Good Boys Go Bad Follow story

hyogie Hyogie Han

● yoonseok ● ● shortfic ● Devido à uma bela quantidade de boatos, Hoseok e Yoongi se odiavam em silêncio. Todavia, um pequeno mal-entendido faz com que os dois tirem a prova real à respeito de tudo o que ouviram sobre o outro durante anos. Após isso, a presença de Hoseok torna-se constante na vida de Yoongi, virando-a de cabeça pra baixo. Poderiam garotos bons tornarem-se maus?


Fanfiction For over 18 only.

#bts #fluffy #yoonseok #shortfic #Hyogie
11
4736 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

I Don't Like Him

"I know your type

Boy you're dangerous

You're that guy

I'd be stupid to trust"

Aquela fria manhã de segunda tratava-se de um típico primeiro dia de aula: alunos morrendo de sono devido ao fato de estarem desacostumados à voltar a acordar cedo, reencontros entre estudantes que não se viam há meses, pessoas com marcas de bronzeado e, principalmente, alunos eufóricos para conferir as distribuição das salas daquele ano.

— Eu não acredito nisso... — Yoongi leu e releu a lista diversas vezes, procurando de maneira quase desesperada por seu nome. Ao seu lado, Park Jimin dividia consigo a mesma expressão de choque.

Durante todos os anos, ele e Jimin sempre pertenceram à turma A do colégio. Passaram aquele tempo estudando com as mesmas pessoas, sem grandes expansões de seus círculos de amizade. Vez ou outra alguém da outra classe era adicionado à sala logo no começo do ano. Mas mesmo assim, os dois sempre estiveram acostumados à ficar sempre com o mesmo grupo de pessoas.

Entretanto, naquele ano as coisas pareciam estar diferentes.

Jimin e Yoongi foram mudados de sala. Na lista da classe B, os únicos nomes que lhe eram familiares eram os seus próprios. Talvez reconhecessem um ou outro nome, entretanto, nunca tiveram algum contato direto ou realmente relevante com aquelas pessoas.

Eram raras as vezes em que alguém falava bem daquela turma. Os professores descreviam aquela classe como um hospício, ou até mesmo uma sala repleta de crianças hiperativas.

Yoongi lembrava-se claramente do dia em que o professor de geografia entrara estupefato na sala de aula, alegando que um dos alunos havia aberto um vídeo pornô em meio à apresentação de um trabalho. Também recordava-se da vez em que alguém da sala B deu uma festa onde dois alunos se envolveram de uma maneira tão intensa que um deles saiu com a boca sangrando.

Ou seja, aquela sala era composta pelo tipo de gente que Yoongi preferia manter distância para evitar quaisquer problema.

Mas claro, aqueles eram apenas boatos. Yoongi nunca havia realmente tirado a "prova real" de todas aquelas histórias. As vezes, realmente parecia que os alunos daquela escola gostavam de espalhar falsos boatos.

— Como isso foi acontecer? — Jimin murmurou.

— Tem que ser um erro! — Yoongi exclamou — Vem, vamos falar com o diretor.

【❖】

Yoongi e Jimin estavam sentados à frente da mesa da sala do diretor Seungcheol. Mesmo com o passar dos anos, aquele ambiente parecia não mudar nada. Eram sempre os mesmos retratos de turmas no último escolar pendurados pelas paredes brancas, intercalados à alguns certificados e diplomas. Em cima da mesa, havia sempre a mesma caixa de lencinhos. As vezes, Yoongi pegava-se pensando se aqueles lencinhos realmente eram infinitos. Todavia, também existia a possibilidade do diretor apenas comprar várias caixas da mesma marca. Afinal, não eram poucos os alunos que vinham até aquela sala para falar sobre seus problemas pessoais com Seungcheol.

— Mas isso não é justo... — Yoongi esforçou-se para não levantar a voz para o diretor — Eu não estou entendendo o porquê disso.

— Yoongi, é muito simples. A distribuição de salas é feita de maneira aleatória. Isto que está acontecendo com vocês é perfeitamente comum. E vocês conhecem as regras. Não é permitido mudar de sala, a menos que haja um motivo realmente sério.

— Mas... — sentiu sua voz morrer. Como poderia explicar aquilo ao diretor sem soar como a pessoa mais fresca e egoísta do mundo ?

O real motivo de Yoongi para não querer de jeito algum estar naquela sala tratava-se de apenas uma pessoa: Jeon Jungkook. O único ser-vivo que chegava mais perto de "conhecer" da classe B.

O problema era: estava completamente apaixonado por Jungkook.

Poucas pessoas (uma delas obviamente era Jimin) sabiam de sua paixão secreta pelo garoto da classe B. Fazia o máximo possível para ocultar a veracidade daquele sentimento de todos ao redor. Afinal, o preconceito e a homofobia caminhavam lado à lado naquela escola. E sabia que se compartilhasse o mesmo ambiente que o Jeon por horas seguidas, cinco dias por semana, aquilo começaria a ficar óbvio demais para todos.

Não era como se não quisesse que Jungkook soubesse o que sentia, muito pelo contrário. Entretanto, queria que aquilo fosse algo que apenas os dois soubessem, e mais ninguém, até que finalmente fossem donos da própria vida, casados, com dois filhos e um cachorro.

Sim, Min Yoongi mal havia declarado-se para Jungkook e já estava pensando em seu futuro com ele.

Mas aí vem a dúvida: por que logo Yoongi estaria apaixonado por Jeon Jungkook? Qualquer um que ouvisse a frase "Yoongi ama o Jungkook" com toda certeza pensaria que a pessoa que proferiu-a não estava em um estado normal de sanidade. Era praticamente impossível imaginar Yoongi suspirando de amores por Jungkook. Aquilo parecia tão improvável quanto uma boa adaptação de Percy Jackson para o cinema.

As notas do Jeon estavam longe de serem boas. Sem falar que este tinha uma peculiar fama pela escola de pervertido. Duas coisas que Yoongi simplesmente abominava nas pessoas. Então como infernos Yoongi teria se apaixonado por Jungkook?

Tudo havia começado quando estavam na oitava série.

"Era um frio início de tarde, indicando o encerramento das aulas daquele dia.

Chovia como o inferno. Para a maioria dos alunos que voltavam à pé, aquilo não era um grande problema. Afinal, a maioria trouxera guarda-chuva. Entretanto, Yoongi não fazia parte dessa maioria.

Havia sido cabeça-dura demais para dar ouvidos aos pais, que lhe aconselharam a levar um guarda-chuva desde a hora em que acordara. E agora, lá estava ele, imóvel na entrada do colégio esperando que a chuva passasse.

Para completar, Jimin havia faltado. O Park sempre voltava para casa com Yoongi e na maioria das vezes levava um guarda-chuva para a escola, mesmo que a previsão não fosse de chuva.

Por um momento, pensou que teria de ficar ali pelo resto da tarde, até que a água finalmente cessasse.

Entretanto, uma luz surgiu em seu dia.

— Hey, por que você ainda está aqui? — uma voz masculina visivelmente preocupada perguntou próxima à si.

Yoongi virou a cabeça para o lado, à fim de olhar para o rosto do dono daquela voz.

Deparou-se com um menino que conhecia apenas de vista. Lembrava-se de já tê-lo visto pela escola praticando algum esporte qualquer. Todavia, nunca teve interesse o suficiente para tentar no mínimo saber seu nome. Olhando de perto, Yoongi pôde perceber que o menino de fato era realmente bonito. Os olhos escuros e grandes junto aos dentes parcialmente semelhantes aos de um coelho lhe davam um ar infantil e inocente, agradável à Yoongi.

Sentia como se pudesse perder-se naquele rosto tão belo e imaculado. Era como se cada detalhe fosse milimetricamente perfeito. Da maioria das vezes em que o vira pela escola, sempre fora algo rápido e sem muita atenção.

Naquele momento, Yoongi arrependeu-se amargamente de todas as vezes em que desperdiçou a oportunidade de passar horas olhando para aquela obra de arte que o menino chamava de rosto.

Acabou suspirando, fitando atenciosamente os olhos escuros à sua frente.

O que o garoto havia lhe perguntado mesmo?

— Hã? — foi a única coisa que saiu por seus lábios.

O menino riu, infantilmente.

Meu Deus, até a risada dele é perfeita. — pensou, tentando concentrar-se em sua voz. Entretanto, a presença do maior era completamente desconcertante.

— Desculpe, o que você disse? — perguntou, sentindo as bochechas esquentando.

— Por que você ainda está aqui? Quer dizer, à essa hora eu sempre te vejo voltando pra casa com aquele outro menino, o... — ele fez uma pausa, tentando lembrar-se do nome de Jimin — Jimin? Na verdade, eu não lembro de tê-lo visto hoje.

— Ah, certo... — Yoongi murmurou. Perguntava-se como diabos aquele menino sabia o nome de Jimin — Bom, o Jimin faltou hoje. E... eu esqueci meu guarda-chuva em casa.

Jungkook arqueou as sobrancelhas, em uma mistura de compreensão e surpresa.

— Bem... eu trouxe um guarda-chuva. Se você quiser, eu posso te levar pra casa.

Os olhos de Yoongi pareceram brilhar por um instante.

— Seria ótimo, mas... — sorriu, quase como uma criança travessa — Meus pais sempre me disseram para não andar com estranhos. E eu nem ao menos sei o seu nome.

Aquela fora a maneira menos clichê que Yoongi pôde pensar para conseguir perguntar o nome do menino sem parecer indiscreto.

— Ah, mas você não é um estranho pra mim, Yoongi. — o Min arregalou os olhos. Como ele sabia seu nome? — Eu sou o Jungkook. Jeon Jungkook.

— Como você sabe o meu nome? — Yoongi ainda estava chocado demais para processar a situação.

— Ah, é uma longa história. Mas e aí, você prefere voltar pra casa comigo ou prefere continuar esperando aqui?

Não precisava ser um gênio para saber o que Yoongi havia escolhido.

Assim, Jungkook levou-o até sua casa. No caminho, descobriram possuir vários gostos em comum, principalmente em relação à jogos e música. Por fim, Yoongi pegou-se encantado por toda a atenção e cuidado de Jungkook. Antes que pudesse perceber, havia apaixonado-se pelo Jeon de maneira rápida e instantânea. Como Jimin diria, uma "paixão miojo".

Após aquele dia, os dois começaram a conversar com certa frequência. Mais especificamente, após os jogos da escola, onde Yoongi normalmente o parabenizava por alguma boa jogada e assim tentava puxar algum assunto com Jungkook. Entretanto, apesar do Jeon ser um amor de pessoa, este nunca parecia querer falar sobre seus sentimentos. Pelo menos, não para Yoongi.

Depois de cerca de um ano, quando Yoongi estava quase perdendo as esperanças, alguns boatos começaram a correr pela escola. Todos eles envolviam o fato de Jungkook ser gay ou não. Aquilo de certa forma motivou Yoongi a continuar tentando algo com o Jeon até os dias atuais."

— Yoongi? — o diretor chamou-o, percebendo que o mais novo havia perdido-se nos próprios pensamentos.

— Ah, certo... — Yoongi piscou várias vezes, voltando à realidade. Então, ajeitou os óculos em seus olhos, percebendo que estes começavam a escorregar para o seu nariz — Mas... tem algumas pessoas naquela sala que provavelmente me odeiam, e odeiam o Jimin. Eu tenho certeza que se ficarmos lá, a sala vai se tornar um caos.

Ao todo, aquilo de fato não era mentira. Devido à um mal-entendido envolvendo Yoongi, o boato de que o Min era completamente frio e insensível espalhou-se por praticamente toda a escola, fazendo com que algumas pessoas evitassem contato consigo. Jimin tentou ajudá-lo à desmentir aqueles boatos, entretanto acabou saindo na história como uma pessoa igual a Yoongi. Ou melhor, igual à maneira que pensavam que Yoongi fosse.

Provavelmente, Yoongi. Você mesmo disse há alguns minutos atrás que quase não fala com as pessoas da classe B, o que significava que não os conhece direito. Talvez eles não te odeiem do jeito que você pensa.

Talvez. —Yoongi repetiu mentalmente — Apenas talvez.

— Mas...- — tentou continuar, entretanto foi cortado pelo diretor.

— Nada de "mas", Yoongi. Vocês vão ficar naquela turma, a menos que algo realmente grave aconteça. Agora vão pra sala de vocês, o sinal está prestes a tocar.

【❖】

— Vamos lá, Yoongi, o que poderia dar errado? — Jimin perguntou, enquanto os dois andavam pelos corredores repletos de alunos buscando suas salas — É óbvio que você não vai deixar o que sente pelo Jungkook exposto pra todo mundo, eu te conheço. E não como se o povo de lá fosse estuprar a gente. O máximo que eles podem fazer é nos amarrar de cabeça pra baixo em um poste, mas isso é suave.

As vezes, Yoongi não sabia dizer quando Jimin estava falando sério.

— Jimin, eles já abriram um vídeo pornô na sala de aula.

O menor revirou os olhos. As vezes a teimosia e pessimismo de Yoongi lhe davam vontade de arrastar a cara do Min no asfalto, em um dia ensolarado.

Não era como se Jimin fosse uma pessoa violenta. Apenas possuía ideias que podiam facilmente serem consideradas como "fora da caixinha". Mas em compensação, era extremamente esforçado e atencioso, características que Yoongi admirava e possuía em comum com o Park. Era exatamente por causa daquilo que os dois conseguiam se dar tão bem.

Yoongi e Jimin confiavam um no outro de maneira imensurável. Não existiam segredos entre os dois. Jimin fora a primeira pessoa a qual Yoongi confiou o suficiente para contar que estava apaixonado por Jungkook.

— Aaah, mas isso é apenas um boato! Vai que a pessoa que fez isso apenas clicou no lugar errado. Acidentes acontecem, você sabe disso. — Jimin tentava ao máximo ter uma visão otimista daquela mudança de sala — Além do que, o diretor está quase aprovando a minha ideia de mostrar Carrie, A Estranha no primeiro mês de aula para prevenir o bullying.

— Que tipo de mensagem seria passada com isso? "Não zoe as pessoas da sua sala. Nunca se sabe se uma dessas pessoas tem um poder satânico capaz de matar todo mundo e causar uma grande onda de pânico em massa."?

— Exatamente! — os dois riram ao mesmo tempo — Vai que algum dia alguém surta de vez e acaba decidindo matar geral? Aí depois disso a escola que é culpada porque não fala com os alunos à respeito desse tipo de coisa.

— É, você tem razão. — Yoongi por fim concordou.

Os dois finalmente chegaram na frente da porta da sala. Mesmo que esta estivesse fechada, podiam ouvir o baixo burburinho que vinha de dentro do ambiente, mesclado ao som das diferentes vozes no corredor.

Jimin tocou a maçaneta de metal da porta da sala número 19. Então, lentamente abriu-a.

Entraram na sala, fitando silenciosamente cada detalhe de lá. Os alunos estavam divididos em pequenos grupos, rindo e conversando baixo. Olhando por aquele ângulo, aquela classe não parecia tão ruim quanto disseram à Yoongi. Entretanto, o Min sabia que tudo sempre era mais tranquilo no primeiro dia de aula. A maioria dos alunos ainda estava exausta pela falta de sono e ausência de costume de acordar cedo.

Então, Yoongi jogou sua mochila em cima de uma carteiras do centro. Jimin colocou seus materiais logo atrás do Min. Poucas pessoas olhavam para os dois. A grande maioria dos alunos ali estava distraída demais para perceber o casal de rostos novos naquela sala.

— Eles são mais civilizados do que eu pensava. — Jimin comentou, sentando-se. Logo em seguida, Yoongi também sentou-se, virando-se para o menor.

— Isso ainda é só o primeiro dia de aula. Eu não duvido que mais pra frente alguém acabe sendo jogado pela janela. — Jimin acabou rindo, mesmo que Yoongi estivesse falando sério — Seria loucura demais fazer algo realmente grave só pra mudar de sala?

— Sim, porque isso pode acabar ferrando seu histórico escolar, ou pior: pode acabar indo pra sua ficha criminal. E hoje em dia é bem difícil contratarem ex-presidiários . — Yoongi revirou os olhos — Vamos dar uma chance, ok? Se aqui for tão ruim quanto dizem, nós tentamos fazer algo pra mudar de sala. Tipo colocar fogo no cabelo de alguém.

— Que horror. Mas não é uma má ideia. — os dois sorriram, cúmplices.

De repente, a atenção de Yoongi foi voltada para duas pessoas que entravam na sala de aula.

Uma delas era ninguém mais, ninguém menos que Jeon Jungkook, sua paixão platônica desde a oitava série. Estava como sempre: o uniforme parcialmente desarrumado, os cabelos castanhos muito próximos aos seus olhos, quase cobrindo-os. Ao ver Yoongi, Jungkook sorriu, mostrando os dentes da frente levemente avantajados, semelhantes aos de um coelho. O sorriso fez com que as bochechas de Yoongi esquentassem, queimando em timidez. Podia até mesmo sentir seu coração derretendo com aquele tão doce cumprimento.

Respondeu com um meio sorriso enquanto abaixava a cabeça, ainda com o rosto quente. Por um momento, pôde sentir seu coração bater mais rápido.

Entretanto, nem tudo era um mar de rosas.

Acompanhando Jungkook, estava Jung Hoseok, a pessoa a qual Yoongi odiava desde a oitava série.

Lembrava-se da época em que Hoseok e ele pertenciam à mesma sala. Os dois podiam ser claramente considerados colegas. Conversavam durante algumas aulas e as vezes Yoongi ajudava-o com alguma matéria em que sentia dificuldade. Entretanto, suas conversas nunca foram tão profundas como as que possuía com Jimin em seus dias difíceis. Até que, no início da sétima série, Hoseok foi colocado na classe B. No começo os dois até tentaram manter contato, entretanto Hoseok começou a ficar cada vez mais distante, até que por fim parou definitivamente de falar com Yoongi.

E então, na oitava série, Yoongi apaixonou-se por Jungkook. Todavia, não contava com o fato de Hoseok ter tornado-se o melhor amigo do Jeon e consequentemente, um obstáculo em sua tarefa de tentar conquistá-lo.

As vezes, quando Yoongi tentava falar com Jungkook, Hoseok o interrompia e começava a conversar com o Jeon quase como se Yoongi não estivesse ali, e ainda fazia questão de olhá-lo com uma expressão vitoriosa, como se tivesse acabado de vencer uma batalha inexistente. Aquilo deixava Yoongi extremamente irritado. Perdera a conta de quantas vezes precisara contar até 10 para não dar na cara de Hoseok. Sem falar que já ouvira diversos boatos à respeito do Jung, e poucos destes eram bons. Afinal, foi Hoseok a pessoa quem abriu o vídeo pornô na sala de aula. No corredor, já havia o visto aos amassos com algumas garotas de sua sala. Vez ou outra também o via fumando em algum lugar mais isolado da escola, normalmente tendo Jungkook como companhia. Também era constantemente visto saindo da sala do diretor, geralmente com alguma advertência ou suspensão.

Graças à toda esta "reputação" de Hoseok, Yoongi preferia evitá-lo ao máximo. Não queria problemas para si.

Jungkook sentou-se atrás de Jimin, enquanto Hoseok ficou ao lado do Jeon. Ou seja: distante de Yoongi. O Jung sequer havia olhado para Yoongi ao entrar na sala e fazer todo aquele caminho até a carteira. O que de certa forma, era algo bom. Afinal, nenhum ser-vivo gostaria de começar as aulas já com meia tonelada de problemas nas costas.

Yoongi e Hoseok não eram como aqueles típicos personagens de fanfic que provocavam-se e humilhavam gratuitamente um ao outro sem nenhum motivo aparente. Os dois apenas ficavam cada um cuidando de suas próprias vidas, pouco importando-se com a existência do outro.

Yoongi não queria problemas. Hoseok simplesmente não ligava para Yoongi. Era assim que os dois coexistiam naquele colégio.

Finalmente, o professor de Física entrou na sala, dando início à primeira aula do ano.

Atrás de si, Jimin riu de algo que Jungkook lhe dissera, entretanto Yoongi não pôde ouvir.

Assim, o ano letivo havia começado.

【❖】

Um mês passou-se.

Yoongi não sabia dizer como, mas ele e Jimin haviam conseguido sobreviver.

Na verdade, aquela sala não era tão horrível quanto todos diziam. Tirando algumas discussões imaturas demais até mesmo para uma criança e xingamentos como "monobola", a turma era até agradável. Durante o intervalo, Jimin e Yoongi continuavam andando com seus amigos normalmente. Não podiam negar que sentiam falta da presença dos colegas na sala. Entretanto, conseguiam sentir-se confortáveis naquela sala sem muito esforço.

E para a alegria de Yoongi, havia conseguido conversar mais com Jungkook, graças à Jimin, que geralmente conseguia puxar assunto com o Jeon com uma facilidade surpreendente. Assim, normalmente envolvia Yoongi na conversa e deixava que os dois ficassem à vontade. Hoseok não chegava à ser um obstáculo, já que na maioria destes momentos, estava conversando com alguma outra pessoa e mal reparava em Yoongi.

Então, naquela tarde Yoongi estava na arquibancada do ginásio da escola. Jimin havia pedido que lhe encontrasse ali para que pudessem terminar um trabalho. Porém, o Park estava demorando demais para chegar.

Olhou ao redor, procurando pelo menor. Entretanto, a única pessoa que pôde identificar ali foi... Jung Hoseok. Ele estava encostado na porta do ginásio, fumando.

Yoongi arqueou as sobrancelhas. O mesmo pensamento que ressoava em sua cabeça toda vez que o via fumando repetiu-se: Quem seria estúpido o suficiente à ponto de fumar em uma escola, sabendo que haviam câmeras por todo lugar? Era como se Hoseok não tivesse medo de ser pego ali.

Observava atentamente a expressão calma e despreocupada do maior, enquanto este soprava a fumaça do cigarro. Ao olhar com mais cuidado para o rosto de Hoseok, pôde reparar no quão definidos eram seus traços.

Possuía um nariz fino e um pouco longo, o que fazia com que lembrasse vagamente uma raposa. Os lábios eram bem desenhados, parecendo formar um coração. Seu cabelo castanho escuro estava dividido no meio, mostrando boa parte de sua testa. Hoseok era bonito, como uma espécie de modelo exótico.

Os dedos de tamanho mediano levavam o cigarro aos lábios, para o desgosto de Yoongi, que odiava cigarros.

Torceu o nariz, em desgosto. Mesmo estando um pouco longe do maior, já podia sentir o cheiro da fumaça antecipadamente.

— Por que você está me secando desse jeito? — Hoseok perguntou, obviamente percebendo os olhares de Yoongi sobre si — Até onde eu saiba, você me odeia.

Apesar da distância entre os dois, a acústica daquele ginásio era boa o suficiente para que pudessem se ouvir sem muita dificuldade.

Yoongi sentiu o rosto esquentar ao finalmente ser notado. Odiava quando corava daquele jeito na frente das pessoas. Entretanto,era algo inevitável. Sua timidez falava mais alto que seu orgulho.

— Eu não estava olhando pra você. — mentiu — Eu estava olhando para a saída.

— Sei... — Hoseok levou o cigarro aos lábios novamente, fazendo com que Yoongi torcesse o nariz mais uma vez — Pare de fazer isso à cada cinco minutos. É irritante.

Não responda à uma provocação. — repetiu mentalmente as palavras de sua mãe — Nem mesmo se a pessoa que a fizer for um grande idiota.

— Eu vou embora. — falou, simplesmente. Não ficaria naquele lugar. Não com Jung Hoseok, o ímã de problemas, ali. Sabia que aos poucos, o clima entre os dois estava ficando tenso. Na verdade, aquela era a primeira vez em anos que trocavam mais de duas palavras um com o outro. Bom, com Yoongi evitando Hoseok o tempo inteiro, era realmente difícil existir um diálogo realmente extenso ali. Nunca haviam passado por aquela situação antes por aquele mesmo motivo. Na maioria das vezes, em anos anteriores, em que compartilharam o mesmo ambiente, estavam com outras pessoas que normalmente impediam um contato mais profundo.

Entretanto, agora estavam sozinhos.

Yoongi levantou-se, pegando suas coisas e indo até a saída, onde Hoseok estava.

Assim que passou na frente do Jung, este soprou a fumaça em seu rosto. Yoongi tossiu, sentindo aquele cheiro amargo do cigarro.

— Ah... sinceramente. — murmurou, pigarreando enquanto ajeitava os óculos em seu rosto — Você não deveria estar se entupindo de nicotina nessa idade.

Eu pareço um idoso falando isso. — pensou, quase dando um tapa em sua testa. Queria responder à aquela provocação devidamente. Todavia, sabia que se o fizesse, provavelmente acabaria arranjando problemas. E seus pais iriam lhe matar caso recebessem alguma reclamação da escola.

— Tanto faz. — respondeu, alheio.

Hoseok iria tragar o cigarro novamente. Porém, Yoongi segurou em seu pulso, impedindo-o.

— É sério. Você faz ideia de quantas pessoas morrem por ano por causa disso? Ou você esteve ocupado demais pensando em si mesmo para se dar conta disso?

Ok, talvez Yoongi tivesse exagerado. Entretanto, seu ódio em relação à cigarros era grande demais para conter. Sabia que após aquela frase, uma discussão viria.

Eu realmente sou um inconsequente. — pensou, preparando-se psicologicamente para o que estava por vir.

Possuía essa aversão desde criança, quando seu tio veio à falecer devido à um câncer em seu pulmão. O causador? Cigarros. Lembrava-se claramente de todas as vezes em que ouvira sua mãe discutindo com o mais velho para parasse com aquele vício. E também recordava-se do quão desolada Min Chaerin havia ficado após receber a notícia do óbito de seu irmão. Na época, Yoongi simplesmente não conseguia acreditar que um cigarro poderia causar tanto sofrimento à alguém. Foi horrível para si ver sua mãe lentamente caindo aos pedaços, martirizando-se por tudo o que não pôde fazer, mas teve a chance de fazer, para salvar seu irmão.

E assim, Yoongi passou os anos seguintes odiando cigarros.

— E não é que você sabe se defender? — Hoseok sorriu, levemente surpreso pela ação do menor.

Yoongi pensou em responder. Entretanto, uma terceira voz fez-se presente ali, interrompendo-o antes mesmo que pudesse começar a falar.

— Eu não acredito nisso... — olharam ao mesmo tempo, procurando o dono da voz. Era o zelador da escola, que normalmente naquele horário ficava andando pelo local — Estão fumando na escola!

Yoongi piscou várias vezes, tentando entender o que estava acontecendo.

Estava segurando o pulso de Hoseok. Hoseok estava segurando um cigarro. O cigarro estava apontado para si. Realmente, quem visse aquela cena de longe e não percebesse que a parte laranja do cigarro estava virada para Hoseok, pensaria com toda certeza que o Jung estava prestes a colocá-lo entre os lábios de Yoongi.

— N-Não é o que você está pensando! — o Min gaguejou, em pânico. Hoseok parecia não estar ligando muito para aquela situação.

【❖】

Que bela forma de começar o semestre. — Yoongi pensou, retirando os livros da prateleira e separando-os por gênero.

Mesmo que Yoongi tivesse tentado explicar várias vezes o que estava acontecendo, os dois acabaram parando na sala do diretor. Para a sua sorte, Seungcheol havia acreditado em sua explicação e Hoseok apenas confirmava os fatos, para o estranhamento de Yoongi. Ele simplesmente não demonstrava se importar com o fato de ter levado uma suspensão logo no primeiro mês de aula.

Entretanto, mesmo assim os dois foram penalizados: Hoseok por estar fumando na escola e Yoongi por saber que Hoseok fumava e não ter avisado à nenhum superior. E é claro, o Jung levara um sermão de quase uma hora inteira.

Agora, lá estavam os dois, encarregados de arrumar os livros da biblioteca. Além de tudo, Yoongi recebera uma advertência, para seu desespero. Seus pais provavelmente iriam comer seu fígado quando chegasse em casa.

— Eu não acredito... como você pôde ser tão irresponsável? — Yoongi murmurou, recolocando os livros em seus lugares com certa violência — Fumar em um lugar tão acessível como aquele... o que você tem na cabeça? E se o Seungcheol não tivesse acreditado? Meus pais iriam me matar caso eu fosse suspenso por estar supostamente fumando na escola!

Hoseok revirou os olhos, sem dar muita atenção para o que Yoongi dizia. O Min já estava há bons minutos reclamando de Hoseok daquele jeito.

— Meu Deus, você não cala a boca. — falou, sem olhar para o menor.

— Como você quer que eu cale a boca? Por muito pouco eu quase não fui suspenso igual você! E você ainda parece não se importar com nada disso... se eu estivesse no seu lugar eu já estaria me descabelando. — Hoseok continuava a colocar os livros nas estantes corretas, pouco importando-se com o que Yoongi dizia — Ah, é mesmo, você já deve estar acostumado com isso.

Yoongi continuou a ser ignorado, para a sua raiva. Em toda a sua vida, nunca pensou que fosse se sentir irritado por estar sendo ignorado por Hoseok.

— Por que você não 'tá respondendo?

— Só cala a boca e continua arrumando os livros. Quanto mais cedo terminarmos isso, mais cedo poderemos nos livrar um do outro. Afinal, é isso que você quer, não é mesmo?

— É, mas... — Yoongi arqueou as sobrancelhas. Estava concordando com Hoseok. Era loucura demais para o mesmo dia — Mas eu também quero que você me responda de um jeito descente! É irritante ficar horas e horas falando e a pessoa só responder com "Hum" e "Aham".

— E por que eu deveria responder a pessoa que me ignora desde a oitava série? — Hoseok estava fazendo o possível para deixar Yoongi sem palavras. Mas aparentemente, o menor possuía resposta para qualquer coisa.

— Espera, eu sempre tive ótimos pra isso! Você vivia me interrompendo sempre que eu queria falar com o Jungkook, sem falar que sempre há problema por onde você passa! O que você queria que eu fizesse? Te provocasse o tempo todo assim como acontece naqueles casais clichês de fanfics? — Hoseok segurou a vontade rir, fazendo com que o canto de sua boca tremesse. De certa forma, era fofo ver Yoongi elevando a voz daquele jeito. Afinal, raramente o via irritado de verdade. E quando este tentava agir como uma pessoa realmente brava, era simplesmente adorável — Eu só... não queria me meter em problemas, ok? Mas parece que isso acabou acontecendo de qualquer jeito.

— Faz sentido. — Hoseok concordou, voltando ao que estava fazendo, na tentativa de cortar o assunto.

Os dois ficaram em silêncio por alguns minutos, até que Yoongi voltou à falar.

— É sério mesmo que você só vai dizer isso?

— Uhum.

— Por que?! Você não faz ideia do quão irritante é-

Em um movimento repentino, Hoseok segurou o queixo de Yoongi, fazendo-o olhar para si. A outra mão pousou em sua cintura, trazendo-o para perto. Então, lentamente aproximou seu rosto ao de Yoongi, que estava perplexo demais para reagir. Seu coração batia de maneira descompassada, quase como se pudesse pular para fora de seu peito. O rosto pálido lentamente esquentava e tornava-se cada vez mais vermelho.

Os lábios de Hoseok estavam perigosamente próximos aos seus. O maior estava tão perto que Yoongi podia sentir sua respiração quente em seu rosto. A pele abaixo do tecido do uniforme e da mão de Hoseok parecia tornar-se gradativamente quente, aquele calor aos poucos parecia espalhar-se por todo o seu corpo. Naquele momento, milhares de pensamentos diferentes passavam por sua cabeça.

Ele não vai fazer isso

Ele definitivamente não vai fazer isso.

É uma brincadeira, certo?

Ele nem ao menos deve ser gay.

Eu tenho certeza que daqui a pouco ele vai se afastar e rir da minha cara.

Certeza.

É só esperar.

Todavia, Hoseok não se distanciou. Ele olhava no fundo de seus olhos, como um predador prestes à atacar sua presa. Parecia querer gravar mentalmente cada expressão sua, cada movimento em falso. Yoongi sentia-se completamente encurralado, mesmo que sua posição naquele lugar permitisse facilmente que saísse correndo de lá.

Seus lábios roçaram com lentidão nos de Yoongi, causando um longo arrepio em sua espinha. Todo o corpo do Min pareceu arder completamente em brasas naquele momento. Estava chocado demais para recuar ou afastar Hoseok, nervoso demais para sequer se mover.

Puta merda. — pensou, piscando várias e várias vezes, para que tivesse certeza de que não estava sonhando.

Não era como se Yoongi nunca tivesse beijado ninguém. Ao longo de seus quase 17 anos, beijou duas garotas. Na primeira vez, foi apenas um selinho um pouco demorado. Na segunda, um ósculo mais profundo, mas não tão satisfatório. Porém, foram raras as vezes em que chegou perto de beijar um garoto. Ou seja, aquela era primeira vez que possuía um contato mais "intenso" com outro menino. Afinal, as vezes em que havia beijado Jungkook em seus sonhos não contavam.

— Acho que encontrei um jeito de te fazer calar a boca. — Hoseok roucamente sussurrou, ainda com os lábios próximos aos seus. Outro arrepio percorreu a espinha do menor, dessa vez fazendo-o soltar um baixo suspiro — Ficou arrepiado apenas com isso?

Yoongi ainda piscava repetidamente, tentando entender o que havia acabado de acontecer. Seus lábios tremiam, a cabeça parecia girar.

— N-Não... — sussurrou. Então, sem muita força, empurrou Hoseok alguns passos para trás. Seu coração ainda batia acelerado pelo contato repentino. O maior riu baixo ao ver a face completamente enrubescida de Yoongi. O Min era simplesmente adorável, da maneira mais inocente possível — Só... vamos terminar de fazer isso e depois fingir que nada aqui aconteceu.

Hoseok sorriu vitorioso. Aquilo sempre funcionava com os mais inexperientes.

Os dois voltaram a arrumar os livros. A consciência do Jung estava completamente limpa. Enquanto isso, a cabeça de Yoongi ainda estava à mil. Se não estivesse com os pensamentos cheios, estaria novamente dando uma bronca em Hoseok.

Então... ele é gay? Ou só queria me zoar mesmo? Será que ele... tinha intenção de continuar? — com a ponta do indicador, Yoongi tocou seu lábio inferior, imaginando-se sendo beijado por Hoseok. Segundos depois, balançou a cabeça, tentando afastar aquela imagem de sua cabeça — Credo, não! Que nojo. Ele deve me odiar, é óbvio que ele só fez aquilo pra tirar com a minha cara.

Yoongi olhou para Hoseok, observando seu semblante calmo e impassível.

Por que só eu estou me importando com isso?

Respirou fundo, tentando esquecer que aquilo havia acabado de acontecer.

— Me diz uma coisa... — Hoseok não lhe deu atenção, como das outras vezes — Eu juro que se você me ouvir apenas dessa vez, eu calo a boca.

Finalmente, Hoseok pareceu interessado no que dizia.

Eu deveria ter feito isso antes.

— Por que você me odeia? — o maior arqueou as sobrancelhas, como se estivesse dizendo "É apenas isso?" — Quer dizer, desde a oitava série você parece querer colocar fogo no meu cabelo. E eu nunca te fiz nada!

Hoseok revirou os olhos, como se estivesse prestes a dizer algo óbvio.

— Eu não te odeio por algo que você fez. Eu te odeio por algo que você vai fazer. — Yoongi franziu o cenho, confuso — Você e o Kook. Namoro. Ele é sensível e as vezes idiota.

— O que...?

O maior respirou fundo.

— Vamos lá. O Kook é extremamente sensível, ele se magoa muito fácil. Até aí você entendeu, certo? — Yoongi assentiu — Eu vou ser bem direto: você é um grande babaca que provavelmente acabaria destruindo os sentimentos dele por causa dessa sua inexperiência. Ele é meu melhor amigo, e eu não suportaria vê-lo sofrendo por culpa de alguém assim.

Yoongi abriu a boca, sem saber muito bem o que dizer. De onde Hoseok havia tirado aquilo?

— O que? Claro que não! Eu nunca faria isso. — o maior obviamente estava descrente em suas palavras — De onde infernos você tirou isso?

— Notícias correm, Yoongi. — mais uma vez, Yoongi franziu o cenho. Se continuasse daquele jeito, provavelmente iria ficar com rugas na testa bem antes dos 50 anos — Você realmente acha que eu não sei daquela história de você ter sido cruel com a Sojin e depois ainda deu um fora nela?

Ah não. A maldita história da Sojin de novo não.

Foi a vez de Yoongi revirar os olhos. Aquela história parecia que iria persegui-lo pelo resto de sua vida. Graças à aquele boato, grande parte dos alunos daquela escola possuía uma péssima imagem de si.

— Isso se chamam boatos e não notícias. Você nem ao menos sabe o que aconteceu de verdade. — Hoseok arqueou as sobrancelhas, como se estivesse pedindo para que continuasse falando — O que aconteceu foi que a gente se beijou na escola, só isso. Só que teve uma hora em que ela escorregou a bateu a cabeça, nisso ela começou a chorar e algumas pessoas viram. Então a história que se espalhou por aí foi que ela tinha me beijado e eu dei um fora nela de maneira tão cruel que a fez chorar, mas não foi nada disso! Eu nem sequer... me sinto atraído por garotas.

Yoongi simplesmente estava abrindo o jogo com Hoseok. Afinal, se este sabia sobre sua paixão por Jungkook, então logicamente também sabia sobre sua orientação sexual.

— Se você não gosta de garotas, então por que a beijou?

— Porque na época tanto eu quanto ela estávamos confusos. Então... um belo dia eu estava conversando com ela sobre isso, e acabou que a gente se beijou só pra "ter certeza". Depois de alguns meses ela começou a namorar uma menina chamada Yura, e eu... fiquei tentando me aproximar do Jungkook. Só que certas pessoas não deixaram porque deram ouvidos à um boato idiota. — Hoseok permaneceu sem reação — Por favor, me diz que você acreditou nisso.

— Com muita dificuldade, mas acreditei. É meio difícil alguém inventar algo assim de uma hora pra outra.

Ok, o bom-senso dele realmente existe. — Yoongi concluiu.

— Isso quer dizer que agora você vai parar de me interromper quando eu estiver com o Jungkook?

— Talvez. — Yoongi bufou, estupefato.

— Ah, qual é! Se continuarmos do jeito que estamos, vamos acabar nos matando ou coisa do tipo. Você pode até não se importar em sujar seu histórico escolar, mas eu me importo em sujar o meu.

Hoseok pareceu pensativo por um momento.

— Tudo bem. Mas se eu sequer desconfiar que você está planejando machucar o Kook, eu juro que faço você se arrepender de ter nascido. — Hoseok falou aquilo de maneira calma e séria, fazendo com que Yoongi não duvidasse das intenções do maior.

— Então... temos um acordo? Tipo, eu não machuco o Kook e você não destrói a minha vida?

— Pode ser. — Hoseok concordou — Agora vamos terminar com isso logo.

Logo, os dois voltaram à arrumar os livros, em um silêncio mortal. Até que, quando estavam perto de acabar, Yoongi voltou a falar:

— Por acaso... o que eu sinto pelo Jungkook é tão óbvio assim?

— Uhum. Dá pra reparar pelo jeito que você olha pra ele. — Hoseok não tirou a atenção dos livros que arrumava. E mais uma vez, os dois ficaram em silêncio.

Por que era tão difícil manter uma conversa agradável com Hoseok? A única coisa que Yoongi queria era mostrar pro maior que não era um monstro sem sentimentos, como todos pensavam.

— Então... sobre aquele boato de você ter aberto um vídeo pornô na sala de aula... é verdade?

Dessa vez, Hoseok olhou para Yoongi.

— Não exatamente. Mas foi engraçado do mesmo jeito. — naquele momento, Hoseok sorriu como se estivesse recordando-se de algo bom — Na verdade, o computador daquela sala era cheio de vírus por causa do professor de geografia, que vivia clicando naquelas coisas de "Clique aqui e descubra como aumentar seu pau de uma maneira rápida e fácil". Então, um belo dia eu fui apresentar um trabalho junto com o Kook. Aí em certo momento a gente precisou abrir um vídeo, só que na hora de fazer isso, eu acabei clicando em um lugar aleatório sem querer. Nisso, um monte de guia abriu de uma vez só,e uma delas era a de um vídeo pornô. O professor e a sala praticamente a sala inteira ouviram os sons do vídeo e a história acabou chegando aos ouvidos dos outros pela metade. Foi isso.

Yoongi riu, apenas tentando imaginar a situação.

— É claro que na hora, o professor não entendeu nada e a culpa caiu pra mim. Mas não deixou de ser engraçado.

— É realmente. — Yoongi colocou mais alguns livros no lugar — E aquela história dos dois alunos que se beijaram com tanta intensidade que um deles saiu com a boca sangrando?

— Ah, certo. Isso aconteceu com um amigo meu, o Taehyung. Ele foi beijar uma menina em uma festa do Kook, só que ele de alguma forma conseguiu cortar a boca no aparelho dela. Mas aí a notícia que se espalhou foi que eles se beijaram tanto à ponto do Tae sair sangrando.

— Uau. — Yoongi perguntou-se mentalmente como pôde acreditar em tudo aquilo por tanto tempo.

De repente, percebeu o porquê de Hoseok finalmente ter começado a prestar atenção em si. Os dois haviam terminado de arrumar todos os livros da biblioteca.

— Ah, terminamos... — Yoongi comentou.

— Amém. — o maior suspirou, exausto, logo em seguida direcionando-se à saída — Então... eu vou indo. A gente se vê por aí.

— Certo... — Hoseok rapidamente saiu da biblioteca, deixando Yoongi completamente sozinho ali.

Alguns minutos após a saída de Hoseok, o celular de Yoongi começou a vibrar. Então, o Min saiu da biblioteca, prontamente atendendo a ligação.

Yoongi? —Jimin chamou-o, do outro lado da linha.

— Ah, oi Jimin. — naquele momento, Yoongi lembrou-se do porquê de tudo aquilo estar acontecendo: o atraso colossal de Jimin. Por um momento, cogitou na possibilidade de esganar o Park até a morte.

— Me desculpe por não ter aparecido no ginásio. Eu acabei ficando até depois da aula pra ajudar o Jungkook com algumas matérias, e eu meio que não vi o tempo passar. Desculpa mesmo.

Yoongi respirou fundo. Sabia que gritar com Jimin do jeito que estava querendo não iria ajudar em nada.

— Tudo bem. Me encontra na saída do colégio, você não vai acreditar no que aconteceu nesse meio tempo. — obviamente, Yoongi não iria esconder de Jimin que quase fora beijado por Hoseok, e logo depois os dois haviam feito uma trégua.

— Estarei te esperando.

— Certo.

Então, a ligação foi encerrada.

Yoongi mal conseguia acreditar que em apenas um dia, havia trocado mais de duas palavras com Hoseok, levado uma advertência, por muito pouco não teve seu primeiro beijo com um garoto e ainda conseguiu acertar-se com Hoseok.

Mal sabia Yoongi que aquilo era apenas o começo.

June 29, 2018, 7:24 p.m. 0 Report Embed 1
Read next chapter I Think I Like Him

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 3 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!