O Que Significa Família? Follow story

babyun_ Byun Lime

ChanBaek • Oneshot • ChanBaek!Pais • RedVelvet!Kid • EXO!Kid • Fluffly Chanyeol e Baekhyun haviam criado muito bem os seus filhos, só não esperavam serem chamados na escola de um de seus pequenos algum dia.


Fanfiction Bands/Singers All public.

#kpop #oneshot #fluffly #redvelvetkid #exokid #chanbaekpais #chanbaek #SehunKid #red-velvet #exopais #exo
Short tale
4
4.6k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

O Que Significa Família?

O dia começou normal como sempre. Chanyeol havia levado as crianças ao colégio, Baekhyun foi trabalhar em seu consultório de psicologia e Chanyeol ficou em casa resolvendo alguns problemas com o chuveiro pela milionésima vez, já que estava desempregado e não tinha muito o que fazer quando ninguém estava em casa e sempre enrolava para não fazer as tarefas de casa, mas as fazia, ou senão Baekhyun acabava com a raça do homem.

Chanyeol estava encaixando o último parafuso quando foi interrompido do que fazia com o telefone tocando. Estranhou, afinal, ninguém os ligava a não ser que fosse por uma emergência ou coisa do tipo. Quando atendeu, ouviu a diretora do colégio de Sehun se apresentar e ouviu a mulher atentamente. Sehun havia batido em um garoto e agora estava na diretoria, esperando seus pais junto com a diretora para uma conversa séria. Chanyeol após desligar, se desesperou e ligou para o consultório de seu esposo para explicar sobre a situação. E não teve outra, os dois pais foram desesperados para a escola do filho mais velho, mas antes Baekhyun tinha que buscar a pequena Yeri, já que estava perto da hora da saída e pelo visto a conversa com a diretora do colégio de Sehun não iria acabar tão cedo.



•✖



Quando Chanyeol chegou, avistou seu marido de longe, atravessando a rua com a filha mais nova do casal em seu colo. Quando o alcançou, nem se falaram, apenas se olharam por longos segundos e entraram no colégio, sendo recebidos pela secretária.

– Ele é um menino tão bonzinho... Não sei o que deu nele... - A secretária se lamentou, se virando por um momento para olhar o casal.

Isso só serviu para deixar os dois mais preocupados ainda. Quando a secretária abriu a porta, Baekhyun passou os olhos pela sala de paredes azuis até encontrar seu filho sentado no sofá, de cabeça baixa. Ambos os pais cumprimentaram a diretora e se sentaram nas duas cadeiras vazias de frente para a mesa da diretora.

– Bom dia, Senhores Responsáveis.

– Bom Dia - Baekhyun respondeu educadamente.

Chanyeol não respondeu pois estava ocupado observando seu filho sentado no sofá, claramente cabisbaixo. Baekhyun percebeu e deu um empurrão de leve usando o cotovelo para chamar a atenção do marido.

– Ah sim... Bom dia. - Chanyeol respondeu de forma simples, abaixando o olhar.

– Enfim, Oh Sehun empurrou uma criança na hora do recreio, não demorou muito até que se tornasse uma confusão. A outra criança já foi liberada, agora Sehun ainda não porque não revelou o motivo de empurrar o coleguinha. - A mulher explicou com as mãos juntas em cima da mesa, intercalando seu olhar para os dois pais, um por vez.

Baekhyun ficou nervoso, não podia pensar no Sehun batendo em outra criança. Não o havia criado assim. Foi então que Chanyeol coçou a garganta, quebrando o silêncio.

– Sehun é uma criança muito boa e quieta, não faria algo assim sem um motivo - Chanyeol comentou enquanto olhava para Sehun de longe.

A diretora abriu a boca para responder ao comentário do pai, mas fechou logo em seguida. Baekhyun se inclinou um pouco e deu um sorriso simples de compreensão.

– Eu e meu marido podemos conversar a sós com nosso filho? - Perguntou o homem.

– Claro - A mulher respondeu com um pequeno sorriso.

Chanyeol colocou a filha mais nova no chão e se levantou junto com seu marido, indo até o garoto sentado no sofá. Baekhyun se agachou de frente para o menino, levantando seu queixo de leve e abrindo um sorriso ao ver a carinha emburrada de Sehun.

– Eu não fiz nada de errado - Sehun respondeu baixinho, olhando nos olhos de seu pai.

Baekhyun podia ver sinceridade naquelas palavras e naquele olhar. Ele e seu esposo criaram aquelas crianças com muito amor e carinho, eles tinham certeza disso. Não lutaram pela guarda dos dois por anos para no final os criarem mal. A família se retirou da sala e foi até o pátio que havia ali em frente à porta da diretoria. Baekhyun e Sehun se sentaram no banco de pedra e Chanyeol ficou de pé com a filha no colo.

– Nos conte o que aconteceu de verdade. - Chanyeol pediu enquanto limpava a boca suja da filha com um paninho, já que a pequena comia um bolinho.

Sehun ficou quieto nos primeiros minutos, balançando os pés no ar( já que não alcançavam o chão) e mexendo os dedinhos, claramente nervoso. Baekhyun sabia da dificuldade que Sehun tinha de se abrir sobre os seus problemas, sabia que sempre tentava esconder as coisas de si para que não se preocupasse, sabia muito bem e sempre tentava trabalhar isso com ele. Segurou nas mãos pequeninas e abraçou aquele pequeno corpo contra o seu.

– Está tudo bem em falar Sehun, não precisa deixar isso te remoendo aí dentro. - Falou baixo e o soltou depois de poucos minutos.

Sehun estava com os olhos marejados e fungou, coçando o narizinho avermelhado. Estava ameaçando chorar.

– Ele disse que eu não tinha uma família de verdade... Isso é mentira! - Sehun desenbuchou, se esbravejando no final da frase.

Baekhyun ficou boquiaberto com uma coisa daquelas. Sabia que uma hora ou outra aquilo iria acontecer, mas nunca esteve preparado para aquilo. Ver seu filho se machucando por causa do preconceito dos outros, o machucava muito, não queria ver seu pequeno sofrendo. E Chanyeol sentia o mesmo que Baekhyun.

– Quem disse que não é uma família de verdade? - Gritou a pequena Yeri de apenas 4 aninhos.

– Calma pequena - Riu Chanyeol, tirando a embalagem vazia de bolinho da mão da filha.

– Família é amor, não é papai? - Perguntou Yeri, olhando para Chanyeol.

– Sim, família é amor minha pequena, e é por isso que somos uma família - Afirmou Chanyeol, sorrindo orgulhoso da pequena garotinha.

– Ele disse que nunca terei uma mãe... Eu não preciso disso, não é? Ele disse que eu irei ser que nem vocês - Revelou Sehun.

–Sehun... - Baekhyun começou com cuidado, olhando nos olhos do filho - Família não é apenas um homem, uma mulher e seus filhos. Não é porque você não tem laços de sangue comigo e seu pai, que não somos uma família. Família vai muito além disso, muito. Família é união, é amor, é compreensão, e nós temos tudo isso. Infelizmente, não é todos que entendem isso, e infelizmente não vai ser a última vez que isso vai acontecer, por isso eu peço para que você seja forte. Não importa o que falem sobre a nossa família, isso não vai mudar o fato de que somos uma. E sobre você "ser" que nem eu e seu pai, isso é mentira. Se você for, eu e seu pai não iremos ver problema. Se futuramente chegar lá em casa com um namoradinho ou namoradinha, isso vai ser de acordo com a sua vontade e felicidade, meu pequeno. - Baekhyun falava com carinho e os olhos aos poucos começaram a se encher de lágrimas.

– Sim, verdade, não irei me importar se chegar lá em casa com uma garota ou com um garoto... Mas se chegar com um sonserino... Aí teremos que conversar muito sério - Chanyeol Comentou fingindo um tom sério, mas logo começou a rir.

O pequeno Sehun já se encontrava com lágrimas rolando pelo rostinho. Deu um sorrisinho e abraçou forte o pai que estava ao seu lado, enterrando o rosto em sua camisa. Chanyeol e a pequena Yeri se juntaram naquele abraço em família, e permaneceram naquela abraço por longos minutos, porque sabiam que dentro daquele abraço nenhum mal poderiam os afetar, muito menos um preconceito sem cabimento.

Os papais deixaram seus filhos brincando no pátio depois de uma conversa super importante e seguiram para diretoria, onde explicariam a história para a diretora e buscariam medidas para que aquilo não acontecesse de novo.

– Sehun, se ele insultar nossa família de novo, você dá um chutão naquele garoto! - Esbravejou a pequena Yeri, com os braços cruzados.

Sehun riu da graça da irmã mais nova, bagunçando seus cabelos castanhos.

– Pode deixar maninha!


•✖•


Após aquela longa conversa na diretoria que durou horas, seguiram para casa, todos cansados dentro do carro preto da família , onde Chanyeol dirigia.

– Aí ai... Que dia longo... - Chanyeol comentou sofrido.

– Sim, espero que não aconteça mais coisas assim - Suspirou Baekhyun.

Quando chegaram em casa, os dois esposos foram dar um banho em seus filhos e os puseram para dormir. Quando estava tudo novamente na perfeita "normalidade", foram se deitar também para descansar e terem uma conversa séria, onde os seus filhos não podiam participar. Chanyeol se aconchegou no peitoral de seu esposo e Baekhyun tratou de fazer carinho nos cabelos de fios preto.

– Eu fico realmente triste vendo uma coisa dessas acontecer... - Admitiu Baekhyun, com os olhos marejados. Tentava ser forte na frente dos filhos, mas quando estava com Chanyeol sabia que podia chorar à vontade. – E pensar que essa não vai ser a última vez, eu fico muito triste vendo nossos filhos sendo discriminados por causa disso.

Chanyeol suspirou e segurou na mão do companheiro, entrelaçando os dedos e levantando a cabeça para o olhar nos olhos.

– Não importa quantas vezes isso aconteça, nós sempre iremos os proteger, não é mesmo? - Perguntou otimista, com um sorriso no rosto. Se aproximou para beijar os lábios do esposo e permaneceu próximo, apenas para sussurrar. – Eu amo muito nossa família e nunca deixarei que ninguém tente a abalar.

Baekhyun sorriu orgulhoso das palavras de seu esposo e continuaram ali, trocando carinhos e conversando orgulhosos sobre o que a pequena Yeri havia dito mais cedo, afinal, família era amor e eles tinham muito disso.

June 27, 2018, 12:07 a.m. 1 Report Embed 2
The End

Meet the author

Comment something

Post!
marya edu marya edu
quase chorei meudeus
Aug. 6, 2019, 10:35 p.m.
~