ShiIta - Promessas: What is Love? Follow story

vanychan734 Vany-chan 734

Um Uchiha nunca quebra suas promessas, ainda que precise enfrentar outros Uchihas mais poderosos e consequências terríveis. Sua promessa será cumprida, com ou sem permissão.


Fanfiction For over 18 only.

#Uchiha #Naruto #Itachi #Lemon #FNS #Uchihacest #ShiIta #ItaShi #Fanficsotaconda #SongFic #FanficsFNS #Shisui
23
6970 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

What is Love? - cap.1


Olha eu de novo passando os ensinamento da Congregação do Sagrada Shiita. Sim, pessoal, criamos um grupo no fb e quem quiser participar vou deixar o link.

Essa two-shot nasceu porque em um desafio do FNS nós podíamos dar uma musica pra alguém e pedir um prompt, mas ninguém quis shiita e eu resolvi fazê-la pq o plot veio hahaha.

A capa foi editada por mim. As fanarts usadas pertencem a Jessy-Mini pega em deviantArt e ao Surfaçage pega no tumblr dele. Gif do cap foi editado por mim, mas as arts pertencem a Uchihaforsmut pegas no timblr.

Fanfic postada em todos os sites com minha conta de autora (Nyah, Spirit, Inkspired, e futuramente no FF.net). Universo Ninja (UN) com final alternativo. Nom-massacre. Uchihacest.


----- X -----


Someday, i'll marry you...

Don't be ridicules, Shisui...¹


Shisui se remexeu nos lençóis da cama. Ele tinha tido uma boa noite de sono, mas fazia alguns dias que Itachi tinha saído em missão, e isso era o suficiente para fazê-lo se sentir vazio e estressado logo ao acordar.

Permaneceu na cama por alguns minutos, fitando o teto enquanto desejava avidamente o retorno do outro Uchiha. Odiava quando o menor fazia missões solo, Shisui queria sempre acompanhá-lo para protegê-lo caso fosse preciso... afinal, amava Itachi e daria sua vida por ele, sem pensar duas vezes. E foi assim que se descobriu apaixonado pelo primo.

A primeira vez que teve consciência de seus sentimentos fora quando ficaram numa emboscada na Névoa. Shisui soube naquele momento que daria tudo de si para manter o outro vivo e num ataque surpresa dos inimigos, usou o Shunshin para impedir que a série de kunais envenenadas atingissem o companheiro, de modo que ele próprio se machucou no processo ao ser o alvo delas.

A última coisa que se lembrava daquele dia era de ter caído nos braços do melhor amigo e ver as lágrimas se formarem no canto dos olhos dele. Acordou no hospital de Konoha dias depois, vendo o primo deitado parcialmente em sua cama, apoiando a cabeça no próprio braço e segurando sua mão. Shisui lembrava-se de ter sorrido, verdadeiramente feliz, por aquela ser sua primeira visão ao acordar, e então chamou o mais novo, que o olhou com um misto de surpresa e alivio ao elevar a cabeça. O gênio Uchiha estava preocupado e quando lhe perguntou se estava bem, Shisui assentiu e subitamente o beijou de surpresa nos lábios.

Num primeiro momento, Itachi ficou sem reação, mas logo devolveu o beijo e assim que se fitaram, o mais velho pôde ver o Mangekyou refletido nas íris do companheiro. Itachi confessou que o havia despertado quando achou que ele tivesse morrido, e isso bastou para Shisui acreditar que era correspondido.

Depois daquele momento no hospital, ele acreditou fielmente que poderiam ficar juntos, que não haveriam barreiras e impedimentos para serem felizes como um casal qualquer... mas nunca esteve tão errado. Já fazia dois anos que mantinham um relacionamento escondido e ele simplesmente não sabia mais como agir diante de tanta pressão.

No começo, aceitou manter o envolvimento em segredo para terem certeza se realmente estavam certos daquilo... no entanto, eram Shisui e Itachi, não havia como e nem porquê tal relação ser um fracasso, e assim que os meses se passaram, ele e Itachi se tornaram ainda mais próximos e íntimos, principalmente por causa da revolta do clã. Juntos, conseguiram impedir os Uchihas de concretizarem os planos do golpe de Estado, chegando a um acordo pacífico com a Vila, ganhando o prestígio e a confiança deles.

Porém, todo o estresse ao redor deles deixava o assunto “namoro” de lado, principalmente por haver tópicos mais sérios e imediatos a serem resolvidos. Por fim, não revelaram a ninguém que tipo de relações mantinham quando estavam sozinhos e o motivo de tanta estima mútua durante a convivência... exceto para Sasuke, há exatos três meses.

Não porque quiserem – um fato a ser enfatizado – mas sim porque o “pirralho” chegou eufórico à casa e entrou no quarto de Itachi afoito para lhe dizer qualquer coisa idiota, acabando por flagrá-los juntos, num momento bastante íntimo. Depois daquela cena totalmente imprópria, foram obrigados a contar ao mais novo que tipo de relacionamento tinham na verdade.

Sasuke não aceitou muito bem na hora, nem depois. O ciúmes que antes já existia, ficou três vezes pior, e Shisui odiava ter que disputar com o primo mais novo a atenção do namorado, porque ele sabia que perdia, sabia que Sasuke seria sempre uma prioridade para Itachi. Então, lhe sobrava respeitar o espaço pessoal dos Uchihas mais novos e esperar pelos seus momentos de atenção, que quando chegavam eram definitivamente maravilhosos, como se Itachi se desculpasse pela negligencia anterior.

Contudo, agora, sozinho no quarto de sua casa, ele via como só aquilo não era suficiente para si. Às vezes sentia vontade de repreender o namorado e exigir dele a promessa de se revelarem, de pedir que Itachi parasse de machucá-lo daquela forma, mesmo que indiretamente. Todavia, no instante seguinte, ele percebia que Itachi era seu amor e que aguentaria o segredo por ele, porque essa era assim que o mantinha ao seu lado.

Cansado de pensar besteiras autodepreciativas, Shisui se levantou da cama, trocou de roupa enquanto resmungava alguns palavrões pelo estresse matinal e em seguida decidiu que almoçaria num dos restaurantes da Vila. Seu pai não almoçava em casa quando estava ajudando Fugaku no Conselho da Folha², e assim ele saiu da residência apressado.

No entanto, assim que descia os degraus da varanda, viu Sasuke vir em sua direção. O garoto já era um adolescente e cada vez mais parecia emburrado com a vida, tinha a expressão séria que muito lembrava Fugaku e o olhar tão intenso quanto o de Itachi. A boca estava apertada numa linha fina, o maxilar tensionado e as sobrancelhas curvadas para baixo, denunciando sua raiva.

Raiva essa que Shisui não sabia o motivo, mas logo iria descobrir.

Sasuke se aproximava rapidamente e assim que meio metros os distanciavam, ele disse:

- Pare de namorar meu irmão!

O Uchiha mais velho arqueou uma sobrancelha pela petulância dele. Ele sabia do ciúmes que ambos tinham de Itachi, mas não achou que o primo fosse de fato exigir aquele absurdo de si algum dia.

- Quer saber? Vou namorá-lo ainda mais, seu pirralho – respondeu enquanto bagunçava o cabelo de Sasuke, sabendo que ele prontamente odiava aquilo.

O menor se afastou, revoltado pela negativa e pelo gesto, e olhou para o mais velho com fúria, pronto para começar uma luta ali mesmo no distrito.

- Vá perturbar outra pessoa, eu vou al...

- Aniki merece coisa melhor que você!

Shisui que já se distanciava do primo, parou seus passos. Ele se virou parcialmente para trás e estreitou o olhar.

- Oh, é mesmo? Quem, então, seu merdinha?

Sasuke o fuzilou com o olhar e se aproximou.

- Você só atrapalha a vida do aniki!

- E quem você pensa que é pra me dizer isso?! – ele se curvou para ficar da mesma estatura de Sasuke, sentindo a raiva se espalhar em seu interior.

Ele sabia que não era tão perfeito como Itachi, mas jamais deixaria que alguém falasse mal de seu relacionamento. Oh, não, isso era demais, até mesmo para Sasuke.

- Se continuar falando essas besteiras eu vou chutar tanto sua bunda que você vai correr implorando colo para Tia Mikoto.

Sasuke rosnou, irritado. Porém, antes que os dois chegassem a se digladiar, a voz de Itachi se fez presente, seca e baixa, atraindo a atenção dos dois.

- Basta, Shisui.

Os olhos refletiam o ódio pela ofensa feita ao irmão, e com isso em mente, Shisui sussurrou uma desculpa esfarrapada ao menor.

- Sasuke, nos dê licença – ele pediu, mantendo o olhar fixo no mais velho.

O pequeno ficou indignado num primeiro momento, mas vendo o clima tenso entre os dois achou melhor se retirar, deu às costas para eles e refez seu caminho resmungando impropérios.

- Pensei que estivesse em missão – Shisui proferiu assim que Sasuke se afastou, dando-lhes privacidade.

- Cheguei hoje. O que pensa que estava fazendo? – o olhar sério mantinha-se ali, sondando o parceiro.

Shisui fitou o queixo angular e tenso do outro, denunciando sua revolta pelo ocorrido, e se reprimiu por quase ter batido no primo, embora tivesse desejado muito fazê-lo.

- Sasuke veio me afrontar, o que esperava que eu fizesse? Ele merecia uns socos sim – resmungou em sua defesa.

No entanto, isso bastou para inflar a cólera de Itachi, fazendo com que ele se aproximasse perigosamente de si.

- Nunca mais, nunca mais – repetiu dando ênfase – fale com meu irmão dessa forma. Eu assassinaria o clã inteiro por ele, incluindo você.

Os ombros tensos de Shisui se abaixaram com mensagem sombria. O próprio encaracolado sabia bem do que o outro era capaz por causa da obsessão pelo irmão, mas aquilo era demais para si.

- Você realmente faria isso, não? – falou sério, perscrutando o rosto do outro – Queria que tivesse toda essa devoção comigo também.

A raiva refletida nos orbes ônix foi minguando até que se dissipasse de vez, restando apenas a culpa que ele sentia por fazer o outro sofrer. A compreensão das palavras de Shisui era algo que o feria também, afinal. Itachi tinha conhecimento dos desejos do parceiro e por isso mesmo estava disposto a mudar aquela situação.

- Sasuke veio aqui por um motivo.

- Porque ele é mimado e estranhamente protetor com você – Shisui rebateu, cruzando os braços e desviando o olhar.

Itachi revirou os olhos descontente, decidindo ignorar a provocação do amado.

- Eu falei com minha família – era uma frase simples, mas pelo tom sério de Itachi, Shisui compreendeu seu significado oculto.

- Você o quê?! – engasgou surpreso, não esperava por aquilo e por isso voltou a fitar o primo.

Sim, eles já tinham combinado se assumirem, mas nunca chegaram a de fato tornar aquilo real, no entanto, lá estavam eles, tendo aquela conversa importante. Importante e especial.

- Você... – Shisui tentou assimilar as palavras enquanto o coração pulsava forte, cheio de amor e gratidão, esquecendo-se completamente da desavença anterior – Nós finalmente... – as mãos grandes e ásperas tocaram o rosto do outro devagar, uma carícia contida que revelava todo seu sentimento.

Porém, as mãos medianas e frias de Itachi pararam seu toque, com certo sofrimento e demora, as afastando do próprio rosto e as abaixando.

- O que foi? – Shisui sussurrou, confuso e magoado.

- Não é tão fácil... – respondeu, e Shisui retesou o corpo à espera da notícia ruim.

- Falei abertamente para meus pais que sou apaixonado por você e que namoramos há dois anos – Shisui abriu a boca estupefato pela notícia, e Itachi indicou com uma das mãos que o deixasse terminar antes de se agitar novamente – No primeiro momento gritaram impropérios que me recuso a repetir, depois minha mãe cedeu e confessou que já nos havia visto juntos uma vez, algo como nos beijarmos no meu jardim... não entendi direito, ela estava chorando demais para isso – ele deu de ombros, enquanto Shisui tinha o rosto levemente corado com a perspectiva de Mikoto voyeur – Porém, meu pai não cedeu, Shisui – ele suspirou cansado.

- E o que isso muda para nós? – o mais velho perguntou após considerar a sentença dita por Itachi.

Não era uma simples pergunta, ela tinha muitos significados ocultos e ambos sabiam disso.

- Precisamos conversar sobre os termos que me impuseram...

- Itachi...

- Otou-san disse que não permitirá um envolvimento incestuoso dentro do clã, nem mesmo para mim, filho de dele – a voz do ANBU era calma e baixa, e ele falava devagar tomando cuidado para transmitir a mensagem corretamente – Disse que essa seria uma desonra sem precedentes para os Uchihas e que caso seguíssemos adiante com nosso relacionamento, seremos expulsos do clã...

- Como? – Shisui tombou a cabeça levemente, intrigado.

- Otou-san irá nos deserdar da família. O conselho pode tentar convencê-lo a mudar de ideia por sermos nós, mas dificilmente ele cederá aos velhos do clã.

- Isso quer dizer...

- Nós estaremos proibidos de agirmos como Uchihas e de frequentarmos o distrito. Você será impedido de ver Kagami e eu de ver Sasuke.

- Itachi! – Shisui se sobressaltou com a informação.

Ficar separado de Kagami era até aceitável, ambos eram adultos e sabiam lidar com tal coisa, mas Itachi tinha uma dependência emocional com Sasuke, e o mesmo se aplicava ao garoto rabugento.

- Tem mais – o mais novo suspirou – Eu estava sendo cogitado para ser hokage, mas dificilmente serei aceito para o treinamento caso meu pai, como conselheiro, seja contrário, e também por como nosso envolvimento será visto pelos cidadãos.

- Tachi... – Shisui se compadeceu, ele sabia o desejo primo em se consagrar hokage, mas era inteligente o bastante para saber que o amado estava certo, por isso apenas se aproximou e o abraçou forte.

O de madeixas longas aceitou o abraço com um sorriso pequeno e descansou a cabeça na curvatura do pescoço de Shisui, deixando um pequeno beijo na região. O mais velho se arrepiou e aproveitou-se da pouca distância que os separava para beijá-lo.

Foi um beijo caloroso. Shisui sentia como se finalmente estivessem livres para fazerem aquilo em público como qualquer outro casal, e por isso beijava Itachi com paixão. Segurava seu cabelo longo com firmeza, ditando o ritmo das bocas, e forçava o corpo do outro contra o seu próprio.

Pararam apenas quando a respiração voltou a ser necessária e encostaram as testas, acariciando-se com as pontas dos narizes. Shisui olhou para o primo com devoção e ao encontrar o sharingan de Itachi, ele sorriu apaixonado, relembrando da primeira vez em que se beijaram.

Se afastaram assim que alguns murmúrios foram ouvidos. Duas donas de casa do outro lado da rua olhavam-nos horrorizadas, e quando Shisui fixou seu olhar nelas, não deixou de provocar as mulheres.

- É isso mesmo! A gente namora, porra! – ele gritou, e elas rapidamente se assustaram com a ousadia do prodígio, voltando-se para o interior das próprias casas.

- Shisui! – Itachi repreendeu, ainda que o sorriso em seus lábios não condissesse com a bronca.

O mais velho se voltou para ele com o olhar estreito, levou as mãos até o rosto do amado e fitou maravilhado mais uma vez a beleza andrógena que apenas Itachi possuía, sendo único até mesmo naquele quesito.

- Foda-se! Eu nunca mais vou me separar de você. Não importa o que aconteça – ele retrucou, puxando Itachi para outro beijo afoito.

- Shisui... – Itachi gemeu contido quando os dentes do parceiro morderam seu lábio inferior.

- Puta que pariu, às vezes você parece querer me convencer do contrário – o maior se afastou, retorcendo a boca de forma desgostosa.

- Não seja ridículo – Itachi retrucou, sorrindo levemente – Mas seremos escorraçados daqui desse jeito, isso é atentado ao pudor, sabia, senhor policial? – ele lambeu rapidamente os lábios do namorado e depois se afastou, refletindo sobre a própria fala.

- Oh... é claro que eu sei, por isso coloco algemas em você e...

- Shisui – Itachi o interrompeu com a expressão triste – Meu pai pode expulsá-lo da força policial, se quiser.

O mais velho piscou duas vezes, pensando na declaração e por fim deu de ombros. Adorava seu cargo na força policial de Konoha, mas Itachi era a sua prioridade e por ele aguentaria qualquer dificuldade. Além disso, ainda era um ANBU e poderia viver com o pagamento de suas missões.

- Tachi, se eu estiver com você, não preciso de mais nada – sorriu, verdadeiramente apaixonado, e ao ver o sorriso aberto nos lábios do outro, o puxou para dentro da residência.

- Por que estamos indo pra sua casa?

- Porque não é permitido foder em público.

- Shisui! – Itachi engasgou sua indignação.

- O quê? – ele respondeu, pulando os degraus da casa, e abrindo a porta – É verdade e você sabe disso.

Assim que entraram, o corpo do menor foi empurrado contra a porta de madeira para em seguida ser imprensado por Shisui. A língua devassa do mais velho circundava a sua com paixão, eles se tocavam com pressa e assim que a blusa do mais novo foi retirada e jogada no chão, o namorado arrastou a boca para seu pescoço e depois tronco, descendo cada vez mais.

- Eu gosto de tudo em você – declarou enquanto sugava a pele exposta do namorado, se ajoelhando à frente dele.

- Ah... Shisui... – Itachi sussurrou, fitando o mais velho abaixar sua calça ninja e o masturbar lentamente.

- Sim, Tachi? – provocou, distribuindo beijos pelo interior de suas coxas.

O mais novo tinha a respiração acelerada, os olhos nublados pelo prazer e as bochechas coradas.

- Eu quero devagar hoje – pediu.

Um pedido um tanto inusitado, segundo Shisui, mas logo concordou com um aceno e em seguida chupou o órgão pulsante do parceiro. Diferentemente das outras vezes, neste dia Shisui estava mais calmo, sugava com lentidão e vez ou outra arrastava a língua da base até a cabeça, acariciando languidamente a parte mais sensível de Itachi. Este, por sua vez, segurava seu cabelo cacheado com destreza e mantinha o olhar fixo nas íris acinzentadas, observando como as pupilas estavam dilatadas e como a mão dele acariciava o próprio pênis semi-ereto.

Shisui continuava o sugando, sem desviar os olhos um minuto sequer, sentindo como ele ficava cada vez mais duro e como o sabor de seu pré-gozo começava a se alastrar na boca, se deliciando com aquela reação incontrolável de Itachi.

Em algum momento os olhos negros de Itachi se tornaram carmesins, e Shisui sorriu por aquilo. Adorava quando o amado ativava o sharingan mesmo sem ter consciência disso.

- Shi... argh – ele puxou os cachos de Shisui para trás, afastando a boca avermelhada de si, respirando com dificuldade – Quarto.

O mais velho entendeu a mensagem e se levantou, segurou-o pelos ombros com firmeza e usou o shunshin para levá-los rapidamente para cômodo. Em seu interior se regozijava pelo pai não estar na residência naquele momento, já que fariam aquilo e normalmente eram escandalosos.

Em seu quarto, caiu junto a Itachi na cama de casal e depois rolou seus corpos para ficar por cima e poder olhá-lo com admiração. O mais novo tinha o cabelo bagunçado, as maçãs do rosto avermelhadas, a boca aberta exalando a respiração acelerada, e o olhar semicerrado, que destacava seus longos cílios que contratavam com as íris vermelhas.

Shisui desceu sua boca até encontrar a dele para, dessa vez, começar um beijo calmo e carinhoso, em seguida, a boca foi se arrastando para todo o rosto do amado. Fez um rastro de beijos da linha do maxilar até as têmporas de Itachi, descendo para os olhos que tanto amava e depois para o nariz fino e perfeito, enfim voltando a boca úmida.

As mãos do primo estavam dentro de sua blusa, tocando cada pedaço da pele que o pertencia. Oh sim, Shisui pertencia a Itachi e ambos sabiam disso. Itachi se separou do mais velho e chupou o pescoço perfeitamente aparado, fazendo com que ele inclinasse a cabeça para o lado e expusesse ainda mais aquela região sensível para si.

Os quadris roçavam e faziam arrepios subirem pelas costas dos dois. A mão direita de Shisui desceu até o membro de Itachi e continuou a masturbá-lo vagarosamente, enquanto as chupadas em seu pescoço continuavam assim como os arranhões em sua nuca.

Em certo momento, Itachi se remexeu desejoso por um contato mais rápido, e ele assim o fez enquanto recomeçava um beijo apaixonado, mesmo que vacilante pelas respirações pesadas.

- Shisui...

Ele se separou as bocas assim que ouviu a lamúria do outro. Sentou-se sobre os quadris de Itachi para retirar a camisa com pressa, depois voltou a dar atenção ao amado. As mãos de Itachi entraram em sua calça e apertaram sua bunda, puxando-o de encontro para si, friccionando as ereções.

- Porra, Tachi – o mais velho apertava os olhos com força, concentrando-se no contato das pélvis.

Itachi lambeu seu pescoço vagarosamente enquanto continuava apertando sua bunda, aproveitando-se da distração para descer a calça dele. Shisui, por sua vez, seguiu o exemplo do mais novo e juntos rançaram as roupas restantes um do outro.

Bastou para que a mão esquerda do mais velho se enroscasse nos fios da nuca de Itachi e os puxasse com força para que um longo e alto gemido soasse, atiçando o animal que vivia dentro de Shisui. Ele sugou o pescoço do primo e aproveitou sua distração para buscar o lubrificante dentro da gaveta do criado-mudo ao lado da cama.

As mãos de Itachi subiram por suas costas e o arranharam com vontade ali. Shisui voltou a se afastar do menor.

- De bruços – mandou, vendo como o primo o obedecia prontamente na cama, assim como em todos os outros contextos e situações.

Abriu o lubrificante e o espalhou pelos dedos longos, se debruçou sobre o primo e enquanto beijava o pescoço alvo dele, introduzindo o dedo médio devagar. Itachi gemeu sobre si e em seguida se virou para capturar seu lábios em um beijo apaixonado. As línguas se arrastavam ferozes, contrapondo o movimento suave de seu dedo.

- Tachi... – resmungou esfregando-se contra o corpo delgado.

O próprio Itachi puxou seu cabelo para o lado, de forma que não impedisse sua visão de Shisui atrás de si, e assim que os lábios do mais velho capturaram o lóbulo de sua orelha, ele sentiu o segundo dedo entrar, causando-lhe um arrepio delicioso. Levou a mão ao membro do parceiro e começou a acariciá-lo com vigor, sentindo a exasperação de Shisui em sua nuca, arrepiando seus pelos.

Em poucos segundos o terceiro dedo entrou e Itachi já sentia todo o corpo vibrar com a precisão de Shisui em acertá-lo na proposta. Suava e também sentia o suor do corpo másculo atrás de si, sabendo que faltava pouco para ser invadido pelo mais velho.

- Shisui, você demora demais – bronqueou, remexendo a bunda contra a mão do amado.

Sentiu a risada baixa dele quando os dedos saíram de seu interior, em seguida o gel lubrificante foi espalhado por sua entrada e depois sentiu quando ele se posicionou atrás de si, e para facilitar seu trabalho, Itachi empinou o quadril, deixando o corpo apoiado no cotovelo direito enquanto a outra mão separada suas nádegas.

- Eu te amo – Shisui sussurrou em seu ouvido, se introduzindo sob o gemido languido de Itachi.

Não esperou pela permissão dele, arrematou com firmeza para dentro e continuou se movendo com precisão, buscando o próprio prazer e o do outro. Itachi agora estava totalmente de bruços e usava uma das mãos para apertar os lençóis da cama, a boca mordia o travesseiro para impedir que seus gemidos saíssem muito altos, e a outra mão apertava a bunda do namorado, chegando a arranhá-la um pouco.

- Puta que pariu, você é muito gostoso – Shisui disse, em seguida mordeu o ombro do parceiro e depois distribuiu beijos pela costa esguia e suada.

- Shisui! – gritou quando uma estocada atingiu seu ponto de maior prazer e os olhos lacrimejaram.

Itachi inclinou a cabeça pra trás, largando o travesseiro para respirar audivelmente pela boca, e Shisui continuou investindo avidamente contra o mais novo, sabendo o quê o corpo trêmulo de Itachi indicava, buscou a mão dele no lençol, entrelaçando seus dedos e os apertou.

- Ah...

- Porra!

Ambos gemiam descontroladamente agora, sentindo o calor dos corpos queimarem nas regiões baixas e o suor escorrer até molhar a cama e também a conexão que tinham naquele momento.

O laço que os unia era muito mais forte do que o sanguíneo, já que ambos sabiam que estavam destinados a se encontrarem e permanecerem juntos, afinal, como poderia ser diferente? Como poderia existir a possibilidade de Shisui sem Itachi e vice-versa?

- Shisui!

- Itachi!

Os nomes foram ditos no mesmo segundo. Shisui enterrou a cabeça na curvatura do ombro de Itachi, e este apoiou a testa no colchão, completamente extasiado pelo recém orgasmo.

Ficaram ali abraçados por mais alguns minutos até Shisui se retirar dele e cair ao seu lado no colchão, sonolento. O mais novo o olhou de esguelha e analisou a expressão relaxada e confiante que tanto amava, percebendo o sorriso largo que despontava nos lábios carnudos.

- Shisui – chamou, vendo os olhos cinzentos o fitarem – Eu vou lutar por você como lutaria pela minha Vila.

E aquela simples frase era o “eu te amo” de Itachi. Shisui entendia e pra ele era mais do que suficiente. Sorriu apaixonado e beijou o menor nos lábios, sugando-o como se precisasse daquilo para viver.

- Você se lembra de quando éramos crianças e eu disse que nos casaríamos? – perguntou arrastando o nariz pela bochecha de Itachi, que riu pela lembrança e assentiu – Pois bem, você aceitou naquele dia...

- Você achava que eu era uma mulher, Shisui... – retrucou com uma sobrancelha arqueada, como se isso invalidasse seu pedido.

- Porra, para de ser estraga-prazeres. Eu pensei que era uma mulher, verdade, mas eu já te amava ali – deu de ombros – Continuando: pedi você em casamento de novo depois que começamos a ficar juntos, você me chamou de ridículo e depois foi embora caminhando... – Itachi o fitou com uma expressão abatida, mas assentiu se lembrando do ocorrido.

- Achei que nunca...

- Eu sei – cortou a fala dele – Minha pergunta agora é: Tachi, você quer passar o resto dos nossos dias comigo?

Os orbes ônix fitaram o parceiro com intensidade e isso bastou para que Shisui sentisse seu estômago embrulhar, ansioso pela resposta definitiva daquela pergunta tão especial.

- O que mais eu posso dizer? Você decide. Eu sei que nós somos um, só eu e você. ³

Shisui gargalhou e em seguida puxou Itachi para seus braços. A perspectiva de que finalmente estavam dando aquele passo era surreal, porém tangível. A presença desagradável de Sasuke anteriormente era uma prova de que finalmente estavam concretizando seus planos. E se eles haviam conseguido parar o Golpe Uchiha, mudar a mentalidade de Fugaku não seria tão difícil, não uma segunda vez.


----- X ----


Link do grupo shiita: https://www.facebook.com/groups/CSSHIITA/

Link do grupo FNS: https://www.facebook.com/groups/122359598449326/

LINK DA MUSICA INSPIRADORA: https://www.youtube.com/watch?v=e0dJVCNfRI4

¹ = Frases contidas na Fanart da capa

² = Meu headcanon em que quando o golpe não se concretiza, Fugaku e Kagami se tornam conselheiros oficiais de Konoha, porque dessa forma os Uchihas ganham prestigio e estarão por dentro dos mandatos da Vila.

Espero não ter decepcionado <3 Vamos bater um papinho?

March 24, 2018, 8:18 p.m. 2 Report Embed 2
Read next chapter What is Love? - cap.2

Comment something

Post!
Cecilia Jarske Cecilia Jarske
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA QUE CAPÍTULO LINDO! QUE LEMON DELICIOSO E CHEIO DE AMOR ENTRE AMBOS! sz Tem como não amara ShiIta, gente?! Putz. Eu amo esses dois, e ri com o Sasuke ciumento e afrontoso com o primo! HAUAHAUHAUAHUAHA Bem o jeitinho de Sasuke mesmo fazer isso, eu consegui imaginar perfeitamente a cena. xD Ain, que lindinho que ambos se assumiram e apesar de toda a merda do preconceito, estão dispostos a lutar contra o mundo para ficarem juntos! AWWWNNN <3 Beijos :*
Nov. 30, 2018, 9:55 a.m.

  • Vany-chan 734 Vany-chan 734
    Olaaar! Ah, eu me dediquei pra escrever esse lemon (eu não gosto de escrever lemon hahha), mas é bom saber que te agradou!! <3 Eu gosto de explorar várias possibilidades no UN, e nessa eu quis o clã uchiha sendo bastante homofobico, entao está ai. Ambos lutando pra poderem ficar juntos e um Sasuke ciumento que acha o Shisui pouco pro irmao HAHAHA Dec. 2, 2018, 1:18 p.m.
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!