Meu Desejo Dominante Follow story

adambolls Adam Bolls

Em uma noite até então super entendiante para Nam Dong-Gyun, ele acaba por conhecer um homem completamente sensual e sedutor, que conseguia se encaixar em todos os seus desejos mais dominantes, o cara perfeito. Todavia, havia um problema, fora só uma noite. E ele provavelmente não o veria de novo. Como ele poderia esquecer da pessoa que fez de uma simples noite, a melhor e mais ardente noite de toda a sua vida?


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#romance #yaoi #lemon #Jiwon #Alex #Dong-Gyun #BjAlex
23
6.7k VIEWS
In progress - New chapter Every 10 days
reading time
AA Share

Um doce pecado



As luzes escuras tornavam os rostos mais difíceis de serem reconhecidos, inúmeras pessoas dançando ao ritmo daquela animada música que tocava em um alto volume, de modo que não era possível escutar muito bem o que diziam ao seu redor. Toda a decoração entrava em um contraste admirável de cores fortes que davam ao lugar um tom californiano. O jovem se sentou em uma dos sofás disponíveis, deixando um suspiro cansado sair de seus lábios, mostrando o quanto estava entediado por estar naquele lugar.



_ Vou pegar uma dose de whisky pra mim, você quer também? – Perguntou Chanwoo, seu melhor amigo. O mesmo tinha o convencido de leva-lo até lá, dizendo o quão seria divertido para ambos. Se recordou das palavras do loiro enquanto tentava fazer com que ele fosse, esboçando toda a sua excitação:



“Vamos Dong-Gyun, vai ser muito legal, eu te garanto! Vai ter vários caras sarados e gostosos lá, quem sabe você até mesmo não arranje um deles pra você?”



Sinceramente, ele duvidava muito disso. Chanwoo sempre teve muita facilidade quando se tratava de seduzir pessoas em que ele estava mesmo interessado, muito diferente dele. Dong-Gyun tivera poucos relacionamentos em sua vida, e mesmo não sendo mais virgem, quase não possuía experiência alguma quando se tratava de sexo casual. Ele não tinha tanto interesse assim nisso, pelo menos não tanto quanto seu amigo, mas tinha que admitir que esse assunto o intrigava de uma forma que ele não sabia descrever...



_ Quero sim, preciso beber algo se não vou acabar ficando a noite inteira sentado aqui. – Respondeu, fazendo com que Chanwoo soltasse uma risada baixa e seguisse em direção ao bar que ficava no canto do salão. Se acomodou mais na poltrona de couro, olhando em volta e percebendo que quase todos ali possuíam um acompanhante. Era uma boate bem sofisticada, para pessoas com um gosto peculiar, e que pudessem pagar bem em bebidas caras e garotos ou garotas de programa que circulavam constantemente pelo local, que se vestiam de maneira simples, porém bem reveladora. Mal haviam chegado e ele já estava pensando no horário que iriam embora dali... Ele deveria estar curtindo a noite, com um copo de whisky em suas mãos, e rindo junto com qualquer pessoa legal que esbarrasse nele e só voltar pra casa depois das três da manhã. Voltou a olhar de relance para o bar, já que Chanwoo parecia estar demorando mais que o normal para chegar com sua bebida. O loiro estava sentado em um dos bancos acolchoados, conversando com alguém na qual – obviamente – Dong-Gyun nunca tinha visto antes e pedindo outra dose para o barman. Arregalou levemente os olhos, um tanto desapontado. Ele realmente o esqueceu ali?



Desviou o olhar de Chanwoo por um momento, notando a chegada de um homem no salão. Ele tinha os cabelos negros e feições duras, quase bravas, mas o que o deixava particularmente bonito e sedutor. Seu maxilar era mais que perfeito, e até mesmo a forma como ele andava fazia Dong-Gyun sentir sensações inexplicáveis. O cara vestia uma calça clara e rasgada e um coturno preto, sua blusa era de uma banda qualquer americana dos anos 80, e a jaqueta de couro escura que ele usava escondia seus ombros largos, o que o deixava com um tremendo ar de Bad Boy irresistível na qual conquistou de imediato ainda mais a atenção do jovem. Sentiu sua face arder, o que ele estava pensando? Voltou a observa-lo, ele não estava acompanhado, e naquele momento parecia manter uma expressão que transmitia um certo tédio. Isso despertou inúmeras questões na mente de Dong-Gyun... Ele parecia um modelo e não era apenas ele que o observava, algumas acompanhantes pareciam ter se atiçado mais ainda com sua presença no local, parecia o tipo de pessoa que poderia dormir com quem quisesse. O suposto homem olhou em volta e acabou por se deparar com os orbes verdes do mais jovem, que já o olhava. Os olhares se chocaram, e uma onda de constrangimento atingiu em cheio Dong-Gyun, que desviou o olhar de imediato, disfarçando. A cor dos olhos do moreno tinham uma cor exótica, um amarelo vivo, penetrante e sensual. Ele queria poder sair correndo dali.



Olhou novamente para o bar, e Chanwoo já não estava mais lá, e nem o homem na qual estava junto com ele. Ele precisava beber. Foi até o bar, tentando evitar ao máximo olhar para onde antes se encontrava aquele homem que vira anteriormente, se sentando em um dos bancos acolchoados e encarando o barman que atendia outra pessoa no momento. Alguém se sentou no lugar vazio ao seu lado, exalando um forte perfume que fez com que ele virasse levemente a cabeça com curiosidade para ver quem era. Arregalou os olhos, se deparando com a figura masculina do cara que tinha visto.



“É ele...!!”



_ O que vai querer? – Perguntou o barman, olhando para Dong-Gyun com um sorriso de canto, fazendo com que ele voltasse sua atenção para ele.



_U-uma dose de whisky, por favor. – Respondeu, sentindo o olhar do homem desconhecido sobre si. Por que ele estava gaguejando? O cara ao seu lado levantou levemente o braço, chamando a atenção do barman e do jovem.



_ Uma dose pra mim também... – Exclamou, fixando em seguida seu olhar novamente em Dong-Gyun, sugestivamente. – Por favor.



O rapaz corou, se deixando hipnotizar pelos olhos dourados do moreno, que ele nem mesmo sabia o nome. O barman voltou, colocando os drinks no balcão e voltando a atender as outras pessoas. O moreno bebeu rapidamente o liquido, seguido de Dong-Gyun, que sentiu o mesmo descer queimando sua garganta, o fazendo dar uma careta em contragosto. O homem colocou o copo novamente no balcão, deixando escapar um singelo sorriso. Seu sorriso era ainda mais perfeito, assim como sua voz.



_ Nunca te vi por aqui antes. – Disse o homem, ainda sem encara-lo, brincando com o copo em mãos. Ele respirou fundo, tentando relaxar.



_É a primeira vez que venho aqui...



Dessa vez o moreno o olhou, como se estivesse o analisando, e Dong-Gyun passou a encarar o chão em constrangimento. O rapaz se divertia com aquelas reações tão cômicas vindas do mesmo, que tinha o rosto tão vermelho quanto um pimentão. Aquilo era de certa forma... Atraente.



_Já faz um tempo que frequento esse lugar, mas hoje parece estar ainda mais... Chato, acredito. – Confessou, olhando em volta e não percebendo nada que o fizesse querer se levantar daquele banco. O olhar deles voltaram a se encontrar. O jovem se sentiu mais confortável em saber que não era o único que estava daquela forma, entediado. – Qual é o seu nome?



Hesitou por alguns segundos. Ele deveria dizer seu verdadeiro nome? Bom, não via nada demais nisso...



_Meu nome é Dong-Gyun, mas pode me chamar de DG. – Disse, dando um sorriso sem mostrar os dentes, tentando parecer o mais convincente possível. O outro apoiou seu cotovelo no balcão, retribuindo o sorriso. – E o seu é?



_Alex. Bom, provavelmente você não deve ter me visto antes também.



“Alex...”



O mesmo olhou para a pista de dança, a musica remixada ecoava em um volume um pouco mais baixo, e algumas pessoas pareciam estar praticamente se comendo ali.



_Veio sozinho até aqui? – Perguntou Alex, ainda observando a pista. DG olhou em volta, sem nenhum sinal de Chanwoo.



_ Na verdade não, mas parece que a pessoa que veio comigo já arrumou “alguém”. – Respondeu, seguindo o olhar do moreno e percebendo que ele reparava na movimentação do lugar. Não era difícil distinguir quem eram os acompanhantes dali. A maioria dos garotos trajava calças de couro coladas e uma tira também de couro nas laterais do corpo como suspensórios e no peito um colete extremamente curto que lhes cobria apenas o peito, deixando seus abdomens descobertos. As garotas usavam saias curtíssimas e tops que mostravam mais do que cobriam, além das meias arrastões por baixo da saia.



_Está procurando por um? – Questionou subitamente o rapaz, com a voz rouca e seu olhar penetrante encarando sensualmente os de Dong-Gyun, que estremeceu.



_ T-talvez...



Sua resposta intrigou Alex ainda mais. Ele sempre soube muito bem como seduzir as pessoas, e elas caiam iminentemente em sua lábia. Mas, desta vez, tudo parecia mais interessante. Ele não parecia ser tão fácil quanto as outras pessoas ali.



_ E você? – Perguntou também DG, encarando-o. Sem hesitar, o moreno respondeu:



_Definitivamente sim. Ou melhor, eu já tenho um, não? Você está aqui comigo.



O jovem riu baixinho daquilo, passando as mãos entre os fios de cabelo. Hesitou, pensando melhor no que diria. Tudo aquilo estava parecendo um jogo. O barman retornou, perguntando se eles gostariam de repetir a dose, e Dong-Gyun aceitou, assim como Alex. Ele pegou o copo e bebeu rapidamente, como na vez anterior, amargo. Ele se sentia bem mais leve. Não sabia dizer se era por conta do whisky ou pela presença do moreno ali...



_É uma pena eu não ser tão atraente quanto aqueles caras vestidos com aquelas calças bem coladas. – Disse o mesmo, com um sorriso bobo. Alex arqueou uma das sobrancelhas, deixando escapar um sorrisinho cínico de seus lábios.



_Uma pena? – Perguntou o moreno, terminando de beber seu whisky. DG assentiu com a cabeça, desviando o olhar dele. – Não precisa daquilo para estar ainda mais do que aquelas pessoas.



Dong-Gyun arregalou levemente os olhos e sentiu seu rosto arder de vergonha. Aquilo foi um flerte? Não, provavelmente ele quem entendera errado.



_S-sério? – Falou sorrindo levemente, ainda constrangido.



_Sério. – Respondeu, depositando seu copo em cima do balcão. Ele não pretendia beber mais nada, então chamou o barman, pagando pelas bebidas de ambos. Antes que o rapaz pudesse falar qualquer coisa sobre isso ele o interrompeu, se aproximando perigosamente de seu ouvido.



_ Quer me ter como seu acompanhante, DG?



Dong-Gyun se arrepiou com a voz rouca e o hálito quente chicoteando sua pele assim tão subitamente. Ele não soube como reagir, e nem como responder aquela pergunta. Alex começou a morder o lóbulo de sua orelha lentamente, descendo seus lábios até seu pescoço e depositando um leve beijo ali. DG apoiou suas mãos em seus ombros, fechando os olhos e se deixando levar por todas aquelas sensações que o moreno o estava proporcionando. Ele estava tomando de si toda a sanidade que lhe restava, da maneira mais excitante. O rapaz estava errado quando pensou que não saberia como responder aquela pergunta. Na verdade ele já sabia, dês de o inicio.



Sim, ele queria tê-lo. Completamente.




...




O rosto de Dong-Gyun estava enterrado nos travesseiros, o suor escorrendo por seu corpo o lavando com prazer, os espasmos musculares a cada toque recebido o invadia, deixando escapar gemidos arrastados e aflitos de seus lábios. Os dedos agarrando os lençóis com força enquanto Alex o masturbava lentamente com suas mãos, se deliciando com a visão do garoto sob si, com os olhos semicerrados, fazendo as expressões mais pervertidas que se pudesse imaginar. O moreno se aproximou, colando seus lábios, faminto pelo toque e foi prontamente correspondido. DG interrompeu o beijo, deixando escapar um longo gemido e mexendo involuntariamente seu quadril, o que deixava o outro ainda mais excitado.



Parou por um momento, pegando em cima da cômoda que tinha ao lado da grande cama de casal o pequeno vidro de lubrificante. Ele encarou o mesmo, com puro desejo, fazendo com que o jovem desviasse o olhar, seu rosto corado pela vergonha e excitação o deixavam ainda mais fofo. Não fazia ideia de como e quando tirou coragem para ir até aquele motel com Alex. Até então, alguém desconhecido, e que incrivelmente tinha o despertado as sensações mais intensas que ele já sentira. O moreno despejou o liquido em seus dedos da mão direita de forma rápida, direcionando dois deles para a entrada de Dong-Gyun, sentindo o musculo pulsar contra eles quando forçou os dedos para adentrá-lo.



Ouviu outro gemido afônico vindo de seu parceiro quando terminou de penetrá-lo com seus dedos grossos, e começou a fazer movimentos circulatórios , sentindo as quentes paredes de seu interior lhe apertarem, aproveitando para encarar a expressão de seu rosto. Os olhos ainda fechados e os lábios entreabertos, rebolando em resposta á seus estímulos e arfando pesadamente com o contato súbito do liquido gélido. Alex tinha a habilidade e a maestria de fazer tudo aquilo muito bem, tanto que Dong-Gyun já tinha perdido noção de tudo que estava acontecendo ao seu redor. Só sabia sentir o prazer que o mesmo lhe proporcionava; sentiu seu interior contrair quando o parceiro acrescentou o terceiro dedo, iniciando um vai-e-vem ainda mais frenético, acariciando novamente o pênis do jovem, o masturbando na mesma intensidade em que penetrava seus dedos no interior do mesmo. Não tardou para que o ápice de DG chegasse, fazendo-o gozar nas mãos de Alex, que deixou um sorriso satisfeito escapar de seus lábios. Ele sentiu suas pernas perderem a força, grunhindo o nome do mesmo roucamente por conta do recém-orgasmo. O moreno retirou seus dedos do interior do outro, observando-os em seguida.



_Seu cuzinho é uma vadia gulosa! – Comentou, abrindo um grande sorriso malicioso enquanto observava o liquido viscoso em seus dedos, fazendo com que DG sentisse ainda mais vergonha. Alex retirou apressadamente suas calças, que estavam o incomodando de uma maneira enlouquecedora, sendo observado atentamente por seu parceiro, que mordia os lábios com aquela visão. Aquele homem que ele mal conhecia, era sem duvidas um doce pecado. Seu abdômen trincado, seus ombros largos, pequenos e ao mesmo tempo tão grandes detalhes que despertavam nele desejos que o dominavam por completo; Ele necessitava dele o mais rápido possível.



Terminou de tirar a mesma, tirando também sua cueca em seguida, revelando de uma só vez sua ereção, que possuía uma extensão tão grande que fez com que Dong-Gyun até mesmo se assustasse. Ele não sabia como reagir. Alex pegou uma camisinha que se encontrava no bolso de sua calça jeans, tratando de coloca-la apressadamente. Também não estava mais aguentando esperar, seu pênis pulsava em tesão. Se aproximou do jovem, o puxando para um beijo voraz, explorando sua boca com a língua de uma maneira lenta e necessitada. Cessou o beijo com uma chupada em seu lábio inferior e voltando a fita-lo.



_Fique de quatro. – Disse, e Dong-Gyun se virou sem cerimonia, sentindo seu rosto queimar. Alex desceu suas mãos até as nádegas medianas do jovem, apertando a carne sem nenhum pudor. – Eu vou entrar agora...



O membro de Alex roçou na entrada de Dong-Gyun, que estremeceu com o contato iminente. Gemeu quando sentiu a glande forçar seu ânus; O moreno agarrou a bunda do mais jovem com firmeza, fazendo seu pênis invadir o interior de seu parceiro sem muita dificuldade, que apertou sua base. Os dois gemeram em uníssono quando Alex o penetrou por completo, Dong-Gyun gemia um tanto dolorido com a grossura e o comprimento que acabara de lhe invadir, fazendo com que Alex esperasse o aperto do músculo diminuir, até que o mesmo rebolou, empinando para ele. O moreno em reação á aquele estimulo começou a estoca-lo, segurando firmemente na cintura do mesmo e se deliciando com os gemidos roucos que saiam descontroladamente da boca de seu parceiro, que a cada vez que tinha sua próstata surrada pelo outro sentia um prazer inexplicável. Ele podia sentir Alex bem no fundo, indo e vindo. Ele inverteu as posições, deitando-o na cama e se acomodando entre as pernas de Dong-Gyun, voltando a estoca-lo na mesma intensidade que antes. Os corpos se chocavam e Alex rosnava baixinho no ouvido dele, o deixando cada vez mais louco.



O moreno sentiu os braços de DG em volta de seu tronco, lhe apertando quando resolveu intensificar ainda mais os movimentos dos quadris, deixando os peitorais prensados um com o outro e o abdômen de Alex estimulando o membro do jovem, conforme colidia sua pélvis contra a dele. O mesmo não conseguia desviar seus olhos dele, seus orbes verdes marejavam de prazer e faziam o moreno ficar completamente hipnotizado com todas aquelas expressões tão deleitosas e impuros sons melodiosos que saíam de sua boca.



_A-ah! – Gemeu alto Dong-Gyun, chegando ao seu clímax quando teve sua próstata atingida de uma maneira brusca, gozando entre eles e melando ambos os abdomens de sêmen. Em seguida veio Alex, que com mais algumas estocadas e com o estímulo da força que o músculo do mesmo fez em volta de seu pênis, acabou gozando deleitosamente, gemendo o nome do jovem. Ele saiu de dentro dele, ainda ofegante, tirando a camisinha e jogando-a na pequena lixeira que havia do lado da cama de casal.



Tudo depois disso foi como um borrão na mente de Dong-Gyun, ele simplesmente apagou, deixando ser consumido gradativamente pelo cansaço e pelo sono do momento. Ele só conseguia se recordar de Alex, pegando suas roupas de cima da cama e vestindo-as.






  ~~*~~







Ainda se recordava de quando acordou na cama do motel, extremamente confuso e sem se lembrar de imediato o porquê dele estar ali. Só depois de checar as inúmeras mensagens desesperadas que recebera de Chanwoo perguntando onde ele estava que se tocou. Ele havia transado com um desconhecido, na noite anterior. Saiu de lá demorando para acreditar naquilo. Ele não bebeu o suficiente para fazê-lo se esquecer do que acontecera, muito pelo contrário, lembrava de cada momento. Cada toque dele em seu corpo. E assim passou o resto daquele final de semana, pensando naquela pessoa. Será que ele o veria novamente? Se perguntava completamente frustrado. Ele já sabia a resposta.



“Provavelmente não...”



Aquela noite fora a melhor e mais picante noite de sua vida, e demoraria até que ele pudesse esquecer daquele rosto e corpo que estivera tão próximo do seu. Colocou a mãos no rosto, sentindo sua face arder. Se sentia de uma maneira inexplicável, como se não fosse ele mesmo. Ninguém acreditaria se Dong-Gyun dissesse que fizera sexo-sem-compromisso com um cara exageradamente gostoso – na qual ele nem mesmo conhecia direito - na noite anterior. Não vira Chanwoo dês de aquele dia, apenas pode conversar com ele por mensagens durante esse período, o que foi muito difícil, já que nenhuma desculpa estava fazendo o loiro se convencer de que ele apenas foi para a casa, achando que ele não voltaria. Não queria esconder isso de seu melhor amigo, mas naquele momento, preferia guardar isso pra si mesmo, por algum motivo. Suspirou, olhando-se no espelho e agradecendo mentalmente por não ter visto Chanwoo nos últimos dias.



“Ele com certeza teria notado essas marcas.”



Pensou, passando levemente os dedos em seu pescoço, descendo para a sua clavícula. Estavam sumindo. Terminou de se arrumar e checou as horas, percebendo que se não saísse de casa naquele momento chegaria atrasado.



Tinha acabado de conseguir um emprego como secretário em uma empresa de direito, e hoje era seu primeiro dia. A empresa de advogados Ahn era sem duvidas uma ou a mais renomada empresa do país. O próprio dono havia feito sua entrevista e o contratou, parecia ser um homem gentil na visão de DG. Ao tê-lo contratado ele o alertou de que Dong-Gyun seria secretário de seu filho, herdeiro de toda a empresa, na qual ele ainda não conhecia. Suspirou, pegando suas coisas e saindo de casa em direção ao seu carro. A empresa não era assim tão longe de sua casa, e agradecera mentalmente por isso. Seria mais fácil para ele. Saiu do automóvel, adentrando o local e passando pela recepcionista que ele ainda não sabia qual era o nome.



_ Bom dia Sr. Nam, o Sr. Ahn está lhe esperando em sua sala! E pediu para você não demorar muito, por favor. – Disse, do outro lado do balcão, com um leve sorriso de canto.



_Bom dia... Ah, obrigado por me dar o recado, eu irei até lá.



Ela apenas sorriu novamente, voltando ao que estava fazendo. O jovem entrou no elevador, indo até o andar que ficava o escritório do mesmo. Sentiu um calafrio, ele estava realmente nervoso com tudo aquilo, só esperava que ele fosse alguém... Gentil? Depositou seus objetos em sua mesa, e encarou a porta da sala de seu chefe. Respirou fundo e se aproximou dela, batendo na mesma levemente. Escutou um “Entre” e abriu a porta com delicadeza, se virando para ele depois de fecha-la.



_Bom dia, Sr. Ahn. – Exclamou sorrindo e olhando pro mesmo, arregalando os olhos em seguida. O moreno desviou seus olhos do computador por um segundo, passando a encarar Dong-Gyun com seus penetrantes olhos dourados, que permanecia estático na porta, olhando para ele.




“Alex...?!”




Notas Finais



Olá gente <3

Bom, fazia um tempo dês de que eu não escrevia algo por conta do meu bloqueio criativo, e foi uma supresa para mim ter tido tanta inspiração ( e coragem kkkkk ) para criar uma nova fanfic. É a minha primeira aqui no Inkspired, e também a primeira que vejo na categoria de Bj Alex. ~ Acredito que foi esse um dos motivos que me incentivou a escrever algo baseado nesta comic tão maravilhosa.


Ela, como vocês já devem ter percebido se passa em um universo alternativo bem diferente comparado à obra original, contudo, pretendo deixar essa fanfic tão picante quanto ela XD


Pretendo torná-la uma longfic, e darei continuidade caso vocês gostem dela ( espero que sim, pois estou cheio de ideias aqui ). É isso, deixem suas opiniões sobre o capítulo nos comentários e obrigado por ler <3


Até o próximo capítulo o/




April 10, 2018, 9:51 p.m. 5 Report Embed 6
Read next chapter Lascivo

Comment something

Post!
Misayama Misayama
DESCULPA MOZÃO, MAS PENSEI Q JINWOO TAVA COM FEBRE AMARELA KKKKKKK EU SOU MONGA, MAS N DESISTE DE MIM. TA FICANDO MT BOM DEOLS
April 10, 2018, 5:29 p.m.
Misayama Misayama
osh pensei q isso era pra comentar nas aprtes dos caps igual no watt, decepção, mas ta mt boa a fic
April 10, 2018, 5:29 p.m.
Misayama Misayama
como se apaga comentario aqui?
April 10, 2018, 5:29 p.m.

  • Adam Bolls Adam Bolls
    Não tem como apagar, choremos, ;-; April 10, 2018, 5:45 p.m.
  • Misayama Misayama
    NÃO CREIO OLHA MEU MICO ALI MANO April 10, 2018, 6:26 p.m.
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!