Roda da Fortuna Follow story

serenichen Thay

Chanyeol acreditava que possuía pouca sorte, mas algo mudou após beijar um garoto desconhecido. [CHANBAEK; JUST MY LUCK]


Fanfiction Bands/Singers Not for children under 13.

#chanbaek #exo #baekyeol #serenichen
44
5555 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Pouca Sorte

"Ser o melhor às vezes não é o bastante" Era a frase mais proferida por um dos seus professores. "É necessário também ter sorte". A competição no ramo do jornalismo era realmente acirrada, mas mesmo assim o jovem Park Chanyeol continuava no ramo. Funcionário de uma emissora de televisão, o repórter cobria pequenos eventos programados, campanhas públicas e acidentes para o jornal da hora do almoço. Apesar do excelente currículo com os mais variados cursos na área da comunicação, boa aparência e uma enorme carisma, aquilo não parecia o suficiente para o jovem repórter ter destaque, porém, já tinha tido várias chances... Mas Chanyeol era um cara que todos consideravam... Meio azarado.

E era em momentos como aquele que estava vivendo que se lembrava das sabias palavras do seu professor! Tinha sido chamado para cobrir um grande incêndio em uma fábrica em um dos distritos próximos a Seul, porém estava parado no acostamento da rodovia, pois o seu carro tinha perdido o pneu no meio da rodovia! Por sorte, o carro parou sem bater em ninguém, saindo todos ilesos. Em momentos como aquele, o jornalista tinha vontade de enfiar a cabeça na terra e nunca mais voltar a superfície, Chanyeol acabou sorrindo ao se lembrar do seu pequeno filho... Precisava trabalhar para lhe dar uma boa vida. Muitos consideravam seu filho como mais um dos seus atos de azar, afinal, uma gravidez inesperada logo no início da faculdade complicaria os planos para o futuro, mas para o jovem, Yixing era sua maior sorte.

Chanyeol chutou a lateral da minivan que o transportava até minutos atrás com raiva, todos os trabalhos eram sempre bem vindos, e provavelmente não conseguiria chegar a tempo no local para a transmissão ao vivo.

- Sim, sim. Aviso. – Escutou a voz de um colega ao seu lado no telefone. Yi Fan se aproximou, colocando a mão no seu ombro, tentando o acalmar. – Uma equipe está indo para o local de helicóptero, se você conseguir chegar no local, você poderá entrar ao vivo.

Como um louco a beirada da rodovia, Chanyeol pedia carona, desesperado olhando sempre ao relógio para o tempo da transmissão, não se importou quando entrou em um grande caminhão que o levou. Por mais que temesse, seguiu junto ao caminhoneiro, e descobriu no final, que apesar da cara mal-encarada, ele era uma boa pessoa.

Desceu a todo vapor procurando a equipe que estava no local, ele conversaria com chefe dos bombeiros da indústria para ‘detalhes exclusivos’ que a emissora já tinham pago ao operário. Observou de longe as câmeras no ombro de um dos cinegrafistas, olhou rapidamente no relógio e tinham-se passado dois minutos. Ele estava atrasado.

Frente a câmera, o repórter de estatura baixa e sorriso quadricular desligava o microfone, agradecendo ao chefe dos bombeiros as suas informações sobre o incêndio.

Chanyeol encarava o copo de bebida a sua frente, já tinha perdido a conta de quantos drinks já tinha bebido, mas não tinha problema, ele não iria pagar a conta mesmo, afinal, a emissora estava cedendo aquela festa. Ao seu lado, Yi Fan estava na mesma situação, sorrindo como bobo até mesmo para o balcão a sua frente.

- Então, quer dizer que mesmo depois de pegar a carona com o caminhoneiro com cara de serial killer, você chegou dois minutos atrasado? – Yifan riu da desgraça do amigo, mesmo não o encarando. – Cara, você é muito azarado.

- Não sou azarado. – Disse rindo, não gostava quando diziam isso de si. –Só não tenho muita sorte.

- Corrigindo: Você não possuí nenhuma sorte. – O mais velho mostrou o copo ao barman pedindo mais bebida. – Cara, ontem você se molhou inteiro com uma poça d’agua na rua, sendo que não está chovendo.

Chanyeol bufou, seu hyung não precisava lembrar daquilo. Acabou chegando no serviço todo molhado e de quebra, incansáveis piadas dos seus amigos, teve que tomar um banho e usar roupas limpas que pegou emprestado com YiFan, que ficaram um pouco grandes. E isso estava de longe de ser a primeira vez que acontecia. Desde muito cedo, a ‘falta de sorte’ esteve presente na sua vida, como quando tinha ganhado um MP3 – aparelho de última geração na época – a menos de uma semana, acabou sendo assaltado no próprio bairro, frente a padaria que todos os dias frequentava. Acabou perdendo a conta também das vezes que abria um refrigerante e ele molhava suas roupas novas, ou chicletes que grudavam nas sola do seu sapato.

- Vou dar uma volta. – Chanyeol anunciou ao seu hyung, não queria ficar lembrando do que acontecia consigo. Já bastava o dia-a-dia, desejava ter um pouco só de sorte.

Caminhando em direção a pista de dança, as luzes eram fortes, mas era praticamente impossível de conseguir identificar as pessoas. O gerente do seu departamento no jornal já tinha ido embora, e já podia relaxar.

Estava também consideravelmente bêbado para conseguir ter pudores naquela festa, e os demais ao seu lado pareciam estar na mesma situação. O dia estava péssimo, por isso, estava decidido para aproveitar tudo que aquele local tinha a oferecer.

Um rapaz de estatura baixa dançava de forma tão erótica as seus olhos que desejava passear por todo seu corpo. Ah, como queria apertar aquelas coxas escondidas pela calça social.

Parecia uma piada, mas Chanyeol se descobriu gay após a sua primeira vez (e também vez que foi concebido o seu filho), e parecia estar hipnotizado por aquelas coxas. Quando olhou para o rosto, sentiu-se salivar para provar aqueles lábios finos, e todo aquele corpo... Apetitoso!

Se aproximou de maneira sutil, e observou um grande sorriso nos lábios finos quando colou-se as costas do corpo menor. O desconhecido, voltou a olhar a frente, enquanto se esfregava ao jornalista. As mãos curiosas de Chanyeol seguraram a cintura fina, e seus lábios se aproximavam do pescoço alvo, mordiscando.

Um gemido escapou pelos lábios finos, enquanto o maior sentia-se enrijecer com a proximidade.

- Vamos para outro lugar. – o desconhecido pediu, segurando uma de suas mãos que estava em sua cintura, o puxando pela multidão em direção a uma área mais reservada.

A iluminação estava precária, mas mesmo assim, Chanyeol conseguiu ver o rosto do desconhecido, seus fios castanhos estavam rente a linha dos olhos – estes delineados, definitivamente um homem muito bonito. Acariciou a lateral do rosto do menor em carinho que estava longe da situação que ambos se encontravam.

- Eu quero te beijar. – Admitiu vendo o sorriso quadricular se formar nos lábios finos.

- Então, me beija.

Chanyeol o fez.

O maior envolveu o corpo do desconhecido pela cintura, o cheiro que o outro possuía o embriagou por completo e ele desejava ainda mais ficar próximo do corpo. A distância diminuiu lentamente, e o nervosismo do Chanyeol aumentava proporcionalmente. Quando finalmente sentiu seus lábios juntos ao do menor, sentiu como se uma corrente elétrica passasse por todas as células do seu corpo.

O desconhecido lhe envolveu pelo pescoço, aprofundando o contato e era como se os dois se conhecessem. O beijo que era para ser apenas por prazer carnal, era parecido como de dois amantes. Todos os pêlos de Chanyeol se arrepiaram, com o singelo carinho que o menor fazia em seu cabelo durante o ato e não conseguiu deixar de sorrir pela calmaria que tinha atingido os dois durante o osculo.

Ambos se separaram, com sorrisos no rosto. E quando a distância ia diminuir novamente, em um novo beijo, o menor foi puxado bruscamente. Chanyeol observou uma terceira pessoa no local.

- Temos que ir. – Anunciou o amigo do desconhecido. – Agora!

-Está bem... – Falou conformado, com um bico nos lábios finos. – Foi bom conhece-lo. – o desconhecido falou para Chanyeol, com um sorriso triste. – Nós nos vemos por aí.

Antes que ele fosse embora, Chanyeol segurou o desconhecido pelo braço, recebendo um olhar confuso.

- Qual o seu nome? – questionou, após longos segundos.

- Baekhyun.

- Chanyeol. 

June 30, 2018, 2:04 a.m. 2 Report Embed 7
Read next chapter É preciso ter sorte para melhorar no emprego...

Comment something

Post!
Cintia Walter Cintia Walter
Muito feliz por poder ver esse hino por aqui também, é sempre uma leitura extraordinária ❤
June 30, 2018, 2:13 p.m.

  • Thay Thay
    obrigada pelo carinho, vc é um amorzinho <3 June 30, 2018, 9:12 p.m.
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 10 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

Related stories