Larga desse anime, Jaemin! Follow story

yining 海; lais

Onde Renjun não aguentava mais ouvir seu namorado falar daquele tal de Yuri!!! on Ice.


Fanfiction Bands/Singers Not for children under 13.

#fluffy #renmin #renjun #huang-renjun #jaemin #na-jaemin #nct #nct-dream
Short tale
8
4841 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Sobre um Renjun muito puto;; capítulo único.

Renjun tinha uma mania estranha que era ir na casa do namorado todo sábado, talvez só pra' encher o saco dele ou pra' matar a saudade — ainda que se vissem quase a semana toda por pedido do Huang — mas não deixava de ir vê-lo sempre que tinha o fim de semana disponível. A questão era que Jaemin nunca tinha reclamado de tal mania dele, então naquele sábado não fez diferente; seguiu a pé até a casa do namorado, que demorou a abrir a porta, o que fez Renjun questionar mentalmente o por quê. Deixou esse pensamento de lado até o momento que percebeu-se sozinho na sala de estar.

Podia se ver um ponto de interrogação enorme acima da cabeça, principalmente quando ouviu um grito alto vindo do quarto de Jaemin. O que que estava acontecendo? Subiu as escadas com pressa e curiosidade. Bem que seu namorado andava meio estranho aqueles dias mas achou que era uma coisinha boba incomodando-o e como ele sempre ficava bravo quando Renjun tentava saber de seus problemas, resolveu por não questionar nada. Agora em passos mais lentos, caminhou pelo corredor até o quarto de Jaemin — que estava escuro, talvez pelas cortinas fechadas a não ser pela fraca luminosidade que vinha do notebook na mesa —, acendendo a luz no momento seguinte.

— Ei! — uma reclamação alta veio do Na que olhou feio para o moreno na porta do quarto. — Apaga essa coisa, Renjun, eu to' assistindo Yuri on Ice agora!

Renjun só faltou quebrar aquela merda daquele notebook que Jaemin tinha na cabeça dele. Irritado e com vontade de socar o namorado, o Huang somente saiu do quarto, deixando a luz ligada mesmo. Havia exatos dezesseis dias e meio que seu namorado não falava de outra coisa além daquele anime e ele começou a entrar em desespero quando notou que estava sentindo ciúmes de um desenho estúpido. Revirou os olhos, concentrando-se em não tropeçar ao descer os degraus para o térreo; tava' mais que bravo, tava' puto da cara. Trocado por um anime, sério? Onde já se viu.

Bufou e foi até a cozinha, se ia ficar sozinho enquanto o outro assistia aquele negócio dele que não passasse fome pelo menos, não é? Abriu alguns armários e pegou alguns ingredientes; aquele súbito mal humor tinha o deixado faminto, então iria se dedicar pra' fazer alguma coisa muito boa. Não demorou muito e lá estava Renjun, terminando a sua refeição, quando desce um Jaemin — cerca de meia hora depois de ele chegar —, meio puto meio tristonho, vindo diretamente em sua direção, estendo os braços para si mas antes que este pudesse o abraçar, o Huang desviou, recebendo um olhar perdido do namorado.

— O que deu em tu, Renjun?

— Ué, pergunta pro' teu anime lá, pelo jeito ele é tão bom que te deixou agindo que nem um otário! — Renjun respondeu seco, o olhar faiscando enquanto, com raiva, remexia o bacon na frigideira.

— Ai, amor, para, vai. Eu to' tristinho, só você pra' me deixar melhor...

— Sai! Não me toca ou eu juro que taco' essa frigideira na tua cara, Na Jaemin! — exasperado pelo o toque que não durou nem um segundo em sua cintura, o moreno gritou.

— Credo, Renjun, ta' agindo que nem criança. — agora puto também, Jaemin bufou e seguiu para a sala, fazendo o moreno ficar mais emputecido que antes, já que o namorado estava naquele estado que só Yuri!!! on Ice o deixava: insuportavelmente instável.

— A culpa não é minha se você passa mais tempo assistindo aquele anime do que comigo, Jaemin. Quer um abraço meu mas quando eu peço você diz que ta' ocupado assistindo essa coisa! — agitado outra vez, Renjun retrucou, adentrando a sala de estar com um prato de sanduíches recheados com bacon, maionese e outros.

— Então é isso que você acha? Que eu to' te trocando, Huang Renjun? — de pé, Jaemin andou até o Huang que já tinha largado a comida na mesa e encarava o namorado com os braços cruzados sob o peito.

— Não acho. Tenho certeza. Você não presta atenção em mais nada que eu faço ou deixo de fazer! — disse num tom claramente frustado. Poxa, era pedir demais um pouco de atenção?

— Ah, você ta' me desafiando, é isso?

Renjun arqueou um pouco a sobrancelha direita, em um sinal declarado de enfrentamento. Não teve tempo de ameaçar o Na, já que foi agarrado e jogado no sofá para estar encontrado por baixo deste que o olhava intensamente, deixando o menor corado demais.

— Ta' fazendo o que caralho? — tentando se soltar, o moreno se debateu antes de ter suas mãos presas com apenas uma de Jaemin acima de sua cabeça. Merda.

— Calando a sua boca.

Foi o suficiente para Jaemin acabar com a distância entre suas bocas, atacando com vontade os lábios de Renjun que arfou ao contato recebido. Quando teve suas mãos soltas, rodou os braços no pescoço do namorado, correspondendo o ósculo com mesma vontade; ta', podia estar bem puto com ele, mas quem resiste a um beijo desses com direito a carinhos diretamente na pele na cintura? É, não é algo matematicamente e logicamente possível. Separaram-se somente por falta de ar, este que sentiu-se a ausência uns seis minutos depois apenas, Jaemin fitou o namorado com um olhar indescritível, nas palavras de Renjun, que teve mais alguns selinhos roubados antes de para-lo.

— Ei, — passou o polegar pela bochecha do outro que desviou o olhar, ainda ressentido. — desculpe por passar tanto tempo assistindo anime e não te dar tanta atenção, não foi por querer.

— Eu sei que não, mas me incomoda você preferir ficar sozinho do que comigo! — com um bico fofo nos lábios, o Huang corou com o riso fraco que causou no namorado.

— Ta', eu juro que dou um tempo se você prometer não ficar emburrado assim quando eu estiver no meio de um episódio, apesar de achar esse seu biquinho bem fofo...

— Jaemin! — mais corado do que nunca, o moreno repreendeu, escondendo o rosto entre as mãos.

— Ok, ok, parei, mas então? Promete?

Hesitou por um momento, mas logo suspirou.

— Prometo, mas hoje você vai ficar mais um tempinho comigo, não vai? — pediu com a mão acariciando o cabelinhos da nuca do Na que sentiu-se arrepiar.

E como negar àquele pedido dengosinho que só Renjun conseguia fazer?

July 10, 2018, 1:51 p.m. 0 Report Embed 1
The End

Meet the author

海; lais {{jungwoo utted;; nctzen&aroha;; benio stan}}

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~