21:25 Follow story

moonhwa moonhwa

Baekhyun é um solitário estudante de Artes que odeia a tecnologia. Porém, quando escuta duas colegas conversando sobre um site que disponibiliza Diários Virtuais - pessoas - para que você desabafe seus problemas, ele não resiste e se entrega à magia do mundo tecnológico. O que ele não esperava era criar afeto pelo seu novo Diário. E morrer de curiosidade em saber quem está do outro lado, lhe respondendo tão atenciosamente todas as noites.


Fanfiction Bands/Singers All public.

#baekyeol #exo #chanbaek #park-chanyeol #byun-baekhyun
26
5005 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Cor

Se sua professora de desenho de observação o visse naquele momento, a possibilidade de perder alguns décimos na nota final seria muito concreta. Administrar o hashi em uma das mãos e o Staedler 3B na outra era mais difícil do que conseguir concluir aquele desenho durante o almoço.

Que tipo de estudante você é, Byun Baekhyun? Que vergonha, você não é mais um calouro para cometer esse tipo de gafe. Todo veterano de Artes sabe que comida e trabalho não combinam, a não ser que a comida faça parte da obra! O que, obviamente, não é o caso. O seu sketchbook que deve conter até o final do período letivo 100 desenhos por observação com certeza não deve se misturar com as gotas gordurosas do seu ramyeon.

Mas o que ele podia fazer se o seu desenho de número 58 era da embalagem aberta do ramyeon? Incluindo o vapor dos primeiros minutos depois de aberto! Você se superou, hein? Pise nos seus colegas com esse vapor detalhado e realista na base de mais de três graduações de grafite! A perfeição é só para aqueles que usam mais de três tipos de lápis em uma mão e manuseiam o hashi na outra.

Aquele monólogo mental o fez rir pelo nariz.

Vinte e cinco anos, Baekhyun. E você continua conversando consigo mesmo como quando era criança.

- ...você sabe muito bem do que eu estou falando...

A voz manhosa na sua frente atraiu a atenção de Baekhyun por um momento, observando seus dois amigos mais próximos sentados lado a lado na mesa do refeitório que estavam dividindo naquele almoço. Oh Sehun, o mais novo entre os três, abraçava carinhosamente seu namorado pelos ombros. Sua estatura alta o fazia ter ombros largos e elegantes que contrastavam com a figura sendo acariciada em seus braços.

Kim Junmyeon aproximava-se mais da altura de Baekhyun, apesar de ser mais forte. Enquanto mastigava, suas bochechas coradas e seu olhar fixo no rosto acima do seu o tornava tão óbvio que Baekhyun deixou escapar um suspiro. Era assim que as pessoas apaixonadas se olhavam. O mais alto, que o fitava de forma a compartilharem uma intimidade impenetrável, devolvia não só um olhar de cor quente mas uma paleta inteira de cores que só eles sabiam como usar.

Não sabia dizer o que era mais patético – sua analogia obsessiva envolvendo a arte ou o fato de nunca ter recebido um olhar daqueles. E devolvido no mesmo espectro, da forma como Junmyeon estava fazendo agora.

Sehun inclinou o rosto e roçou os lábios nos do namorado, provocando um sorriso tímido e bochechas ainda mais escarlates na pele naturalmente lívida. Elas estavam em todos os lugares. As cores! Não conseguia deixar de descrevê-las.

Ou talvez estivesse fazendo isso para distrair-se do fato de que, bem lá no fundo, machucava ver algo que não costumava ter. Já deveria ter se acostumado, é claro. Almoçava todos os dias com os amigos estudantes de Jornalismo, pois o campus abrigava os dois cursos e assim o refeitório era compartilhado.

Mas, mesmo convivendo com a repetição, não conseguia deixar de sentir aquela discreta pontadinha dolorida. Assim como estava equilibrando o hashi e o lápis nas mãos, equilibrava a satisfação por vê-los felizes e a incômoda pontada egoísta.

Junmyeon levou a mão até o queixo do namorado e o manteve imóvel para que conseguisse juntar os lábios dos dois em um selinho discreto.

Pare de encarar, Baekhyun! Seu desenho de observação é o ramyeon, não seus amigos trocando carícias. E você odeia desenhar pessoas, de qualquer forma.

- Ah, Baek, você visualizou a mensagem que mandei ontem à noite? – Sehun desviou o olhar do namorado para se dirigir ao mais velho dos três.

- Não, desculpa. Eu mal uso o celular. O que era? – Baekhyun pigarreou, inconscientemente tentando disfarçar o fato de estar observando-os por vários minutos.

- Você é tão estranho! Estamos no século XXI, na era da tecnologia, Baek! Precisa estar mais conectado com as pessoas. – Foi a vez de Junmyeon se manifestar. Seu tom era cuidadoso e delicado, como se estivesse preocupado.

- É, quer dizer, imagine se está perdendo algo que pode... sei lá, mudar a sua vida... só porque renega a tecnologia! E se eu tivesse lhe mandado a mensagem? A mensagem que mudasse seu destino para sempre! Você não viu!

- Ah, por favor, Sehun. Dá um tempo. Só porque vocês ficam com as caras grudadas nessa tela quando não estão se amassando não significa que todo mundo precisa ser assim.

Sua resistência à tecnologia chegava a ser engraçada. Não era como se ele odiasse a conexão virtual, era só que... existia mais estímulo na vida real. Só isso. Ele era fascinado pelos pequenos detalhes que enfeitavam seu dia-a-dia. Detalhes palpáveis. Detalhes que o permitissem utilizar todos os seus sentidos, não só a visão.

Era tão fascinado pelo ambiente que o rodeava que, na verdade, talvez desse mais importância para ele do que para as pessoas que passavam por sua vida. E talvez por sempre estar tão fechado em seu mundo sensorial, isso o tornava uma pessoa solitária. Muito solitária.

Quer dizer, ele só tinha dois amigos. Dois amigos que namoravam e que, na maior parte do tempo, estavam ocupados com eles mesmos. Ah, e sua dupla na aula de linguagem visual, mas será que ele podia considerar aquele garoto seu amigo? Não era muita pretensão? Só porque se davam bem durante a aula não significava que eram amigos. Bem, para Baekhyun até que ele era sim. Mas, com certeza, para Do Kyungsoo, Baekhyun só era um colega.

Aquela estranha sensação de que seus amigos tinham amigos mais próximos e relevantes do que ele mesmo acabava surgindo com bastante frequência. Será que ele era tão relevante na vida de seus amigos assim como eles eram na sua?

- Você já passou pela disciplina de arte contemporânea, não? – Junmyeon perguntou, segurando um sorriso irônico. Ele sabia que a pergunta iria irritar Baekhyun, estava o desafiando em sua própria área!

- Já – Baekhyun respondeu entredentes, já prevendo o que viria a seguir.

- Bem, então sabe o quão importante a tecnologia é para um estudante de Artes do século XXI. O que Barbara Kruger iria pensar de você?

Baekhyun revirou os olhos à menção de um dos grandes nomes da arte contemporânea envolvendo tecnologia. Era óbvio que seu amigo tinha razão, mas Barbara Kruger não iria se ofender só porque ele não gostava de usar o celular.

- Cara, não precisa nem ser tão específico assim. Você acha que o Van Gogh não iria postar no Instagram dele cada quadro finalizado? Claro que iria. Imagina a quantidade de curtidas? – Sehun roubou um biscoito do pacote que o namorado comia enquanto falava.

- A genialidade de Van Gogh só foi reconhecida depois que ele morreu. Ele não iria ter nem mil seguidores. – Baekhyun retrucou, mal humorado.

- Então você sabe como funciona o Instagram! Ouviu isso, Myeonnie? Será que o nosso Baekkie na verdade é famosinho e a gente nem sabe? Cem mil seguidores, chuva de curtidas por minuto...?

- Não, mas não precisa ser um usuário pra saber essas coisas. Eu também não sou um homem das cavernas. – Aquilo fez os dois rirem em uníssono, mas Baekhyun nem estava achando nada engraçado. Ele não se importava com nada daquilo. É claro que ele entendia a importância da tecnologia. Só não dava a mínima para ela. – Ah, quer saber, vejo vocês depois.

Não deveria perder a paciência com seus dois únicos amigos, mas aquele assunto o cansava. Era sempre a mesma história e ele sempre tinha que ficar na defensiva, justificando suas escolhas.

Recolheu sua caixinha vazia de ramyeon, fechou o sketchbook e guardou seus lápis de desenho.

- Você não ficou bravo com a gente, não é? – Agora Sehun o observava guardar suas coisas com uma expressão confusa. Junmyeon não era muito diferente.

- Não, na verdade estou atrasado para minha primeira aula da tarde. Até mais.

Com tudo de volta dentro da bolsa a tira colo, ele se levantou do banco e se afastou da mesa, jogando a caixa na lata de lixo no caminho.

E era assim que ele costumava agir quando era confrontado. Fugindo.

Ah, Baekhyun, por que você precisa ser tão ruim com relações interpessoais?

Ou melhor, por que as pessoas não podiam ser simples como os objetos que ele gostava de desenhar?


xxx


Ele não estava atrasado para sua próxima aula, é claro. Ainda tinha uma hora livre para passar o tempo até seu horário da tarde começar.

Agora, sentado em uma das mesas dispostas no jardim do prédio de Artes, ele olhava em volta e procurava por mais um alvo inanimado para desenhar. Usava o a tarefa envolvendo a disciplina de desenho como desculpa, mas na verdade era assim que escapava do confronto direto com a realidade.

A realidade que gritava: você tem vinte e cinco anos e só tem dois amigos. Só teve um namorado até hoje que você mesmo deu um fora nove meses depois porque “não tinham mais sincronia”.

É, desenhe mesmo essa garrafa de água vazia em cima da mesa que deixaram para trás em vez de fazer algo para mudar sua situação! É bem assim que funciona a vida, Byun Baekhyun.

Ele suspirou, deitando a cabeça nos braços apoiados na mesa. Deveria ter escolhido um curso mais social. Sabia que escolher Artes o deixaria mais fechado do que já era, porque era uma carreira muito individual. Será que ainda dava tempo de mudar para... Relações Humanas? Ou sei lá?

- ... está me ajudando bastante. Eu nem acredito que alguém teve essa ideia! Parece tão óbvio, mas até realmente concretizarem não nos damos conta. – Uma voz feminina fez Baekhyun virar o rosto para o lado e observar as duas garotas ocupando a mesa ao lado. Ele odiava ser enxerido, mas ele era. Não conseguia evitar. Apurou os ouvidos para continuar ouvindo.

- Qual é o nome do site? – A outra menina perguntou, colocando uma mecha do cabelo chanel atrás da orelha. Ela segurava o celular na mão e encarava a tela na expectativa.

- Seu Diário Virtual – A primeira respondeu. Ela tinha longos cabelos que caíam pelas costas. – É só você se cadastrar e procurar um tópico. Os diários, ou melhor, essas pessoas, se registram de acordo com esses tópicos para facilitar o match. Digamos que você queira um diário para desabafar sobre seu namorado negligente. Olha, ali em cima, clique em “Complicações no meu namoro”. Todos os diários que estiverem dispostos a ajudar nesse tópico respondem ali. E você escolhe se quer que o diário responda você ou não. Pode apenas desabafar, se preferir, sem receber resposta.

- Nossa, é genial. Olhe esse daqui! “Me sinto muito sozinho”. Deve ser ótimo para quem quer desabafar mesmo! Ah, achei um pra mim. “Complicações familiares”. – A garota de cabelo chanel estava tão fascinada que seu rosto estava quase grudado na tela. A outra se inclinava sobre a mesa para conseguir enxergar.

- Bem, faça uma postagem no tópico que escolher e aguarde um diário responder lhe passando seu número de celular. Depois, é só mandar uma mensagem pra ele. Assim, você não precisa expor o seu próprio número.

Baekhyun não disfarçava mais. Já havia endireitado o corpo e agora as observava com atenção. Nunca havia passado por sua cabeça que algo daquele tipo estava disponível na internet. Que coisa estranha.

- Ah, já me responderam! Lifesaver89 comentou o número dele. Ou dela. Que nome de usuário mais convencido! – As duas riam ao encarar a tela iluminada. – O que será que faz um bando de pessoas se disponibilizarem a ouvir os outros desabafando?

A garota de cabelos longos pensou por um momento e depois deu de ombros.

- Bondade... generosidade... Talvez ainda exista no mundo. Bem, espero que seja isso, é claro. Mas, como essas pessoas-diário estão registradas no site, não acho que sejam perigosas ou algo do tipo. Caso contrário, são bloqueadas pelo próprio site.

Ele estava quase entrando na conversa sem nem perceber. Seu olhar curioso atraiu finalmente a atenção das duas, que o encaram confusas. Baekhyun desviou o olhar, tentando parecer que estava olhando para um ponto atrás da cabeça delas. Elas então voltaram a conversar, um pouco mais baixo.

Não podiam mais ser ouvidas.

Baekhyun engoliu em seco, apoiando agora o queixo em cima das mãos e fitando um ponto em frente.

Naquela tarde, não conseguiu prestar atenção direito em nenhuma aula.

June 27, 2018, 2:52 a.m. 0 Report Embed 6
Read next chapter Forma

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 2 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!