Com você Follow story

larivalk Larivalk .

Foi ali naquele lugar escuro, que Izuku encontrou todas os motivos para continuar a caminhar.


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#bnha #deku #Nomu #bokunoheroacademia #Izuku-Midoriya #Nomu-Deku
Short tale
4
5361 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

O fim

Midoriya sempre fora alguém um tanto solitário. Devido a sua condição, tudo o ajudou a fazer com que se tornasse uma criança sozinha. Em virtude do fato de que não possuía nenhum tipo de individualidade, em um mundo onde todos possuíam um dom, fez com que sua vida mudasse de um jeito péssimo.

Seus amigos lhe deram as costas e o abandonaram aos poucos, afinal, ninguém queria ficar com alguém fracassado como ele, então faziam brincadeiras de mal gosto e questão de jogar todos os dias em sua cara, o quanto o mesmo era inútil para aquela sociedade.

Midoriya sonhava em ser herói assim como todos os outros, mas ficava tão desmotivado e pra baixo quando seus colegas de classe e até mesmo professores mostravam que aquele futuro era impossível para si, que não tinha como não se abalar com tudo aquilo.

Às vezes sentia que sua existência não era importante e que caso sumisse ninguém se importaria. Aquilo o estava machucando tanto que nem conseguia ao menos seguir adiante. Chorava quase todas as noites, com medo de seus pensamentos — e como era influenciado pelas palavras dos outros, nunca havia feito nada além de sonhar —.

Sempre pegava o caminho mais longo para chegar em sua casa, pois não queria dar mais trabalho para sua mãe ou deixá-la preocupada com seus problemas. Então pegava o maior para que pudesse chorar e tentar, de alguma forma, limpar sua alma. Estava tão preso em seus pensamentos perturbadores que nem ao menos notou alguém próximo de si.

Dizer que não havia se assustado com aquela coisa a sua frente, seria mentira. Deu um pulo a ponto de acabar tropeçando em seus próprios pés enquanto encarava a criatura misteriosa a sua frente. Pra falar a verdade nem sabia onde estava, estava andando olhando para baixo, aos prantos, que nem ao menos notou o caminho que pegara.

Não sabia o que era, só que era assustador de certa forma, aquela criatura negra enorme na qual possuía um cérebro exposto. Percebeu presas grandes que ficavam pra fora da boca e a falta de olhos, o mesmo parecia ter mãos humanas mesmo que enormes, usava uma bermuda rasgada e seus pés estavam descalços, possuía alguns machucados em seu corpo e também respirar com dificuldade.

Queria gritar e sair correndo, chamar a policia e falar que um monstro estava a solta, só que por algum motivo seu corpo não se movia. Ele simplesmente ficou lá, sentado e chorando, encarando a criatura que assim como ele, parecia não se importar com nada, só estava ali jogada, como se tivesse sido descartada por alguém.

Aquilo de alguma forma atingiu o esverdeado, seria aquela coisa alguém como si? Um inútil sem valor, que havia sido descartado por não ter utilidade alguma?Não sabia ao certo de onde havia saído sua bravura ou até mesmo quando suas pernas, que tremiam tanto, haviam parado a ponto dele conseguir se aproximar.

Tocou o corpo grande, mais precisamente no joelho, vendo a criatura levantar o rosto e provavelmente lhe encarar; mesmo sem a presença de olhos, Midoriya pareceu notar que aquela coisa estava sentindo o mesmo que ele vinha guardando a um tempo. Era como se ele se enxergasse, alguém que já não se importa e não via mais esperança em sua vida patética.

— Olá? — O menor falou com uma voz um tanto trêmula, limpando os últimos vestígios de lágrimas de seus belos olhos esverdeados — Você também é um rejeitado?

A criatura nada disse, apenas olhou para sua direção sem esboçar qualquer sentimento. Aquilo, de algum jeito, era bom.Mesmo pela falta de palavras o silêncio, trazia paz ao pequeno de sardas. Não sabia quanto tempo havia passado ali, com aquela criatura misteriosa, só percebera mesmo quando sua mãe o ligou, perguntando onde estava.

Depois daquele dia, Midoriya sempre passava no lugar afim de ver a criatura — por sorte ninguém passava pelo local, já que era um tanto suspeito e perigoso —. No fundo, Izuku o utilizava a fim de causar algum tipo de fatalidade, sem que ele precisasse fazer por si só.

Aos poucos a criatura foi se soltando e se aproximando, ela não conseguia dizer, mas o menor parecia entender perfeitamente o que a criatura queria fazer. Era estranho pensar que havia se tornado amigo da mesma, que agora se sentia melhor com sua companhia, contudo, era o quê sentia.

Midoriya agora já não se importava tanto com os comentários maldosos, ele só conseguia se perguntar como a criatura estava e o que estava fazendo enquanto a esperava. Seus dias se resumiam em ir até o local. Até quando não tinha aula, ficava o dia do lado da grande criatura, que agora lhe parecia ainda mais amigável.

O esverdeado às vezes deitava no colo do maior, mesmo que se sujasse um pouco, retirava os sapatos para não sujá-los mais e ficava lá, apoiado e sentindo, vez ou outra, a grande criatura lhe fazer um afago nos cabelos cacheados.

Era confuso explicar como tinha se aproximado e aprendido a lidar com a criatura, às vezes eles andavam juntos pelo beco, até mesmo se divertiam juntos. Midoriya voltara a sorrir e podia jurar que escutava a criatura rir ao esboçar um sorriso para si.

Podiam não conversar ou agir feito duas pessoas comuns — só que eles não eram comuns —, eram duas pessoas que haviam sido descartadas pela sociedade e já não possuíam mais utilidade. Os dias do menor eram mais animados por conta da criatura e conseguia notar como sua presença que também animava seu novo e único amigo.

Então foi quando aquele portal estranho surgiu: O menor estava cochilando no colo e recebendo um carinho do maior, quando percebeu a criatura se movimentar e fazer com que acordasse um tanto nervoso, pela súbita mudança de comportamento.

Um homem estranho que parecia mais uma sombra , que utilizava um terno, encarava os dois. A criatura colocou seu corpo na frente do seu, como se quisesse lhe proteger de qualquer mal que aquele estranho o pudesse fazer; rosnava para o desconhecido que apenas encarava tudo.

— Vejo que encontrou algo bem interessante, Nomu — O estranho falou, chamando atenção do menor — Diga-me garoto, quem é você?

— Izuku Midoriya — respondeu um tanto assustado vendo a criatura, que havia sido chamada de Nomu, rosnar.

— Não se preocupe, não vou machucar seu amigo, vejo que conquistou a confiança dele, devo dizer que é algo difícil de se conseguir. Me diga garoto, gostaria de vir comigo? Você pode ser de grande ajuda — questionou — Vamos voltar Nomu, seu amigo pode ir junto, ele pode ser útil.

Midoriya ficou um tanto surpreso com aquelas palavras, nunca ninguém havia falado aquilo para si. Ele poderia ser útil em alguma coisa então? Tais palavras fizeram com que um sorriso involuntário abrisse em seus lábios, fazendo com que o Nomu lhe encarasse confuso e ele sorrisse ainda maior.

— Você quer voltar ? — Midoriya perguntou, fazendo um carinho na criatura, que lhe encarou agachando e ficando próximo — Eu posso ir, assim ficaríamos juntos.

A criatura encostou a cabeça no corpo do menor, como se pedisse carinho, Midoriya fez um leve carinho na nuca da criatura que parecia ronronar com seu toque. O estranho apenas observava tudo em silêncio. Era incrível como o garoto havia conseguido dobrar uma criatura feito o Nomu, de fato seria muito útil ele por perto, afinal, não havia apenas um Nomu.

No fim Izuku acabou indo com o estranho. Descobriu que eles eram vilões, mas isso pouco lhe importou, pra falar a verdade ele já não tinha mais o desejo de ser herói como antes. Ele queria só ficar próximo ao Nomu com quem havia feito amizade e já tinha se tornado alguém especial para si.

Percebeu que haviam outros como ele, que acabariam lhe aceitando assim como seu amigo já o havia aceitado. Izuku fez amizade com todos facilmente. Sentia que era aceito novamente, mesmo que eles não fossem pessoas de fato, ser aceitado daquela maneira era muito bom para Midoriya.

Ele não precisava fazer muita coisa, apenas acalmar e fazer companhia para as criaturas, tinha conhecido os outros integrantes da liga de vilões na qual agora fazia parte. Mas não ligara muito para o propósito deles, quão menos o que eles queriam realizar, contanto, que ele estivesse ao lado do Nomu e dos demais, nada mais importava.

Foi graças a ele que o menor tinha voltado a ter vontade de viver.

Foi por ele que Midoriya deixara de ter tantos pensamentos negativos.

Que ele havia voltado a sorrir e se divertir.

Fizera finalmente um amigo leal em sua vida.

Fora tudo graças a ele, que tinha sido finalmente visto como alguém que pudesse fazer a diferença.

Nada mais importava para Midoriya, faria de tudo para proteger ao seu grande amigo, não importando se acabaria tornando-se um vilão, desde que estivesse com ele, seria uma pessoa melhor, faria a diferença. E, se fosse necessário fazer o caos, ele o faria, pois a única coisa que lhe importava era ficar deitado no colo grande, recebendo o seu tão amável carinho.

April 13, 2018, 11:36 p.m. 1 Report Embed 7
The End

Meet the author

Larivalk . Local, onde as fics estão em dia >https://www.wattpad.com/user/LariValk

Comment something

Post!
FF Franco Florencia
Ñlakshdks ¡Eu amo suas histórias! :)
June 11, 2018, 10:58 a.m.
~