu senti a felicidade escorrer entre meus dedos e eu não consegui sequer impedir que ela pegasse todas as roupas e coisas dela do meu apartamento e então sumisse pra sempre.


Eu não a vejo mais desde então, ela insistiu em mim por muito tempo até que se cansou e então me deixou e eu mereço todo o seu desprezo, ainda lembro do que ela disse antes de bater a porta.


Espero que esteja contente com todas ao seu redor, não me procure quando ver que, esse tempo todo, nenhuma delas estava com você além de mim, não me procure quando estiver só, porque você merece a solidão!


“Me deixou aqui com o peso de tudo que a gente viveu
Tipo um elástico, estica, estica, e só pra quem segurou mais que doeu
Imagino se um cara tipo eu
Um dia vai encontrar alguém onde vai se encontrar ou será que é vacilo meu?”


Vacilo meu! Sem dúvida eu aposto no vacilo! Eu fiquei com os lamentos e arrependimentos, mas eu sei que a dor de suportar esse peso por tanto tempo ficou com ela.


Como eu fui burro! Só quando eu me vi sem ela, quando deitei na cama onde fazíamos amor e a senti fria, quando me olhei no espelho pela manhã e vi as olheiras profundas da noite de sono perdida em meio aos lamúrios do choro foi que eu percebi o quanto eu havia perdido.


Já fazem meses, mas eu não a esqueço, longe disso, eu nunca a vou esquecer. Não vou esquecer as risadas, as palhaçadas, o jeito tímido, a perspicácia, aquele jeitinho dela de me fazer feliz e completar que só ela tinha.


Se eu sou o que sou hoje, eu devo à Hinata, eu não seria Uzumaki Naruto se não fosse pelo apoio dela, que me ajudou a levantar todas as vezes em que eu caí.


Hoje eu estou no chão, ela havia me posto no seu pedestal, ela me derrubou de lá, e sem ela eu não tenho forças pra me levantar. Eu só me pergunto onde ela está, o que faz da vida hoje…


Como eu não tenho resposta, eu me amparo na bebida, sentindo a falta que ela tanto me faz e me perguntando se um dia essa dor vai passar.


Onde é que você foi se parar?
Uma dose de whisky me ampara
E o foda é que eu sinto sua falta
Será que um dia o tempo sara?


Respondendo à nossa música, o tempo não sarou e creio que nunca será capaz disso, mas de me fazer amadurecer.


Tudo o que eu queria era uma chance de voltar e fazer diferente, mas o passado não volta.


A música acabou e o meu ânimo de continuar aqui também, por isso eu levantei, tentando ir embora.


Eu não devia ter vindo. A multidão que antes me era conforto agora me causa repulsa.


É como se eu não me sentisse mais parte disso. Pena que eu passei a sentir isso tarde demais.


Ninguém deu minha falta, melhor, assim eu vou poder pagar a minha comanda e ir embora, levando minhas lembranças e meus demônios.


Ah, se arrependimento matasse… Eu só queria, pelo menos, poder pedir perdão, mas eu não tenho cara pra isso.


Não tenho cara pra procurá-la nas redes sociais e no WhatsApp, pum, bloqueado. Talvez isso seja bom, afinal, talvez eu não tivesse aprendido tanto se tudo tivesse se resolvido fácil, mesmo assim…


Talvez eu me sentisse melhor se pelo menos eu pudesse olhar nos olhos dela mais uma vez…


Antes de chegar no caixa, eu senti algo puxando a manga da minha camisa e eu virei imaginando que era o Konohamaru tentando me convencer a ficar.


Neguei com a cabeça e tentei me soltar, mas a insistência continuou enquanto eu tentava pegar minha carteira.


— Nem vem, Kono, eu…


— Eu não sou o Kono! - a pessoa rebateu e me fez engolir seco.


Travado, olhei pra trás e ri emocionado ao ver aqueles olhos de novo.


— Hinata… - sussurrei surpreso e a agarrei num abraço como agarrei essa chance.


Antes de mais nada, eu só pude dizer, antes que ela, que já está surpresa, reclame.


— Me perdoa! 

July 16, 2018, 1:48 a.m. 1 Report Embed 3
To be continued... New chapter Every Sunday.

Meet the author

Tatu Albuquerque Mãe de Konohamaru, madrinha de Hanabi, adepta da Fé do Sagrado KonoHana. Você tem 5 minutos pra ouvir a palavra da minha igreja? Kaiten no cu e gritaria, kore!

Comment something

Post!
Marcelle Queiroz Marcelle Queiroz
Adorei 😊
July 25, 2018, 9:46 p.m.
~