É uma promessa Follow story

yuisamamikaze Yui Sama

Durante um ano ele conseguiu guardar dinheiro suficiente para pagar uma viagem a Rússia e ver o Grand Prix Final. Partir daquele dia ele acredita em milagres, afinal a sua presença ali era um milagre.


Fanfiction All public.

#Minako #Victor Nikiforov #Fluffy #YoI #Yuri on Ice #Victuuri
Short tale
14
6527 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Yuuri não sabia como, mas ele tinha conseguido estar ali, naquele local e naquele momento tão importante para ele. Demorou meses a convencer a sua mãe e o seu pai, um monte de trabalho nas termas da família e claro que muita bajulação, carinho e elogios para a sua irmã mais velha.

Ele juntou todas as suas poucas economias, algum dinheiro que os seus pais lhe deram por trabalhar no osen e mais algum que recebeu do trabalho na loja de conveniência ao fundo da sua rua. Claro que ele pediu mais dinheiro a todos os familiares possíveis, fez biscates sempre que possível, cuidou de cães e crianças mais jovens que ele, para estar ali naquele momento.

Durante um ano ele tinha conseguido guardar dinheiro suficiente para pagar uma viagem a Rússia e ver o Grand Prix Final.

Partir daquele dia ele acredita em milagres, afinal a sua presença ali era um milagre.

Óbvio que ele não foi sozinho, Minako tinha ido com ele para sua segurança e porque queria ver o talento dos patinadores, afinal ela sempre tinha gostado o quanto a patinagem artística era graciosa.

Já Yuuri não conseguia parar quieto no seu banco de tanta emoção que ele tinha, assistir o mundial, estar ali nas bancadas, assistir os melhores dos melhores, era incrível. Ele queria estar ali no futuro, competir contra eles, talvez estivesse a sonhar um pouco alto demais, já que não fazia assim tanto tempo que ele começou a praticar patinagem artística, porém aquilo era o que ele realmente queria.

No entanto o mais especial de tudo era a sua ansiedade para assistir Victor, o atual vencedor de Grand Prix.

Não era simplesmente porque era o portador da medalha “dos melhores entre os melhores”, mas sim porque era Victor. O seu ídolo. Ele era muito brilhante, talentoso, gentil com os fãs, um exemplo de pessoa. Ele poderia dizer com toda a certeza que ele era o seu maior fã, não que ele gritasse aos sete ventos que ele o era, porém ele sabia que não existia mais ninguém que seria um fã maior que ele.

Naquele momento pareceu uma saudade de Vichan, ele deveria ter trazido o pequeno com ele, por mais que sabia que os seus pais iriam cuidar bem do seu pequeno e amado animal, o seu pelo fofo o confortava. Ele poderia ter adotado o cachorro por causa do seu ídolo, mas ele realmente amava o seu animal de estimação.

Ele só esperava que a sua irmã lembra-se de o passear, Vichan gosta de fazer grandes corridas ao final da tarde e ele precisa de muita atenção, se ele sente falta de atenção ele recusa a comer e se enrola todo num canto, a sua mãe certamente iria lembrar de alimentar o seu animal já que ela tinha um carinho grande para o pequeno, mas ver ele triste vai a fazer preocupada…

Bateu com a mão na testa e resmungou por entre os dentes o quanto era idiota, pronto para pegar no celular para telefonar a sua mãe para poder falar com o Vichan, mas Minako parou ele a meio do caminho.

— Já telefonaste umas cinco vezes desde que estamos aqui a espera. Vichan está bem, eles vão cuidar bem dele. — Minako falou com voz calma mas aborrecida, ela estava a começar a ficar irritada por Yuuri não parar quieto, normalmente o menino era tão sossegado… Ela compreende que ele vai ver o seu ídolo ao vivo, mas isto estava a começar a ser demais.

— Mas o Vichan…

— Ele está bem. — Assegurou a mais velha.

— Da última vez que liguei ele ganiu. — Contrapôs o menino.

— É o teu animal, é óbvio que ele tem saudades tuas, mas isso não quer dizer que ele não está bem. — Retrucou ainda de fala mansa, já Yuuri só apertava o aparelho nas suas mãos um pouco nervoso.

— Mas…

— Sem mas nem meio mas Yuuri! Só espera daqui a pouco vai começar a competição! — Disse animada e piscou para ele, ele limitou-se a sorrir em resposta.

Não faltava muito para começar a competição, todos os patinadores começaram a fazer o reconhecimento da pista e Yuuri sentiu o seu olhar alargar quando viu uma figura de cabelos longos prateados que patinava com uma graça diferente da dos outros. Não era nada comparado a um programa, mas vê-lo a deslizar por cima do gelo já era lindo.

Ele não desviou o olhar nem por um segundo, Minako curiosa olhou em direção a onde o seu aluno olhava, não fui grande surpresa quando percebeu que o menino olhava o atual campeão e seu ídolo, Victor Nikiforov. Era um homem lindo com certeza, não era estranho que ele tivesse tantos fãs, aliás aquele cabelo era realmente lindo.

Como é que um homem tinha um cabelo melhor do que o dela?

Grandes mistérios da vida…

— Então aquele é o patinador que tu gostas… — Comentou Minako enquanto via Yuuri ficar com a ponta das orelhas coradas. — Ele é um homem bonito, tens bom gosto Yuuri. — Riu com gosto e recebeu um guincho e um rosto vermelho de Yuuri como resposta.

— N-Não, eu só sou um grande fã dele! — Gritou enquanto balançava as mãos a frente do rosto em negação.

— Não existe motivo para ter vergonha Yuuri, ele é um pedaço de mal caminho mesmo. — Riu mais alto e Yuuri enterrou a cara nas mãos. — Yuuri ele está a olhar para aqui, diz-lhe olá.

Como um foguete a jato, Yuuri levantou a cabeça, ainda com o rosto corado, e reparou que era verdade. Victor estava mesmo a olhar para ali, mas especificamente para eles. Eles deveriam estar a falar muito alto! Porque ele escolheu um lugar tão perto da pista? Oh, ele sabia porque, era porque ele queria poder bem de perto como Victor era… E porque queria conseguir ver os seus olhos azuis esverdeados bem de perto.

Yuuri ficou muito atrapalhado sem saber o que fazer quando percebeu que Victor estava agora a olhar para ele, o seu rosto entrou em combustão, mas deu um sorriso tímido. Yuuri quase que jurava que tinha visto os olhos do patinador arregalar, porém foi interrompido por um grande sorriso descarado do patinador.

— Trabalhas rápido Yuuri. — Minako interrompeu o momento e Victor já estava a sair da pista após o reconhecimento. — A encantar jovens bonitos com inocência, boa estratégia.

— Eu não fiz isso!

— Claro que fizeste.

Calaram-se quando viram que o primeiro patinador iria começar.

A competição correu bem, todos tinham sido fantásticos, ele estava maravilhado com tamanha perfeição que todos tinham. Tanto sentimento, tanta técnica, era como o paraíso para ele. Yuuri queria tanto entrar e patinar com os outros! Mas ele não podia, ele ainda tinha que treinar muito para poder ser como eles.

No entanto quando foi o Victor a patinar, ele tinha esquecido como patinar, tinha sido lindo, ele estava sem palavras. Ele só sabe que saiu o transe depois que a música acabou. Tinha sido como se o corpo de Victor tinha tocado a música dos anjos e quando parou ele saiu do hipnotismo.

Ok, a observação foi muito gay, mas era verdade.

Quando tudo terminou Yuuri sabia que Victor tinha ganho novamente.

E foi exatamente isso que aconteceu.

— Temos que nos apressar se queres um autógrafo do Victor! — Lembrou Minako preparada já para correr para conseguir um bom lugar para Victor poder dar um autógrafo ao seu pupilo.

Antes que esta corresse Yuuri a apara com um puxão na manga.

— Na verdade, eu tenho um amigo que conseguiu com que eu pudesse entrar para falar com o Victor, além de que sou o campeão atual do júnior de Patinagem Artística no Japão, temos privilégios. — Contou Yuuri um pouco tímido.

— O meu menino está a usar contactos, estou orgulhosa de ti. — Disse Minako com um sorriso de canto.

— Não é nada de especial…

— Claro que é, vamos logo!

Eles correram e quando foram bloqueados pelo segurança Yuuri mostrou a sua identificação e logo foi permitido entrar.

— O que fizeste? Pensei que seria necessário falar mais um pouco para podermos entrar…

— Tem um homem, Celestino, ele quer ser meu treinador então pedi um favor a ele… — Contou envergonhado.

— Yuuri. — Disse séria. — É errado usar as pessoas.

— O que?! Eu não estou a usar!

— Eu sei, mas a tua cara de pânico é a melhor. — Ela riu novamente.

Yuuri limitou-se a suspirar.

Continuaram a procura pelos corredores, algumas vezes barrados por seguranças, porém mal a identificação de Yuuri aparecia era como se eles fossem a rainha de Inglaterra e tinham sido convidados para tomar o chá da tarde. A busca foi intensa, mas pararam numa esquina quando ouviram a voz de Victor.

— Não é ele? — Perguntou em voz alta a professora.

— Shhhhhh! — Diz Yuuri em pânico. — Ele não nos pode ouvir!

— Porque? Não é esse o objetivo?

— Errr… Sim, mas…

— Yuuri, tu te esforças-te tanto para estar aqui, para este momento. Tu não podes recuar agora. — Incentivou.

— Porque não vais lá pedir por mim, sensei? — Pediu Yuuri com olhos de cachorro.

— Eu não vou cair nessa! Yuuko-chan anda a te influenciar muito!

— Por favor! — Os olhos de cachorrinho aumentaram.

Minako fechou os olhos e empurrou Yuuri para fora do esconderijo.

Victor olhou para ele.

Yuuri olhou para Minako.

Ela levantou o polegar para cima.

Yuuri engoliu o seco, apertou a caixa de um CD que tinha na mão (o CD tinha todas as apresentações de Victor do ano passado) e caminhou até ele em passos trêmulos.

— Tu és o menino do público. — Lembrou Victor sorrindo, ele falou em inglês com um forte sotaque russo.

Yuuri agradeceu aos deuses que ele estudou muito inglês para poder falar com o seu ídolo.

— S-Sim… — Disse trêmulo, sem saber o que fazer ele estendeu o CD a caneta que tinha no bolso e numa “vênia” embaraçosa pediu baixinho. — Por favor, podes autografar?

Yuuri ouve um riso suave, ele via de Victor, quando sentiu ambos objetos saírem da sua mão ele teve coragem de levantar o rosto.

— A quem devo dedicar? — Perguntou com um sorriso suave e ligeiramente corado, talvez fosse do frio ou da felicidade.

— Katsuki Yuuri.

— Japonês? Eu não sei como se escreve… — Disse Victor desanimado.

Yuuri tirou a sua identificação (que era de Patinador do Japão) e mostrou como estava escrito lá o seu nome.

— Oh, assim é mais simples! — Ele animadamente autografou sorrindo. — Patinas?

— Como sabias? — Perguntou Yuuri admirado.

— A tua identificação. — Respondeu simpático e claro com um riso.

— Oh… — Solta em entendimento envergonhado. — Sim, eu patino.

— É divertido não é? — Perguntou suave.

Yuuri não pensou duas vezes, ele deu um grande sorriso, talvez infantis para a sua idade de pré-adolescente e respondeu com a sua honestidade total. — Sim, é muito.

Victor arregala os olhos com tal sorriso, ele abaixa a altura de Yuuri e com um sorriso mais suave que os outros, o rosto ligeiramente corado da emoção e timidamente coloca o cabelo atrás da orelha. Ele não estava habituado ainda a este tipo de fãs carinhosos e nada assustadores.

— Então eu vou ficar a tua espera, aqui no topo, ok?

Yuuri arregala os olhos. — É-É uma pro-promessa?

— Claro. — Victor estende o dedo mindinho e Yuuri envergonhado faz o mesmo, estabelecendo assim uma promessa.

— Vitya temos que ir. — Chamou o treinador de Victor.

— Já vou!

Ele levantou e foi embora, porém mandou um último olhar a criança que tinha os olhos com determinação.

Sim, ele vai esperar por ele no topo.

Ele só tem que se manter aqui até ele chegar.

Afinal…

É uma promessa.

March 8, 2018, 11:28 a.m. 0 Report Embed 7
The End

Meet the author

Yui Sama YOOOOOOOO PESSOAS. Eu sou a YuiSama! Tenho um gosto muito especial por Animes, Cartoon e o Sherlock Holmes, Tenho escrito mesmo antes de ter conta no Nyah ou no SS, mas sou uma total amadora ainda! Os meus sonhos: Criar uma BD com a minha irm� e conseguir sobreviver da minha escrita. AH! Eu shippo casais homossexuais, alias, tudo o que eu achar fofo, shippo. O amor � que importa. Lida com isso.

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~