Baixinho Follow story

emily-christine8811 Emily C Souza

– Se é dessa forma, como você pode gostar de mim? Dei de ombros. – Não faço ideia. Fanfic feita para o desafio #vemprocrack do grupo Inkspired Brasil. Casal Hinata X Bakugou, crossover entre Boku no hero academia e Haikyuu


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#yaoi #bakugou #katsuki #hinata #haikyuu #bokunoheroacademia #crossover #vemprocrack #bokunohero #myheroacademy #hinataxbakugou #shouyou
Short tale
3
5266 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capitulo unico

Eu o conheço desde meus dez anos.

Mesmo em uma cidade grande como a nossa, era normal ver a mesma pessoa em várias situações diferentes. E eu me acostumei com os cabelos laranjas bagunçados. Os olhos também assumiam essa cor mais alaranjada quando o sol o iluminava.

Ah, como ele era lindo!

E eu, tolo, não soube me aproximar.

Quer dizer, eu fui criado por uma mulher muito forte e independente. Mas além das inúmeras qualidades, ela também tinha dois defeitos que eu infelizmente herdei: agressividade e impaciência.

Como isso não bastasse, eu ainda viciei em palavrões. Basicamente, a minha personalidade o irritava. Além disso, ele também morria de medo de mim. E ele nem precisava dizer! Era só eu me aproximar que ele se tremia todo e fugia de mim.

Passei cinco anos tentando me aproximar.

Caralho, que guri chato da porra! Por que merda ele não me deixava chegar perto? Sempre fugindo de mim, puta que pariu.

Que ele morra, disse a mim mesmo, cansado de toda aquela esquiva que ele fazia. E fiquei emburradinho até que o dia do nosso acampamento. Eu nem ia naquela bosta, mas a minha mãe me encheu o saco até que dissesse que iria.

E lá estava eu, com uma mala na mão e dando dedo pro idiota do Kageyama que exibia o Hinata ao seu lado por aí. Não, eles não namoram. São melhores amigos. Acontece que todo mundo quer ficar perto do laranjinha, e aquele merdinha se achava o máximo por ser o único que realmente esta sempre perto dele.

Resmungando, me sentei do lado do Deku no ônibus. Ele não estava contente porque tinha brigado com o namorado, Todoroki, que de birra sentou ao lado do Krishina, bem longe do esverdeado.

– Para de choramingar, seu merda. Não tô com paciência pros seus chiliques de mocinha traída não. – esbravejei.

– Ei, – uma voz irritada soou atrás de mim. – Não fale com o Deku assim!

Me virei praticamente rosnando, mas me calei assim que vi quem estava brigando comigo.

Hinata me olhava chateado. A boca em uma linha reta e o cenho franzido. Fiz uma careta e me voltei para frente. Esse ato, no entanto, não a gradou assim como pensei que seria.

– Peça desculpas agora, seu bruto! O Deku não esta bem e você ainda o perturba.

Bufei. Dois minutos depois senti um dedo pequeno cutucando meu ombro.

– Eu ainda não escutei nenhum ‘Deku me desculpe por ser grosso e mal-educado’. – resmunguei um não e afastei meu ombro.

Parece que o deixei determinado a me infernizar, pois no segundo seguinte ele estava de pé – era um anão, com os baços cruzados e batendo o pé no chão.

– Estou esperando Bakugou.

Revirei os olhos. Baixinho mimado.

– Deku me desculpe por ser um grosso e mal-educado. – praticamente ditei com a voz monótona e entediada.

Hinata, como sempre, não percebeu meu sarcasmo. Ele simplesmente sorriu feliz.

– Ora, não é que você pode ser racional? – e então se virou para o infeliz que estava sentado atrás de mim. – Viu, Kageyama?! Eu disse que ele não era só um cão raivoso.

O ruivo ignorou meu rosnado e deu um tapinha no meu braço. Ele olhou de forma significativa pro palerma do meu lado e o Deku levantou. Sem entender, observei ele sentando do lado do moreno azedo e Hinata sentando ao meu lado.

– O que faz aqui, perdedor?

Hinata não se importou com minha ofensa gratuita.

– Eu vou ser seu colega de acampamento.

Me virei totalmente para ele.

– Hein?

Hinata riu.

– Eu fui designado pela nossa sala em te adestrar. – Então ele gargalhou. – De nada.

O encarei com raiva.

– Que palhaçada é essa?

Passei um minuto olhando Hinata rir. Achei que ele ia morrer sufocado com o tanto que se engasgou enquanto gargalhava da minha cara. Eu juro que quis xingar ele e dar uns tapas na cara dele, mas acabei me perdendo no rosto corado. Percebi, com horror que queria beija-lo.

Quando dei por mim, Hinata me olhava com os olhos arregalados. Me afastei. Todos o ônibus nos olhava. Fiquei estranhamente envergonhado.

– Você não parava de rir... – falei vacilante. – ... achei que morreria sufocado.

Hinata ainda me olhava com os olhos arregalados. Parecia em choque.

– Ótima forma de o salvar, – Kageyama debochou. – Enfiando sua língua na boca dele.

Me levantei, e teria socado ele, se Sugawara não tivesse intervindo.

– Chega de briga, vocês dois. – bronqueou. Virei a cara e cruzei os braços, mas continuei parado. – Hinata, quer se sentar com o Daichi?

Lancei um olhar surpreso para o nosso senpai e depois um preocupado para o ruivo. Hinata estava olhando pela janela e apenas balançou a cabeça em negativa. Sugawara me olhou em represália e voltou para o seu lugar. Me sentei ao lado do baixinho e permaneci calado pelo resto do caminho.



Todos já haviam entrado e somente o ruivo e eu estávamos sentados na fogueira.

Nesses três dias de atividades e recreações, o clima tem estado estranho entre Hinata e eu. Toda vez que nos tocávamos por conta da gincana; onde éramos parceiros, ele se retraia e saia de perto. Trocávamos poucas palavras, apenas o necessário.

Me senti culpado. Apesar de não sermos tão amigos, costumávamos discutir e irritar um ao outro. Mesmo que não fosse o que eu queria, era melhor do que temos agora.

Fala sério! Aquele baixinho não ria a dois dias. Isso é preocupante.

Olhando para ele, eu podia ver sua mente divagando. Ele estava olhando para as estrelas. Como eu queria saber o que ele estava pensando.

– Por que você me beijou?

A voz dele estava suave, mas isso não impediu o susto que eu levei. Que merda de pergunta era aquela?

Hinata não me olhava, mas parecia esperar uma resposta. Pensei por um tempo em mentir, mas a merda eu já tinha feito. Vou meter o foda-se e falar logo a verdade.

– Porque eu gosto de você.

Hinata não transpareceu reação nenhuma. Fiquei preocupado, pensando em mil coisas para explicar aquela simples frase.

– Desde quando?

Engoli em seco.

– Desde que eu descobrir sentir atração por homens também.

Dessa vez ele assentiu. Os olhos alaranjados se voltaram para as pequenas mãos no seu colo. Hinata parecia nervoso; as mãos se remexendo inquietas.

– Não sei se posso te corresponder.

Eu o olhei confuso.

– Eu jamais esperei que você me correspondesse. – minha fala pareceu o surpreender, já que ele rapidamente me fitou. – Vamos ser realistas ne, baixinho. A gente nunca se fala e, quando esse milagre ocorre, é só uma troca de insultos.

Ele resmungou por conta do apelido que eu dei a ele.

– Se é dessa forma, como você pode gostar de mim?

Dei de ombros. – Não faço ideia.

Primeiro ele me encarou confuso, depois assentiu.

Ficamos em silêncio. Me levantei para ir dormir, mas uma súbita ideia me parou. Essa era a oportunidade, né? O que eu tinha a perder? Vou dar então o xeque-mate.

– Podemos tentar, não é? – Hinata não disse nada, ficou apenas me encarando. Pigarreei. – Quer dizer... – mexi as mãos, completamente sem jeito. – ... você gostou... cê sabe... do beijo...?

Hinata se espantou e coçou a bochecha. Virei o rosto corado.

– Eu... é, bom... eu a-acho... não, eu .... sim, eu a-acho.

– Responde direito, que droga! É uma pergunta simples, caralho.

Hinata fez uma careta.

– Eu gostei, seu grosso. Mas já tô me arrependendo de tá falando com você.

Bufei.

– Tá, foi mal. Cê sabe que sou impaciente.

O ruivo assentiu. Ficamos em silêncio.

– Então... – comecei, – ... topa tentar?

Ele encolheu os ombros.

– Tentar... o que?

Revirei os olhos, Hinata me olhou feio.

– Um relacionamento, baixinho burro.

Ele se levantou e bateu os pés.

– Não deveria, não se você for me tratar assim!

Levantei as mãos, me rendendo.

– Vou fazer o meu melhor.

Dessa vez, Hinata que revirou os olhos.

– Aham, sei.

April 30, 2018, 11:42 p.m. 9 Report Embed 6
The End

Meet the author

Emily C Souza Não posso dizer que sou tudo aquilo que escrevo, mas tudo aquilo que escrevo tem um pedacinho de mim

Comment something

Post!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela: 1)Falta de acento em certas palavras, como em "esta" em vez de "está"; "beija-lo" em vez de "beijá-lo". 2)Observar construção: "E fiquei emburradinho até que o dia do nosso acampamento" — esse "que" é desnecessário e anuncia uma continuação que não existe. Uso de tempo presente em uma narração predominantemente escrita no pretérito, como em "eles não namoram" em vez de "eles não namoravam"; "São melhores amigos" em vez de "Eram melhores amigos" e "Acontece que todo mundo quer ficar perto do" em vez de "Acontecia que todo mundo queria ficar perto do". Na narração há o uso de pronome "a" e "o" usado para o personagem Hinata. 3)Falta de vírgula em orações explicativas, como em "Ele não estava contente porque tinha brigado" em vez de "Ele não estava contente, porque tinha brigado". Falta de vírgula em vocativos, como em "Deku me desculpe" em vez de "Deku, me desculpe". Os erros acima são apenas exemplos, há alguns outros de natureza similar. Aconselho que procure por um beta reader; é sempre muito bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que podemos melhorar e no que acertamos, assim como ajudar-nos com a gramática e ortografia. Caso se interesse, esse serviço também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Quanto à história, devo dizer que a achei muito cativante e fofa. Gostei da personalidade dos personagens e também da forma como interagem. Ah... E esses dois! Haha! Parabéns!
Feb. 26, 2019, 10:15 a.m.
Celi Luna Celi Luna
Aaaai q ship engraçadinhooo kkkk ainda mais pq o Hinata e o Deku são as mesmas pessoas en universos diferentes e é engraçado ver como o kacchan ta na mão dele hsuhsua admito q é difícil não ver meu kagehina mas eu gostei mto desse cross Achei q o final ficou meio aberto, poderia ter fechado um pouco mais, mas curti bastabre parabens 😘
May 10, 2018, 2:25 p.m.
Alice Alamo Alice Alamo
Oii! Tudo bom? Então, primeiramente, antes de tudo, parabéns por ter participado do desafio! Você ainda postou três histórias, então parabéns mesmo!! Eu gosto muito dos dois animes que você usou, e o Bakugou é a minha criança protegida, sabe? Então, bora falar da história! Eu achei um clima bem fofo, algo que você consegue ler numa boa sem preocupações e que você termina com aquele sentimento de "ount". Gostei que você narrou em primeira pessoa e fez o Bakugou admitir os próprios defeitos, tem isso no mangá/anime e eu gosto bastante porque os palavrões, os gritos, o temperamento, são características muito importantes nele. Aliás, eu gostei de como você fez ele notar isso, ainda fazer, mas tentar se policiar por causa do Hinata. Teve alguns errinhos na história, mas nada que comprometesse a qualidade do plot, vou só colocar aqui para você depois poder achar mais fácil se for corrigir ;) Teve uma hora em que você escreveu "não a agradou" se referindo ao Hinata, quando seria "o". Na parte da conversa final entre o Bekugou e o Hinata há um errinho de formatação e a fala "Não faço ideia" tá junto do texto. Tem duas coisas no texto que acho que você precisa dar uma olhadinha, nada que uma revisão sua mesma não conserte, mas é o uso da cor do cabelo para se referir aos personagens (esverdeado, laranjinha, etc) em vez dos pronomes e dos nomes, que não é um erro, mas tira um pouco da história porque, quando você vai contar algo para alguém pessoalmente, você não falaria da Camy, por exemplo, como "a loira", certo? E a outra coisa que notei foi a confusão de tempo verbal; nessa fic você usou tanto presente como passado na narrativa, e isso sim configura um erro (de novo, nada que uma lida sua não ajuste, ok?). Em síntese, gostei muito da fic, ela ficou muito fofa! Parabéns por ter participado do desafio e por ter juntado meus dois animes do coração hahaha
May 5, 2018, 1:59 p.m.

  • Emily C Souza Emily C Souza
    Olá Alice. Quase que você me mata do coração Alice. To emocionada de mais!!! Eu vou dar uma relida pra corrigir esses errinhos. A May 6, 2018, 9:53 p.m.
  • Emily C Souza Emily C Souza
    Ignora o pedaço de texto que foi sem querer hahahaahahah enfim, recapitulando: Olá Alice. Quase que você me mata do coração Alice. To emocionada de mais!!! Eu vou dar uma relida pra corrigir esses errinhos. A verdade é que eu não revisei, pq se eu demorasse um pouco sequer pra publicar eu ia desistir. Fazer crack com duas pessoas que nunca nem se viram me fez insegura. Mas fico feliz pelo feedback positivo. Essa questão de espaço tempo eu vou revisar. E de nada por misturar esses dois kkkkkkk acho que tava todo mundo querendo um crossover de BnH e Haikyuu. Obrigada pelo carinho. Beijocas May 6, 2018, 9:55 p.m.
Isis Isis
isso foi estranhamente fofo kkkk pra lidar com o Bakugou tem mesmo que ser alguém tipo o Hinata, que mesmo que se assuste não foge da raia. eu gostei muito que o Hinata não correspondesse o Bakugou de cara, mas estivesse disposto a dar uma chance. ficou uma graça <3
May 4, 2018, 4:05 a.m.

  • Emily C Souza Emily C Souza
    eu nem sei o que deu em mim pra juntar esses dois kkkkkkkkkk e to surpresa por vcs terem gostado, mas tbm fico muito feliz! Isis, ter vc comentando em fic minha me faz tão agradecida. Espero ver você mais vezes por aqui. Obriga e beijocas May 6, 2018, 9:48 p.m.
Bárbara Maria Bárbara Maria
O BERRO QUE EU DEI KSJSJSAKAJS Kazinho a própria cria de Dercy Gonçalvez, amei ver meus dois bolinhos juntos em uma fic <3
May 1, 2018, 7:38 p.m.

  • Emily C Souza Emily C Souza
    Olha, eu achei que isso aqui nem ia da em nada kkkkkkkkk eu nem sei o que eu fumei pra escrever essa fic kkkkkkk maaaas, que bomque vc gostou, fico muito feliz mesmo. Continue comentando e venha conhecer minhas outras fics <3 May 6, 2018, 9:48 p.m.
~