Um Trio Follow story

gridpudim Grid Pudim

O mundo não é para qualquer um, isso todos nós já sabemos e estamos destinados a dias difíceis por conta de desentendimentos que passam de geração em geração, causando guerras, fome, mortes, injustiças, mas a guerra é para quem é forte, para quem não tem medo ou para quem acredita em quem está do seu lado. Apesar dos pesares, a guerra cria filhos mais fortes, tanto fisicamente como psicologicamente. A guerra cria laços inseparáveis e amizades que viram fortes laços de irmandade. Ino-Shika-Cho era conhecido como o time que deu certo, a combinação de três clãs que combinando os jutsus faziam grandes coisas.


Fanfiction Anime/Manga All public.

#naruto #shikamaru #nara #ino #Yamanaka #Chouji #InkspiredBrasil #inkdisney #InoShikaCho #Akimichi #ToyStory
Short tale
3
4849 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Notas do Autor:

Olá pessoas!
Chego aqui com uma OneShot do trio mais lindo de Konoha! Ino-Shika-Cho <3
É uma SongFic do grupo #InkspiredBrasil do facebook e o desafio é o #InkDisney
E pra esse trio maravilhoso, nada melhor que 'Amigo Estou Aqui - Toy Story'(link nas notas finais)
OBS: Alerta de Spoiler do Episódio 489
Sem mais delongas
Boa leitura!  

***



...Porém, amigo seu é coisa séria

Pois é opção do coração (viu?)...

— Bem-vindo! — Shikamaru pode ouvir algum funcionário da ChurrasQ.

Acenou com a cabeça em cumprimento ao funcionário e foi adentrando no local. Seus amigos já estavam ali o esperando, nas últimas mesas do restaurante.

— Ah, ali está ele! — pode ouvir a voz de Chouji e riu quando o amigo acenou com a mão para que ele o visse.

— Aqui! — Ino gritou para ele também e Shikamaru pode ver a cabeça loira da amiga quase imperceptível por conta do estofado da cadeira.

Shikamaru foi andando calmamente com suas mãos nos bolsos até chegar na mesa onde algumas tiras de carne já grelhavam.

— Desculpa a demora. — falou se sentando entre seus amigos.

— Tudo bem! Trabalhou muito hoje? — perguntou Ino.

— Sim. — Shikamaru suspirou. — Quando eu era mais novo, pensava que nossos treinos que eram complicados.

— Com certeza a vida adulta é muito mais difícil. — disse Chouji com muito arroz na boca. — Ei! Essa é a carne que eu estava grelhando! — Chouji falou para Ino que agora ria da cara do amigo esfomeado como sempre.

— Essa também. — Ino mostrou a carne entre o hashi e Chouji riu.

— Outro pedido de kalbi, por favor! — Chouji disse levantando a mão e o funcionário da churrascaria correu para trazer o seu pedido.

Shikamaru riu junto com Ino da cara do amigo de desesperado quando, finalmente o garçom apareceu com o kalbi e Chouji soltou até o ar dos pulmões de satisfação.

— Se comporte Ino! — disse Shikamaru com a mão na boca, mencionando rir. — E como estão as coisas, Chouji?

— Ah, eu adoro ensinar, acho que nasci para isso! — disse sorrindo. — Sempre que meus alunos conseguem algo grandioso, comemoramos aqui, como nos velhos tempos, lembram?

— Era tão bom! Sinto saudades! — sorriu Ino.

— E com você Ino? Está gostando de ensinar? — perguntou Shikamaru com uma fatia de carne na boca.

— Ah, sim, eu gosto, mas colocaram um novato do meu clã no meu time. — Ino respirou pesadamente.

— Isso é um problema? — perguntou Chouji.

— Bom, eu fico ensinando esse novato, mas ele não entende. — falou Ino com ar de tristeza.

— Tem um no meu time também. — disse Chouji. — Ele lembra a mim mesmo, e não consigo ignorá-lo.

— Será que o Asuma se sentia assim? — perguntou Ino.

— Vocês dois realmente abraçaram o papel de professores. — Shikamaru falou encarando os dois amigos.

— Bom, você é o braço direito do Hokage, né? — disse Ino encarando o amigo.

— Mas não tenho mais ninguém sob mim como mentor. — Shikamaru respondeu com as mãos atrás da nuca.

— Você é o tipo que prefere fazer as coisas sozinho. — disse Chouji palitando os dente e rindo do amigo.

— Ser solitário é bom para mim. — Shikamaru agora olhava para o teto pensativo. — Vocês dois são os únicos que são especiais para mim.

Ino e Chouji se olharam e logo em seguida olharam para o amigo que ainda olhava para o teto, os dois olhavam Shikamaru com um ar malicioso, conseguiam se comunicar por telepatia, claramente existia mais alguém que Shikamaru classificava como especial, mas ele não admitia.

— Eu sinto falta de antigamente. — falou Ino sem entrar no mérito do que ela e Chouji pensavam.

— Ei… — riu Shikamaru. — Não somos velhos o bastante para dizer essas coisas.

— Antigamente, era normal ficarmos juntos sempre. — falou Ino cruzando os braços. — Agora nós temos que marcar uma hora só para comermos juntos.

— É meio triste, né? — falou Chouji segurando seu copo de suco com os olhos arregalados.

— Talvez seja isso que significa virar um adulto. — Shikamaru suspirou.

Ino se virou para o amigo e falou:

— Certamente. Seu temperamento mudou.

— Hã? — Shikamaru arqueou as sobrancelhas sem entender o que Ino queria dizer com isso. — Você deve estar enganada.

— Recentemente, você nunca mais disse “mas que saco”. — Ino imitou o amigo com uma voz mais grave e Chouji gargalhou. — Você não notou?

— Sério?

Shikamaru olhou de soslaio para a amiga e começou a pensar na observação que ela fez, realmente, ele não lembra a última vez que falou “mas que saco”, mas com certeza lembrava a última vez que havia fumado.

Na verdade, ele nunca havia pensado nisso, nunca havia pensado no tempo que passou e como ele, agora, era outra pessoa. Era um adulto então?

...O tempo vai passar

Os anos vão confirmar...

— Obrigado pela comida! — Chouji e Ino falaram para os funcionários da churrascaria enquanto Shikamaru ainda estava alto em seus pensamentos.

Saíram do estabelecimento e Chouji os chamou:

— Eles me deram chicletes no caixa. — Chouji mostrou os pequenos doces coloridos em suas mãos gordinhas. — Isso não é nostálgico?!

— Eu sempre comia isso quando era criança! — Ino sorriu, pegou um dos doces e levou a boca. — Ah que doce! Sempre foi assim?

Shikamaru também pegou um e o encarou, aquilo trouxe a ele a lembrança de seu sensei rindo quando eles estavam loucos para ir naquela mesma churrascaria para comemorar as suas vitórias, mesmo que Chouji gostasse muito mais de churrasco que qualquer um ali, aquele lugar era, certamente, o ponto de encontro deles.

Trouxe também a lembrança de quando Chouji e Ino apareciam na sua casa, cansados de tanto correr porque haviam roubado um saco enorme de chicletes da casa de Ino, os mesmos chicletes que agora Shikamaru olhava.

Ria consigo mesmo olhando para aqueles dois que, apesar de muitos anos se passarem, apesar de já não se verem todos os dias, eram sempre eles, seus melhores amigos.

— Certo, agora vamos aonde? — Chouji perguntou olhando para Shikamaru que desviou seu olhar para os dois.

— Você ainda quer comer mais? — perguntou Ino.

— Vamos a outra churrascaria! — falou Chouji animado olhando para a amiga.

— Desculpa, tenho que ir. — disse Shikamaru com suas mãos no bolso, guardando o chiclete.

— Hã!? — Chouji se assustou, tinha certeza que aquela seria a noite dos amigos.

— Shikamaru, tem algo te incomodando? — perguntou Ino sem entender — Sua mente parece estar vagando.

...Os seus problemas são meus também

E isso eu faço por você e mais ninguém
O que eu quero é ver o seu bem...

— Não é nada. — Shikamaru riu com a preocupação de Ino e Chouji, mas sabia que estava sim escondendo algo de seus amigos. — Tenho que sair da vila para trabalhar, assuntos das Forças Aliadas.

— É para o mesmo lugar que a Temari e o Kankuro irão? — Chouji falou lembrando da última vez que havia falado com o menino da areia em suas últimas reuniões, em Konoha.

Ino olhou para Chouji e Shikamaru com um olhar malicioso e Chouji entendeu o que ela pensava.

—Então a Temari é mais importante que nós? — Ino pulou em cima de Shikamaru e lhe deu uma chave de braço. — Hum?…

— Aí! — Shikamaru grita, ele não esperava por aquilo. — Do que você está falando?

Chouji riu quando viu Ino batendo na cabeça de Shikamaru, já Shikamaru olhava para Chouji fazendo uma menção silenciosa para que o amigo o ajudasse.

— Nós sabemos muito bem que você está de olho na doida de Suna.

— Ino, se a Temari ouvir você falando isso dela… — falou Chouji olhando para todos os lados em procura da menina de Suna.

— Shikamaru acalma ela rapidinho. — disse Ino debochada.

— Não sei de onde você tira essas coisas, Ino. — Shikamaru falou se recompondo do ataque surpresa. — Preciso mesmo ir para a reunião.

— Tudo bem, tudo bem! — Ino cruzava os braços. — Só porque eu faria o mesmo pelo meu branquelo.

— Por quem? — Shikamaru e Chouji gritaram juntos enquanto Ino ria da cara dos dois.

— Até onde eu sei você estava ficando com o Kiba, não era? — falou Chouji com a mão no queixo. — Kiba não é branquelo.

— Ah! desisti do Kiba. — Ino falou e Shikamaru começou a rir. — Ah, é sério, Kiba é, como posso dizer… muito grudento.

— E quem é o da vez agora? — Shikamaru perguntou.

— O Sai de novo? — Chouji perguntou rindo como se já soubesse da queda da amiga pelo menino estranho.

— Eu estou atrasado, mas quero saber sobre esse novo amor aí, ou antigo, sei lá. — falou Shikamaru se despedindo dos amigos.

— Até mais, então. — disse Ino.

— Até! — Shikamaru acenou para os dois e foi embora.

Chouji começou a andar em direção a uma doceria ali pertinho. E Ino o acompanhou.

— Sim, o Sai! — falou suspirando. — O único problema é que ele é diferente, né?

— Diferente? — Perguntou Chouji atento mais nos doces que estava vendo do que em Ino.

— É, Sakura vive falando que ele não sabe como expressar seus sentimentos. — Ino fez uma pausa no assunto. — Quero uma desse também, por favor! — Escolheu seu sorvete assim como Chouji e sentaram em uma mesa.

— Isso é verdade, Sai não é fácil de entender, as vezes tenho medo daquele sorriso dele. — falou Chouji de boca cheia. — Mas, ele já te chamou de linda quando éramos mais novos, lembra?

— Claro que me lembro — Ino suspirou mais uma vez. — Será que tenho chances então? — perguntou animada.

— Bom, eu quando chamo uma mulher de linda, não estou mentindo. — falou Chouji com um grande sorriso no rosto.

— Então acha Karui linda mesmo? — perguntou Ino com seu olhar malicioso, agora para Chouji.

— Karui? — Chouji ficou envergonhado na mesma hora. — Bom, Karui e eu, bem…

— Que fofo! Você envergonhado, nunca pensei que fosse ver isso! — Ino sorriu e apoiou o rosto em uma de suas mãos encarando o amigo. — Pelo menos você é mais sincero que o Shikamaru.

— Mas, como sabe, eu nunca… nunca falei?

— Como sei o que? Como sei que gosta dela? — Chouji afirmou e Ino riu. — Ora, na última vez que Karui veio para Konoha você não parava de olhar para ela, não escutava nem o que eu ou Shikamaru dizia, só olhava para a bonitona de Kumogakure, faltou só babar.

— Era tão explícito assim?

— Uhum! — Ino afirmou e colocou mais do seu sorvete na boca. — E eu acho que ela estava feliz por isso!

— Como assim?! — os olhos de Chouji brilhavam como duas estrelas. — Ela falou algo?

— Sakura me disse que ela acha você incrível!

— Oh Ino, não me dê esperanças em vão! — Ino gargalhava enquanto Chouji tentava segurar o riso.

— Eu já menti para você? — Perguntou com os olhos cheios de lágrimas por rir tanto.

— Não, mas é que… Karui é demais pra mim!

— Você é demais, Chouji!

Às três palavras que eu proferi
Amigo estou aqui... 


*** 


Notas Finais:

Espero que tenham gostado <3


Link da música - https://www.youtube.com/watch?v=I8isgrpa7mc
Link do meu facebook - https://www.facebook.com/pudimgrid

June 5, 2018, 6:16 p.m. 4 Report Embed 2
The End

Meet the author

Grid Pudim PERFIL DESATIVADO ESTOU EM OUTRAS PLATAFORMAS COM O MESMO NOME!

Comment something

Post!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela. 1)Falta de vírgula em "isso todos nós já sabemos e estamos destinados" em vez de "isso todos nós já sabemos, e estamos destinados". Falta de vírgula em oração intercalada, como em "Ino-Shika-Cho era conhecido como o time que deu certo, a combinação de três clãs que combinando os jutsus faziam grandes coisas." em vez de "Ino-Shika-Cho era conhecido como o time que deu certo, a combinação de três clãs que, combinando os jutsus, faziam grandes coisas." Falta de vírgula em pronome relativo, como em "Chouji falou para Ino que agora ria" em vez de "Chouji falou para Ino, que agora ria". Falta de vírgula em vocativos, como em "E com você Ino?" em vez de "E com você, Ino?". Observar pontuação em "Mas, como sabe, eu nunca... nunca falei?" em vez de "Mas como sabe? Eu nunca... nunca falei." 2)Falta de acento em determinadas palavras, como em "pode ouvir" em vez de "pôde ouvir". 3)Aconselho reformular algumas frases para melhor compreensão, como em "Mas não tenho mais ninguém sob mim como mentor" em vez de algo como "Mas não tenho mais ninguém sob minha monitoria". Obs.: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, assim como ajudar-nos com a gramática e ortografia. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Eu fiquei encantada com sua história. Adoro esse time e a forma com que se relacionam, e acho que você expressou isso muito bem. Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
March 16, 2019, 11:35 a.m.
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Nossa, os personagens que você utilizou para representar essa música foram muito bem escolhidos! Ino-Shika-Cho se encaixam demais com Toy Story, porque eles têm uma amizade muito linda e são os que menos aparecem brigando ou se distanciando de forma geral. Foi interessante você pegar só um pedacinho da vida deles como adultos, algo corriqueiro mesmo, porque passou muito bem a ideia de uma amizade natural. Eles continuam melhores amigos mesmo que já não se vejam tanto quanto quando eram crianças (até porque agora são adultos) e veem aquela época com nostalgia e muito carinho. Isso é algo muito real, porque amizades fortes são assim mesmo. Vocês acabam não se falando todos os dias, a vida se intromete e impede que os encontros se mantenham cotidianos, mas os amigos de verdade estão sempre presentes. "Amigo estou aqui", como diz a música. Parabéns mesmo pela forma de usar a música, porque esse momento simples mostrou a força do laço deles melhor do que qualquer cena extravagante. Dica de escrita: cuidado com repetições. Em alguns momentos você usa as mesmas palavras muito perto uma da outra, o que acaba trancando um pouco a leitura. Exemplo: "- Com certeza a vida adulta é muito mais difícil. - disse Chouji com muito arroz na boca. - Ei! [...] - Chouji falou...". Nós já sabemos que foi o Chouji quem disse aquilo, não é preciso repetir. Obrigada por ter participado do desafio, a sua música se encaixou muitíssimo bem! Parabéns pela história e pelo desenvolvimento, existem muitos tipos de amor e o amor quase fraterno entre esses três é realmente lindo e você conseguiu mostrar isso muito bem aqui. <3
June 23, 2018, 11:25 a.m.
Daniela Machado Daniela Machado
O que eu posso dizer? Amei, amei, amei com todas as minhas forças, essa história me fez sentir uma penca de emoções diferentes em tão pouco tempo que eu ainda não consegui superar. Ficou incrível, parabéns pelo trabalho 😌 bjins ❤
June 16, 2018, 9:44 a.m.
Vany-chan 734 Vany-chan 734
Essa sensação de o tempo estar chegando e a gente se distanciando dos amigos é horrivel. Eu to nesse momento, então me identifiquei muito com o Shikamaru quando na verdade eu sou 100 a Ino! Nossa, ter 20 anos é horrivel, tenho amigos ainda morando com pais e amigos morando sozinhos, uns vao casar, outra engatam uma pesquisa, é uma loucura e nao poder acompanhar isso é triste. A arte imitando a realidade é um negocio incrivel
June 13, 2018, 7:12 p.m.
~