O Legado do Chapéu de Palha Follow story

tiarhot Rhot

Luffy sempre soube que para ser pai, não precisava carregar o sangue. Sua inspiração, seu espelho, sua meta era Shanks. O início do Legado.


Fanfiction Not for children under 13. © Eechiro Oda

#OnePiece #Luffy #One Piece #ClãAnjosNegros #Fraternidade #Shanks #Chapéu de Palha
5
6928 VIEWS
In progress - New chapter Every Thursday
reading time
AA Share

Prólogo - Baltigo


   Dragon estava em sua mesa a pensar… Fazia muito tempo que não voltava para casa, admitia para si mesmo. A última vez que tinha visto seu precioso filho ele estava no colo de Rose em frente há um bolo de aniversário de dois anos. Atualmente ele está entrando na escola com seis, e ele não estava lá para ver.

   Ofícios do trabalho, entendia. Não podia viver uma vida comum, ser um pai presente, sendo que se souberem que eles dois carregam o mesmo sobrenome a vida dele correrá grande perigo, sua experiência de vida já o provou o suficiente que quando um inimigo não pode afetar você… Ele tenta afetar todos a sua volta.

   “Olhando essa foto de novo?” Ivankov, seu melhor amigo e parceiro de missões entrava na sala sem bater… Como sempre.

 “Creio que nós dois sabemos a resposta.” Sempre com suas respostas vazias e enigmáticas, ele não daria seu braço a torcer.

   A foto se tratava exatamente da data citada, o aniversário de Luffy com tema de piratas. Naquele dia nem mesmo pôde agir como um pai, por mais que Rose estivesse muito feliz em saber que o marido estava presente, teve que se contentar em tratá-lo como simples fotógrafo contratado.

   Ela ficava sempre em sua mesa, ao lado da foto do casamento que tinha tanto carinho, foi realmente difícil fazer uma pequena festa completamente discreta, mas consegui. Ele mal conseguia se lembrar de quando tinha visto sua mulher tão linda e feliz.

   “Eu sei que você gostaria de poder passar mais tempo com sua família, e que às vezes as cartas não são o suficiente…” Seu companheiro disse o retirando de seus pensamentos e lembranças, mas sua consciência sabia exatamente o que ele iria dizer.

   “Mas eles estariam correndo perigo, eu sei.” Se levantou enquanto pegava uma prancheta tecnológica. Colocou a íris em frente ao módulo de reconhecimento e logo foi destravado mostrando todas as informações que continha.

   “Os novatos já estão lá embaixo.” Anunciou enquanto acompanhava seu líder para as instalações de treino, onde se encontravam os homens que estavam sendo testados.

   Baltigo.

   Centro de organização secreta sendo colaboradora do governo, mas um tanto quanto independente, e ai do governo quando ele passa dos limites. Dragon sempre estava de olho.

   Uma organização secreta para quando os problemas vão além da controle da SWAT ou exército, e geralmente esses tipos de missões exigem discrição. Raríssimas pessoas sabem da existência desse programa, e as que sabem e deve temê-los… Querendo ou não, estão com seus dias contados.

   Sendo o líder de tudo aquilo, Dragon era extremamente temido e extremamente ameaçado de morte. Algumas tentativas já foram mais eficientes, outras só fizeram com que o nome dele fosse mais temido ainda, então sabia que para a proteção do pequeno, ninguém poderia saber sobre a ligação dos dois…

   Ninguém poderia saber que ele é Monkey D. Dragon.

   Desceu as escadas e a partir de um ponto já podia ver em os até então desconhecidos para si pela janela de vidro. Eram vinte candidatos, todos bem treinados, mas pelo que podia ver… Não tão capacitados assim. E seu vice-líder estava pessoalmente fazendo o teste de admissão, o que não era a melhor das notícias. Eles estavam precisando de recrutas, mas com o exagerado de seu pai, um velho louco que não aceita a aposentadoria, as chances de ninguém passar eram altas demais.

   Sim, Monkey D. Garp é o vice-líder da corporação.

   Não suportou ficar longe da ação, e Dragon sabendo o quão valioso é o ter como aliado, logo o puxou para aquela responsabilidade. Além de que aquele homem era um dos poucos seres humanos na face da Terra que ele confia de olhos fechados. E isso se pode contar nos dedos.

   Só que às vezes ele podia ser um pouco exagerado (ok, na maioria das vezes), então as dores de cabeça frequentes geralmente era culpa do mais velho. Como por exemplo agora que parecia que iria quebrar o braço do novato de pele escura. Dragon teve que olhar na ficha para saber o nome dele. Parecia algo como abelha em inglês.

   Ops, nocauteado.

   Esse não entra na força tarefa.

   Foi retirado pelos auxiliares que já eram agente em Baltigo enquanto poucos ainda se mostravam resistentes a energia de Monkey D. Garp e a intuição de Dragon o fez observar os dois mais novos da sala.

   Olhou nas fichas, o ruivo se chama Shanks e tem vinte e quatro anos. Trabalhava na polícia local, mas foi visto como um diamante bruto e recomendado para essa organização. Assim como o cara ao lado de cabelos azuis, Buggy, de vinte e seis anos. Eles foram uma dupla na DP e parecem ter pego a manha de enfrentarem juntos um problema maior que os dois individualmente.

   Estavam fazendo o que nenhum outro (aparentemente) tinha conseguido fazer até então: Garp suar. Sim, ele estava tendo dificuldades com os dois que mesmo sendo ridiculamente mais fracos e um nada a resistência absurda do mais velho, eles eram rápidos e inteligentes, sabendo onde era o ponto fraco em comum do todos os seres humanos (como olhos, orelhas…) e bastante teimosos.

   Já tinham levado um ou dois golpes que teriam deixado alguém desacordado, mas eles continuavam se levantando. Mesmo que tenham chegado ao ponto de ter que um levantar o outro já que o corpo não aguentava mais estar em pé.

   “Há quanto tempo eles estão assim?” Perguntou quando finalmente chegou a sala de treinamento.

   “Pelo que me foi informado, eles estão há três horas nesse treino, tendo uma hora dessas sendo exclusivo os dois e o Garp-San.” Respondeu Ivankov com um sorriso. Sabia que aqueles dados iriam impressionar Dragon, assim como estava impressionando toda a corporação.

   “Burahahaha. Vocês formam um bom time garotos! Mas infelizmente chegou a hora de acabar com isso.” Garp ergueu os punhos e estalou os dedos com um sorriso satisfeito. Estava muito satisfeito com aquele treino e tinha realmente se empolgado na luta.

   Porém quando foi iniciar o ataque que iria por um fim àquela disputa, sentiu uma mão em seu ombro. Dragon.

   “É o suficiente.”

   Os dois sorriram, haviam sido selecionados.

   E foi assim que desmaiaram batendo de cara no chão. Dragon não se lembrava a vez que tinha visto seu pai sorrindo tanto, sem contar quando ele conheceu Luffy.

   Então os auxiliares levaram os dois novatos para a enfermaria e não viram o fim do diálogo familiar.

   “Posso contar com você?”

   A pergunta fez o mais velho sorrir, não era muitas vezes que podia se escutar palavras quase sinceras de seu filho, e estava muito empolgado com que aqueles dois podiam trazer.

   “Eu mesmo treinarei eles.”

March 1, 2018, 3:55 a.m. 0 Report Embed 1
Read next chapter Capítulo 01 - Barock Works

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!