O dia que não amanheceu O Saiyajin e a Terráquea Follow story

vica-mendes3200 Diana Borges

Numa manha fria e chuvosa a tempestade faz um Saiyajin refletir sobre suas escolhas , sua amada e prometer vingança. Seu maior desejo é honrar e enaltecer a quem tanto o amou e o aceitou.


Fanfiction Not for children under 13.

#Dragon Ball
Short tale
2
6.9k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Cinzento

Monte Castelo
Legião Urbana

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor eu nada seria

É só o amor! É só o amor
Que conhece o que é verdade
O amor é bom, não quer o mal
Não sente inveja ou se envaidece

O amor é o fogo que arde sem se ver
É ferida que dói e não se sente
É um contentamento descontente
É dor que desatina sem doer

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor eu nada seria

É um não querer mais que bem querer
É solitário andar por entre a gente
É um não contentar-se de contente
É cuidar que se ganha em se perder

É um estar-se preso por vontade
É servir a quem vence, o vencedor
É um ter com quem nos mata a lealdade
Tão contrário a si é o mesmo amor

Estou acordado e todos dormem
Todos dormem, todos dormem
Agora vejo em parte
Mas então veremos face a face

É só o amor! É só o amor
Que conhece o que é verdade

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor eu nada seria

Numa manha fria e chuvosa não que isso importasse ele a observava , deitada nua e linda ,seu sono tranquilo e sereno .

Ela ressoava, respiração regular, tão bela, tão dele, que era até surreal a imagem dela naquele leito ,a cama que partilhavam juntos .

Ele se perguntava como com todos os defeitos, deslizes, incertezas, ele foi abençoado, escolhido por ela para ser seu amado, seu marido, seu mundo.

Ele realmente não entedia a sorte, a dádiva de ela o ama-lo.

Sentado numa poltrona a dois passos dela tentando descobrir em que momento a vida resolveu dar-lhe de presente aquele ser tão belo, bondoso, generoso e tão temperamental que quando ela se irritava o fazia tremer muito mais que qualquer inimigo poderoso que havia, entre tantos socos ,golpes de energia, chutes não se comparavam a ira dela, ela era capaz de mover montanhas enfrentar Deuses e Demônios e ele ficava abismado e paralisado. Com o tempo aprendeu a não discutir ,reconhecer os sinais e se possível escapar para longe ,não muito ,apenas o suficiente para vê-la se acalmar e assim poder aproximar novamente sem mencionar claro o ocorrido do contrario ouviria por horas as injurias, gritos e desmandos e teria que fugir outra vez.

Pensando nisso deu um discreto sorriso ela era tão forte e tão meiga, tão determinada e frágil ao mesmo tempo ,com toda segurança não havia um dia tedioso e repetitivo na companhia dela ,tudo ficava leve e colorido ,suave como uma brisa quando ela sorria e olhava para ele com ternura ,pela milionésima vez ele se perguntou o que teria feito para merecer alguém como ela, ele era todo seu oposto ,desajeitado, esquecido ,meio bruto tudo era tão cinza ,igual a manha chuvosa que ele olhava pela janela do quarto os pingos da chuva batiam no vidro o vento zunia ,parecia que o dia cedera lugar para noite ,pois estava tão cinzento ,pesado ,sem cor, sem vida.

Os cabelos dela esparramados pelo travesseiro cobriam parte do rosto sem ocultar de fato toda sua beleza.

Ele era dela, totalmente dela, completamente entregue, sem ela,ele não era nada ,não era ninguém, reduzia –se a ser uma sombra ,incompleto, perdido.

Temia tanto perde-la que não sabia o que faria ,como seria sua vida ,se conseguiria sobreviver, respirar , ele ruiria sem sombra de duvidas, não estava preparado ,nem sequer cogitava a possibilidade de não tê-la a seu lado ,seus olhos, seu sorriso, seu cheiro, sua pele tudo o deixava embriagado, entorpecido, ele faria tudo para mantê-la a salvo , protegida , intocada por qualquer inimigo , qualquer ser maligno , ele não permitira que nenhum mal a atingisse , nada faria ela sofrer.

Distraiu-se por um segundo olhando a chuva bater forte no vidro da janela e quando voltou a olhar ela remexeu-se agitada como se algo a aflige-se , subitamente sentiu necessidade de toca-la de aspirar seu perfume ,levantou da poltrona e deitou com cuidado ao lado dela apoiando a cabeça com a mão , levou a outra mão pelo rosto dela e contornou os lábios com a ponta do dedo.

Estremeceu com a lembrança de terem feito amor horas antes ,toda a entrega e doçura ,a cumplicidade de apenas com olhar entender todas as emoções e os desejos um do outro, entre sussurros e gemidos abafados tinham entrado em êxtase juntos chamado o nome um do outro , o toque mais ousado, o riso malicioso mordendo o lábio inferior , a mão percorrendo o peitoral talhado e marcado por cicatrizes ,marcas de um passado que ele gostaria de apagar para sempre de sua memória ,um passado de dor, solidão ,arrogância, desprezo , orgulho ...

Há o orgulho ele ainda mantinha apenas de forma diferente e direcionado para lutar pelo certo e pelo bem, principalmente pelo bem dela.

Sim ele iria honra-la, recompensa-la por todo amor dedicado a ele, iria vinga-la e enaltece-la.

Ela aninhou-se mais próxima a ele pressentindo o calor do corpo dele e acalmou-se ainda adormecida, era como se mesmo dormindo ela o chama-se ,precisava sentir que ele estava perto.

Ele olhou atentamente as feições do rosto dela suavizar com isso a puxou para mais junto a ele , seu corpo aqueceu e despertou quando passou a mão pela coluna dela , não tardava ela iria acordar , beijou-lhe a testa a cabeça dela estava recostada sobre seu peito.

Desde que ouviu sobre o assassinato dela no futuro jurou a si mesmo que teria vingança , ficaria mais forte ,encontraria, forças nem que fosse no inferno e jurou em silencio a ela enquanto ele estivesse vivo nenhum mal iria alcança-la , faria qualquer coisa para garantir isso, ele devia tudo a ela.

Quando ninguém acreditava nele, nem lhe daria qualquer voto de confiança ,ela deu seu voto de coragem e fé ,ela via através dele, foi a única a perceber por trás de toda frieza, e mascarada indiferença que havia um homem solitário ,que agia de forma cruel porque não conhecia nada diferente , a aspereza das lutas , das batalhas, da humilhação, o fizerem como ele era ,o moldaram , pois foi tudo o que ele conheceu, e aprendeu , e ela mostrou que havia outro modo, haviam outras opções e outro caminho cheio de alegria e esperança, ela lhe estendeu a mão e deu todo o amor que ele nunca supôs existir e nem sequer imaginava .

Ela lhe trouxe a paz.

Permitiu-se fechar os olhos brevemente apenas para saborear a macies da pele dela quando a olhou , ela lhe sorria e o fitava intensamente.

— Bom dia, meu amor.

— Bom dia, minha princesa.

E assim a chuva deu uma breve trégua e um tímido raio de sol escapou por entre as nuvens cinzentas.

Fim.    

March 1, 2018, 2:16 a.m. 0 Report Embed 1
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~