Indício Teu Follow story

xhasashi Hasashi Rafaela

''Eu, que sempre me julguei livre...queria voltar a ficar presa entre seus braços. Nem que fosse pela última vez.''


Fanfiction Anime/Manga All public.

#AsuKure #naruto #naminhamesafns #fns
2
4.8k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo único

Ainda me lembro dos nossos primeiros encontros (que não eram necessariamente românticos), das discussões sobre relacionamento e como idealizávamos algo ideal, ou pelo menos, como gostaríamos que fosse.

Tive meus casos, você os seus e de alguma forma voltávamos sempre ao mesmo ponto: Nós dois, sentados naquele restaurante bebendo saquê, falando de nossas missões e de onde havíamos errado novamente.

E eu admirava a maneira como sorria, esse seu jeito tão dado a cafajeste mesmo que soubesse que não era. E eu te conhecia bem nas entrelinhas da sua personalidade, do que gostava e esperava; sabia de todos seus planos, ideias, preocupações como sensei e desabafos sobre o time 10.

E foi então, naquela noite chuvosa pós uma missão que as coisas passariam a ficar um pouco diferentes.

Tudo havia dado errado, não conseguimos informação nenhuma e ainda tivemos que voltar naquele temporal horrível sem podermos parar. E nós ríamos da nossa própria desgraça por termos subestimado o clima nada agradável que já havia se formado desde muito cedo.

Paramos em baixo de uma árvore para descansar. E conversamos, de todo aquele dia problemático e eu te admirei...daquele jeito, tão verdadeiro e transparente. Como nunca tinha visto.

De perto admirei suas expressões, pude olhar para cada detalhe de sua boca tão próxima que acabei perdendo quase o dom da fala. A sua barba que sempre achei bonita e até o cheiro do seu perfume que se misturava com o cigarro.

E nós ríamos de nossa própria desgraça naquele momento. E então, senti sua mão me puxando para mais perto em um abraço terno que fiquei sem entender as razões daquilo, porém, não tive forças para sair dali.

“Está frio e chovendo, fique perto de mim para se aquecer”.

E eu fiquei mais do que gostaria com a cabeça em seu peito pensando que talvez, só por algum momento, nós poderíamos dar certo. Por tudo em comum que compartilhávamos. Ali me senti em casa, em seu corpo misteriosamente quente mesmo com a chuva gelada daquele dia.

O entendimento caiu sobre mim, assim como a água caia do céu e molhava minha roupa levando toda e quaisquer dúvidas que vinham enchendo minha cabeça nos últimos dias a seu respeito.

Voltamos para a vila rindo, ensopados e abraçados; por alguma razão você achou que seria boa ideia continuar daquela forma e eu não poderia ficar mais feliz por isso. Me deixou em frente à minha casa, deu um beijo em minha testa e foi embora.

Naquela noite tive que lidar com muita coisa além de um resfriado, minhas constantes aflições por saber que a pessoa que considero um melhor amigo passou a ter um significado a mais. E ali me senti realmente ridícula por nunca ter considerado a hipótese ou pensado que pode ser que nós combinamos.

A tempestade ainda caia do lado de fora, eu olhava pela janela depois de um banho quente, um chá e uma roupa confortável. Já haviam passado pelo menos duas horas e não conseguia pregar meus olhos, de jeito algum. Mesmo com o cansaço evidente.

Ouvi uma batida em minha porta, abri e você estava ali. É, Asuma... definitivamente não cansava de me surpreender, nem se quer por um segundo.

E foi ali que compreendi que o seu olhar acabava valendo mais que mil palavras, principalmente sua ação.

Eu não me importei se estava molhado e muito menos me deixar da mesma forma quando enlaçou minha cintura e me beijou. Suas mãos, seu perfume misturado com cigarro, a barba roçando em minha pele, nossas roupas sendo tiradas ali mesmo.

Sem precisar proferir uma palavra se quer. Não era necessário. Nunca foi.

Nunca havia me sentindo tão entorpecida por algo ou alguém. Ali as conversas naquela mesa, o riso que compartilhávamos trocando experiências que deram errado fizeram sentido.

Era você então...sempre foi.

Dali em diante, me senti livre.

Você me deixava livre para ir por saber que ao final, sempre voltaria para seus braços; assim como eu nunca precisei te prender para saber que uma hora ou outra, estaria comigo novamente.

Entretanto, naquele dia você não voltou para mim.

Ali eu compreendi quando me dizia que talvez em algum momento poderia não retornar, e nós acabávamos brigando por isso...porque sempre interpretei da forma errada.

Não era mulheres ou um amor se acabando, nós éramos ninjas. Uma missão que poderia ser a última, estar no lugar errado ou na hora errada...e foi esse o nosso destino. Aquela batalha, o seu sacrifício.

Já fazem tantos anos, querido...e eu ainda procuro um indício teu. No colete que infelizmente foi perdendo o seu perfume ou no cigarro que passei a fumar ocasionalmente tentando suprir um pouco da saudade que habita em meu peito.

De fato, você sempre me deu liberdade para ser livre, mas dessa vez...gostaria de voltar para seus braços.

Nem que fosse pela última vez.


Por mais que eu tente esquecer, memórias vem me enlouquecer...

minha sentença é você.

April 23, 2018, 3:27 a.m. 1 Report Embed 3
The End

Meet the author

Hasashi Rafaela Faço estágio de Scorpion nas horas vagas, principalmente quando Plano Terreno precisa de salvação. Tenho sangue Uzumaki e dou aula de como lidar com Senju Cretino, interessados chamar no probleminha. Apaixonada por Mortal Kombat e a mama da igreja HashiMito.

Comment something

Post!
brener Silva brener Silva
eu tô chorando aqui sua arombada, exatamente 2:47 da madrugada e eu chorando por causa dessa fic, tá incrível Rafa
April 22, 2018, 11:52 p.m.
~