Short tale
2
6412 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Único;

Há tantas fotografias espalhadas pela parede com a tinta já desbotada pelo tempo, nelas os rostos de tantas pessoas em que algum momento no passado faziam parte de minha vida e agora não passam de meros desconhecidos. No meio de tantos sorriso eternizados existe um em especial que se destacada dos demais, um olhar hermético que escondia os mais belos pensamentos dos quais eu tive a chance de os ouvir um a um ao amanhecer, quando despertava de seu sono e me contava sobre seus sonhos.

A saudade que eu sinto de você, meu bem, é imensurável e dilacera a alma.

Sabe-se lá por onde você andou e por onde anda, mas carregou meu coração junto a você. Levou de mim o que eu te entreguei e pedi para que cuidasse com amor, cuidasse do coração coberto de cicatrizes; ele já estava coberto delas antes de você e quando discutimos pela última vez mais uma entrou para coleção, e eu achei que não faria tanta importância assim.

O calendário não costuma mentir, os dias se passam tão lentamente que se tornam maçantes sem sua presença aqui. Quando estava ao meu lado parecia que meus olhos estavam vendados e você me guiava por aí para que não tropeçasse. O calendário não costuma mentir e já se passaram alguns meses, mas ainda estou com um vazio no peito. E, droga, você sabe disso porque levou o que havia daqui, levou meu coração com você e nunca mais voltou.

March 18, 2018, 4:56 p.m. 0 Report Embed 2
The End

Meet the author

Swaturn Sorrindo para o caos e abraçando a felicidade. Dona de mim mesma, só entro no jogo se a aposta for alta. Dinheiro? que nada! aqui se fala das coisas da alma.

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~