O Eterno Servo Follow story

u7952843779 Leyla Mir-chan

A centenas de anos atrás o Japão era divididas por diversos clãs que nada mais eram constituídas de famílias abastadas as quais mantinham em suas mãos poder, fortuna e influencia, durante os anos futuros esse tipo de divisão social se perderia mas não antes de deixarem para as novas gerações lendas e contos dessa grandiosa época. Essa é uma delas...


Fanfiction For over 18 only. © esta fic é baseada no manga Garoto Hibrido de Nakamura Shungiku.

#mir-chan #sasunaru #naruto #yaoi #romance
Short tale
15
7.1k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

O Eterno Servo


Notas do Autor
Naruto não me pertence

Aspas (“) + itálico são as lembranças sendo escritas pelo personagem
travessão(-) são os diálogos



Capitulo único

Um jovem rapaz entra em seu luxuoso aposento pensativo, aquele dia estava sendo particularmente cansativo, sentou-se em sua mesa onde se espalhavam folhas para escrita e tinta, há muito tempo iniciara um habito de anotar suas mais preciosas lembranças, deveria inicialmente ser algo sobre sua recente vida de líder de seu clã, porém cada vez mais se pegava perdido em recordações sobre sua infância, naquela época tinha consigo a presença de um ser que para ele era inestimável, e hoje se encontrava perdido, nos momentos que escrevia sua lembrança vagava para aquela época tão querida, e muitas vezes era comum sentir lagrimas percorrer seu rosto, e hoje era um desses dias em que a saudade sufocava mais que o calor do verão. Pegou o pincel e molhando-o na tinta iniciava seu relato mas não dissertou seu honorável nome, nem das pessoas importantes que conheceu ou situações grandiosas vivenciadas, e sim sobre a vida de um único ser, aquele que foi seu melhor amigo, eterno companheiro, seu amado servo.


“A muitos anos quando era apenas uma criança me perdi em minha propriedade, adorava percorrê-la sempre correndo pois em minha infantil imaginação ela não tinha fim, como todos se alvoroçavam a me procurar achava divertido que pelo menos naquele momento eu era notado, meus pais sempre viajavam por essa razão ficava muitas vezes só, não era permitido filhos de empregados ao meu lado graças a minha posição elevada, então para fugir de minha condição eu fingia ser um cavaleiro com uma missão de valor, e assim sempre que podia burlava os meus vigias, saia a procura do meu tesouro perdido que em meu coração sabia que estava em algum lugar lá fora, dessa vez embrenhei-me bem para o Norte , no local que meu pai sempre dizia para não ir , eu não fazia por mal mais se diziam que era para não fazer ai era que me dava vontade de fazê-lo , pensando nisso agora vejo como eu era mimado.
Encontrei uma casa abandonada com um aspecto sinistro a beira de uma estrada antiga confesso que fiquei com medo de entrar mais meu espírito me dizia que lá estava o que procurava , espantei-me ao ver vários olhos sem vida fixos em minha direção ao entrar ,cheguei a pensar serem fantasmas de crianças mortas na guerra de anos antes de eu nascer, porém percebi que nada mais eram que bonecos e eles estavam em todos os lugares por onde minha vista passava, havia um em particular que estava lá ao fundo que chamou minha atenção imediatamente ele parecia ter a minha idade seus cabelos eram escuros e sua pele parecia branca como leite mais foram seus olhos que me impressionaram eles pareciam absorver toda a escuridão que se formava lá fora pedindo-me que não o abandonasse ali e nesse momento me dei conta que não podia ficar sem ele, talvez fosse apenas meu coração solitário desejando companhia , mas o agarrei e com toda a nobre força de um cavaleiro de oito anos arrastei meu tesouro para casa comigo.

O clã Uzumaki era uma nobre e antiga família do Japão sendo arrendatários de enorme quantidade de terras e tínhamos grandes responsabilidades para com os nossos inquilinos e por eu ser o último descendente de minha família muito era esperado de minha pessoa, eu tinha muitos afazeres e obrigações, mesmo sendo tão pequeno e por esse motivo não deixaram que ficasse com algo tão estranho e velho, tentaram de tudo para separar-me dele ofereceram comprar um mais atual, me subornaram e por fim me ameaçaram, por mais de cinco vezes o tiraram de mim sempre quando eu não estava e tentavam se livrar dele mas por alguma razão sempre o encontrava e iniciava novas discussões sobre um assunto que para mim não tinha volta quando me perguntavam por que queria algo ultrapassado eu afirmava com todo meu orgulho que meu nobre nome me dava”


–Não aceitarei nada além de sasu-chan- agarrava-me a ele como se fosse minha tábua de salvação nesse enorme mar que era meus tristes dias.


“Fiquei sabendo mais tarde que ele era um protótipo antigo de um projeto rejeitado por seu criador chamado de bonecos, ele não era nem boneco ,nem robô fora feito para se parecer com um humano e aprender com seu amo, como uma criança de verdade aprende com seus pais,ele fora a mais alta tecnologia em brinquedo a décadas atrás, onde crianças de todos os lugares podiam criar um amigo da forma que desejavam ou meninas brincariam de bonecas já que eles falavam e andavam interagindo como a forma que era ensinados, mas a maneira como eles eram ensinados se perdeu após a guerra já que ninguém podia gastar dinheiro com algo tão irrelevante, os bonecos foram esquecidos e pouco a pouco sumiram, como ninguém sabia ao certo como manejar um boneco tão antigo me responsabilizei em cuidar dele, me sentia tão feliz de poder fazer algo a alguém, mesmo que não fosse um ser vivo, mas sentia que o ajudava a crescer e tinha companhia também, seguindo os dias que se transformaram em messes e depois anos, sempre em tentativa e erro ia ensinando para ele o básico, demorou cinco anos para que andasse e mais um ano e meio para que falasse e em cada vitória sentia-me preenchido com algo quente no meu peito, todos os dias eram alegres, sasu-chan não falava muito e mantinha uma personalidade introvertida, ainda hoje me lembro como isso me irritava e ao mesmo tempo me alegrava fazendo com que o carrossel de emoções girassem dentro de mim, mas com o tempo nossas posições se inverteram e o mestre se tornou aluno de seu protegido e pude presenciar a transformação de uma doce e apática criatura em um ser das trevas quando o assunto era os estudos e deveres para o clã.”


–WAAAAAA!!!! Que calorrrrrrrr- Um jovem rapaz de bela cabeleira loira e olhos azuis se sentavam desleixadamente em uma cadeira no pátio de uma área de frente para um belo bosque, e tinha nas feições um semblante entediado.

–Concentre-se vamos, a aula não acabou- Sasuke sabia como o loiro podia ser irritante, mas naquele verão ele estava conseguindo se superar.

–Não quero sasu-chan por que tenho que passar por isso num dia tão quente- Naruto olhava para seu professor com olhos lacrimejantes e pidões, mas sabia que não adiantava muito, pois Sasuke estava irremediavelmente decidido a levar aquela situação ao limite


–Você é o último herdeiro do seu clã é sua obrigação estar preparado, e pare de choramingar você não é mais criança!


–Eu nunca vou entender como foi que você ficou mais alto que eu, isso é tão injusto e ainda por cima se tornou meu professor a sasu-chan vamos correr lá fora com fazíamos quando éramos peque... AI!- o moreno havia tacado com um maço de papeis na cabeça do outro


–Pare de falar bobagens, se está reclamando tanto deve ser porque terminou de responder o questionário.


–NÃO! Não pegue ainda- Naruto se encolheu esperando pelo pior


 –COMO É POSSÍVEL TAMANHA BURRICE ESSA PERGUNTA ESTÁ ERRADA E ESSA OUTRA ESTÁ MAL RESPONDIDA, EU JÁ NÃO TE DISSE PARA PRESTAR ATENÇÃO NO QUE ESTA ESCRITO ANTES DE RESPONDER QUALQUER COISA...


–Mas eu disse para não pegar ainda... - o menor falava fazendo bico de um jeito doce e infantil


–ISSO NÃO É JUSTIFICATIVA!

–Calma sasu-chan desse jeito vai arrebentar uma 'arteira'


–É ARTERIA SEU INERGUMENO- e recomeçou a corrigir

– Nee Sasuke, você não esta mesmo com calor? Todo empacotado de casaco e gravata? Eu fico suado e pegajoso só de olhar para você


–Nós não sentimos calor como os humanos, pois temos um equipamento de auto refrigeração embutido, veja! - Ele se aproximou e tocou o rosto do menor com muito cuidado.


– É mesmo como você está geladinho... - As palavras foram morrendo na boca do loiro e ficou olhando fixamente para seu amigo, Sasuke conhecia aquele olhar e sabia que uma idéia escatafurdia nascera ali


–Sasuke...


 –Humm?- respondeu ainda um pouco preocupado


 –Tire a roupa!


–O QUE?!


–TIRE A ROUPA LOGOOOO–Então sem esperar Sasuke foi atacado e viu-se sendo despido de sua camisa e casaco, com o susto caiu no chão com Naruto agarrado a si


– MAS O QUE PENSA Q...


–Haaaaaaaa tão friozinho, por que não me disse isso logo, então não teria sofrido todos esses anos com esse calor abominável do verão


Aquela palavra ativou a remota lembrança em Sasuke foi em um dia como aquele, lembrava que ficara esperando por seu amo que não vinha e quando perdera totalmente as esperanças viu aquele garoto entrando em seu mundo escuro, iluminando tudo junto como o sol furtivo das ultimas horas do dia, embora não conseguisse se expressar ou mexer de tanto que ficara parado e calado tinha perfeita consciência do que acontecia ao seu redor e daincrível batalha travada entre todos os adultos contra uma pequena criança em sua tenra idade, o tinha em grande gratidão e por esse motivo não mediria esforços para transformá-lo em alguém respeitado nem que precisa-se matá-lo para isso, olhou para o garoto ainda abraçado a si e sorriu levemente, se levantou com ele nos braços, enceraria as lições por hoje, estava sendo indulgente de novo com ele mas não pode evitá-lo, entrou nos aposentos de seu amo e o colocou delicadamente no leito sentiu uma dor nas articulações, ultimamente não estava funcionando perfeitamente porém não disse a ninguém, não havia com quem falar para resolver isso e jamais preocuparia Naruto com assunto tão fútil, já ia saindo quando o ouviu chamá-lo


–Sasu-chan , tive um sonho tão booomm -estava deitado em um pedaço de gelo então uma baleia azul me embalou até o céu e me deitou em uma nuvem..


–QUEM VOCÊ ESTÁ CHAMANDO DE BALEIA? PODE VOLTAR PARA OS APOSENTOS DE ESTUDO E CONTINUAREMOS DE ONDE PARAMOS!


–Mas sasu-chan eu preciso dormir ou meu cérebro vai fritarr...SASUKEEEE?-A voz nervosa de Naruto e seu olhar assustado foi a ultima coisa que notou antes da escuridão que se aproximava rapidamente.


“Com todo os esforços que tinha procurei incessantemente por aquele que teria as respostas, Sasuke ficava a cada dia mais e mais debilitado porém mantinha sua calma e frieza costumeira quando o assunto não tinha solução, aquilo me deixava mais temeroso e zangado não estava preparado para perde-lo ainda. Então um dia a pessoa que procurava apareceu em minha frente”


–Você precisa concertá-lo!- Naruto entrara no atelier daquela pessoa correndo, apresentara-se rapidamente e exigia que sua vontade fosse cumprida, afinal não era assim que funcionava no seu clã?

–Ele não tem concerto- Um homem vestido com simples kimono marrom. Com barba por fazer e compridos cabelos negros o olhava de uma maneira como se estivesse dizendo o obvio.

–Como não tem concerto? foi você quem o construiu então pode salva-lo, por favor, cure sasu-chan te darei a quantia que me pedir


–Então quero 5 milhões


– COMO? ISSO É QUASE A RECARDARÃO ANUAL!- Sasuke sempre falava de finanças e quase todos os dias fazia Naruto decorar quanto era gasto e quanto era investido, pois assim o loiro saberia perfeitamente o limite de gastos que podia ter.


–Você é tão sem noção mais sabe muito bem quanto lhe é enviado anualmente, interessante- o homem o olhava agora de uma maneira debochada e sarcástica.


–PAR...


–Naruto- Uma fraca voz se fez ouvir em um canto da sala- Ele está falando a verdade não existe cura para mim


–Está errado, ele deve! Tem que saber! - Agora o desespero estava se tornando maior, nem seu status, nem seu dinheiro, nada podia ajudá-lo agora o que adiantava ser o sucessor do honorável Clãn se perderia a coisa que mais amava por incapacidade.


“O estranho homem se aproximou de sasu-chan e com uma pequena faca fez um corte no braço do boneco por onde exalou um odor forte e fétido pelo aposento, um liquido escuro e viscoso escorreu para um recipiente”.


 –Veja, ele esta degenerando de dentro para fora, não há cura para isso logo ira deixar de funcionar, e como a morte para um boneco.


–NÃO! ISSO NÃO PODIA ESTAR ACONTECENDO- Não ia chorar porém Naruto sentia lágrimas se formando em seus olhos, perderia Sasuke, não agüentaria isso.


Dispasse- O homem falara para Sasuke que estava sentado pois de uns tempos para cá, não conseguia ficar de pé por muito tempo


“sasu-chan se despiu e foi examinado pelo cientista que passava sua mão pelo tórax e rosto dele naquele momento senti como se estivesse sendo roubado por aquele homem e a maneira como aquela mão deslizava pelo corpo de meu amigo fez com que tivesse vontade de cortá-la fora”


–Numero de serie 0001, já faz muito tempo que não vejo um tão antigo olhe as juntas se fixaram de tal forma que não se pode mais distingui-las isso foi idealizado para que ficasse mais e mais parecido com um humano normal, porém por causa disto é impossível abri-lo, pois se o fizesse não teria como junta-lo novamente e ele se perderia, como vê não há solução sint...


–MENTIRA! SEMPRE HÁ UMA SOLUÇÃO VOCÊ ESTÁ ME ENGANANDO ME DIGA! EU SEI QUE TEM! DIGA-ME LOGO!- Naruto se colocara entre o criador e a sua criatura e não deixava mais seu Sasuke ser tocado por aquelas mãos enorme.


 “Naquele momento não queria ouvir nada que fosse contra o meu desejo só me importava com Sasuke, só queria ficar com ele para sempre..”


 –Está bem, hoje é o ultimo dia da aparição da lua nova, nesse período pode-se encontrar uma perola rara, a sua cor é como um céu com nuvens e o formato lembra a lua em seu esplendor, ela se encontra na orla do mar que faz divisas com suas terras e o oceano, ela tem uma propriedade muito rara que eu posso extrair e usar para curar Sasuke, porém ela só pode ser encontrada pelo nobre proprietário, esse seria...


–EU!


“Saí correndo o mais rápido que pude naquele dia eu tomaria para mim o dever de curar ao ser que me era mais precioso e como um mantra continuei varias e varias vezes a repassar a aparência da perola que definiria meu futuro, procurei como um desesperado cavei a noite toda e quase se podia ver o sol prestes a nascer, orava para todos os seres místicos que eu lembrava para atrasar o nascimento do sol mais um pouco...mais um pouco..., chorava muito um desespero me dominava, lá no fundo de mim sabia que era inútil, só que queria acreditar queria ser enganado se isso me desse um pequeno e frágil fio de esperanças, lembrei de minha vida sem Sasuke e me assustava saber que ela voltaria a ser como antes, solitárias e tristes.
Estava em outro buraco cavando com minhas próprias mãos a areia meio úmida da orla, estava em uma corrida que previamente perdia pois o sol ia surgir a qualquer momento, me atirei ao chão exausto , minhas mão sangravam, havia abertos vários ferimentos nos dedos e a palma de minha mão estava em carne viva.”



–Desista!- Sentado em uma enorme pedra Sasuke olhava pensativo a triste cena a sua frente.

–Não, eu vou encontrar, sei que vou- Mentira! Perdera a muito a esperança de isso acontecer.

–Você sabe que aquele homem te enganou não é mesmo? Essa pedra não existe, foi apenas uma desculpa para deixá-lo em paz- Como sempre Sasuke falava calmamente, seu olhar estava mais escuro e com sua camisa amarrotada e seus sapatos sujos de areia mostrava para Naruto que aquele era o fim- Venha cá


“Fui até ele, tremulo e choroso não tinha coragem de olha-lo nos olhos, aonde fora aquela criança que conseguia tudo, como o valente cavaleiro perdera sua mais importante batalha, nos meus quinze anos apenas o sentimento de que eu era completamente inútil me dominava, era assim que eu me sentia sem Sasuke”


–Obrigada, você se esforçou tanto, mais do que eu pensei que conseguiria...- Sasuke tocava meu semblante e me olhava com uma expressão triste que me partia a alma

–Sasuke...perdoa-me eu não consegui...sou um inútil eu sei ...eu não consegui- Chorei aos prantos abraçado ao único ser que nesses anos me apoiara e entendia, perder Sasuke me mataria também, saber que era por minha pura ineficiência dilacerava meu coração e me enchia de vergonha.

“Então meu amigo levantou meu rosto até ficarmos frente a frente e de maneira delicada me beijou nos lábios, surpreendendo-me, o toque de nossos lábios frios só me dava a sensação de que ele partiria, porém logo meu corpo se esquentou quando a língua de Sasuke invadia minha boca de maneira apressada, meus olhos se fecharam instantaneamente e tentei como um bom aluno , que raramente era, a aprender com meu professor , abracei-me ao corpo frio de Sasuke e tentava esquentá-lo com o meu, talvez assim eu o curaria, estava fantasiando novamente ,sabia disso, mas queria acreditar que não nos separaríamos por algo tão insignificante quanto a morte, quando pensei que o beijo se aprofundaria mais Sasuke o interrompeu e me abraçou com força, minhas lágrimas já haviam cessado e me deixei ser consolado novamente pelo moribundo ser que amava, vi o sol surgir com todo seu esplendor, me anunciando que perdi, senti Sasuke se mexer como se olhasse alguém mais adiante e me segurando ainda naquele forte abraço só disse uma única palavra, antes de desfalecer e nunca mais acordar novamente.”

–Entedeu?...

“Já se passaram mais de dois anos desde aquele dia sombrio, como pensei minha vida voltara a ser como nos meus tempos de infância sem ele, porém como agora sou o líder de meu clã posso interagir com meus subordinados com bem me aprouver e assim como Sasuke me ensinara eu resolvi agir como um guardião de meu clã, desse jeito consegui muitos aliados e alguns falsos amigos, mas sempre obtinha ajuda pois consegui com muito custo e negociações um tratado de cooperação entre clães de diversas regiões, conseguindo assim a paz, sabia que Sasuke se orgulharia de mim e era apenas isso que me impulsionava para o dia seguinte,algumas vezes ainda choro de saudade de meu amigo e confesso que aquela lembrança de meu primeiro beijo com ele atormenta-me nas noites frias, espero que o criador dos bonecos possa mesmo conseguir encontrar uma cura, depois do que aconteceu na praia ele disse que tentaria e não garantia datas,e assim só as lembranças me acompanham eternamente”


O rapaz fechava o livro no qual escrevia quase diariamente, ali guardava sua mais preciosa recordação ninguém tinha permissão de le-lo ou tocá-lo ,mas ficava ali durante horas em seu quarto, sempre pensativo, ouviu uns passos junto com o som agudo de batidas e logo sua porta se abriu de lado a lado dando entrada ao ser que mais improvável e ao mesmo tempo querido que Naruto podia sonhar

–Fiquei sabendo que você consegue agora até tomar banho sozinho que grande avanço, acho que eu deveria “quebrar” mais vezes então- Encostado no batente da porta, vestido de maneira impecável como sempre e com uma bengala nas mãos Sasuke surgia como saído da imaginação do loiro

O líder do Clã Uzumaki o olhava como se via um fantasma e uma onda de enorme alegria como nunca havia sentindo antes o preencheu, e por um breve segundo se permitiu ser novamente aquele jovem garoto, se atirou em cima do moreno fazendo com que os dois caíssem no chão

–SASUKEEEEEEEEEE


–Mas será possível que você ainda não perdeu essa mania desagradável- E olhando de maneira meio seria em seus olhos escuros Naruto pode ver a emoção escondida ali pelo reencontro.

Abraçaram-se como velhos amigos e Naruto choraram novamente como uma criança e dando graças percebeu que Sasuke o consolava como sempre fazia nessas horas, acariciando seus cabelos e o abraçando também.

–Você está bem mesmo?- perguntava ainda com a cabeça no ombro do amigo

–Sim, meu criador, disse que agora poderei funcionar tanto quanto um humano

Na verdade Sasuke tinha uma vida útil quase eterna, porém a pedido do próprio boneco foi instalado dentro dele um mecanismo em que quando desejasse se desligaria para sempre, pois seu desejo era apenas existir enquanto Naruto existisse.

(flash back de Sasuke)

–Por que você deseja algo assim? Aquele garoto está desesperado pela sua melhora?

Sozinhos no atelier, Sasuke e seu criador se confrontavam enquanto Naruto tentava desesperadamente conseguir algo imaginável na orla da praia para curá-lo

– Aquele menino é muito forte só que não sabe ainda, de certa maneira a minha presença fez com que ele agisse assim, ele é o líder de um grande clã tem muitas responsabilidades, vai ser bom para ele arcar com seus atos sozinho, sei que meu problema não tem solução, que você mentiu para ele apenas para se divertir, mas estou disposto a deixar assim por hora, ele é muito importante para mim como você nunca poderia imaginar, e faria qualquer coisa para transformá-lo no grande homem que um dia sei que ele será, mesmo que isso consista em me separar dele.

–Nunca vi um boneco tão apegado ao seu dono como para se sacrificar como você está fazendo agora- O homem olhava surpreso para o ser que criara

–Para Naruto eu nunca fui um boneco, nos éramos amigos e conforme crescíamos nossos sentimentos cresciam juntos, apenas o fato dele ser tão infantil ainda era que me refreava para demonstrá-lo o quão ligados estávamos, agora me leve para onde aquela criança está, você me deve isso por ter me deixado te esperando tanto tempo sozinho naquela casa.

Ao chegar na praia Sasuke fora colocado sentado em uma pedra pelo homem que o fizera e este se afastou , mas ficara observado a cena ao longe, sentindo que logo desligaria,Sasuke se despedira de quem mais amava e tendo em seus braços aquela criatura aconchegada em si, esperavam abraçados o momento fatídico do fim, olhou uma ultima vez para o seu criador e como a confirmar o que fora discutido no atelier disse finalmente, antes da escuridão abraçá-lo e dessa vez por muito tempo.

–Entendeu?...
(fim do flas back de Sasuke)

–Sasuke?

–Hum? - A voz de agora grave de Naruto o tirou de seus devaneios

–Sabe aquela vez que nós nos despedimos na praia antes de você me deixar, o que foi aquilo?

–Será que você ainda não sabe o que é um beijo? – Sasuke olhava para o loiro meio aliviado, havia se passado mais de três anos e ainda assim seu mestre se mantivera casto, isso o alegrava.

–Então você tava me dando uma ultima lição?

–Mais ou menos isso- Sasuke afagava os cabelos loiros sem vontade de se afastar dele

–E que eu não entendi direito será que você não podia me mostrar de novo?- Era claro que Naruto já sabia o que era um beijo e muito mais, porém algo em si queria desfrutar mais da presença daquele ser que só agora percebera, com sua prolongada ausência, que amava.

E como um doce sonho seu rosto foi levado até os lábios do moreno e um beijo que começara lento logo se intensificara mostrando o quanto os dois estavam apaixonados um pelo outro.

–Sasuke o que vem depois disso?

– Vamos entrar nos seus aposentos que te mostrarei quantas vezes forem necessárias até você aprender...

E juntos entraram no quarto, nunca mais se separariam, como no dia que se encontraram e durante os anos vindouros um sempre estava ao lado do outro, mesmo após a obrigação de matrimonio que o jovem Uzumaki teve que fazer e no nascimento dos herdeiros do clãn , a presença quase etérea do ser artificial jamais fora questionada e quando a velhice finalmente levou o líder do clã para o reluzente caminho do criador apenas seu inseparável vassalo foi dado a honra de presenciar os últimos momentos desse grande lider na terra, para logo em seguida deixar de funcionar.

Enquanto todos estavam ocupados nos preparativos para o funeral do venerado líder dos Uzumaki, alguns servos viram a carcaça de Sasuke sendo levada por um velho homem de cabelos grisalhos e vestindo um surrado kimono marrom, e por mais que fosse tentado ele nunca mais fora encontrado novamente,embora alguns aldeões juravam ter visto anos depois em determinada hora da madrugada um jovem rapaz vestido elegantemente de negro a caminhar calmamente pela orla da praia que faz divisa com as terras do clãn e desaparecendo de vista sempre a caminho do mausoléu dos Uzumaki, iniciando assim uma lenda nunca escrita que correu gerações; Em que um dos antigos e mais venerados lideres do Clãn Uzumaki era tão abençoado e amado pelo seu povo que os deuses lhe concedeu um espírito protetor para caminhar ao seu lado e velar seu corpo após sua morte por toda a eternidade...

Fim..

March 3, 2018, 7:11 p.m. 2 Report Embed 2
The End

Meet the author

Comment something

Post!
Leyla Mir-chan Leyla Mir-chan
obg por me alertar, verifiquei e já corrigir o erro,vc e muito gentil por ter esse trabalho, obg
March 04, 2018, 15:44
Alice Alamo Alice Alamo
Olá! Notei que sua história é uma fanfic e, portanto, está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags ;) Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
March 04, 2018, 00:34
~