Como seu eu fosse te perder Follow story

aiki_shimizu Aiki Shimizu

O amor, um sentimento eterno, mas esta característica não garante que as condições não mudem. O amor transcende tempo e espaço, transforma tudo e todos, mas, justamente por ser um sentimento tão forte, lhe foi condicionada a capacidade de lidar com adversidades, distância física, questões em vida, separação com a morte. Para quem ama são pequenos detalhes, dolorosos às vezes, mas o amor é uma via que convence os seus discípulos que podem e devem segui-lo. A justiça e a verdade não escaparam de seu laço. O raio de sol encontrou seu lugar na noite escura. A Amazona e o Cavaleiro das Trevas firmaram sua parceria. Com dicotomias, questões, resistências, ainda assim o amor se apossou de seus corações.


Fanfiction Comics For over 18 only.

#romance #amor #Diana #batman #Bruce #Mulher-Maravilha #Wonderwoman #Wonderbat #JusticeLeague #LigadaJustiça #Batwonder
Short tale
0
5055 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Como se eu fosse te perder

―――――― Diana on ――――――


Meu pesadelo começou quando saíamos daquele teatro...


Bruce estava muito entusiasmado ao me levar para assistir uma das apresentações favoritas de sua mãe. Sempre era difícil para ele reviver algo que trazia à tona lembranças de seus pais. Mas, em meio ao compasso da construção de um relacionamento de cinco anos em que estamos juntos, algumas coisas mudaram consideravelmente. Vez ou outra ele compartilhava comigo momentos felizes que passara com seus pais, mencionava algumas de suas preferências e me levava a alguns lugares que eram especiais para o casal Thomas e Martha Wayne.

Esta noite era uma destas ocasiões ímpares.

Eu saí emocionada do concerto e Bruce implicava com minha sensibilidade extrema. Eu sabia que, apesar de disfarçar muito bem suas reações externas, interiormente ele também ficara comovido, talvez não tanto quanto eu, mas eu tive tempo de ver um brilho diferente em seus olhos quando o maestro regia a nona sinfonia de Beethoven.

De qualquer forma, não adiantava rebater as implicâncias do meu noivo, sim estamos noivos há alguns meses, em breve eu seria a senhora Wayne ou a Princesa de Gotham como é veiculado constantemente. No fim das contas, nenhum destes títulos me importavam, apenas bastava saber que o coração do homem que amo me pertencia.

Ao sair do teatro, me lembro de apontar para o céu, chamando a atenção de Bruce para contemplar a beleza da noite. O céu límpido e estrelado, a lua cheia e brilhante nos iluminando. Eu, como sempre, uma romântica notória, ele, um mestre em se mostrar indiferente. Mas eu sabia ler o seu olhar, suas íris sorriam para meu deslumbramento ingênuo com coisas tão simples.

Trocamos um beijo terno e apaixonado enquanto aguardávamos que o nosso carro chegasse. A noite estava perfeitamente calma, em meio aos nossos sussurros e sorrisos, apenas o som das vozes dos demais espectadores que saíam depois de nós era notado.

Teria sido uma noite perfeita, mas o destino foi cruel. Meu desespero começou quando minha audição apurada me atentou para um perigo eminente.

Em milésimos de segundos, o meu braço estava posicionado atrás da nuca de Bruce, o bracelete bloqueando uma bala que fazia caminho certeiro para sua cabeça. Mais tiros se seguiram repentinamente, vindos de um prédio alto na ala norte, graças a Hera nenhum projétil me escapou.

A multidão ao nosso redor se alarmou e se alvoroçou quando se deu conta do atentado que acontecia à nossa volta. Alguns corriam, outros se abaixavam tentando se proteger, enquanto isso novos tiros eram disparados provenientes de outras direções.

Eu queria proteger a todos, precisava proteger a todos, mas percebi que o alvo era um só: Bruce Wayne.

― Bruce, precisamos sair daqui. – Eu me lancei sobre ele, protegendo-o dos disparos.

― Você precisa tirar essas pessoas daqui, princesa. Eu consigo me proteger. Estão atrás de mim. Não vou me perdoar se alguém se ferir por minha causa. – O Batman estava ali, mesmo sem a armadura.

― No momento você não é o Batman, apenas Bruce Wayne. Eu não vou deixa-lo desprotegido. – Protestei, tentando inutilmente alçar voo com ele. Um projétil atingiu meu braço, me fazendo estremecer. Não era munição comum, a paralisia instantânea em meu braço provava isso.

― Quem está aqui sabe que eu sou o Batman, Diana. Eu não posso fugir desta luta. Tire as pessoas inocentes daqui. – Seu olhar era de ordem e súplica. O brilho que vi dentro deles fez meu coração parar, era uma chama que fulgurava ardentemente antes de se apagar.

Eu queria falar algo, queria defendê-lo, mas a percepção de uma bala, rumando ao peito de uma senhora a nossa frente, me fez reagir instintivamente e salva-la. Quando a coloquei em segurança voltei meus olhos à procura de Bruce. Eu não o avistei em um primeiro momento, apenas tornei a vê-lo quando ouvi um disparo e uma gargalhada estridente e desesperadora.

Isso não podia estar acontecendo. Não, não e não. O meu coração gritava e sangrava, enquanto meus punhos nocauteavam o palhaço psicopata e cerca de vinte comparsas que o acompanhavam.

Eu segurei meu Bruce ensanguentado nos braços. Ele abriu os olhos milimetricamente e se esforçou para dizer algo, mas eu o impedi. “Eu te amo, Bruce. Aguente firme.” Eu sussurrei enquanto éramos materializados na enfermaria da Torre da Liga. Eu vi uma lágrima escapar de seus olhos quando J’onn me indicou a maca em que deveria deita-lo. A perfuração do lado esquerdo do peito era preocupante, a quantidade de sangue perdida, o tipo de munição utilizada... Mas eu tinha fé, eu precisava ter fé.

Foram longos trinta minutos de espera. Clark estava ao meu lado, me abraçou forte quando ouviu a confirmação do que eu temia e me disse o que eu não queria ouvir. “Eu sinto muito, Diana.”

― Não! – Eu gritei, desesperada.


Me peguei sonhando

Em prata e ouro

Como numa cena de um filme

Que todo coração partido conhece

Nós andávamos à luz do luar

E você me puxou para mais perto

Segundos separados, então você desapareceu

E eu estava completamente sozinha


***


― Não! Não... – Eu gritei quando despertei. Me sentei na cama, ofegante e aliviada por ter sido um pesadelo.

Bruce estava aqui, do meu lado, me encarando com os olhos arregalados e assustados por me ver tão desesperada.


Acordei em lágrimas

Com você ao meu lado

Uma respiração de alívio

E eu percebi

Não, não nos é prometido o amanhã


― Diana, o que houve? Pensei que pesadelos fosse um luxo particular meu. – Ele tentou fazer uma piada, enquanto secava as minhas lágrimas que escorriam sinuosamente pela face. ― Quer me contar? – Ele me perguntou, quase suplicando, preocupado e inquieto.

Apenas balancei cabeça negativamente. Limpando o rosto superficialmente.

― Apenas me abrace. – Eu pedi, angustiada, tentando esboçar um sorriso de que tudo ia ficar bem.

― Mas, princesa... – Ele estava preste a insistir, mas eu supliquei.

― Por favor! – Mais lágrimas saltaram dos meus olhos e Bruce me encarou, compreensivo.

Bruce me puxou para os seus braços e eu mergulhei meu rosto em seu peito, como um ser indefeso que encontra um refúgio seguro. Ele acariciava meus cabelos e minhas costas, enquanto eu me concentrava nas batidas do seu coração, no seu cheiro embriagante, no seu calor envolvente.

Pelos deuses, como eu queria que esse homem fosse imortal. Me doía na alma saber que um dia iria perdê-lo, fosse pelo ciclo natural da vida ou por uma fatalidade qualquer dada a sua missão.

Eu sei que eu não podia viver me apegando a esta incerteza, a este temor. Me restava viver com ele um dia de cada vez, intensamente, apaixonadamente, como se fosse o último.

Por isso, eu vou sempre ama-lo, nos gestos simples do dia a dia, nos conflitos momentâneos, quando for sua amiga, sua esposa ou sua amante. Em todo o tempo, pois não é preciso esperar um dia ou uma data específica para amar, um status de relacionamento ou uma transformação, para amar só temos hoje e o amor faz todos os dias valerem à pena, tornando-os especiais.


Então, eu vou te amar

Como se eu fosse te perder

Vou te abraçar

Como se estivesse dizendo adeus

Aonde quer que a gente esteja

Vou te valorizar, pois nunca sabemos quando

Quando o nosso tempo vai esgotar, por isso vou te amar

Como se eu fosse te perder

Vou te amar como se fosse te perder


―――――― Bruce on ――――――


Nunca havia visto Diana tão frágil como agora. Eu não precisava que ela me dissesse a causa de seu pesadelo. Seu olhar de alívio ao me encarar me revelava que era eu o motivo do seu choro.

Eu me detestava por fazê-la sofrer, ainda que em pesadelo. Ela que só trouxe luz e graça para minha vida condenada. Tudo que eu queria era retribui de alguma forma o seu amor genuíno e avassalador. Mas eu ainda iria fazê-la sofrer.

Eu, um pobre mortal, com uma coleção considerável de inimigos, se tivesse sorte de escapar ileso de todo o fardo da minha missão, ainda assim não escaparia do destino certo de todo ser humano: a morte.

Nunca me importei em viver muitos anos, morrer em combate ou por uma fragilidade humana não fazia diferença... Até que deixei Diana entrar em minha vida. Eu a queria para sempre ao meu lado e não suportava a ideia de um dia partir e deixa-la chorando por minha causa.


Num piscar de olhos

Num suspiro de fumaça

Você pode perder tudo

A verdade é que você nunca sabe


Eu lutei, a afastei, fui estúpido, canalha e tudo mais que faria qualquer mulher no mundo me repudiar eternamente. Mas ela era teimosa. Ela não desistia e eu não conseguia ser indiferente. Eu perdi a batalha contra meus princípios de proteção a quem amo.

Afrodite abençoou generosamente esta linda mulher em meus braços, ela era um anjo de luz e de amor, sedutora e irresistível, forte e compreensiva. Eu demorei a admitir, mas meu coração dizia que ela era perfeita para mim. Minha redenção e rendição. Diana é a personificação do amor.

Ainda estou aprendendo a amar totalmente, de corpo e alma, mas meu coração já derrota minha razão com maestria. Se eu não posso evitar a separação carnal algum dia, ao menos darei a ela tudo de mim agora. É doloroso pensar no futuro, meu passado já pesa o suficiente, por isso tenho me apegado ao presente, ao que tenho agora, mesmo me sentido egoísta, mesmo temeroso, eu quero amá-la sem reservas.

Quando sinto que ela está mais calma, roço meus lábios sobre sua têmpora, atraindo gentilmente seu rosto para o meu campo de visão.

Me perco nos olhos azuis marejados, ainda que sob a fraca iluminação do quarto. Seus olhos são como um farol a me guiar.

Uma das minhas mãos contorna sua face, seca suas últimas lágrimas, enquanto a outra mão, perdida em seus cabelos negros, trazem-na para mais perto de mim, a milímetros do meu rosto, até poder beijar sua testa, seu queixo e capturar-lhe os lábios docemente. Um beijo saboreado, valsado, demorado. Uma transfusão completa de sentimentos.


Então, eu vou te beijar demoradamente, querida

Qualquer chance que eu tiver

Aproveitarei os minutos e vou amar sem arrependimentos


― Diana, me perdoe. – Eu sussurro, rente aos seus lábios, quando o ar falta.

― O quê? Por quê? – Ela me questiona, segurando meu rosto entre suas mãos. O olhar sedento e confuso a me encarar.

― Eu sei que sou a causa do seu pesadelo, princesa. Me perdoe por não estar à sua altura, por te fazer prever o sofrimento inevitável. – Eu tento me manter impassível, mas vejo refletido no olhar de Diana que minhas feições me traíram. A dor e a angústia reclamaram sua expressão.

Eu tento falar mais, mas o dedo de Diana sobre meus lábios me silencia.

― Nunca mais me peça perdão por me amar, por ter me deixado fazer parte da sua vida e por fazer parte da minha. Amor, Bruce, é a única coisa que não se perde, seja nesta vida ou na outra. Ainda que seja perturbadora a incerteza sobre o amanhã. O melhor já pulsa em nós e não nos pode ser tirado.


Então vamos aproveitar o nosso tempo

Para falar o que quisermos

Use o que nós temos

Antes que tudo isso acabe

Não, não nos é prometido o amanhã


Bela e sábia. A existência de Diana me faz contestar meu ateísmo. Somente alguém nos céus poderia me presentear com uma mulher tão incrível.

― Eu te amo, princesa. – Eu levo suas mãos aos lábios, beijando-as devotadamente.

― Eu também te amo, Bruce. E isso nos basta. – Seu sorriso se torna amplo, enquanto ela envolve meu pescoço com os braços e aproxima mais o seu corpo do meu.

Minhas mãos percorrem suas curvas sob o tecido fino da camisola de seda, simples toques que aquecem e eletrizam os nossos corpos.

Eu conhecia cada centímetro daquele corpo, cada textura, cada ponto sensível, mas, ainda assim, todas as vezes que podia toma-la em meus braços, que podia unir-me a ela completamente, era uma experiência nova, única, inesquecível.

Sinto Diana me devorar com os lábios e eu me deixo ser devorado. Minhas mãos se perdem na perfeição de suas curvas e até minha mente se rende ao calor que ela emana.

Sem pressa, mas valorizando cada toque, cada carícia, nos despimos. Nossos olhos se encontram por alguns instantes e as mais sinceras declarações de amor estão estampadas neles.

Nós temos nossos momentos quentes, nossos fetiches, mas o que temos de melhor é a entrega verdadeira e recíproca. A intensidade com que nos amamos, a maneira perfeita que nos encaixamos.

Eu a sinto arfar enquanto deslizo em seu interior. Nossos corações batendo em um mesmo descompasso. Nossos lábios se encontrando e saciando um ao outro com o sabor doce do desejo e do prazer.

― Eu te amo! – Nós sussurramos em uníssono e sorrimos em meio a um gemido de prazer.

Nossos corpos continuam sua dança, nossas mentes se desligam, até que a explosão da completude do prazer despeja em nós uma corrente elétrica de satisfação.

A separação de nossos corpos dura apenas um instante. Eu trago Diana para junto de mim, para se apoiar sob meu peito nu. Me delicio com o aroma de seus cabelos, enquanto sinto a ponta de seus dedos contornarem carinhosamente meu abdômen definido e marcado.

Nossos olhos se encontram mais uma vez e ambos queríamos que o tempo parasse ali. Mas isso não seria possível, como também não seria possível nada superar ou destruir o amor que nos uniu. Por isso neste olhar, recíproco, havia apenas uma promessa, um compromisso, por hoje, todos os dias de nossas vidas, nós vamos nos amar. Seja nas batalhas, nas brigas, na vida, na morte, na dor, na alegria, na cama ou em algum canto da batcaverna.

Diana me mostrou que ao se optar por amar não se perde nada, ao contrário, quando se perde a oportunidade de viver um amor verdadeiro, aí sim é que se perde tudo. O amor trouxe de novo um verdadeiro sentido à minha vida.

Nós nunca saberemos o dia que morte e vida ditarão a nossa distância física, mas sabemos que não será o suficiente para apagar as lembranças e nem para deixar lamentos. Todos os dias, nós vamos nos amar. Como se fôssemos perder um ao outro. Podemos brigar, teimar, falhar um com o outro, mas amor não vai faltar.


Eu vou te amar

Como se eu fosse te perder

Vou te abraçar

Como se estivesse dizendo adeus

Aonde quer que a gente esteja

Vou te valorizar, pois nunca sabemos quando

Quando o nosso tempo vai esgotar, por isso vou te amar

Como se eu fosse te perder

Vou te amar como se fosse te perder

*************************************************************************

Notas da autora:

A inspiração veio da música Like i'm gonna lose you (Meghan Treinor. ft. John Legend).
Espero que tenham curtido.
Em breve tem mais.
Até a próxima!
Link da música!
https://www.youtube.com/watch?v=2-MBfn8XjIU




May 22, 2018, 9:50 p.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~