Me Adora Follow story

jpstyle JPStyle !

"Não são amigos. Não chegam nem mesmo a ser rivais. Na verdade, não eram nada. Mas é ele quem lhe faz sentir tudo. E quando vem, exigente, Otabek não consegue negar. Jean é foda. E Otabek adora." Arte da capa: Marcherpuppy


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#lemon #yurionice #UO #pwp #JJbek #hardlemon #Jean-Otabek
1
4.6k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Então Fode!

Começava a retirar o figurino, a apresentação tinha sido boa, lhe rendido o terceiro lugar, sentia-se satisfeito. O corpo não estava cansado, precisava apenas de um banho e uma boa noite de sono.

Ouviu a campainha tocar e estranhou, não tinha pedido serviço de quarto, e não era como se Otabek fosse amigo de algum outro patinador para que o visitassem. Caminhou lentamente até a porta, com a face sem expressão de sempre, e de fato não se surpreendeu quando mirou os olhos azuis que o encaravam do corredor.

— O que foi Jean? Veio se gabar do ouro que ganhou?

— Poxa Ota, assim você me magoa. - JJ respondeu fazendo bico, Otabek rolou os olhos. - Eu vim apenas visitar um velho amigo, parabenizar pelo bronze. Não vai me convidar para entrar?

Otabek sem saber de fato o porquê, deu passagem para que o canadense entrasse no quarto, fechando a porta atrás de si.

— Não somos amigos Leroy!

— De fato.

JJ deu um passo na direção de Otabek, que tinha a respiração pesada, aquela proximidade não era segura, sabia o que viria a seguir. Mais um passo. Virou o rosto para o lado, tentando não encarar aquele oceano azul, tinha medo de se afogar.

— Jean! - o tom do cazaque era de aviso, mas soava como súplica, Leroy sabia exatamente o que estava fazendo.

E logo as mãos ágeis estavam em seu peito, empurrando-o em direção a parede, o prensando para que não tentasse escapar.

Uma das mãos de Jean apertava com força a cintura amorenada e a outra guiou a mão do cazaque ao próprio membro, fazendo com que o sentisse.

— Amigos não ficam duros desse jeito ao estarem na presença dos amigos.

Sussurrou em seu ouvido antes de tomar os lábios nos seus.

Otabek não tentou se afastar, era incapaz. JJ tinha o poder de fazer o que quisesse consigo, apenas relaxou e deixou-se ser guiado até a cama.

Antes que Jean o deitasse começou a despi-lo, descendo o figurino lilás pelos braços, beijando e dando chupões pelo pescoço e ombros do canadense.

JJ fazia o mesmo, liberando Otabek da camisa branca que vestia, descendo o rosto até seu peito para que pudesse passar a língua em torno dos mamilos, fazendo o cazaque arfar. Empurrou-o em direção a cama, descendo os beijos ainda mais, as mãos já trabalhavam no zíper da calça marrom, que logo foi jogada ao longe.

— Eu estava com tanta saudade - Leroy dizia entre os beijos que dava no interior das coxas do Altin- Senti tanta falta do seu cheiro, do seu gosto...

Otabek não teve chance de dizer o mesmo, ou de culpar Jean pelo distanciamento de ambos, porque o mais velho o abocanhou com tanta vontade, que seria impossível raciocinar.

— Jean... - o cazaque gemia arrastado, levando uma mão até os cabelos negros, bagunçado-os, tentando inutilmente ditar um ritmo.

JJ engolia todo o falo, rodeando a língua sobre a glande sempre que podia, usava uma mão para masturbar Otabek, enquanto a outra fazia o mesmo com o próprio pau. Estava extasiado, poderia ter um orgasmo só de ver a face de Otabek, sempre tão inexpressiva corada e cheia de tesão, gemendo seu nome e implorando para que não parasse.

— Jean, eu...

Antes que Jean pudesse acelerar o ritmo fazendo o amante gozar como pretendia, Otabek inverteu as posições, jogando-o contra a cama, beijando de forma lascívia seus lábios, enquanto mastubava-os com uma das mãos, sempre que sentia a pele quente e melada do pau de JJ contra seu próprio membro, sentia-o fisgar.

— Eu quero foder você. - confessou passando a língua pelo ouvido do maior, antes de voltar a beijá-lo.

— Então fode!

JJ sussurrou contra seus lábios, puxando sua mão livre para que pudesse lamber seus dedos, guiando-os em seguida até sua entrada. Gemeu rouco, quando Otabek os inseriu de uma só vez; sem dar tempo para se acostumar com a invasão, passou a bombeá-los com movimentos de tesoura, preparando-o para si.

A outra mão continuava a masturbar os dois membros num ritmo frenético, Jean lhe mordiscava os lábios soltando gemidos desconexos em francês.

— Je suis prêt! - murmurou quando sentiu-se pronto.

Otabek levantou as pernas do canadense, fazendo-o rodear uma por sua cintura, e dobrando a outra sobre o peito de JJ, para então, penetrá-lo com força.

Ambos soltaram um grito estridente pelo prazer de finalmente estarem conectados.

O mais novo ficou parado, apenas beijando os lábios macios de Jean, para que ele se acostumasse com seu volume, mas logo o de olhos azuis começou a rebolar contra seu pau, implorando para que se movesse.

E assim o fez, entrando e saindo de forma lenta, preguiçosa, sentindo cada parte de seu pau ser engolida por JJ, que se contorcia abaixo de si, tentando dar alívio ao membro negligenciado. Otabek passou a estocá-lo com mais força, fazendo movimentos giratórios com a pélvis sempre que estava todo dentro, surrando a próstata de Jean, enquanto com uma mão o masturbava. Quando sentia que o canadense iria se desfazer, diminuía o ritmo, segurando com pressão a glande, impedindo-o de gozar. Estava o torturando. E Jean adorava.

Sentiu que logo seria ele próprio a se desmanchar, então lhe selou os lábios uma vez mais, mordiscando-os com força, antes de virar o corpo esguio sobre a cama, e passar a penetrá-lo por trás. Apertava de forma rude a cintura, indo ao delírio sempre que Jean empinava o traseiro, gemendo seu apelido e pedindo por mais. Deitou o corpo moreno sobre o do canadense, sentido o membro ser ainda mais apertado com a nova posição. Levou uma mão até o pau de Jean, masturbando-o lentamente, enquanto a outra segurava seu pescoço, virando-o para que pudesse beijá-lo.

JJ estava em seu limite, rebolava e batia o quadril contra os movimentos grotescos de Otabek, querendo cada vez mais, quanto mais o moreno metia, mais ele desejava, nunca era suficiente. Gozou grunhindo o nome de Otabek que teve seu ápice logo em seguida, estocando forte até ter a última gota de porra engolida pela entrada apertada do canadense.

Jean não preocupou-se em se limpar, ou em voltar ao próprio corpo, apenas permaneceu deitado de bruços, ressonando enquanto sentia as mãos delicadas de Otabek lhe limpando entre as pernas, começando em seguida uma massagem relaxante sobre os músculos que tinham sido duramente apertados.

— Você é um folgado, não é Leroy? - perguntou dando beijinhos por sua nuca e ombros, antes de deitar-se ao seu lado.

— Eu sou - respondeu Jean encarando os castanhos com os anises - E você Me Adora!

April 15, 2018, 4:26 p.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~