Ano 0 Follow story

jung_krystal Krystal Jung

[VAMPIROS AU!] [OT12] Em uma sociedade dominada por vampiros, o tempo não passa, e os humanos restantes estão lutando pela sobrevivência e pela esperança quase inexistente de voltarem a ter direito sobre o mundo, mas com explicações científicas e sobrenaturais se misturando, torna-se impossível saber onde está a verdade e a chave para mudar o mundo novamente, e o destino pode não ter o caminho que gostaríamos. Afinal, é possível reverter o que todos consideram como a nova etapa da evolução humana?


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only.

#sobrenatural #distopia #tao #exo #kai #kyungsoo #sehun #suho #baekhyun #chanyeol #Chen #Lay #kris #luhan #xiumin #227
10
5173 VIEWS
In progress - New chapter Every 15 days
reading time
AA Share

Bem vindo ao Ano 0

Ele podia sentir o cheiro nauseante de sangue e cadáveres ao seu redor. Mais de uma vez ele teve a sensação de pisar em algo suspeito, mas não podia parar, ele sabia que era apenas uma questão de tempo para que os cadáveres que não estavam mutilados se levantassem. A pior parte era com certeza não poder correr, por causa do barulho que ele faria e assim não seria capaz de ouvir caso se aproximassem de si.


Não que andando devagar ele teria alguma chance. Não podia ouvir os próprios passos, mas sabia que eles podiam. Mas o que podia fazer além de tentar?


Queria sentar, chorar, se encolher em si mesmo e desistir, como foi que as coisas mudaram tão rápido? Ele não sabia se iria resistir até o sol nascer, não tinha como saber as horas e a noite parecia eterna.


Sabia que entrar em qualquer lugar que fosse seria suicídio, poderia ter algum deles lá dentro e levaria apenas um segundo para que fosse encurralado, por isso ele procurou um beco qualquer, talvez pudesse se esconder entre os sacos de lixo e o cheiro ruim esconderia o seu próprio. Não era o melhor plano, mas no momento era o que podia fazer por si mesmo.


Mal havia virado quando mãos pesadas caíram em seus ombros e foi virado bruscamente. Lá estavam os olhos vermelhos e os dentes horrendos expostos em um sorriso grotesco e cheio de sangue.


Mãos fecharam-se em seu pescoço e seu corpo foi erguido como uma boneca sem peso. Engasgou-se com a própria saliva e a falta do oxigênio e segurou as mãos do monstro com as suas próprias, tentando de alguma forma fazê-lo lhe soltar.


Mal teve tempo de gritar antes de ser prensado contra a parede e sentir o nariz gelado arrastar-se sobre a pele exposta de seu pescoço. Um rosnado profundo deixou os lábios do agressor quando enfim encontrou a jugular e o rapaz tremeu de medo ao sentir os dentes afiados rasparem de leve a sua pele quando a criatura passou a língua pela região.


-Por favor... -Sussurrou trêmulo, odiava implorar, mas não queria morrer-. Não...


-E o que te resta? -A voz era tão dolorosamente humana e falava com tanta calma que era difícil acreditar que pertencia a um monstro-. O que você tem na sua vida.


Nada. Uma voz em sua cabeça respondeu. Absolutamente nada.


Ele fechou os olhos com força e choramingou de medo quando sentiu os lábios frios como a morte tocarem os seus em um selo superficial. Ouviu uma risadinha do desconhecido e sentiu como se todo o sangue do seu corpo tivesse se transformado em gelo, o coração pesou e pareceu afundar.


Seu grito de desespero encheu o ar noturno do mundo devastado. Mas foi muito rápido, porque logo a boca da criatura estava sobre a sua, abafando seu grito. Arregalou os olhos ao sentir sangue espirrar de sua boca diretamente dentro da boca do monstro, manchando ambos os rostos de sangue e deixando aquele beijo da morte mais grotesco do que ele poderia imaginar.


Seus olhos giraram nas orbitas, e ele agradeceu por perder a consciência e não precisar ver ou saber o que aconteceria com seu corpo.


-----X-----


O Ano 0 na verdade já durava uns bons 30 anos, mas desde que o mundo agora era dominado por vampiros que muito raramente morriam, fazia sentido que eles quisessem imortalizar o próprio tempo, desprendendo-se de todas as contagens humanas de anos.


Poucos que viveram naquela época ainda estavam vivos, e além de ser quase impossível encontra-los, pois haviam testemunhado tantos horrores que haviam se escondido, o número reduzido se tornava ainda menor se você estivesse buscando por alguém que não compartilhasse das informações comuns e tivesse algo a mais a acrescentar.


O que todos sabiam, é que começara como uma simples doença, poderia ser gripe ou resfriado. Diversas pessoas pelo mundo começaram a ter febre, e nos casos mais graves, alucinações. O problema realmente começou quando os enfermos passaram a vomitar sangue, e alguns parando apenas quando não restava uma única gota do líquido em seus corpos, fazendo com que a morte cerebral fosse dada.


Em todos os lugares famílias devastadas enterravam seus filhos e se desesperavam para proteger quem houvesse sobrado, mas o que já era ruim o suficiente, tornou-se pior, com o que de início parecia um apocalipse zumbi, pois, as pessoas acordavam para um novo dia, apenas para descobrir que todos os cemitérios estavam com os túmulos das vítimas recentes revirados.


Investigações apontavam que os caixões foram estraçalhados, e a terra havia sido cavada de dentro para fora, o que levou a conclusão fantástica e horrível de que os mortos haviam deixado as tumbas, e era impossível sugerir que houvesse uma pessoa viva que fizera aquilo, primeiro porque não havia um motivo, segundo porque ninguém imaginava uma organização criminosa poderosa o suficiente para levar os cadáveres de mortos no mundo inteiro, não havia sequer lugar para esconder tantos corpos sem que as cidades fossem dominadas por um cheiro horrível.


A menos, algumas pessoas diziam, que os corpos não estivessem apodrecendo.


E não estavam. Em uma noite que ninguém lembrava exatamente qual foi, o ar noturno foi preenchido com gritos de pavor. Os mortos estavam regressando para suas casas, todos possuíam cabelos escuros e olhos vermelhos, e quando sorriam lá estavam as presas brilhando ensanguentadas.


Em uma coisa Hollywood acertou, eles eram bonitos, fortes, rápidos e mortalmente silenciosos.


Não eram zumbis, todos decidiram, eram vampiros.


Apesar de terem sido enterradas pessoas de todas as idades, a maioria esmagadora dos vampiros eram de jovens, mas não houve muito tempo para pesquisas, a raça humana foi devastada, e os sobreviventes passaram a ser caçados e apesar de bem tratados, mantidos em cativeiro para a alimentação dos vampiros. E de acordo com as poucas informações que foram conseguidas, a mordida não era nada como descrita em filmes e livros de romance, doía como o inferno, fazendo com que gritos de misericórdia pudessem ser ouvidos quando um dos seres da noite estava se alimentando.


Os vampiros se apoderaram das grandes metrópoles e as transformaram em cenários de beleza e riqueza luxuosas, e todo o resto foi marginalizado e destruído e deixado para os humanos que não viviam sob poder das aberrações.


Sem acesso a qualquer fonte de pesquisa ou tecnologia, não era possível traçar uma origem para as transformações, sua causa, ou por qual motivo a maioria dos vampiros eram jovens. Era possível apenas lutar pela sobrevivência e torcer para não ser pego por um vampiro.


Muitos ainda se questionavam sobre quem teria sido o primeiro vampiro, ou se havia chances de surgirem mais, e se sim, como ocorria a contaminação.


A única coisa que todos sabiam, é que o Ano Imortal era como viver um inferno na Terra.

June 6, 2018, 1:38 p.m. 0 Report Embed 3
Read next chapter Alma partida

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 2 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

Related stories