Me Leva Follow story

tiatatu Tatu Albuquerque

Eu me sentia perdida, cansada, eu queria me encontrar, eu só não sabia que o que eu precisava era me perder na imensidão de prazer e diversão me oferecida por aquele loiro que eu havia conhecido naquele momento, através do "amigo especial" da minha irmã. Eu não sabia que ia ser tão maravilhoso e que eu, depois daquela noite, jamais seria a mesma. O Naruto prometeu me levar às nuvens do céu, eu só falei: me leva!



Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#hentai #songfic #Hinata-Naruto #FNH #fns #konohana #naruhina #naruto
Short tale
10
7.4k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Às nuvens do céu

“Eu, cansada de resistir, quero me soltar, deixa eu me sentir…”


A neblina dessa balada chega a me incomodar, eu não costumo vir a esse tipo de lugar, mas eu precisava, hoje eu precisava. Sabe quando você cansa de ser algo que você não é? Então… Respirei fundo, suspirei pesado, ajeitei meu longo cabelo azulado, bebi mais um pouco do meu gin cítrico, bebida forte como eu queria ser pra largar tudo e simplesmente viver. Merda, porque eu não consigo me divertir e dançar um pouco dessa música tão envolvente como tanta gente tá dançando? Porque eu tenho que sempre ser a certinha que não reclama de nada? Eu tô cansada, sabe? Tô bem cansada disso tudo! Talvez esse meu cansaço mental esteja me atrapalhando um pouco…

— Mana, se anima! - a Hanabi fala como se fosse fácil. Ela sempre foi altiva, esperta, sempre fez o que queria e não tinha medo das consequências e olha que ela tem 21 anos e eu com 25 não tenho coragem de fazer nada. - Se diverte, sai desse bar e vai dançar!

— Eu tô sem ânimo, Hana, sem ânimo, sem par… - ela negou com a cabeça, bebendo um gole do meu drink. - E vou ficar sem bebida também! - ela me olhou rindo divertida, mas logo seus olhos passearam, parando em um ponto específico, se tornando malicioso, assim como seu riso.

— Olha, nossos pares chegaram! - ela me apontou discretamente pra porta da boate e eu pude ver dois caras, um moreno e um loiro que obviamente ela deve conhecer, já que o cara retribuiu o olhar dela e veio nos cumprimentar. - Kono! - esse beijo no canto da boca já diz tudo, acho que perdi até minha companhia de balada. Queria ter a facilidade dela pra pegar alguém assim, do nada, se bem que eu tô precisando de uma boa noite de sexo como a que eu nunca tive. - Essa aqui é minha irmã, Hinata! - ela me apresentou ao Moreno que agora eu lembro de já ter visto deixando ela em casa algumas vezes e depois ao loiro, que meu Deus, o cara é bem gatinho e eu não costumo me interessar por caras assim do nada, ainda mais com essa carinha linda de quem só quer transar e nunca mais me ver na vida.

— Prazer, eu sou Naruto! - ele praticamente sussurrou no meu ouvido, sei que é por conta da música alta, mas… Bem, não parece ser apenas por conta da música alta. Ele tem um sorriso bem bonito e extremamente sedutor, parece fazer de propósito, chega até a incomodar. Eles são bem agradáveis, se bem que é meio desconfortável estar aqui ouvindo essa música que já tá irritando, vendo minha irmã quase se atirando no moreno e vice-versa, e, também, lidando com o interesse descarado do loiro sobre mim, sempre puxando papo, ele é super divertido, mas tá na cara dele que ele é completamente safado.

— E então, se conhecem há muito tempo? - pergunto pra disfarçar meu incômodo. Não, não é que ele esteja sendo chato ou inconveniente, é que pra mim até deixar o papo fluir com um estranho é difícil, é como se a menininha certinha que eu sou fizesse de tudo pra reprimir a rebelde que vive dentro de mim e me impedir de fazer isso, meio que eu sinto medo de me entregar, eu preciso perder esse medo.

— Somos amigos especiais, vamos dizer assim! - ele disse mordendo o lábio, com Hanabi mordendo o lábio inferior o tempo todo tentando o seduzir, é acho que essa noite vai ser bem desconfortável…


“Segura-me entre os dedos, enxerga em mim teus desejos, rapaz, tira de mim esse medo de me entregar…”

Papo vai, papo vem, eles são legais, admito que poucas vezes me divertir tanto, mas ainda é bem desconfortável estar aqui vendo essa aura sexual que esses dois emanam e só conseguir sentir constrangimento. O Kono disse algo no ouvido do Naruto, piscou pra Hanabi e então saiu de perto da gente, indo pro outro lado da boate.

— Hinata, não me espere pra voltar pra casa! - minha irmã disse e sumiu em um piscar de olhos, me fazendo rir, negando com a cabeça.

— Eles foram se divertir, não pensa em fazer o mesmo? - o loiro perguntou em meu ouvido e eu me arrepiei, mas sabe quando algo obriga a gente a fazer doce? Pois é!

— Por hora eu estou bem! - disse tomando mais um pouco do gin, da minha quinta taça. Ele suspirou, se apoiando no balcão do bar.

— Barman, me serve um igual o da mocinha linda dos olhos de lua! - isso foi uma cantada? Nossa, foi tão ruim que chegou a ser divertida. - Olha, eu tô sendo chato? Se for eu posso ir…

— Não! - disse segurando o braço dele, era só o que me faltava ficar aqui sozinha enquanto minha irmã provavelmente ou está sendo prensada na parede daqui de fora ou está em algum motel com o “amigo especial” dela. - É que… Eu não estou acostumada a esse tipo de lugar, entende? - perguntei desanimada e ele parece me entender, me segurando pelo queixo com o dedo indicador.

— É, eu suspeitei disso a partir do momento em que vi você aqui, sozinha no bar enquanto todo mundo aqui dança com alguém. - nossa, observador. - Você parece ser uma garota certinha, nem parece irmã da Hanabi…

— Acho que a minha atitude ficou no útero e ela pegou! - ele riu dessa minha piada horrorosa, tomando um gole do gin, assim como eu.

— Então, já que você não tem tanta atitude quanto a sua irmã, o que te trouxe aqui? - ele perguntou olhando curioso em meus olhos, mas logo seu olhar voltou a rondar meu decote, homens… Mas enfim, preciso responder!

— Eu tava cansada e precisava me sentir eu mesma um pouco, então a Hanabi me trouxe aqui, mas acho que não funcionou muito. - respondi suspirando desanimada. - Eu só queria me sentir bem, me sentir livre, solta…

— Estamos na mesma vibe então! - como assim? Ele tomou mais um gole, balançou a cabeça com força, e então me olhou novamente. - Eu também tô meio cansado, passei muito tempo sendo o filho perfeito, o herdeiro perfeito, mas eu cansei, larguei tudo em Osaka e vim pra Tokyo só com uma mochila e um pouco de dinheiro, pra recomeçar do zero, sabe? Cortar o cordão umbilical, poder viver intensamente um dia após o outro… Eu sai do ninho pra voar! - e-ele fez tudo o que eu queria fazer nesse momento e não sabia até ele me dizer! É isso, eu também quero voar pra longe do ninho, eu preciso voar pra longe do ninho.

— Eu entendo perfeitamente, aliás, você me deu ótimas ideias! - respondi bebendo o último gole, gole esse que me deu uma certa coragem, assim como as palavras dele. - Quer dançar? - nós dançamos bastante, até conversamos mais um pouco, ele falou do quanto queria ser livre e viver longe da barra da saia da mãe super protetora e é impressionante como temos coisas em comum, até mesmo as frustrações amorosas, mas eu não quero falar dos meus ex e das minhas noites tediosas que muitas poucas vezes me renderam fracos orgasmos, eu quero me divertir, esquecer dos problemas que nem meus são. No clima da música, da conversa, dos beijos que vemos os outros dando, ele me beijou, ele foi atrevido, mas um pouco frio por conta do meu jeito, acho que não estava muito seguro, se eu queria, mas eu quero. - Frio é o ártico, rapaz, vamos ser quentes hoje, ok? - ele riu de canto, mordendo o lábio inferior, logo me segurando pela nuca e me dando outro beijo, um beijo, como eu posso descrever… Ardente! Ele me seduz, o gosto da bebida misturado com o de sua malícia e da minha pouca resistência é excitante, bem excitante, não nego, tanto que, mesmo com tanta gente nos cercando, as mãos acariciam os corpos enquanto nos beijamos, verdadeiros amassos, já nos aproximando da parede, onde ele me prensou e, então, eu pude sentir que ele já estava bem animadinho, tanto quanto minha calcinha está molhada. O ar nos faltou e então passamos a trocar leves mordidas, as respirações foram ficando cada vez mais ofegantes, a razão foi se esvaindo cada vez mais, é uma sensação mista de ousadia, atrevimento e liberdade incrível, algo que eu não tinha sentido antes. Maravilhoso!

— Eu posso te levar ao céu hoje! - ele disse rouco e sensual no meu ouvido, mordendo minha orelha, descendo um pouco pelo pescoço, passando pelo meu maxilar, meu queixo e então meu lábio inferior, beijando minha boca bem sexy. Eu tô cansada de resistir, preciso viver essa experiência nova, quero perder o medo que te falei e espero que ele o tire de mim. Puxei o loiro pra mim, correspondendo o beijo ainda mais quente, só me separando dele por falta de ar, e pela necessidade de sussurrar, no mesmo tom sensual e envolvente dele:

— Me leva!


“Faça de mim teu segredo e me guarda!”

Em resposta ao meu pedido, ele deslizou os dedos sutilmente pela minha coxa, me arrepiando. Ninguém pode notar o que fazemos aqui, por isso me concentrei em não deixar escapar gemidos, apenas posso soltar sussurros e arfar próxima à seu ouvido. Não tenho o costume de fazer sexo casual, acho que nunca fiz algo assim, nunca senti desejo por um total desconhecido como o Naruto, que agora se empenha em conhecer as partes do meu corpo que a situação o permite conhecer, ele sabe ser discreto, apesar de extremamente comunicativo e linguarudo, o que me anima a descobrir se essa língua tem outras utilidades além de falar e me dar beijos tão deliciosos quanto esses que me fazem queimar, arder mais do que o gin quando desceu pela minha garganta, aliás, creio que ele seja, em grande parte, o responsável por eu chegar ao ponto de estar aqui, numa boate mega lotada, trocando carícias super apimentadas com um cara que eu conheci há pouco mais de duas horas, aliás, um cara incrível por sinal!

— As coisas estão ficando bem difíceis aqui… - ele sussurrou entre os beijos, sinto seus dedos segurando fortemente minha coxa e, por instinto, a erguendo, chocando seu quadril contra o meu e é incrível sentir o quão excitado ele está com meu corpo, com meus toques, minhas carícias, comigo… - Ei, eu não quero que fiquem te olhando assim! - só agora pude notar olhares maliciosos sobre nós e isso foi extremamente constrangedor. - Que tal se a gente for pra um lugar mais reservado, hein? - ele tem um jeito divertido extremamente atraente que eu to adorando.

— Pra onde você quer me levar, hein, rapaz? - perguntei maliciosa e ele riu.

— Eu quero te levar às nuvens, mas antes eu vou te levar pra minha casa!

“Me beija na rua, me leva pra tua casa, me deixa nua, diz que sou o que você procurava.”

Pagamos as nossas comandas, ele ainda foi cavalheiro querendo pagar pra mim, mas eu recusei, tenho meu dinheiro pra isso mesmo, pra pagar o que eu quero. Assim que saímos da boate percebemos que estava chovendo fraco, uma fina e incômoda garoa que insistia em nós molhar, mas não era capaz de esfriar nosso desejo que só inflama, conosco nos beijando pela rua, seria romântico se não fosse o nosso caso ser apenas uma noite. O apartamento no qual ele vive aqui na capital é perto da boate, na verdade ele divide as contas com o ficante da minha irmã, mas eu não quero pensar neles ou na transa que eles devem estar tendo agora, agora eu só quero me concentrar no que estou fazendo aqui, ou melhor, no que quero fazer. Acho que nunca fui tão decidida assim, nunca mesmo, diferente desse meu lance tórrido com o Naruto, eu espero e tenho certeza de que quando eu acordar de manhã essa Hinata que, regada a bebidas fortes e adubada por um desejo quase insano, floresceu dentro de mim nessa noite que eu espero não esquecer. Entramos no prédio sem se importar com o que o porteiro ia dizer ou pensar, apenas entramos no elevador, onde ele apertou o botão do nono andar, e recomeçamos do ponto onde havíamos parado ao entrar, com ele já passando a explorar ainda mais meu corpo e eu o dele, sem se importar com a câmera que nos filmava ou se a qualquer momento o elevador pudesse parar em algum outro andar e quem o estivesse esperando fosse nos flagrar. Ainda aos beijos, andamos por todo o andar até chegar ao apartamento dele, de número 99, foi aí que tudo ficou ainda mais intenso. Já entramos jogando nossos sapatos e minha bolsa longe, com ele puxando meus cabelos e comigo mordendo seu pescoço.

— Agora sim estamos à vontade! - ele disse mordendo o lábio e retirando meu vestido, assim como eu fiz a camisa laranja que ele vestia, podendo observar o corpo bem definido que ele possuía, o que me agradou bastante, assim como ele pareceu se agradar do corpo que eu esculpi durante esses anos de academia. - Bem gostosa! - eu não senti um pingo de vergonha com esse comentário dele, muito pelo contrário, eu me senti orgulhosa, desejada, isso inflou um pouco meu ego, não vou negar, assim como não nego que isso faz muito bem pra minha autoestima que é um pouco abalada.

— Você também me parece delicioso! - minha voz saiu praticamente como um gemido, mordi o lóbulo de sua orelha esquerda, sentindo o arrepio de sua pele, algo que ele retribuiu ao deslizar e esfregar a ponta de seus dedos desde a minha nuca até a lateral de minhas coxas, passando as curtas unhas ali ao notar que aquilo me excitava. Pouco a pouco ele me deixava cada vez mais despida, despida de pudores, despida de receios, despida de temores, despida de roupas, mas eu vestia uma roupa nova, a roupa do desejo, da autoconfiança e, como ele disse ao me ver completamente nua diante dele:

— Puta que pariu, como você tá gostosa, Hinata! - é, eu sou gostosa e não tenho dúvida nenhuma disso, sou gostosa de alma, agora que eu decidi de uma vez por toda que eu devo viver a minha vida, devo me encontrar, mesmo que isso, por hora, signifique me perder no azul dos olhos dele, eu sou gostosa sim. Conforme o clima foi ficando ainda mais quente, acabamos caindo sobre o sofá, rindo com isso. - Sabe, eu saí procurando algo que eu ainda nem sabia o que era, mas acho que eu achei!


“Dois corpos enrolados, jovens cheios de vida,

é inacreditável [...] Serei a, do teu mar, sereia, vou te ensinar a ser rei.”

Ainda no sofá, reparei que ele ainda vestia roupas, mas isso tinha que mudar, eu o desejava, eu queria explorá-lo como ele me explorou, por isso, rapidamente tirei a bermuda e a cueca que ele vestia, expondo o quão extremamente excitado ele estava e isso foi maravilhoso. Eu o beijei, sentindo que suas mãos passeavam pelo meu corpo, ondas que ele parecia querer navegar, por isso eu o ajudei, indicando que ele não devia ter receio algum e que eu, mesmo não sendo acostumada a isso de sexo no primeiro encontro, estava adorando a experiência e queria que ela fosse cada vez mais intensa. Me senti uma sereia o seduzindo com meu canto, na verdade, com meus suspiros, e tudo o que eu queria era mergulhar junto dele no oceano do prazer que estávamos dispostos a proporcionar um ao outro. Eu desci os beijos por seu pescoço, ombro, peitoral, distribuindo beijos e mordidas por cada sutil gomo de seu abdômen, assim como arranhões leves e, a julgar por suas reações, excitantes. Quando cheguei até sua virilha, ela parecia gritar, clamar pelo meu toque, que começou tímido, buscando a melhor forma de lhe satisfazer, julgando pelo sussurro mais forte e ofegante dele ao sentir a leve carícia da ponta dos meus dedos sobre sua glande, espalhando a umidade que ali havia, acho que eu a encontrei. Mordi o lábio, desejando cada vez mais tê-lo pra mim, mas antes o olhei, como se lhe ordenasse a pedir por mim e ele me entendeu.

— Por favor, eu já não aguento mais! - deslizei minha língua devagar, desde seus testículos até a glande, com ele se curvando e segurando meus cabelos com força com minha atitude, mas ainda assim me deixando guiar meu ato. Há tempos não sentia tanto prazer em fazer sexo oral em alguém como nele, sei lá, hoje eu estou excitada como nunca e sinto que esse tesão todo é recíproco. - Hinata! - ele gemeu rouco, meio embriagado, não sei pela bebida ou pelo sexo, mas eu gostei de seu tom. Voltei a me concentrar no que eu fazia, não deixando de olhar em seus olhos, não deixando de apreciá-lo inteiro, provando cada gota do prazer dele com gosto, um gosto que me parecia doce, talvez pelo gosto ainda forte do gin cítrico que tanto bebi durante a noite, mas foi maravilhoso. Mal tive tempo para apreciá-lo após esse orgasmo, em um piscar de olhos, estava sob ele, que agora parecia se afogar entre meus seios, esfregando seu rosto entre eles, apertando meus mamilos suavemente, me fazendo sentir fortes correntes elétricas percorrendo meu corpo, que ele já conhece bem, apesar de lhe tocar há no máximo uma hora. Arfei, gemi, minhas pernas se contorciam e olha que ele apenas passeou com seu indicador por entre meus lábios, logo massageando meu clitóris lentamente, o pressionando por vezes, algo que me levou a arranhá-lo em seus braços, suas costas, seus quadris. Quando ele penetrou seu dedo médio em mim, me acariciando por dentro, ele começou a cumprir a promessa de me levar às nuvens do céu, ainda mais quando, após me dar um beijo ainda mais luxurioso, ele desceu e então passou a sugar meu clitóris na intensidade que notou que parecia me agradar, intuição certeira a do rapaz… Ele levou seu dedo até sua própria boca, provando meu sabor de um jeito que me pareceu excitante, mas não foi mais excitante que o que veio a seguir. Quando ele passou a me massagear com a língua, foi que ele me fez tocar o céu de verdade, flutuei olhando em seus olhos, escuros de prazer, tal como os meus devem estar. Uma onda mais forte e…

— Naruto! - gemi seu nome forte em meu prazer, enquanto minhas pernas se contorcem como se fossem a cauda de uma verdadeira sereia, ele foi o rei do meu prazer!


“Quentes somos nós, à sós, sobre lençóis brancos, tão simples, tão fácil, eu sou sua…”

É óbvio que não ficamos por muito mais tempo no sofá, até porque, assim como caímos nele, caímos dele, motivo para novas risadas, mas não tínhamos tempo para rir, o desejo ainda não havia passado, pelo contrário, as preliminares só me deixaram ainda mais ansiosa. Assim que ele se levantou, eu praticamente pulei em seu colo, o beijando novamente e ainda mais desejosa.

— Eu quero você dentro de mim! - pedi sôfrega ao sentir o roçar de nossos sexos novamente excitados. Quando me dei conta, já estávamos completamente suados e envolvidos, rolando por entre os lençóis brancos que forravam a cama de meu amante, que já estava por cima de mim, tateando sua cômoda em busca de algo, que logo descobri se tratar de uma camisinha. Algo me diz que só esse preservativo não será suficiente, mas eu não quero pensar nisso agora, agora eu preciso dele!

— Pronta? Mais do que nunca eu quero te levar pras nuvens… - o enlacei com minhas pernas, olhando em seus olhos e arranhando sua nuca.

— Então me leva! - voltei a beijá-lo e isso sufocou minha vontade de gritar ao sentí-lo dentro de mim, quanto mais eu rebolava contra seu quadril, mais forte ele me penetrava, mais rápido me possuía, mais intensamente ele me proporcionava prazer, mas eu ainda não estava satisfeita, por isso fiquei por cima, deslizando sobre ele, sentando com bastante gosto. Por instinto, ele bateu em meu bumbum e isso me deixou ainda mais louca, me fez rebolar, dançar contra ele, querendo que ele fosse mais fundo, o que aconteceu após ele se erguer um pouco e chocar nossos quadris com força, logo me puxando pelo cabelo de volta até ele, me dizendo palavras sujas que só me excitavam mais. Nunca pensei que seria tão fácil virar meu mundo de ponta a cabeça, tão simples eu me entreguei a ele, por isso gemi, o arrepiando. - Eu sou sua! - em resposta, ele ficou por cima de mim, após isso eu só ouvi nossos urros e gemidos e os independentes barulhos produzidos pelo choque de nossos corpos, além de sentir um prazer indescritível. É… Por hoje eu sou toda dele!


“Se conecta em mim, deixa eu te amar!”

Aquela foi a melhor noite da minha vida, não me recordava de uma noite tão incrível antes, agradeci bastante à minha irmã por ter me apresentado o cara que, aos poucos, se tornou o amor da minha vida. É, não fui dele só por aquela noite! Diferente do que eu achava, não foi um caso de uma única noite, muito pelo contrário, vieram outras noites mais. Como posso dizer, no início, nós éramos "amigos especiais" como o Kono e a minha irmã são até hoje, mas com o tempo a gente foi se conhecendo melhor. Ele tava certo quando disse que estávamos na mesma vibe, quando eu decidi que não queria mais ser a sucessora do meu pai e ele surtou, eu decidi que precisava de um tempo pra me encontrar, decidi viajar, e sabe quem eu encontrei dentro do avião pra começar a fazer meu mochilão pela Europa? Exatamente ele, o Naruto! Ele ia fazer o mesmo roteiro que eu, por coincidência, por isso decidimos fazer isso juntos, dividir as despesas, sabe? Mas não foi só isso que dividimos, dividimos as mesmas experiências, as mesmas novas culturas, as mesmas novas amizades e também a mesma cama. Tudo evoluiu gradualmente e hoje...

— Mamãe! - é, hoje, depois de 5 anos, nós também dividimos os mesmos filhos. Casamos em um luau no Havaí, na praia, de um jeito que acho que a Hinata que eu era antes jamais se casaria, mas que eu, como a Hinata que sou hoje, achei a coisa mais incrível do mundo. Nossos filhos têm 3 anos, gêmeos, Boruto, loiro como ele, e Himawari, com os cabelos azulados como os meus, assim como são os olhos deles, herança do meu loiro, que ainda é o meu rapaz, um rapaz que, apesar do jeito descontraído, pode ser um bom pai, como ele é pros nossos filhos, pode ser um bom chefe de família, fazendo de tudo para que não lhes falte nada sem jamais precisar recorrer a ninguém, muito pelo contrário, ele é bem cuidadoso com a nossa empresa de turismo, a Rasengan, porque nos encantamos por esse mundo das viagens, que só demos uma pausa por conta das crianças serem tão pequenas.

— Durmam bem, meus bebês! - beijei a testa dos dois e então fui ver o meu loiro, já me esperando como todas as noites. Ele continua prometendo me levar ao céu, e eu? Eu continuo dizendo:


“Me leva!”

March 25, 2018, 11:39 p.m. 3 Report Embed 4
The End

Meet the author

Tatu Albuquerque Mãe de Konohamaru, madrinha de Hanabi, adepta da Fé do Sagrado KonoHana. Você tem 5 minutos pra ouvir a palavra da minha igreja? Kaiten no cu e gritaria, kore!

Comment something

Post!
Cecilia Jarske Cecilia Jarske
AAAAAAAAAAAA nossa, eu adorei esse plot! Casou super bem a música com o enredo e o hentai foi muito gostosinho. AMO esse Naruto safado, e essa Hinata solta e super plena! *u* Bjs
Nov. 27, 2018, 3:12 p.m.
Fox Bella Fox Bella
Me leva! ME LEVA TATU! ME LEVA POR ESSE MAR DE FICS MARAVILHOSAS! ME LEVAAAAAA! DESCULPE MAS AGORA EU SÓ TENHO CAPACIDADE DE SURTAR E GRITAR, MUITOOOOOOOO!!!!!!!
June 28, 2018, 1:13 p.m.
Larissa Mármore Larissa Mármore
Uma gracinha de história! Linda!!!
March 26, 2018, 11:03 a.m.
~