Em Sua Mente Follow story

crytter Crytter

Harry acabou desenvolvendo alucinações com o fim da guerra. Viver em um hospital não é onde o herói do mundo bruxo deveria viver.


Fanfiction Books Not for children under 13. © Os personagens pertencem a J. K. Rowling.

#drama #yaoi #bl #shonen-ai #ficção #ua #harrypotter #UAHarryPotter #drarry #ficção-adolescente #Draco-Harry #DracoMalfoy
10
5198 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Um.

- Então Harry, como foi essa semana? - Perguntou a medibruxa de longos cabelos loiros e com um sorriso gentil.

- Acho que bem. - Respondeu Harry, com um sorriso doce como sempre havia no rosto do menino.

- Tem algo que deseja me contar? - A mulher questionou. - Ninguém veio falar com você?

- Tom apareceu, mas eu me recusei falar com ele. - Harry começou a contar. - Ele ficou resmungando sobre como eu não deveria ter machucado ele, que ele estava magoado pelas coisas que eu fiz, mas eu ignorei ele. - Harry disse com um olhar vitorioso.

- Mais alguém além de Tom? - A medibruxa continuou a questionar.

- Bem… - Harry pensou longe, e um sorriso triste se fez em seus lábios. - Severus veio me ver também, ele queria saber como eu estava, disse que fazia tempo que não tomávamos um chá juntos.

- E você tomaram um chá junto? - A mulher questionou com um olhar sério.

- Eu não tinha chá para oferecer. - Harry disse triste, ele queria ter oferecido o mínimo para seu professor. - Ele apenas ficou sentado onde você está e nós conversamos.

- E sobre o que vocês conversaram? - A mulher perguntou curiosa.

- Severus me disse que eu não podia viver o resto da minha vida aqui. - Harry disse triste, entrelaçando os dedos. - Disse que ele não cuidou de mim por tanto para eu ficar num hospital. - Os olhos verdes começaram a se encher de lágrimas. - Eu tentei me desculpar por ele. Eu tentei dizer a ele que estou fazendo o meu melhor. - O moreno disse em voz baixa encarando os dedos.

- E por que você não pode sair Harry? - A mulher questionou, ela precisava que Harry visse seus próprios problemas.

- Porque eu continuo vendo todos eles… - Uma lágrima escorreu pela bochecha do moreno e caiu em suas mãos.

- Eles quem? - A medibruxa continuou a questionar.

- Tom, Severus, Dumbledore, Sirius… - Harry disse sentindo outra lágrima quente tocar em sua mão.

- E porque você não deveria estar vendo eles? - A loira perguntou.

- Porque todos estão mortos. - As lágrimas escorreram com mais intensidade do rosto do moreno. - E mesmo com o tratamento eu ainda vejo eles!

- É algo demorado Harry. - A mulher começou a falar. - Eu já te expliquei isso, não é da noite para o dia que você vai parar de vê-los.

- E se eu nunca parar de vê-los? E se eu continuar?! Vou passar o resto da minha vida nesse quarto de hospital?! - Harry gritou em fúria e tristeza. - Pode ser o quarto de hospital mais luxuoso do mundo! Mas isso não é uma vida!

- Harry, você sabe que não é seguro para você sair. - A mulher explicou.

- Então pelo menos me deixe ir para casa. - Harry pediu choroso, ele odiava o hospital, odiava a quantidade de exames que ele era submetido.

- E quem vai cuidar de você? - A loira questionou, ela não podia simplesmente liberar o jovem. - Quem vai impedir que você se machuque?

Harry não deu uma resposta, ele apenas ficou em silêncio. Ele não queria causar problemas para ninguém. Muitas pessoas já o visitavam com frequência, Hermione, Ron, ou melhor toda a família Weasley que ainda estava viva, Luna, Neville, entre outras pessoas que às vezes iam visitar Harry.

- Você não quer atrapalhar a vida de ninguém. - A mulher explicou para Harry. - Mas existe uma pessoa que disse que cuidaria de você, que disse que te traria ao hospital toda semana para suas consultas.

- Eu não quero atrapalhar a vida de ninguém. - Harry disse ainda olhando para suas mãos entrelaçadas.

- Eu vou deixar ele falar com você. - A medibruxa falou. - Ele já assinou todos os termos de responsabilidade, agora depende de você querer ir com ele ou não, já que ele não é um parente seu.

A mulher deixou a sala e a porta se fechou, deixando um Harry triste e choroso. Não muitos minutos depois a porta se abriu outra vez, e uma imagem muito conhecida por Harry apareceu.

- Draco. - Disse o moreno com um sorriso.

- Oi. - O loiro se sentou na cama do moreno e começou a acariciar o rosto dele. - Ela te contou?

- Eu não posso Draco. - Uma lágrima escorreu pelo rosto do moreno.

- Porque não? - O maior perguntou chateado, ele nunca realmente havia falado sobre essa possibilidade com Harry.

- Você tem uma vida inteira. - Harry se pegou querendo mais daquele carinho aconchegante. - Eu não posso te obrigar a cuidar de mim, a me impedir de me machucar.

- Por mais que eu não esteja em Azkaban, eu ainda estou preso pela sociedade Harry. - O loiro explicou, com um olhar triste.

- O que você quer dizer? - Harry perguntou confuso. - Achei que meu testemunho havia resolvido os problemas seus e da sua mãe.

- Sim, resolveu as questões legais. - O loiro disse. - Mas não é seguro para nenhum de nós dois sairmos andando por aí, além de alguns comensais que não foram capturados, há pessoas que não entendem o nosso lado, não entendem que nem eu nem ela tivemos escolha.

- E você quer que eu vá para sua casa para que o mundo bruxo saiba que você está cuidando do herói do mundo bruxo? - Harry perguntou irritado se desvencilhando dos toques de Draco. - Você sabe que eu tenho alucinações, certo? Eu não fiquei burro!

- Harry, não! - Draco disse em desespero. - Eu quero cuidar de você, por tudo o que você fez por mim, e também porque cuidar de você me distrairia de todos os pensamentos e problemas que o fim da guerra trouxe.

- Não é para tentar restabelecer o status social da grande família Malfoy? - Harry questionou ironicamente.

- Claro que não. - Draco disse com um sorriso. - Eu quero cuidar de você, ter certeza que você está vivendo bem e sendo mimado como você merece ser.

- Você sabe que eu tenho alucinações diariamente? Que eu as vezes duelo contra essas alucinações? Que eu tenho machucados psicológicos que aparecem no meu corpo? Que eu acordo de noite com pesadelos sobre a morte de todos os que eu vi morrer na minha frente? Que eu… - Draco colocou a mão na boca de Harry.

- Eu sei de cada um dos seus problemas, e como eu devo lidar com cada situação. - Draco disse com um sorriso calmo. - E sei também que mesmo com todo o tratamento talvez você nunca se recupere.

- E mesmo assim você…

- E mesmo assim eu quero cuidar de você. - O loiro disse. - Porque mesmo que eu cuide de você a vida inteira, eu nunca vou sentir que te retribui o suficiente.

- Eu disse que você não tem nenhuma dívida comigo. - Harry ressaltou a informação.

- Saber que não tenho uma dívida e não ter o sentimento de dever a você são coisas diferentes. - Draco disse.

- Eu não quero que você faça isso apenas porque acha que tem uma dívida que não existe, Draco. - Harry disse chateado, o moreno olhou para a cadeira ao lado da cama e viu Severus sentado ali. - Para de me dizer o que fazer Severus! - Harry gritou.

- O que ele te disse? - Draco perguntou curioso com o que a mente de Harry poderia produzir.

- Que o amado afilhado dele cuidaria muito bem de mim, e que seria um lugar melhor do que esse hospital. - Harry disse irritado.

- Eu acho que devo concordar com a sua alucinação. - Draco disse com um riso.

- Só me prometa uma coisa. - Harry disse como se estivesse se agarrando a sua última esperança.

- Sim? - O loiro olhou para os olhos verdes brilhosos.

- Se em algum momento notar que eu sou um fardo em sua vida, por favor, me mande de volta para o hospital, eu não quero ser um fardo na vida de ninguém. - Os olhos verdes estavam marejados.

- Se um dia isso acontecer. - Draco disse se aproximando do rosto de Harry. - Quem vai precisar de um psiquiatra sou eu.

O loiro deu um beijo doce na testa do moreno, e um sorriso estava nos lábios dos dois. Seria um caminho longo e complicado, cheio de dificuldades. Mas os dois sentiam que poderia fazer isso juntos, que poderiam encontrar felicidade no meio de todos os problemas que a vida lhes deu.

April 23, 2018, 4:39 p.m. 2 Report Embed 12
The End

Meet the author

Crytter Escritora de Fanfics Yaoi, Universitária.

Comment something

Post!
bi nogueira bi nogueira
Ai que lindosssssss ❤️ Eu achei que o Draco era uma alucinação, já ia começar a chorar kkkkk Eu amei muito esse final 💓
April 23, 2018, 2:04 p.m.

  • Crytter Crytter
    Obrigada <3 Seria maldade de mais se Draco fosse uma alucinação! April 23, 2018, 3:29 p.m.
~