Loucamente Minha - Season 1 Follow story

luadnutella Yu Amae

Sasuke Uchiha, um executivo de 27 anos, dedicado, sério e com um desejo por silêncio e perfeição. Em uma noite qualquer, se dispõe a sair com um amigo, para a mais nova boate da cidade, e lá, tem o deleite de encontrar a mais bela mulher que viraria sua vida de cabeça para baixo. Uma menina animada, misteriosa, feliz, com um corpo bonito, olhos encantadores e um sorriso que o deixava sem fôlego. Eles se entregam a uma louca paixão, onde somente os desejos e prazeres são aceitos. Porém, apenas a verdade é o suficiente para acabar com um romance que parecia perfeito, mas o amor continua no ar, até eles mesmos se descobrirem incapazes de viver uma louca paixão sem o outro.


Fanfiction For over 18 only.

#Romance #Naruto #Sexo #Hentai #SasuSaku #NaruHina #GaaIno #Romance Proibido
13
5247 VIEWS
In progress - New chapter Every Saturday
reading time
AA Share

Capítulo 1 - A Boate Seven Nigh

Capítulo 1 – A Boate Seven Nigh.

Escrita por, Lua Paiva.

(2014)

+ +


A iluminação e o estrondo alto da música preenchia toda a rua da boate Seven Nigh na noite de quinta-feira.

Pessoas do lado de fora lamentavam pelo tamanho enorme da fila que, infelizmente, dava volta no quarteirão do bairro chique, para entrar na boate do momento naquela noite quente. Na portaria, um segurança de braços fortes e barriga saliente, vestido adequadamente para o serviço da noite, encarava a quantidade de pessoas presente ao seu redor. Muito pouco se importava com quais queriam entrar logo.

A boate estava lotada, e para o azar de alguns, cheia de estudantes da academia de dança da esquina, os amigos preferidos de Sasha, o segurança. E claro que ele jamais cogitaria que entrasse qualquer um para se misturar aos dançarinos.

— Pode me dizer novamente o que nós viemos fazer aqui? – A voz fria de um moreno de terno escuro sem gravata soprava nos ouvidos do amigo mais à frente. – Como vamos passar por toda essa gente, e entrar nesse lugar vulgar?

Sasuke Uchiha, um homem sério demais para uma ida a boate famosa do momento. Um homem pacato e cheio de regras. Pele clara, olhos negros, corpo malhado. Aos seus 27 anos, trabalhava na empresa principal da Família Uchiha, onde foi posto e ordenado a atuar no cargo maior da empresa, no lugar de seu pai.

— Relaxa, cara! Você quase não sai – Naruto Uzumaki, seu melhor amigo, acusou-o em meio à multidão com um sorriso largo no rosto. Acenou para o segurança e puxou o Uchiha pelo braço. – Sasha, como vai? Essa noite está agitada, não? – O Uzumaki lhe perguntou sacana, escondendo uma contável quantia em dinheiro dentro do terno do segurança.

— Seja muito bem-vindo outra vez, Sr. Uzumaki – Respondeu o homem de corpo largo, com um sorriso camarada para o loiro, e deu passagem para que os dois homens entrassem.

Naruto puxou novamente o Uchiha pelo braço, e então, adentraram no lugar barulhento e pouco iluminado. As luzes piscavam sem parar a cada batia da música eletrônica absurdamente alta. Sasuke tocou em sua cabeça e balançou a mesma, negativamente, furioso. Como pôde novamente, confiar em seu melhor amigo?

Perguntou-se mentalmente, antes de uma turma de mulheres bêbadas, e nada cheirosas, passarem ao seu lado, tocando-o. Ele irritou-se ainda mais, e procurou por Naruto mais à frente. Seguiu seu amigo, pois pela velocidade, sabia exatamente para aonde ele ia.

— E quando decido sair você me traz em um lugar assim – Ele esquivou-se de outra mulher. – Aqui só deve haver uma boa quantidade de gente vulgar e, pessoas que não prestam Naruto – Pigarreou ele, irritadíssimo.

— Cara, você precisa arranjar alguém para transar – Balbuciou Naruto, virando para ver o amigo. – Estresse é falta de sexo, amigo. E desse jeito você vai ficar louco. – Ironizou sorridente.

— Você acha que eu teria coragem de pegar prostitutas? – Naruto olhou ao seu redor. – É só o que vejo aqui.

— Ei, calminha aí! – Naruto se pôs a defender o lugar. – Aqui não tem esse tipo de mulher – Indagou o loiro, confiante.

E para seu azar, no mesmo momento sentiu um corpo ser jogado contra o seu. Sasuke perdeu toda a paciência que guardava. A mulher, possivelmente bêbada, jogou-se propositalmente sobre si. E contra a vontade de Sasuke, ela tentou lhe beijar. O Uchiha a deteve bem a tempo e com vergonha da tentativa falha com aquele homem se pôs a gargalhar sem ânimo algum.

Sasuke fitou o estado dela e, raivosamente, levantou o rosto para ver seu amigo sorrir amarelo. Lançou-lhe um olhar assustador, capaz de espantar qualquer um. O loiro tremeu as pernas puxando o braço da garota rapidamente em outra direção que não fosse Sasuke. O Uchiha passou a mão em seu terno caro e olhou novamente para Naruto.

— Tá – o Uzumaki manuseou a mão no ar dando de ombros. – Menos aquela mulher.

— Este lugar está cheio de putas e mulheres sem escrúpulos e mediocridade, Naruto. Vamos embora. – Bradou o Uchiha.

— Calma Sasuke – O loiro rodeou a mão por cima dos seus ombros, animadamente. Sasuke fechou os olhos, ainda irritado com o que aconteceu há poucos minutos. Além de que, o cheiro de tanta bebida misturada estava o deixando enjoado. – Vamos tomar uns drinks.

— Prefiro tomar em casa – Ressaltou andando. – A música está alta demais e esse cheiro de perfume barato está ficando impregnado na minha roupa.

— Você é tão humilde – Naruto revirou os olhos. E em fim, chegou ao seu destino. – Você é muito chato, aproveite e relaxe. – Pediu o loiro, animado. Virou-se para o garçom que abria uma cerveja para outro cliente. – Oi. Quero um drink, por favor– Pediu educadamente e, então, olhou para Sasuke. – E você?

— Uma dose tripla de uísque escocês – Murmurou e fitou a garçonete ao lado que riu maliciosa, mostrando seu generoso decote.

Sasuke encostou-se ao balcão ainda com raiva por ter sido levado àquele lugar. Era sujo, mais do que um Uchiha podia suportar, era vulgar além da medida, era demasiadamente repugnante para seu gosto. As mulheres dançavam aleatoriamente, e com qualquer corpo que encostasse atrás das mesmas. Sasuke odiava aquilo tudo, os chamava de sem classe, uma turma de medíocres.

— Aqui está – alarmou o garçom à Naruto e a garçonete logo reapareceu com a bebida do Uchiha, que nem se quer a olhou. – É a primeira vez de vocês por aqui? – O garçom perguntou a Sasuke, que o fitou de canto de olho.

— E a última – Respondeu, enquanto bebericava sua bebida gelada pelos cubos de gelo. – Não gosto de lugares onde só tem pessoas fúteis e sem classe. É muita vulgaridade.

O uísque desceu queimando pela garganta do moreno, incendiando até o último suspiro. Ele riu. O líquido tinha um gosto ardentemente bom.

— Ofendeu gatinho – A garçonete debruçou-se sobre o balcão deixando à mostra seu decote do vestido minúsculo. – Você precisa... relaxar de vez em quando. – Exclamou a mulher sorridente. Naruto entendeu as segundas intenções da moça e riu com aquilo, reparando bobamente no volume dos seios.

— Relaxo mais sentando em minha poltrona, na minha casa – o sorriso insinuativo da mulher sumiu quase que imediatamente.

— Sasuke, para de ser tão rabugento – Murmurou Naruto, sem parar de prestar atenção no grande volume dos seios da mulher.

Sasuke pensou em falar certas verdades para o loiro descuidado e idiota, mas achou melhor se calar por hora, girou seu corpo para o outro lado e seus olhos encontraram algo bem melhor, um alguém muito melhor. Sasuke friccionou as sobrancelhas, admirando a mulher encostar sua delicada barriga na beira do balcão sujo. Um sorriso singelo enfeitava seu rosto alvo e bonito. Seu mundo pareceu parar ao redor, seu coração palpitou por dentro de emoção e um desejo recém-descoberto.

Ele tirou a atenção do sorriso dela e desceu para o corpo pecaminoso, seios bem guardados dentro de um vestido verde, meio desalinhado no corpo pequeno, mas ainda assim, muito elegante para a noite. Eram notáveis as belas curvas, a silhueta era de uma mulher desejosa e encantadora. Seu rosto denunciava um ar de timidez, mas ainda estava naquele lugar repugnante.

Seus lábios pintados de uma cor fraca abriram e fecharam ao falar com o garçom, e Sasuke deleitou-se da movimentação sensual. O cabelo era delicadamente comprido, e rosa. Encontravam-se meio desalinhado, mas continuavam bonitos, dando-a um ar de exótica, totalmente custosa de se esquecer.

Uma bela mulher.

— [...] não é Sasuke? – Naruto olhou para o amigo, e este estava concentrado demais na mulher na sua frente para se importar com perguntas idiotas. – Ei cara, tá me ouvindo?

Naruto chamou sua atenção e só depois olhou na direção em que o moreno olhava fixamente, e encontrou a mulher com um sorriso gracioso. Mas diferente de Sasuke, Naruto não teve o privilégio de reparar melhor no corpo pequeno, porém, deslumbrante, pois logo a moça segurou duas garrafas de água e foi embora. E ali ficaram dois homens olhando para o vazio que ela deixara.

— Nossa! — Naruto exclamou atordoado e ainda buscando achar a visão da mulher entre milhares de cabeças. Logo Sasuke virou-se para ele novamente. – Fiquei encantando, aquele corpo é... Uau. – Brincou o loiro virando-se para o bar novamente.

Sasuke não disse nada. Olhou a silhueta da mulher caminhar e desaparecer no meio de toda aquela gente. Voltou-se igualmente para o bar e olhou para seus pés, em seguida subiu a visão para o amigo, levando novamente o copo de uísque à boca para saborear.

— Como era bonita – Comentou Naruto.

— Hm... – Sasuke encarou o copo em cima do balcão na sua frente. – Deve ser apenas mais outra prostituta aqui desse lugar asqueroso – Declarou o Uchiha.

— Na verdade não, meu caro senhor – O garçom chamou atenção de ambos. – Sakura é uma aluna da Academia de Dança da esquina. Adora essa boate porque gosta de dançar. Nunca a vi com algum homem, e olha que muitos deles dão em cima esperando conseguir alguma coisa. O negócio dela é apenas a dança, por isso, corta todos que se aproximam, e ninguém nunca soube o porquê.

Ele explicou lentamente, enquanto limpava uma taça vazia com um pano branco.

— Até homens mais sérios, como vocês, que parecem ser de uma classe mais alta, insinuaram em tê-la em sua cama, o que foi em vão.

Os dois se olharam e riram baixinho. De fato, aquilo parecia impressionante para uma beleza exuberante como a menina possuía.

— Sakura de quê? Não tem um sobrenome? – Quis saber Naruto, mais empolgado, tanto pela fama, quanto pelo belo corpo.

— Ninguém aqui sabe. E até acho melhor. Não sabemos muito dela, apenas que gosta de dançar e que é doce e gentil, amável, boa pessoa.

Sasuke deu mais uma olhada para trás, buscava encontrá-la outra vez, se a sua fama fosse realmente essa, se perguntava duramente o que ela fazia em um lugar como aquele? Naruto, mais interessado ainda, procurou saber mais pelo garçom que lhe respondeu segundos atrás. Quando Sasuke voltou sua atenção para o amigo, percebeu que o loiro já falava alto o suficiente para se mandarem.

Botou a mão no bolso de trás em busca de sua carteira, pagou sua bebida e olhou para o Uzumaki.

— Vamos – Ordenou Sasuke roucamente, entregando outra nota a mulher oferecida.

— Parece criança – Naruto sussurrou raivoso. Arriscou uma olhada para Sasuke e se arrependeu ao encontrar um olhar frio e maldoso. Engoliu a seco e virou-se na mesma hora. – É, vamos!


+ +


— Sakura – Hinata se juntou à amiga, e então ambas olharam em volta, para o desespero da morena de olhos perolados, ela avistou a criatura grotesca e insensível não muito longe. – Vamos embora, “ele” está aqui.

— Mas... É, vamos. – Sakura inspirou, precisava de fôlego para não viver mais uma noite de terror. – A Ino não vai querer ir embora com a gente agora. Ela gostou do Gaara, que... – Sakura parou e fitou sua amiga ao lado –... Você estava pegando.

— Esquece isso. O mais importante no momento é você. Vamos! – Chamou a rosada, ansiosa.

Agarrou o braço de Sakura que já se encontrava pálida e caminhou com ela por entre aquela gente toda. As pessoas dançando, suor escorrendo pelo corpo, as luzes brilhantes e a música alta, eram assim que as duas amavam estar, mas no momento de fuga, nada as faria ficar no lugar.

Na entrada, só encontraram mais pessoas, Sakura riu de canto e Hinata botou as mãos na cintura, uma de cada lado.

— Fácil entrar – Sakura murmurou.

— E uma briga para sair. – Completou a morena, suspirando.


+ +


Sasuke juntou-se a multidão bem na hora que um grupo excessivo entrou. Infelizmente, um empurra-empurra se instalou no local, Sasuke fechou os olhos para poder reter sua irritação e a vontade de matar Naruto.

— Você devia saber o quanto eu odeio lugares assim – chiou Sasuke.

— Calma Sasuke. Isto é apenas um contratempo.

Sasuke bufou de raiva. No aperto, infestado por perfumes baratos e sufocantes, o moreno se viu irradiando arrogância e ódio. Uma irritação profunda, capaz de superar todas as pessoas juntas existentes no lugar.

Em meio a aquele turbilhão de irritação, Sasuke sentiu seu coração acalentar-se de repente, o que não podia acontecer quando se estava no meio de uma grande multidão malcheirosa. Mas tudo ficou calmo, o ritmo das batidas foi ficando lento, reconfortante, suportável. Um calafrio passou por seu corpo, e ele se agitou, ajeitando o paletó em seu belíssimo corpo.

E como se o destino não gostasse dele, – assim ele entendeu – a briga aumentou, tanto para quem queria entrar, quanto para quem suplicava para sair. As pessoas empurravam umas às outras, e foi quando um corpo foi jogado contra o seu. Sasuke xingou alto, porém, diferente da mulher de outrora, essa cheirava agradavelmente bem.

— Naruto – Sasuke chamou olhando para os lados enquanto segurava a pessoa em seus braços. – Naruto?

Ele olhou para frente e pôde serenamente enxergar os olhos doces e esmeraldinos da rosada em seu peito, ela apoiou seus braços sobre os dele e parou para repará-lo. Sakura o olhou intensamente, Sasuke era um homem bonito, tão lindo, muito mais que qualquer outro homem. Seu rosto pálido aparentava arrogância e raiva naquele momento, porém, desenhado pelos anjos da guarda, e lábios chamativos como nunca havia visto.

Sakura tomou uma coloração avermelhada em seu rosto, o que deixou Sasuke ainda mais fascinado pela beleza da garota. Apoiou-se ainda mais sobre os braços fortes, e um desejo correu por suas veias. Sakura arfou nervosa. Sentia uma eletricidade passar por seu corpo que a deixou abobalhada por alguns segundos.

Tal como ele.

A voracidade que a eletricidade tomava seu corpo era malévola, tenebrosa e assustadora. Ele pestanejou. Seus olhos dilaceravam os dela tão brilhantes e reluzentes. A rosada soltou um grunhido ali. Estavam sendo sugados para um mundo sem nome. Ele frisou seus lábios convidativos, suas mãos desceram até sua cintura consensualmente, sem nunca distanciar ou desviar seu olhar do dela.

Depois que a multidão se dissipou, ele pôde folgar um pouco a distância dos corpos. Sasuke sentiu seu coração todo se incendiar, como nunca tinha acontecido. Um olhar tímido e sensual estava direcionado a ele.

Somente a ele.

Mesmo sendo tão tentadora, era ao mesmo tempo tímida e gentil.

Já ela estava ali, novamente petrificada e encantada por toda a beleza e masculinidade que ele irradiava. Era alto, moreno, e dono de olhos negros tão profundos. Um corpo bem delineado dentro do paletó escuro, contornando sua musculatura estável. Mesmo com a boate escura, eles se viam a cada piscar das luzes eletrônicas.

Encaravam-se possessivamente.


+ +


Continua...


Capítulo 2 – Um Encontro com o Destino.

March 10, 2018, 9:41 p.m. 1 Report Embed 1
Read next chapter Encontro com o Destino

Comment something

Post!
Sra Peroka Sra Peroka

AAAAAAH QUERO MAIS!
March 21, 2018, 6:04 p.m.
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 2 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

Log In with Facebook Log In with Twitter

or use the regular login form