4 da manhã Follow story

xhasashi Hasashi Rafaela

Sem romantismo, sem nenhum tipo de frescura ou tabus. Era o puro e único sexo. Naruto às vezes se questionava o motivo de ainda se sujeitar a isso, quer dizer: Ela era a sua ex-namorada. Haviam terminado um relacionamento de quase três anos alegando que não existia mais química. Porém como uma piada pronta, o destino trouxe ambos para a mesma festa. Não demorou para a bebida fazer efeito e os dois acabarem indo parar no banheiro e fazendo de tudo um pouco por ali. E desde então os dois passaram a se encontrar quando tivessem vontade, sem compromisso e sem cobranças. Até uma noite, as coisas mudarem drasticamente.


Fanfiction For over 18 only.

#songfic #Naruto #Naruhina
11
6.9k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Se bater saudade, vou ligar de madrugada...

“Eu vi que me mandou mensagem e diz não ter saudade.

Orgulho e vaidade.

Senti, que sentiu minha falta,

implora pela volta e mesmo assim me solta...

Ouvi, que quer me ver de novo, mas relação só dura

quando ninguém do povo sabe...”

Duas da manhã e um carro preto estava parado em frente a um condomínio fechado tão conhecido dele. Aquelas mesmas mensagens com o mesmo intuito. O caminho de onde e para onde os dois conheciam de cor, não precisava mais de formalidades ou meras conversas para criar um clima e não era necessariamente romântico.

Estava prestes a tomar um banho e se jogar na cama após ter bebido pelo menos umas três taças de vinho. 01:30 da manhã e aquele texto que não precisava de muita coisa.

“No motel de sempre? Esteja em minha porta até às 02:00.”

Sem romantismo, sem nenhum tipo de frescura ou tabus. Era o puro e único sexo. Insuportavelmente bom, mas ainda sim: Sexo por sexo.

Naruto às vezes se questionava o motivo de ainda se sujeitar a isso, quer dizer: Ela era a sua ex-namorada. Haviam terminado um relacionamento de quase três anos alegando que não existia mais química. Porém como uma piada pronta, o destino trouxe ambos para a mesma festa. Não demorou para a bebida fazer efeito e os dois acabarem indo parar no banheiro e fazendo de tudo um pouco por ali.

E foi isso, a partir daquele fatídico dia eles se encontravam para transar. Hinata mandava mensagem, e ele ia ao seu encontro.

No começo, não conversavam sobre absolutamente nada. Ela entrava em silêncio e voltava calada. Dormiam na boa e velha conchinha, tomavam até um banho juntos e trocavam algumas palavras sobre banalidades. Depois de um ano dessa rotina, ao menos passaram a conversar sobre o dia, reclamar de seus respectivos chefes, amigos e até de seus casos.

Estava distraído olhando para frente que apenas ouviu uma batida na janela, saiu do carro como sempre para abrir a porta para ela. Eles não eram mais namorados, mas era inegável o quão fatal ela era com aquele vestido preto colado no corpo deixando escapar a cinta liga por baixo naquelas pernas tão maravilhosas que o faziam salivar.

- Você veio rápido, achei que ia atrasar. – Hinata falou sorrindo de canto após dar um beijo rápido.

- Eu já havia tomado banho, apenas precisei me arrumar. – Aquele sorriso cafajeste que Naruto sustentava em seus lábios...

Sem dizer nada, ela entrou e fechou a porta. O Naruto deu a volta para seu lado e entrou no carro. Se acomodou no banco, colocou o cinto e rumou em direção ao motel de sempre.

- Para onde vamos dessa vez? – Perguntou mesmo sabendo o óbvio.

- Sua casa. – Respondeu tranquilamente o fazendo olhar boquiaberto.

- Tem certeza?

Bom, eles sempre iam para o motel. Fazia um ano que os encontros eram apenas no mesmo lugar. Hinata não havia ido para o apartamento dele desde que terminaram o namoro e isso já fazia mais ou menos dois anos. A Hyuuga julgava que aquilo era íntimo demais para o que eles compartilhavam, mas naquele dia foi diferente.

- Absoluta, a não ser que você não queira.

- Sem problemas.- Apesar de ter achado estranho, mudou o caminho e passou a ir para sua casa. – E o seu chefe? – Perguntou tentando afastar o clima que havia se formado.

- A mesma merda de sempre, mas ao menos a vontade de manda-lo ir para casa do caralho tem diminuído. – Suspirou e olhou para o lado. – E o seu?

- O mesmo filho da puta de sempre. Me segurou até mais tarde na empresa hoje. – Naruto colocou uma das mãos na perna dela. – E aquele cara que você tava pegando?

- Esse eu mandei pra casa do caralho. – Foi então que o loiro riu.

- Por que? Achei que você gostava dele. Quer dizer, fazia dois meses que você não me mandava mensagem para nós transarmos.

- Enjoei rápido. – Hinata respondeu olhando para as unhas. – E o sexo não era tudo isso.

- Você que é exigente demais. – Naruto respondeu sorrindo de canto e apertou a perna dela a fazendo suspirar pesadamente.

- Ou eu compreendi que apenas uma pessoa sabe me tocar. – Respondeu olhando para ele.

O Uzumaki sentiu um arrepio percorrer a espinha, principalmente por aquele olhar ter sido tão direto.

- E quem seria?

- Eu mesma. – Deu de ombros e ele riu. – O que foi? Achou que eu diria você? – Foi sua vez de rir. – Não é porque você me come direito e faz o trabalho certo que vou ficando pagando pau pra você, Naruto.

- E mesmo assim você me manda mensagem. Você e esse seu ego enorme. – Foi a vez de ele sorrir de canto e ela revirar os olhos.

- Eu tive três anos pra te ensinar, depois disso não tive paciência pra dar aula pra mais ninguém. – Os dois caíram na risada. – E a sua pegada?

- Cansei. – Falou francamente. – Ela quer algo que eu não quero.

- Compromisso? – Direta e reta como sempre.

- Exatamente.

- Mas ela parecia legalzinha. Mas você continuava indo atender meus chamados pra transar, você não pensa que uma hora ou outra vai acabar se apaixonando por alguém? – Hinata perguntou e ele a olhou.

- Tem medo de perder sua foda fixa? – Aquele assunto estava entrando em um terreno perigoso.

- Talvez.- A Hyuuga pela primeira vez naqueles anos falou algo desse nível. – E você? Tem? Quer dizer, ficou esperando eu te mandar mensagens por dois meses?

É, as palavras delas o acertavam como um tiro.

- Até quando nós vamos fingir que é só sexo, Hinata? – Chumbo trocado não dói, não é?

- Eu te fiz uma pergunta. – Respondeu sorrindo de canto.

- Eu também fiz. – Naruto rebateu e retribuiu o sorriso. – Mas para responder à sua pergunta, realmente fiquei preocupado. Tive medo de você nunca mais mandar mensagem.

- Difícil isso acontecer, Uzumaki. – Ela cruzou os braços. – O problema é que sexo com ex-namorado, traz lembranças indevidas e pensamentos de “o que eu poderia ter mudado naquela época".

- Nós éramos jovens, inconsequentes e que não conheciam nada sobre a vida, Hyuuga. – Mesmo com a noite no céu, aqueles olhos azuis brilhavam. - Hoje as coisas são diferentes.

Silêncio, ela não disse mais nada e permaneceu calada.

Foi naquele instante que Naruto sentiu um enorme balde de água fria em sua cabeça. Quer dizer, sempre teve certeza que Hinata seria o amor de sua vida. Mas quando as coisas começaram a esfriar e terminaram, sentiu seu mundo desmoronar. Quando finalmente estava esquecendo a maldita ex, a encontrou na mesma festa um ano depois. E tudo aconteceu, um olhar trocado e bebida alcoólica resultaram em uma foda no banheiro apertado da balada.

Ela passou a ligar, em horários estranhos. O loiro também ligou, mas não era respondido. Foi então que entendeu que as coisas seriam quando Hinata quisesse. No início tentou não ir atrás ou se deixar levar, mas desde a transa mais incrível de sua vida naquele banheiro, seus instintos (ou seu tesão) não o deixavam mais desistir da ideia de vê-la.

Foi então que eles chegaram no apartamento de Naruto. Assim que ela subiu as escadas, o coração bateu um pouco mais forte. Como será que as coisas estariam? Fazia dois anos que não pisada naquele lugar.

- Está mais bonito. – Referiu-se ao fato de ali ter sido sempre tão desorganizado, com móveis de qualquer jeito. – Mudou a cor das paredes, colocou móveis decentes...até parece maior.

Talvez ele pudesse ter respondido o assunto, poderia ter conversado sobre alguma coisa a mais...porém não era para isso que os dois estavam ali.

“Então sai do quarto na ponta do pé,

entra no carro te faço mulher.

Te ofereço um trato e um cafuné.

Sai no sapato e não faz barulho,

vê se não explana o bagulho.

4 da manhã eu meto o pé.”

Quando Hinata percebeu, estava sendo prensada na parede. Um sorriso de canto brotou em seus lábios e se agarrou nos fios loiros sentindo a respiração quente em seu pescoço. Se arrepiava a cada beijo e chupada que recebia ali, talvez Naruto realmente fosse o único que sabia como tocá-la, mas jamais admitiria isso a ninguém, principalmente para ele.

As mãos subiram pelas pernas expostas, segurando a cinta liga presente ali. Ele a forçou para cima a fazendo pular em seu colo, rodeando a cintura dele. Estavam cara-a-cara e se encaravam com aquele semblante de luxúria de sempre. Suas bocas já estavam juntas, as línguas se golpeavam com uma urgência incrível; mas ainda sim, de maneira lenta da forma que os dois gostavam.

O Uzumaki começou a levar os dois para o quarto de maneira desajeitada, primeiro por ela querer beija-lo o tempo todo e segundo pelas reboladas que aquela mulher dava em seu colo. Intensa. Como sempre.

Assim que a colocou na cama, Hinata se levantou. Parou em frente a ele e o puxou pelo colarinho da blusa. Aproximou seu rosto e inalou aquele perfume amadeirado que tanto gostava. Passou levemente sua língua pelo pescoço dele e o fez suspirar alto.

Levou suas mãos para o peito de Naruto e o empurrou para a cama, o fazendo cair. O ele sentou-se e começou a desabotoar a própria camisa, seus olhos azuis estavam fixos nos perolados e a Hyuuga sorria de um jeito tão safado que só aquele semblante poderia tirá-lo do sério.

Os dedos dela foram para a barra do vestido colado no corpo, passaram a puxá-lo para cima e Naruto acabou apertando seu membro por cima da calça em busca de alívio; aquela mulher era um espetáculo.

A roupa preta passou pelo corpo delineado e curvilíneo que a sua ex tinha, exibindo uma lingerie preta de renda que o fez puxá-la para cima dele. Vê-la vestida daquele jeito sem tirar o sapato de salto alto dos pés e com um batom que gritava um vermelho tão vivo o fez praticamente grunhir.

As bocas de ambos estavam novamente juntas, em um beijo desesperado e apaixonado. Naruto a virou de costas, a deixando com a barriga encostada no colchão. Puxou levemente os cabelos longos dela para cima a fazendo suspirar.

Desceu com suas mãos para a abertura o corset que Hinata usava e passou a abrir fecho por fecho. Sentou-se em cima dela, seus lábios foram de encontro a pele macia e alva que começava a ser exposta.

Ela se estremecia, fazia tempo que não sentia Naruto ser tão intenso daquela forma.

Assim que a parte de cima já havia ido aos chãos, permitiu que a Hinata se virasse e o encarasse. Aqueles seios grandes, com os bicos rosados são convidativos fizeram o loiro descer para a região. Chupou e lambeu com maestria cada parte de um e sua mão cuidou do outro que estava sem atenção.

Os gemidos dela eram melodia a seus ouvidos.

Sua língua passou a descer cada vez mais sobre o corpo dela, podia senti-la se arrepiando a cada toque de seus lábios. Estava entre as coxas dela, lambeu aquela região rapidamente a fazendo se contrair agarrada nos lençóis.

Com as mãos, tocou levemente por cima da pequena e fina calcinha que ela vestia, apertando levemente um ponto específico a fazendo tremer. Afastou com os dedos o tecido e lambeu apenas uma vez.

Ela gemeu.

Naruto adorava ver aquela orgulhosa à mercê de seus toques. Ali ela era dele e nessas horas um instinto possessivo tomava conta de seu corpo. Começou a passar sua língua entre os lábios de maneira lenta, rodeava o clitóris inchado em prazer dela como se fosse a melhor coisa que havia experimentado. Quando finalmente a tocou naquele ponto, um grito alto escapou dos lábios da Hyuuga.

- E então, Hinata. – Novamente aquela língua atrevida passou lentamente por sua intimidade, ela contraiu seu corpo outra vez. – Será que seus dedos ou seus brinquedinhos fazem isso?

- Naruto, porra. – Ela respondeu se agarrando nos cabelos loiros enquanto recebia o melhor oral da sua vida. Sabia que o ex sempre acertava como tocá-la, mas aquele dia ele estava de parabéns.

- Você não respondeu minha pergunta, Hyuuga. – Ele a beijava ali de maneira lenta e passando a penetrá-la com um dedo.

- Naruto...- Suspirou e gritou quando ele passou a colocar outro dedo em sua entrada.-

- Vamos Hinata...ou você me responde, ou não te dou o que quer. – Os dedos subiram e massagearam levemente o clitóris dela.

Naquele momento a Hyuuga apenas quis manda-lo se foder, mas estava tão bom e sentia que iria ter um orgasmo a qualquer momento que não queria interromper. Além de no fundo saber que aquele maldito filho da puta tinha toda razão.

- Não. – Falou prontamente.

Um sorriso de canto brotou nos lábios dele, se abaixou novamente e passou a beijá-la ali com intensidade. Ela arqueou o corpo e sentia que poderia explodir em breve. Seus dedos puxavam ainda mais os cabelos dele, pressionando contra seu sexo.

Naruto sentiu o momento que ela deu seu último suspiro pesado e gritou seu nome mais alto. Ela se contraia de maneira deliciosa enquanto corpo caia na cama novamente após seu orgasmo. Com um riso saindo de sua boca, o Uzumaki foi para cima dela. Segurou os braços da ex para cima e a olhou intensamente.

- Me diz que não sentiu minha falta, Hinata. Admite pra mim que outro cara sabe te tocar tão bem como eu.

- O que foi? Qual é desse papo hoje? – Um sorriso de canto brotou nos lábios dela enquanto tentava se recompor.

- Cansei de mentir para mim mesmo. Mas conversamos sobre isso depois. – Sem que ela tivesse oportunidade de falar algo, a beijou intensamente.

O loiro soltou as mãos dela, que foram instantaneamente arranhando as costas já expostas. Não sabia ao certo em qual momento ele havia se livrado da camisa branca, mas preferia assim.

E mesmo que não admitisse: Amava o corpo daquele homem.

Ousou se virar para deixa-lo por baixo, mas foi parada instantaneamente.

- Hoje eu vou fazer o que quiser, Hinata. – Sussurrou no ouvido dela a fazendo estremecer. – Hoje você é só minha.

Nunca iria admitir ser domada, mas aquela voz rouca a deixou de pernas bambas e coração acelerado. O ajudou a se livrar da calça e da cueca rapidamente. Sentiu sua calcinha ser rasgada e ia reclamar, mas novamente ele a beijou com força.

Se agarrou nos cabelos loiros, as mãos dele estavam por todo seu corpo: Apertando e acariciando forte.

A contragosto, ele se levantou, pegou a camisinha que estava dentro de uma gaveta. Rasgou a embalagem com os dentes e a colocou rapidamente.

Sentou-se na cama e puxou Hinata para seu colo. Sem demora, ela se encaixou ali. Sentiu o membro dele invadi-la por completo e ambos suspiraram. Porém, um sorriso perverso se brotou nos lábios dela.

- Então, Uzumaki. - Ela subiu seu quadril e parou ali. - Esse joguinho, dois podem jogar. - Desceu mais um pouco e o fez gemer. - Assim como ninguém me toca como você...- Disse baixo no ouvido dele. - Ninguém te deixa louco como eu deixo. - Assim que respondeu, jogou seu corpo para baixo o fazendo penetrá-la por completo.

Os dois gemeram juntos.

- Vamos, me diz Naruto. - Ordenou após lamber o pescoço dele e rebolar.. - Me diz se tem alguém que fode tão gostoso com você quanto eu. - Outra rebolada, mas dessa vez devagar. - Me diz se tem alguém que rebola em cima do seu pau tão bem como eu faço.

- Não, Hinata. - Respondeu entre dentes, de olhos fechados e com suas mãos se agarrando na cintura dela. - É só você. - Naquela hora, a voz não havia tanta luxúria como antes. E os dois se olharam.

Naruto a puxou para um beijo lento, colocou uma mão na nuca dela e a outra auxiliava nos movimentos. Os dedos da Hyuuga se agarravam em seus fios loiros. Aquilo estava intenso, muito mais que das outras. O sentimento de possessão e uma paixão que ascendeu novamente após tanto tempo estava sendo jogada na cara de ambos. Hinata já pulava em cima dele, seus lábios apenas se encostavam e os olhos se mantinham fechados.

E foi ali, naquele momento e pela primeira vez em anos que os dois gozaram juntos.

~


Quatro horas da manhã em ponto Naruto acordou, olhou para o lado e se pegou sozinho na cama. Aquilo teria sido um belo sonho após ter bebido uma quantidade grande de vinho? Mas não poderia ser possível, sentia o cheiro do perfume de Hinata impregnado em sua cama. Se levantou frustrado, sentando e buscando por seu celular.

Uma mensagem dela.

"Talvez eu continue sendo a mesma orgulhosa de sempre, e isso não irá mudar. Mas definitivamente não quero outra te tocando se não for eu. Esses dois anos provou para nós dois que nosso lugar é perto um do outro. Se quiser tentar e levar isso a frente, reviver algo que nós achamos ter morrido a dois anos...venha me ver. Já avisei o porteiro do condomínio seu nome e disse que poderia deixá-lo entrar sem me consultar. O número do apartamento você já sabe.

Hinata."

Estava em um sono profundo, descansando seu corpo após aquela noite tão intensa de como se lembrava. Mas aos poucos, foi acordando quando sentiu um corpo quente se encostar no seu. A principio, ficou assustada até sentir o perfume amadeirado que ele tinha. Os lábios distribuíam beijos castos em seu pescoços e ela suspirou.

- De algum jeito, sempre volto para você. - Aquela declaração sendo sussurrada em seu ouvido a fez se virar e encarar os olhos azuis.


March 9, 2018, 5:21 a.m. 2 Report Embed 5
Read next chapter Só que essa solução pode ser bem melhor...

Comment something

Post!
Hyu Uzumaki Hyu Uzumaki
March 10, 2018, 6:05 p.m.
Danielle Botelho Danielle Botelho
Uauuuuuu, Rapha!!! Perdi o sono e decidi ler. Estou aqui sem palavras. Adorei muitooooo... Bjosssss Dani
March 9, 2018, 2:56 a.m.
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!