Short tale
0
4970 VIEWS
In progress
reading time
AA Share

Caminhos

   São tantos encontros que atravessam nossos dias... E não digo apenas encontros entre pessoas, mas também aqueles com a nossa música favorita, que é capaz de fazer brilhar e escandecer cada centímetro da nossa pele, que é tão intenso que provoca arrepios gostosos de sentir: nosso coração palpita anunciando as faíscas de alegria e satisfação - agora fica aí com essa sensação ;) 


   Há também os encontros com as flores... ah... esse faz nosso corpo inteiro se embelezar por dentro! Fico pensando como pode ter algo tão singelo e belo como uma flor - os mais íntimos sabem desse meu fascínio com elas - e acredito fortemente que elas são para isso mesmo: fazer nossos olhos resgatarem a beleza da simplicidade; Fazer enxergar a poesia contida em cada canto. Relembrar que em cada canto, há um encanto! Basta saber ver. Elas são a bruma leve que deixa espalhar seu perfume pelo ar. Fico imaginando que a Mãe-Natureza devia estar bem contente quando faz florescer das suas raízes coisinhas tão coloridas e radiantes, simétricas e sinuosas como as flores...

   Bom, agora sobre caminhos. Como eu disse, às vezes me perco até em mim mesma. Ou talvez ainda não tenha dito. Anyway, seguimos... Entre tantas andanças que fiz por aí, vou aprendendo que por onde vou deixo um pedaço de mim e levo outro também. É sobre deixar tocar e ser tocado.

"Vou mostrando como sou e vou sendo como posso"

   Porém nesses caminhos há de ter alguns tropeços, uns tão grandes que mexem com a gente por inteiro, faz rever o mapa, faz rever as linhas da nossa caminhada. Serve como se fosse um farol que se encontra no meio da estrada: pra iluminar e apontar a direção certa. Pois não se enganem meus amigos, por mais fundo que desejamos espalhar "bem querer" e fazer o certo, há sempre essas distrações mundanas que vez ou outra nos coloca em prova (ou não é mesmo a gente que se coloca?). E sim, a gente erra!

   Como não se permitir errar? Há tempos tenho tentado deixar pra trás aquela versão punidora e opressora de mim mesma pra brotar um ambiente novo de compreensão e perdão em mim. Ser a minha própria amiga, sabe? Também sempre ouvi dizer que errando que se aprende. Porém há uma linha tênue em querer perpetuar o erro e fazer outras escolhas.

 Às vezes, por distraídos que somos não nos damos conta de quão forte e sábios podemos ser. 

   Sem mais delongas, sei que somos nós mesmo que escolhemos como levar a vida. Como diz aquela frase: o que a gente leva da vida é a vida que se leva. E o bom disso tudo, que há sempre um novo dia pra mudar e crescer. A vida segue.... e há sempre um desejo em mim que busca o encontro com aquilo que faz sentir bem. É quase um trato que fiz comigo mesma. Experimente aí você também!



July 1, 2018, 11:55 a.m. 2 Report Embed 0
Read next chapter Caminhando que se aprende

Comment something

Post!
Denis Cunha Denis Cunha
Linda Flor, por este seu Caminhos, lembrei-me da trilha que um dia me levou em um Passeio, onde ele me disse: Onde quer que eu vá, que eu leve uma flor, sem que murche e perca o perfume. Que eu leve um lenço também, para secar o suor da fronte e acenar aos caminhantes. Um livro de poesias há de ir junto, para que seja a porta sempre aberta, quando o céu se fechar, em anúncio de tempestade. Levarei também algumas sementes: de nuvem, de trovão, de barulho de chuva na calçada. Não irei em disparada, pois onde quer que eu vá, quero olhar, sentir, me entregar. Viver a cada minuto feito a cigarra a cantar. Onde quer que eu vá, que de lá eu siga adiante, com passos firmes de um rinoceronte e alma leve de libélula flutuante. Onde quer que eu vá, que todos digam ao me ver passar: Lá se vai um amante.
Sept. 5, 2018, 12:32 p.m.

  • Isabella Muniz Isabella Muniz
    que encanto!!! gostaria de saber esse textinho de cor pra poder lembrar sempre =D April 1, 2019, 7:34 p.m.
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!