Hurt Follow story

babylovers Babylovers

[Drama, Depressão, centric Jongin] Depressão não é frescura nem uma doença fácil de se lidar. JongIn sabia bem como era. Mas mostraria a si que valia a pena lutar contra para conseguir reaver sua felicidade. Esta tinha nome e sobrenome: Do KyungSoo.


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only. © Todos os Direitos Reservados.

#drama #exo #jongin #kyungsoo
3
4.9k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Pensei que iria durar para sempre.

Isso não aconteceu.

Éramos tão felizes… E do nada tudo desmoronou. A dor em meu peito é intensa. Minhas palavras ecoam em minha mente. Fico ali, parado, olhando para o nada, as lágrimas formando-se em meus olhos.

Aquela pessoa que tanto amei, escapando-me entre os dedos.

Sei que não será fácil. Mas o que poderei fazer se a culpa é minha?

Pude ver em seus olhos a dor de partir e me deixar. Abaixo minha cabeça e soluços involuntários saem entre meus lábios. Levo uma de minhas mãos ao meu peito, uma tentativa vã de conter a dor em meu coração.

Era impossível.

Gotas de chuva caíam sobre mim, e em meio àquela multidão desabo. Meus joelhos doem devido ao impacto, mas não me importo, pois a dor que sinto no peito é maior.

As pessoas me olhavam. Os olhares curiosos e julgadores pareciam perguntar-se “quem é este louco?”. Mas isso não me importava.

Tudo o que vinha em minha mente eram as palavras outrora ditas a mim.

¤~♡~¤

Estava difícil caminhar com todas as lágrimas que percorriam incessantemente por meu rosto. Além de minhas dores emocionais, havia a chuva se derramando sobre meu corpo em gotas grosseiras, que chegavam a arder contra a pele. E, novamente, aquilo não me importava. Tudo que precisava no momento era da minha cama. Essa que me lembrava de todas as noites que me deitei junto a Kyungsoo, junto àquele que acabara de partir. Aquele que me trazia felicidade diariamente com suas melodias. Simples melodias que saíam por seus lábios durante os dias que dormia em minha casa.

E tudo isso me doía antecipadamente, fazendo-me querer desistir de seguir o caminho até aquele apartamento que só me traria lembranças dolorosas.

Eu sei que a culpa foi minha.

É minha. Sempre será minha. Talvez um dia ele possa me perdoar, talvez um dia ele possa voltar para mim. Porém disso chego a duvidar. Mesmo que ele me ame o tanto que o amo.

Felicidade. O que é felicidade?

Segundo o dicionário do latim: Felicitate; Felicidade é: Qualidade ou estado de feliz, boa ventura, contentamento, bom êxito, sucesso, boa fortuna, sorte.

Para mim, a felicidade era Do Kyungsoo.

Sua simples presença, sua risada gostosa, seus gestos carinhosos, seu olhar admirado e determinado, seus abraços, suas manhas, dengos. Sua irritação.

Isso sim, era a minha felicidade.

E pelo simples fato da minha vida ser uma grande merda, o fato de eu ser um fracassado e inútil, ela se foi. Pode não ser grande coisa para os outros, mas para mim, é. E o simples fato de deixar minha felicidade ir, aquilo me destruía mais. O simples fato de deixar minha depressão sempre acabar com tudo.

“Ah, mas tudo não passa de frescura, Kim Jongin.”.

Era sempre o que todos diziam, até o dia que o conheci. Até o dia em que eu finalmente pude conhecer aquele que me trouxe a vida novamente.

Mas o que ocorreu para que isso acontecesse? Como chegou a isso? Por que ir ao ponto de sua felicidade escapar?

Esse são questionamentos que tenho de me lembrar todos os dias das respostas.

Desde o dia que o conheci… desde aquele dia ensolarado, em meio a uma pilha de livros onde o conheci, eu tentei lutar, mas sabe... Às vezes é difícil se manter firme. Uma hora ou outra você tem recaída. Meu problema era que eu sempre tinha as malditas recaídas.

Mas ele não sabia disso? Não sabia que você passava por isso? Ele não te apoiava ou tentava ajudar?

Mais perguntas que sempre tive respostas bem claras.

Tentava. Não só tentava como fazia. Mas eu, o escroto aqui, era o que sempre ferrava com tudo. E palavras maldosas sempre saíam por meus lábios, sempre via a mágoa em seus olhos, sempre via a dor que causava nele. E aquilo só me afetava mais, e me fazia afundar mais em meu próprio desespero, sempre me afundando cada vez mais no fim do poço.

Sabe? Eu até trabalho, ganho meu dinheirinho. Mas aquele inferno não ajudava em nada. A única coisa boa era quando eu estava com ele. Apenas com ele. Principalmente, quando eu não era desnecessário na vida.

Porém, sabia que um dia chegaria a seu limite. E chegou o dia que ele não aguentou mais. Esse dia foi um dos meus hoje.

Hoje.

O pior dia de toda a minha vida.

E mesmo fazendo o percurso da minha casa, mesmo não enxergando nada a minha frente. A minha mente sempre me diz: “Ei! Aproveita a oportunidade e desiste. Assim você estará fazendo um favor a si mesmo, à sociedade e principalmente, ao Kyungsoo.”.

Mas eu não quero mais isso. Eu não quero ser fraco. Não mais. Eu quero meu Kyungie de volta.

Quero meu amor de volta.

Quero minha felicidade de volta.

E pra isso preciso de ajuda.

Eu sempre tentei buscar ajuda só que é difícil. E eu nunca tenho forças; mesmo com o Kyungsoo me apoiando. E isso só me frustra mais. Por isso, digo que sou um inútil. Eu sei que sou… mas preciso mudar, não é? Se eu o quero de volta, preciso fazer algo.

Mesmo depois desse tempo todo, as lágrimas eram presente em meu rosto. A dor no meu peito era gritante.

Finalmente cheguei em casa. E mesmo todo ensopado jogo-me no sofá. Em meio àquela escuridão, soluços esganiçados saem por meus lábios e as lágrimas se intensificam.

E as lembranças me veem à tona…

~~♡~~

Era fim de tarde e finalmente estou em casa depois de um longo dia no trabalho. Foi mais um dia lutando contra minha mente.

O estresse exalava por meus poros. E tudo o que mais queria era meu aconchego em casa, e nos braços de meu namorado. Não morávamos juntos, mas sempre ficávamos juntos, fosse um período em minha casa ou na dele, achávamos melhor assim.

Ao finalmente entrar em casa, vejo Kyungsoo dormindo no sofá. Parecia tão fofo, ele ressonava tranquilo, com as bochechas levemente ressaltadas. Não consegui evitar em beijá-lo, foi um beijo suave nos lábios carnudinhos que eu tanto amava.

O cansaço era tanto que ao ficar observando-lhe, acabei dormindo ali mesmo.

~~♡~~

Era uma simples lembrança, mas era algo tão importante para mim, pois naquele momento vê-lo dormindo me trouxe uma paz e no final estraguei tudo aquilo.

Meu rosto estava banhado em lágrimas e ali mesmo adormeci. O peito apertado, em uma dor imensa, uma solidão verdadeira, que eu pensava estar acostumado em meio as minhas crises, mas de que um nada passava.

¤~♡~¤

Mais um dia sem você.

Apenas mais um dia depois que você me deixou.

Está sendo fácil? Não. Mas infelizmente é como tenho que viver.

Prometi que seria forte e que tentaria te reconquistar, mas não é tão fácil assim. Primeiro eu tenho que me consertar.

Sabe quando você está na merda? Pois é, era como me encontrava.

Meu corpo já magro tentava aguentar toda a dor que antes era apenas interna, e devido a fraqueza, se tornou externa. Mas sem você do meu lado é quase impossível manter-me forte. Com você ao menos tinha onde buscar forças para seguir.

Eu prometi que seria forte.

Eu vou conseguir!

Tenho que conseguir... Por mim, e principalmente, por você.

Quantos meses já se passaram? Eu digo. Seis. Seis meses sem você. Seis meses sem você do meu lado. Sem teu cheiro. Sem suas reclamações. Sem notícias suas. Nem sequer um único “Oi” ou “você ainda está vivo?”.

Nada.

Sair do meu quarto... Isso está se tornando quase impossível. Até licença do trabalho tive que pedir. Já se passaram dois meses de licença. Saio somente quando sou obrigado a fazer as consultas exigidas pelo trabalho para comprovar o meu estado incapaz de estar lá, aguentando tudo aquilo.

“Você se tornou um imprestável Jongin” Sussurrei para mim.

Estava me tornando um imprestável. E para que me tornaria alguém melhor, se o motivo de continuar não estava mais comigo?

Exagero? Talvez. Mas sabe? É difícil.

Sei que ficar falando “é difícil”, “é complicado” não vai adiantar de nada. Mas sou um completo covarde e tenho medo de enfrentar esse difícil.

¤~♡~¤

Eu estou definhando em meu quarto. Mais três meses sem você. Já me acostumei ficar sem você, mas isso não quer dizer que eu tenha deixado de te amar. Ah, isso creio que jamais acontecerá.

Hoje até senti ânimo de levantar da cama, senti vontade de me arrumar e sair de casa, mas não fiz. Não fiz porque não consigo.

Toda semana minha psicóloga ouve minhas lamentações por te perder, esse é o único dia em que saio, apenas por causa do trabalho, pois preciso dessa maldita comprovação da minha invalidez.

¤~♡~¤

Mais dois meses se passaram, quase um ano que tudo acabou, quase um ano em que me encontro nesse estado.

Mas não se engane.

Eu consigo ver melhoras em minha saúde. Não digo que seja grande coisa, mas ao menos consigo sair da cama, sair de casa, nem que seja só por dois minutos sem entrar em pânico por ter tanta gente ao meu redor, sem sentir falta de ar.

Você não sabe o que esses dois minutos significam pra mim. É um grande progresso, sem que eu tenha recaídas. Talvez assim possa até mesmo voltar a trabalhar!

Esses dias em uma das minha saídas de meros minutos, eu te vi.

Te vi sorrindo. Sorrindo enquanto caminhava com alguém, não sei quem. Não sei se essa pessoa é sua nova namorada, ou apenas amiga. Mas aquilo me fez entrar em desespero, e ter uma recaída onde acabei indo parar no hospital por ter tomado quase um frasco inteiro de remédios, se não fosse pela lembrança do seu sorriso talvez não teria conseguido pedir por alguma ajuda, e somente talvez eu não estivesse mais aqui. E apesar de há quase um mês ter regressado uns quinhentos passos pra minha recuperação, ter me trancado e não conseguir comer nada durante dias, estou aqui admirando seu sorriso de longe, mais uma vez.

Mais uma vez que te vejo na rua, te vejo sorrindo.

Dessa vez você está só. Minha vontade é de te chamar, mas apenas me calo e dou meia volta, caminho a passos largos e rápidos de volta para casa.

Um sorriso brotou em meus lábios por te ver bem. Te ver bem e ver seu sorriso, são as únicas coisas que me mantem firme para continuar a viver.

Me apeguei a isso pra continuar lutando. E espero um dia que eu possa estar bem de verdade, mesmo sem você comigo.

Sempre vou te amar e isso nunca mudará.

May 14, 2018, 2:34 p.m. 0 Report Embed 1
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~