A primeira noite de natal Follow story

aoneko_nactis Nactis Aoneko

Naruto está entediado com a rotina que construiu e até mesmo na noite de natal evita ter contato com sua família. Sem escolha, acaba indo pra casa e tem uma surpresa que o leva a repensar um pouco suas frustrações.


Fanfiction Anime/Manga All public. © Os personagens utilizados são prioridade do autor de Naruto, Masashi Kishimoto. Apenas o enredo foi feito por mim e sem nenhuma finalidade comercial. A arte da capa é da artista Snow124.

#naruto #sasuke #narusasu #sasunaru #angst #natal #boruto #família
Short tale
7
5126 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Um dia de Natal


Shikamaru entrou na sala cuidadosamente e se dirigiu ao Hokage naquela noite pela terceira vez pelo mesmo motivo.

— Sétimo, é noite de natal, podemos deixar essa papelada pra outra hora. Vamos indo?

Naruto deu um longo suspiro antes de desviar os olhos de seu notebook e encarar o amigo e conselheiro oficial.

―Pode ir na frente, Shikamaru. Já estou terminando essa parte aqui e vou em seguida 'ttebayo.

Shikamaru lançou-lhe um olhar de repreensão, mas sabia que não adiantava insistir. Já havia tido esse tipo de conversa vezes demais com Naruto para saber que seria tempo perdido.

―Tá certo, você que sabe, então. Só tenta não decepcionar mais seus filhos. E feliz natal. ― Ele pousou a mão brevemente no ombro de Naruto e virou-se em direção a porta.

―Feliz natal, Shika ― respondeu sem emoção e com os olhos novamente focados na tela à sua frente. Assim que o amigo deixou o local Naruto relaxou a postura e parou de escrever as palavras aleatórias que digitava pra fingir estar trabalhando na presença de Shikamaru. Porque estou fazendo isso? Perguntou-se. É noite de natal e eu estou aqui fugindo da minha família, quando passei a vida toda desejando ter alguém me esperando em casa. O que está havendo comigo?

Naruto esfregou os olhos para espantar o cansaço e passou a observar os retratos em cima de sua mesa, pousando o olhar sobre a fotografia com o time sete. Uma sensação de nostalgia e saudosismo de apossou de si e ele se pegou pensando em como eles estariam naquele momento. Sakura devia estar com Sarada, tentando se desdobrar pra provável ausência de Sasuke não estragar a noite da criança. Sasuke devia estar em uma situação ainda pior. Devia estar só e Naruto sabia o quanto ele detestava a solidão. Ele que sempre pôde ler os sentimentos que havia por trás de sua carranca de indiferença e de seu modo seco de agir. Teve tanto trabalho pra trazê-lo de volta, que imaginá-lo naquele momento observando as luzes coloridas dentro de lares com famílias reunidas em ambientes transbordando de amor, enquanto permanecia sozinho aconchegado em algum lugar escuro, doía-lhe tanto que chegava a desesperá-lo. Queria mais do que tudo estar com ele, fazer-lhe companhia.

Em uma tentativa de diminuir um pouco o aperto em seu coração, Naruto pegou o celular e discou o número de Sasuke.

O telefone que você ligou encontra-se desligado ou fora da área de cobertura. Por favor, tente mais tarde.” ― Ouviu uma voz robótica dizer. Deu outro suspiro e depositou o celular sobre a mesa. Desligado, como sempre.

Suspirou novamente e olhou para as horas marcadas na tela de seu notebook. 21:34, tinha que ir pra casa. O desgosto subiu-lhe à garganta, mas não tinha escolha, sua família já deveria estar na mesa o esperando para cear.

Caminhou lentamente até a residência que dividia com a ex-Hyuuga tentando entender o porquê de se sentir tão infeliz, principalmente quando pensava em seus antigos companheiros de time. Todos tinham seguidos os caminhos que queriam, Sakura finalmente pôde se casar com Sasuke e ser uma médica renomada; Naruto era o Hokage e tinha finalmente uma família; Sasuke teria finalmente um herdeiro de seu clã e já não havia mais desejo de ódio ou vingança em si… Não conseguia entender essa sensação de que estava tudo errado que morava em seu peito desde que nem se lembrava mais.

Assim que avistou sua casa ao longe foi reunindo coragem para encarar o papel que sua esposa e filhos precisariam que ele desempenhasse naquela noite. Girou a maçaneta da porta de entrada e tratou de colocar no rosto seu usual sorriso “Naruto”, mesmo que de mentira.

Estacou de surpresa ao entrar no local e encontrar todos seus amigos com suas respectivas famílias à mesa. Inclusive ele.

Observou por um momento o homem desconcertado escutando uma conversa qualquer de menina adolescente que Sarada lhe contava animada, reparando que seus cabelos estavam crescendo mais a cada vez que se viam e o quanto aquilo o deixava bonito. Sorriu sem perceber, esquecendo completamente a tensão que conturbava seus pensamentos um segundo antes de abrir a porta.

Quase caiu pra trás quando Himawari veio correndo em sua direção e se jogou em seu colo gritando para Boruto a plenos pulmões “Eu não disse que ele viria!?”. O garoto apenas lhe olhou com desgosto murmurando um “Demorou, velho.”

O barulho das crianças chamou a atenção dos convidados para sua presença. Ele se desculpou com seus familiares, acenou para os amigos e abraçou Sakura, depois Sarada, depois Sasuke.

― Obrigado por vir ― sussurrou no ouvido do melhor amigo, que apenas lhe deu um leve aceno em resposta.

Cearam todos, dividindo sorrisos e jogando todo tipo de conversa fora. A presença de Sai, Kakashi, Kiba, Lee, Chouji e Ino, fora Sakura e Sasuke, fazia Naruto se lembrar de como era antes e devolvia o brilho para seus olhos. As pessoas se juntaram na sala de estar de Naruto, ainda conversando e começando a trocar presentes após o jantar. As crianças corriam e se divertiam por toda a parte, enquanto os adultos matavam a saudade dos velhos tempos, onde os encontros de diversão eram mais frequentes.

Sasuke chamou Naruto para um canto afastado e pediu para ficarem um pouco do lado de fora da casa. O Uchiha acendeu um cigarro — tinha adquirido o vício depois da guerra — e sorriu para Naruto dizendo que esse era o primeiro natal que ele comemorava na vida.

― Minha família tinha hábitos diferentes, então esse é oficialmente o primeiro Natal que comemoro e quero te agradecer por me permitir vivenciar isso. Às vezes eu olhava as famílias reunidas nessa época do ano e sentia… bom, você sabe bem… ― Tragou profundamente o cigarro e manteve o olhar voltado para frente. Não gostava de falar sobre sentimentos e certamente não faria isso olhando nos olhos de Naruto.

Naruto sorriu de volta, um dos seus sorrisos verdadeiros e espontâneos tão raros naqueles tempos.

― Eu também quero te agradecer. Esse é o primeiro natal que eu passo com minha família completa. – Ele não precisava dizer em voz alta que se sentia assim porque Sasuke estava com ele, o contexto deixava a intenção subentendida.

Sasuke pegou um embrulho pequeno embrulho de dentro de suas vestes com um gesto meio acanhado e o entregou para o amigo.

― Ia te dar isso treze anos atrás, mas muita coisa aconteceu e eu acabei deixando pra lá. Não precisa usar em público, apenas prometa que vai guardar consigo.

Naruto abriu o embrulho surpreso e viu que eram dois colares discretos esculpidos em pedra com as formas do sol e da lua. Sasuke pegou o sol que estava na mão de Naruto.

― A ideia é que esse fique comigo.

Lágrimas encheram os olhos de Naruto e ele imediatamente colocou o colar com a lua em seu pescoço.

― Por que não me deu isso antes? ― questionou quase ofendido por Sasuke ter levado treze anos pra lhe entregar um presente tão bonito.

― Eu tinha outros planos além do colar. Quando fui te dar você me disse algo que tornou impossível as outras partes do que eu tinha para nós, então desisti. Pensei em me livrar do colar algumas vezes, mas assim como não consegui me desprender de você, as peças ficaram todos esses anos comigo. ― Tragou o restante de seu cigarro e descartou o filtro em um cinzeiro próximo.

Eles ficaram alguns instantes em silêncio até Naruto retomar o assunto.

― Céus, você ia me pedir em namoro. ― Não era uma pergunta, era uma constatação. Ambos sempre souberam o que sentiam um pelo outro e assim que Naruto colocou os olhos naqueles colares ele entendeu tudo.

― Ia ― apenas confirmou.

― Devia ter pedido. Eu teria aceitado. Ainda aceitaria se fizesse o pedido.

Sasuke olhou através da janela às suas costas para dentro da casa ponderando por um momento. Seu olhar recaiu em Sarada e Boruto, que discutiam sobre algo acaloradamente. Não dava pra ouvir o que eles diziam, mas pela forma intensa como gesticulavam dava pra ver que era uma discussão. Himawari parecia tentar apartá-los. Os demais garotos já estavam acostumados demais com a cena e não pareciam dar atenção. Não conseguiu impedir um pequeno sorriso de adornar seu rosto.

―Não, eu não devia ― concluiu ainda olhando para as crianças.

Naruto seguiu o olhar dele e percebeu que ele falava sobre os filhos que tiveram.

―Acha, então, que valeu a pena não ter vivido o amor que nós tínhamos por causa deles? ― Quis dizer “O amor que nós temos”, mas achou melhor manter um pouco das aparências até ali.

―E você não? ― Sasuke questionou.

Naruto apenas sorriu e assentiu olhando para as crianças. Olhando de perto não era assim tão ruim. Era natal e estava em família. Havia desejado isso desde sempre. Sua vida não era do jeito que sonhou, mas amava Boruto e Himawari de todo o seu coração e jamais poderia dizer que se arrependia de ser o pai deles. Até Hinata, que ele não amava, mas também não tinha o que reclamar. Ela era uma boa esposa, afinal. Olhou para Sasuke e decidiu que, ao menos naquela noite, não pensaria mais em Hinata. Aquele momento era dele e de Sasuke e não era justo com nenhum deles pensar nela ali.

― Sasuke ― chamou.

― Hun?

― Você me deu um presente e eu ainda não te dei nada.

― Não tem problema. Me sinto satisfeito por estar aqui com você.

― Mas eu quero te dar algo. Eu também guardei uma coisa pra você todos esses anos.

― Ah, é? ― Sasuke o olhou com interesse.

― Vem cá. ― Naruto trouxe Sasuke pra um canto ainda mais afastado pra saírem da frente da janela. ― Feche os olhos um instante.

Sasuke sorriu, confuso, e obedeceu. Escutou Naruto respirar fundo e sentiu quando as mãos dele gentilmente afastaram a franja que cobria a lateral esquerda de seu rosto, colocando a mecha de cabelo atrás de sua orelha e mantendo a mão segura em seu maxilar. Sabia o que ele faria e esperou.

Quando seus lábios enfim se tocaram foi como se algo além de seus corpos tivesse se unido. Não deveriam fazer isso, mas nada poderia soar mais certo.

O beijo foi breve, sem língua, apenas um carinhoso tocar de lábios. Quando Naruto se afastou, Sasuke enfim abriu os olhos e encontrou os daquele que o completava. Sorriram um para o outro e não precisaram dizer uma só palavra.

Depois de alguns instantes em silêncio, Naruto se pronunciou, mais pra tirá-los daquele transe do que por qualquer outro motivo.

― Feliz natal atrasado muitos anos, Teme.

― Feliz natal, Usuratonkachi.

Eles tomaram distância novamente aos poucos e retornaram para convidados e a festa, mas o fizeram um pouco mais leves e satisfeitos. As coisas podiam não ter saído como planejaram, mas não estava perdido. Aquele momento fez com que percebessem que a história deles não tinha um ponto final.

Eles tiveram rumos diferentes e formaram famílias, mas não se arrependiam, pois apesar de tudo sempre teriam um ao outro. E mesmo havendo um final, a história deles não havia acabado.

Jamais acabaria.

May 14, 2018, 12:24 a.m. 1 Report Embed 6
The End

Meet the author

Nactis Aoneko Chato; Transativista; Cosplayer; Artista; Ficwriter; Viciado em SasuNaru; Viciado em Promptis; Pai dos menininhos Prompto e Sasuke. Casado com Loki de Asgard.

Comment something

Post!
KL Kitsune Lyra
Olha nao sei se a intenção era um final feliz, mas To destruída vey, imagina um amor lindo desses sem poder ser vivido em sua intensidade total? Com filhos no meio, ter que lidar com separação ou ficar longe do ser amado, é foda vey, mas a fic foi toda linda, certeza que o Naru é ausente de casa por decepção mesmo, Sasuke e Naruto sempre serão o lar um do outro, Always and Forever <3
June 22, 2018, 3:27 p.m.
~