Hora de Dormir Follow story

softbyun vênus

[ChanBaek!Pais] [EXO] [Fluffy] [SliceOfLife] Baekhyun e Chanyeol sempre gostavam de pôr o filho para dormir, juntinhos, seja o Park lendo um livro enquanto o outro acariciava os fios negros do pequenino ou apenas o Byun cantando uma música acompanhada do toque sutil de alguém tão talentoso no violão.


Fanfiction Bands/Singers All public.

#sliceoflife #chanhyun #chanbaekpais #oneshot #chanyeol #baekhyun #fluffy #chanbaek #exo
Short tale
10
5105 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Cores verdadeiras

Já se passavam das dez da noite e ChanHyun continuava com sua teimosia de não querer ir dormir enquanto o seu pai Chanyeol não chegasse. Baekhyun já estava acostumado com os atrasos do marido; o entendia perfeitamente, não era fácil praticamente carregar uma empresa nas costas, mas não podia deixar de se sentir preocupado, principalmente por ele dirigir tão cansado aquela hora e era por esse motivo que estava igual um louco andando pela casa inteira; tentando ligar para Chanyeol, com ChanHyun atrás de si, agarrado a barra de sua camisa e berrando como se tivessem roubado o seu doce favorito.


O mais velho podia até estar acostumado, mas o filho parecia que nunca se acostumaria. Chanyeol e Baekhyun costumavam colocar ChanHyun para dormir, sempre juntos, não importava o horário ou o quão cansado estivessem, seria sempre assim e o garoto claramente adorava, não dormia de jeito nenhum sem os mimos dos papais.


O Byun estava já na décima chamada, quando a porta da frente foi aberta assim que chegaram a sala, revelando um Chanyeol todo encharcado e percebendo agora o quão forte a chuva estava lá fora, desligou a chamada imediatamente e foi até o marido com um semblante preocupado, junto ao o filho que nem se importou em abraçar as pernas molhadas do pai, parando até então de chorar.


– Chanyeol, eu te liguei inúmeras vezes, estava preocupado! – Baekhyun fez bico enquanto retirava o casaco encharcado do maior e o pendurava em uma cadeira velha que costumava ficar no cantinho ao lado da porta para que deixassem objetos ou simplesmente casacos.


– Desculpe Bae, o trânsito estava um caos, por causa da chuva algumas avenidas foram interditadas e meu celular descarregou. – Mostrou o aparelho totalmente apagado, tirando os sapatos molhados logo em seguida.


– Estava chovendo e eu nem percebi, céus. O ChanHyun está me enlouquecendo, Chanyeol. – Baekhyun suspirou cansado.


– Eu não fiz nada! – O pequeno defendeu-se, enxugando os olhinhos pouco vermelhos.


– Ah não? E toda essa teimosia para dormir, uh? – Se inclinou e apertou levemente o narizinho do garoto.


– Você sabe! – Cruzou os pequenos bracinhos, fazendo um bico manhoso.


– Estava com saudades do papai, pequeno? O grandão aqui chegou! – Chanyeol sorriu, pegando o filho no colo e correndo consigo direto para o primeiro andar, se divertindo com as gargalhadas gostosas que a criança soltava.


Baekhyun apenas revirou os olhos e seguiu os dois, resmungando pelo caminho o quanto Chanyeol estava molhando a casa inteira e inclusive ChanHyun, que poderia acabar ficando resfriado, ou que acabariam caindo e se machucando com toda aquela correria. O que poderia fazer se era alguém tão preocupado? Suspirou e desistiu de reclamar assim que as duas crianças se aquietaram, indo diretamente para o banheiro do corredor.


– Vamos tomar banho de banheira? – ChanHyun perguntou animado, descendo logo do colo do pai e indo direto para os seus bonequinhos, todos personagens dos Avengers, que ficavam em uma pequena cestinha na pia.


– Quer tomar banho de banheira, garotão? Pra isso vai ter que me deixar ser o Homem de Ferro hoje! – O Park cruzou os braços enquanto estufava o peito, imitando um super-herói.


– Começou… – Baekhyun revirou os olhos novamente, mas não deixou de rir ao ter os dois olhando para si com uma carranca formada nos rostos tão bonitos, dando língua logo em seguida. – Chanyeol! Você fica ensinando essas coisas feias pra ele. – Ditou sério.


– Oras, estou ensinando ele a se defender. – Defendeu-se.


– Dar língua por acaso é defesa? – Contestou.


– Prefere que eu o ensine a chutar canelas? – O maior abriu um sorriso, digno do gato Cheshire.


– Chutar canelas parece legal. – ChanHyun pensou em voz alta.


– Desisto de vocês.


O Byun saiu de uma vez do banheiro, não deixando de rir durante o trajeto para o quarto do filho. Aproveitou, já que os seus bebês estavam tomando banho e começou a preparar a cama de ChanHyun que estava toda bagunçada pelos pulos recentes do garoto, talvez devesse comprar um pula-pula para o filho, antes um pula-pula do que uma cama nova.


– O que eu faço com essas duas crianças, uh? – Falou consigo mesmo, sentado na cama já arrumada enquanto abraçava uma pelúcia do Pororo.


– Você pode colocar essas duas crianças para dormir enquanto faz um cafuné bem gostoso. – Chanyeol entrou no quarto, de roupão junto ao filho, que estava em seu colo, com os fios molhados e só sorrisos.


Baekhyun apenas sorriu e deu pequenas palmadinhas ao seu lado na cama, chamando-os para que sentassem junto a si.


Se sentia satisfeito por poder contemplar os dois amores da sua vida, sua família, seu maior presente, coisa que dinheiro algum poderia comprar. Era alguém feliz, pois tinha ao seu lado tudo o que lhe era mais importante no mundo todinho e era grato todos os dias por isso, apreciava e guardava os mínimos detalhes em sua mente e principalmente, coração.


– Cafuné me parece ótimo… – Baekhyun bagunçou a cabeleira molhada dos dois.


– Canta papai! – Os olhinhos de ChanHyun brilharam ao simplesmente falar aquela frase, adorava escutar os pais cantando, seja na hora de dormir ou em algum outro horário qualquer do dia e claramente não iria negar um cafuné junto. – Mas tem que ter carinho também! – Fez um biquinho, apoiando a cabeça no ombro do papai Park, aproveitando que estava sentado em seu colo.


– Cantar, uh? Me parece uma boa ideia… Eu deveria tocar então? – O Park mais velho sorriu, já se levantando, pronto para ir atrás de seu violão, deixando o garoto sentado no colchão macio e fofinho.


– Certo. Cafuné com cantoria e toques de violão, tem coisa melhor? – O Byun pegou ChanHyun no colo, beijando a testa do filho e indo até o guarda-roupa, pegando o pijama do garoto, logo fazendo um sinal para que Chanyeol fosse se trocar e pegar o necessário para mimar o menino e dar a ele uma noite de sono serena e tranquila.


– Não! – ChanHyun sorriu e se agarrou ao pescoço do pai, segurando com as pequenas mãozinhas ali, apoiando a cabeça no ombro do mais velho, soltando alguns bocejos. Estava cansado e já se sentia meio molenga, mas de jeito nenhum dormiria sem as vozes dos pais em uma cantoria bonita.


O Byun tratou logo de trocar o filho, deixando-o agasalhado e confortável no pijama de bichinhos da floresta, o colocando deitadinho na cama e cobrindo logo em seguida, sentando-se ao seu lado enquanto fazia um cafuné gostoso em seus fios negros e ainda meio úmidos, recém penteados.


ChanHyun era a coisa mais bonita que já pusera os olhos, era a personificação do amor. Do seu amor e de Chanyeol, que não aguentou mais apenas aqueles dois corpos já transbordando e deu vida a um novo ser, uma geração provinda do sentimentos mais puro.


Não media os sorrisos ao olhar para o filho e muito menos o brilho no olhar que cada vez aumentava e muitas vezes se transformando em pequenas lágrimas. ChanHyun sempre costumava perguntar porque os seus olhos choviam e Baekhyun sempre respondia a mesma coisa:


“Por amor.”


Logo o papai Chanyeol apareceu todo agasalhado no moletom, se protegendo do frio e trazendo consigo o violão amarronzado, sorrindo ao ver seus dois amores ali, um aos bocejos e o outro só sorrisos e emoções que conhecia bem quais eram.


– Hora do Show, crianças! – Brincou, puxando um banquinho, o colocando ao lado da cama e se sentando, dedilhando algumas vezes o violão para pegar um ritmo e fazendo alguns ajustes para afinar as cordas.


– Então, qual vai ser o repertório? – Baekhyun se pronunciou. – Tem alguma ideia, ChanHyun? – Tocou a pontinha do nariz do filho, que fez uma expressão pensativa, negando logo em seguida.


– Os papais podem escolher. – Abriu um sorrisão de janelinhas, revelando o vazio dos dentes de leite de cima que foram levados pela “fadinha.”


– Se é assim… O que acha daquela, amor? – Chanyeol olhou Baekhyun, os olhares trocados transparecendo a mesma coisa em que pensavam. Aquela música. Baekhyun apenas assentiu, sorrindo e esperando que Chanyeol iniciasse.


Aquela música… – Murmurou.


A música que um dia os uniu e até hoje permanece marcada em cada um, dessa vez sendo marcada em ChanHyun.


Chanyeol sem esperar mais um minuto, começou a dedilhar o violão, tocando os primeiros acordes em toques sutis, lentos e de acordo com o tempo da música.


Baekhyun logo se juntou, revelando a voz melódica e suave, cantando as primeiras notas e assim prosseguindo com o cafuné nos fios do filho.


You with the sad eyes, don't be discouraged. Oh, I realize, It's hard to take courage in a world full of people, you can lose sight of it all and the darkness it's inside you can make you feel so small…


ChanHyun acompanhava os pais, passando os olhinhos de um para o outro, se sentindo cada vez mais leve e calmo. Observava o papai Baekhyun cantando, que o olhava sorrindo e acariciava seus fios de um jeito tão gostoso que não conseguiria aguentar por muito tempo ali. E o papai Chanyeol tocava tão bem, era bom escutar o toque do violão em sincronia com a voz bonita do papai mais baixo, que logo foi cessada, dando vez ao papai mais alto com aquela voz grave, surpreendendo com o quão linda aquela cantoria toda era. ChanHyun se sentia curioso sobre o que cada palavrinha estranha, diferente das suas, significavam, mas estava com preguiça e sono demais para perguntar sobre e inclusive não queria atrapalhá-los.


Show me a smile, then. Don't be unhappy, can't remember when I last saw you laughing. If this world makes you crazy and you've taken all you can bear. You call me up, because you know I'll be there.


O pequeno deu mais alguns bocejos, fechando os olhos devagarinho, deixando a música invadir sua audição e tudo se embaralhar em sua mente enquanto o sono tomava conta de si aos pouquinhos.


E antes de pegar no sono, pôde ouvir os pais cantando em sincronia, formando a mais bela melodia, dando um sorrisinho e por fim se entregando ao mundo dos sonhos.


And I see your true colors, shining through. I see your true colors and that's why I love you, so don't be afraid to let them show. Your true colors, true colors, true colors are shining through…


Baekhyun e Chanyeol continuaram cantando, zelando pelo sono do filho e por seus sonhos bonitos e assim que terminaram a canção, entrelaçaram as mãos, deixando um beijinho, cada um, de boa noite na testa da criança, sorrindo cúmplices e mais do que felizes, tendo a sorte de terem um ao outro compartilhando de um momento tão bonito, marcado em suas vidas.


Ficaram observando o pequeno serzinho, tendo a plena e convicta certeza de que ChanHyun, era incrível.


I see your true colors and that's why I love you...

June 7, 2018, 8:34 p.m. 2 Report Embed 6
The End

Meet the author

vênus – not all those who wander are lost.

Comment something

Post!
Anna Luisa Anna Luisa
Que coisa mais fofa, aaaaa <3 beijos :3
June 7, 2018, 4:48 p.m.

  • vênus vênus
    Obrigado aaaaa, fico feliz que tenha gostado e tirado um tempinho pra comentar depois de ler, beijoosss ❤️❤️ June 7, 2018, 7:49 p.m.
~