Short tale
2
6879 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Oneshot

Marik olha apreensivo para o céu negro enquanto esfregava os braços tentando manter o calor do corpo, mas isso não ajudava muito. Suas roupas estavam grudando em sua pele por causa da chuva forte e seu casaco estava enrolado em um gatinho todo encharcado. Estremeceu com o estrondoso som de mais uma trovoada e inconscientemente se encolheu se aproximando de Bakura, que se atrapalhava em abrir a porta da casa.

- Bakura... - o loiro choramingou se encolhendo e como se gatinho preto também estivesse com medo acrescentou um sonoro "Nyah!". O maior apenas o olhou de canto suspirando e praguejou a maldita teimosia do egípcio em querer ir ao cinema, quando o tempo estava visivelmente escurecendo e por ter ficado meia hora pensando se deveria ou não levar o gato para casa.

Por fim, Marik decidiu pegar o gato dizendo ser um presente para Bakura, mas o albino sabia que era apenas uma desculpa para Ishizu aceitar o gato. Era verdade que era seu aniversário, mas ele não queria tomar um banho de chuva como presente surpresa. Ele não se importava em comemorar seu aniversário, era apenas uma data, mas parecia ser importante para o menor e já que era impossível negar algo àqueles olhos lavandas acabou cedendo.

Bufou quando finalmente conseguiu abrir a porta e Marik praticamente correu para dentro da casa acendendo todas as luzes possíveis, ignorando que estava deixando uma trilha molhada no chão todo. O albino apenas revirou os olhos sorrindo de como às vezes Marik parecia uma criança inocente. Parou na porta da cozinha com um pequeno sorriso enquanto o loiro se agachava colocando uma tigela com leite para o bichinho molhado.

Marik sorriu infantilmente acariciando a cabeça do felino, que ronronou - Marik, você devia trocar de roupa ou vai pegar um resfriado - Bakura diz cruzando os braços. O loiro assente se levantando rapidamente e correndo ate o quarto.

O maior resmungou caminhando ate o quarto, precisava trocar suas roupas molhadas, detestava aquela sensação pegajosa. Retirou seu casaco e camiseta entrando no quarto e no segundo em que ele fechou a porta, todas as luzes da casa se apagaram e o som alto de uma trovoada ecoou pelo cômodo.

Arregalou os olhos quando ouviu um barulho alto vindo do quarto do menor seguido de um grito dolorido, provavelmente Marik se assustou e acabou caindo na tentativa de se esconder entre as cobertas. Ele sabia que deveria perguntar o motivo do outro sentir tanto medo de trovoadas, no começou achou que era apenas um capricho do outro, só pra chamar atenção, mas se fosse isso Marik perceberia que estava começando a parecer ridículo, então provavelmente o loiro tinha mesmo medo.

Deixou suas roupas caírem no chão e foi ate o quarto a frente o seu. Não precisava ver para saber onde a porta estava, já tinha se acostumado a abri-la sem nem olhar. Entrou fazendo o mínimo ruído possível ou poderia assustar o loiro novamente, Marik era como uma criança nesses momentos, qualquer coisa poderia assusta-lo. Se esforçou para ver algo, mas somente um pouco de claridade entrava pela janela e não ajudava muita coisa.

- Marik? Marik! - ele o chamou parando no meio do quarto olhando ao seu redor. Suspirou aliviado ao ouvir um murmuro perto da cama e mesmo que ninguém pudesse ver, revirou os olhos divertidamente - O que seria de você sem mim? - ele diz subindo na cama e se arrastando ate o outro lado para encontrar Marik caído no chão.

- Não é minha culpa se eu me assustei. - o menor murmura fazendo beicinho e cruzando os braços. Outro estrondo ecoou pela casa o fazendo se encolher arregalando os olhos e subir rapidamente na cama - Não gosto de ficar no escuro... Não gosto de tempestades... - reclamou entrando de baixo das cobertas.

Bakura riu se inclinando sobre ele - Como eu disse antes... O que seria de você sem mim? - diz com um largo sorriso e pressiona seus lábios juntos num beijo profundo, deixando sua língua invadir a boca do menor, provando o gosto doce dele.

O menor estremecia com a sensação das calças molhadas do albino tocando sua pele morna. Sentiu Bakura apoiar os cotovelos na cama, um de cada lado de sua cabeça, enquanto as mãos seguravam seus cabelos loiros e molhados com firmeza o fazendo gemer entre os beijos.

Uma mão pálida percorreu o peito bronzeado encontrando um dos mamilos e começou a acaricia-lo e belisca-lo de leve adorando ouvir os gemidos estrangulados do egípcio. Agradeceu internamente pelo outro já estar completamente nu, isso pouparia tempo e trabalho.

Quebrou o beijo respirando profundamente olhando nos olhos lavandas semicerrados do menor. O rosto normalmente bronzeado estava vermelho, os lábios entre abertos deixando gemidos baixos escaparem. As mãos bronzeadas agarraram os ombros pálidos deixando marcas vermelhas por causa da força com que ele segurava.

Sentiu Bakura deixar suas mãos deslizarem pelos seus braços com suavidade causando arrepios pelo corpo. O albino acariciou os pulsos do egípcio antes de agarra-los e os prende-los acima da cabeça do loiro com um largo sorriso. Marik soltou um ruído como protesto, mas não se moveu para tentar se soltar.

Suspirou apreciativamente sentindo Bakura atacar seu pescoço com os lábios espalhando beijos molhados em sua pele ate chegar perto de sua orelha. Estremeceu um pouco o sentindo morder levemente o lóbulo de sua orelha enquanto a língua brincava com seu brinco.

As ametistas se arregalaram quando o som de um trovão invadiu o quarto, Marik tentou desesperadamente se soltar, mas a mão pálida o mantinha preso firmemente. Ele olhou para Bakura suplicante começando a sentir lágrimas se formarem nos cantos dos olhos, mas foi ignorado pelo albino que apenas se inclinou mais perto beijando a testa do menor de maneira carinhosa.

- Bakura... - ele murmurou fracamente franzindo a testa. O albino apenas sorriu de canto o beijando nos lábios para distrai-lo da chuva que começou a ficar mais forte do lado de fora, mas isso não parecia ajudar muito, pois o loiro continuou a choramingar se contorcendo - Por favor, me solta...

O maior riu um pouco - Shh... Esquece a chuva Marik, se concentra em mim. - pediu olhando nos olhos lavandas para acalma-lo. O loiro assentiu fracamente fechando os olhos, respirou profundamente e soltou o ar com mais calma, se concentrou em ouvir a respiração do maior e logo estava relaxando o corpo.

Abriu os olhos encontrado os orbes vermelhos o observando com interesse e um largo sorriso se formar no rosto pálido. Sentiu os lábios dele tocarem suavemente os seus e ergueu um pouco a cabeça, o suficiente para pressionar seus lábios juntos. Bakura sorriu contra os lábios do loiro, passando a língua no lábio inferior pedindo passagem, que foi dada de bom grado.

Marik tentou se livrar da mão pálida que segurava seus pulsos para tentar aproximar mais seus corpos, mas Bakura era claramente mais forte. Os lábios do maior desceram ate o pescoço bronzeado, a língua deixando um rastro úmido por onde passava o fazendo soltar suspiros estrangulados.

- Bakura... Me solta... - o albino ignorou o murmuro do menor passando a deslizar as mãos sobre o abdômen dele o fazendo se arrepiar - Assim parece que você esta me estuprando... - ele bufou fazendo careta esperando que Bakura continuasse a ignora-lo.

Mas para sua surpresa o albino parou o que fazia o olhando nos olhos. Ele soltou os pulsos de Marik, que o olhava com uma sobrancelha erguida em confusão, afastou os fios loiros dos olhos lilases sem nunca desviar o olhar - Eu nunca faria isso Marik. Nunca vou te machucar. - sussurra contra os lábios do outro - Eu te amo. - ele diz beijando o rosto e pescoço do menor e depois os lábios carinhosamente apreciando o momento.

Suas línguas se tocavam tentando conseguir o controle do beijo. Bakura gemeu baixinho sentindo as mãos quentes percorrerem seu corpo, ele deixou Marik desfazer o botão e o zíper de sua calça jeans, já apertada. Quebraram o beijo por falta do ar, Bakura respirava profundamente para se recuperar.

- Eu sei que você nunca vai me machucar, porque eu me sinto protegido perto de você Kura. - ele murmurou observando o rosto pálido do seu namorado - Eu te amo. - lhe deu um beijo casto - Eu te amo muito. - com uma das mãos o puxou pela nuca esmagando seus lábios juntos num beijo necessitado.

A outra mão deu um leve aperto no membro do maior por cima das roupas molhadas o fazendo gemer entre o beijo pressionando os quadris contra os dele. Moveu a mão a deslizando dentro da cueca do outro e acariciando o membro pulsante.

O albino quebrou beijo soltando um gemido, descansou a testa contra o ombro bronzeado soltando grunhidos baixos com os movimentos que o menor fazia com a mão. Fechou os olhos mordendo o canto do lábio, o suficiente para tirar um pouco de sangue, o egípcio mordeu o lóbulo da orelha do maior fazendo ele se arrepiar com sua respiração quente sem para os movimentos que fazia.

- Kura, você esta com muita roupa. - ele sussurrou fazendo beicinho e pode sentir o outro sorrir contra sua pele antes de morder seu pescoço apenas para faze-lo soltar um suspiro. Marik sorriu esfregando o polegar na ponta do membro dele escutando um baixo gemido escapar, sentiu ele o beijando suavemente onde havia mordido, como se fosse um pedido de desculpas e em seguida Bakura se sentando aos seus pés com um largo sorriso.

O loiro mordeu o canto do lábio se ajoelhando entre as pernas do maior e arrastou desajeitadamente as roupas do corpo pálido as jogando de lado, pode ouvir um suspiro que Bakura deixou escapar ao liberar seu membro. Marik esfregou o polegar na ponta, espalhando o pré-gozo pela glande e sentiu o albino estremecer com seu toque.

Ele sorriu lambendo o pré-gozo e beijando a ponta, olhando para a expressão do maior, que jogou a cabeça para trás gemendo e apertando os lençóis com força. Afastou os lábios do membro latejante ganhando um grunhido frustrado um olhar um pouco irritado, ele simplesmente sorriu passando a língua nos lábios provocativamente.

- Marik. - Bakura rosnou enquanto o egípcio loiro acariciava seu pênis com lentidão torturante adorando ver o albino se contorcer para obter mais contato entre eles. - Marik... Se apresse...! - ele tentou dizer num tom ameaçador, mas acabou saindo num gemido alto por sentir a língua do menor deslizar pelo seu membro.

Suspirou fundo mordendo o lábio com força, agora Marik chupava a ponta de seu membro, hora deixava a língua fazer movimentos circulatórios na fenda de sua glande. Ele jogou a cabeça para trás de olhos fechados gemendo alto.

Já faziam quantos dias que ele não faziam algo assim? Uma semana talvez. Não importava, para Bakura era como uma eternidade. Naquele momento qualquer contato um pouco mais íntimo parecia que o faria gozar sem fazer esforço nenhum. Ele sentiu um formigamento em sua virilha, mas se forçou a se segurar. Sentiu o ar lhe faltar quando Marik levou todo seu membro a boca fazendo pressão com a língua, jogou os quadris para cima ouvindo o menor soltar um gemido abafado.

Segurou os fios loiros com uma das mãos enquanto a outra agarrava os lençóis, sentiu se aproximar cada vez mais do seu clímax a cada movimento que o egípcio fazia - Marik... Eu vou gozar... - ele gemeu segurando os ombros bronzeados com ambas as mãos prestes a gozar, mas soltou um grunhido irritado quando Marik se afastou de seu membro, o apertando e sorrindo largamente - Marik... O quê...? - ele tentou dizer entre as respirações profundas.

O loiro se arrastou ate ele se sentando em seu colo passando os braços em volta do pescoço pálido, beijou a pele clara ate chegar ao ouvido - Ainda não Kura. - ele diz jogando a cabeça para trás, soltou um gemido baixo se esfregando no membro pulsante e é acompanhado pelo albino que apertou suas nádegas com força - Kura...! - ele gemeu alto no mesmo instante que um relâmpago cortou o céu negro seguido por uma estrondosa trovoada, mas ele nem percebeu por estar envolvido demais no prazer.

Bakura não pode deixar de sorrir para isso, parecia que Marik realmente tinha esquecido da chuva. Ele empurrou o loiro de volta a cama ouvindo um choramingar baixo pelo impacto e não pôde deixar de revirar os olhos para isso. Se inclinou sobre o corpo menor ficando na altura dos grandes olhos lavandas. O egípcio passou os braços em volta do pescoço dele novamente o puxando para um beijo necessitado, cheio de luxuria e prendeu as pernas em volta do corpo pálido aproximando seus corpos.

Ambos gemeram sentindo seus membros se tocarem, mas não se afastaram do beijo. Bakura percorria o corpo bronzeado com as mãos subindo e descendo ate encontrar um dos mamilos do loiro o esfregando com o polegar sentindo Marik arquear as costas com a sensação.

Relutantemente quebraram o beijo, o albino desceu os lábios ate um dos mamilos o mordendo de leve apenas para causar um tremor no menor, sorrindo ele o levou a boca o chupando e lambendo. O menor levou a mão a boca tentando abafar os gemidos, mas parecia que isso só fazia os sons que ele deixava escapar ficarem mais altos.

- Bakura... Por favor... - o loiro pediu sentindo lágrimas começarem a se formar nos cantos dos olhos. Bakura sorriu de canto o beijando no rosto, esticou o braço procurando o lubrificante na gaveta da mesinha de cabeceira e logo encontrou.

Sem dizer uma palavra o egípcio afastou as pernas segurando os travesseiros com força, já esperando ser preparado. Com aquela visão, o albino sentiu seu membro começar a pulsar mais ainda e uma sensação quase dolorosa entre suas pernas.

Olhou para Marik por um segundo antes de revestir dois dedos com lubrificante. Ele pressionou o primeiro dedo contra a entrada apertada do menor, mas sem penetra-lo, sentiu a respiração dele começar a ficar mais descompassada enquanto se contorcia e pode ouvir um choramingar. Sorriu de canto antes de empurrar o dedo dentro do corpo quente que estava deitado sobre a cama.

Moveu o dedo por uns instantes ate sentir que deveria inserir o segundo o esticando o quanto podia e tentando achar o ponto que faria o loiro sentir mais prazer. Lambeu a ponta do membro do menor provando do pré-gozo que escorria, o fazendo gemer baixo. Deslizou o terceiro dedo ouvindo um murmurar e loro encontrou o que queria sorrindo com os gemidos mais altos que Marik deixava escapar por entre os lábios.

- B-bakura... É o suficiente... - o loiro murmurou respirando profundamente . O albino acenou positivamente, nem ele estava mais aguentando mais esperar. Retirou os dedos ouvindo um suspirar do outro e espalhou uma boa quantidade de lubrificante em seu membro. Ele ergueu uma sobrancelha vendo o menor se virar de costas para ele se apoiando nos joelhos e segurando na cabeceira da cama, olhando para o que o namorado fazia sobre o ombro - Por favor Kura... Se apresse...

Sem mais uma palavra Bakura se colocou atrás dele segurando os quadris com firmesa começando a se empurrar contra o corpo bronzeado. Ele gemia adorando a sensação de ter seu membro dentro do corpo do menor. Marik fechou os olhos com mordendo o lábio com força tentando evitar gemer muito alto, soltou um pequeno suspiro sentindo o membro todo do maior dentro de si.

O albino se inclinou contra as costas do egípcio ofegando um pouco, beijou carinhosamente a nuca dele ate chegar ao ombro direito. Suas mãos percorriam o peito bronzeado acariciando os mamilos, ele sorriu contra a pele quente ao ouvir um gemido estrangulado. Estava se forçando a não se mover para Marik se acostumar em tê-lo dentro de si, beijou novamente a nuca deixando sua língua deslizar pelo local o fazendo se arrepiar.

Ambos gemeram alto quando o loiro se empurrou contra o maior indicando que já estava preparado. Bakura se afastou segurando os quadris dele e tirou o membro quase que completo antes de se empurrar novamente ganhando um gemido alto. Continuou a estocar aumentando o ritmo aos pouco, se inclinou novamente contra as costas do loiro colocando uma das mãos sobre a do menor, que estava segurando a cabeceira com firmeza, entrelaçou os dedos juntos sem parar os movimentos.

Seus gemidos ecoavam pelo quarto em sincronia, o som de seus corpos se chocando. Ele aumentou o ritmo dos movimentos, entrando cada vez mais fundo no corpo apertado e quente do menor.

- Marik... - gemeu aumentando a força de cada movimento sentindo se aproximar do seu clímax. Estocou mais duas vezes antes de gemer novamente gozando dentro do egípcio. Ele ofegava apoiando a testa contra o ombro de Marik, passou os braços em volta da cintura dele e beijou o ombro ignorando o suor que escorria pelo seu rosto.

- Por favor... Não pare ainda Bakura. - Marik murmura se empurrando contra o corpo pálido, estava se segurando o máximo que podia para não gozar. Respirando profundamente o albino começou a estocar novamente num ritmo mais lento, mas o suficiente para fazer o egípcio gemer.

Ele gemeu alto sentindo que o albino havia tocado sua próstata. Bakura aumentou o ritmo das investidas segurando os quadris do menor com forca o suficiente para deixar marcas de suas unhas na pele bronzeada. O loiro apoiou a testa contra as mãos gemendo alto, sentia o suor escorrendo pelo seu corpo, a cada estocada se aproximava mais do seu clímax.

O quarto se iluminou por causa de um relâmpago do lado de fora da janela e em seguida uma trovoada o fez estremecer soltando um grito assustado e apertar a cabeceira da cama com mais força. Sentiu Bakura estocar com mais força, por ele estar com o corpo tenso. As mãos pálidas percorreram as laterais do corpo bronzeado e como se para acalma-lo, Bakura beijou sua nuca diversas vezes e respirando profundamente.

- Estou aqui... Se concentra na minha voz Marik. Relaxa... - ele sussurrava contra a orelha bronzeada. Marik fechou os olhos voltando a relaxar movendo os quadris para que Bakura se move-se novamente.

O albino continuou estocando tocando aquele ponto delicioso que fazia Marik gemer alto o seu nome pedindo por mais - Bakura... Eu não vou mais conseguir... - se cortou por causa de uma estocada com uma estocada um pouco mais forte.

- Você vai me esperar entendeu? - o albino sussurrou o sentindo se arrepiar com sua respiração contra seu pescoço. Marik apenas gemeu jogando a cabeça para trás ao senti-lo apertar um pouco seu membro. Bakura acelerou as estocadas grunhindo a cada impulso ajudando o menor acompanhar seu ritmo.

- B-bakura...! - o loiro gemeu alto lambuzando a mão pálida e sentindo seu interior ser preenchido com o gozo do maior, ele sorriu cansadamente jogando a cabeça contra o ombro pálido.

Ambos ofegavam tentando desesperadamente recuperar o ar. Bakura passou os braços em volta da cintura do loiro aproximando seus corpos suados e beijou o pescoço dele dando uma leve mordida. Se deitaram novamente, o menor estava debruçado sobre o corpo pálido, a cabeça descansava sobre o peito suado do outro e seus braços em volta da cintura dele. Sorriu sentindo uma das mãos quentes em suas costas e a outra acariciando seus cabelos.

Ele olhou para cima vendo Bakura de olhos fechando, expressão tranquila, parecia já estar dormindo. Sorrindo largamente ele se ergueu rapidamente e o beijou no rosto e isso foi o suficiente para faze-lo abrir os olhos o observando com uma sobrancelha erguida.

- Eu te amo. - o albino disse o beijando rapidamente nos lábios. Marik abriu a boca para dizer de volta, mas sentiu algo pulando em cima da cama e soltou um grito estrangulado. Bakura riu fazendo ele se deitar ao seu lado, e pegou o intruso o colocando em seu colo - É só o gato Marik. - ele diz divertidamente vendo o menor encolher os ombros fazendo careta.

O gato ronronou de olhos fechados sentindo seu novo dono acariciar sua cabeça. Marik inclinou a cabeça para o lado observando o gato - Devíamos escolher um nome pra ele... - murmurou pensativo. Bakura ergueu uma sobrancelha como se dissesse "Agora?", mas já era tarde, os olhos do loiro brilharam - Fluffy! - Marik diz num tom alto pegando o gato do colo do albino - Seu nome vai ser Fluffy.

Bakura abriu a boca para lembrar o seu namorado que tecnicamente o gato era dele, mas foi interrompido por barulho alto que fez Marik e o Fluffy darem um pulo. Ele riu puxando o loiro para mais perto e beijando sua cabeça - O que seria de vocês dois sem mim? - o egípcio deu de ombros.

- Eu te amo, Kura. - ele murmurou pressionando seus lábios juntos em um beijo calmo desfrutando do contato, mas foram interrompidos por um "Nyah!" alto que o Fluffy acabou soltando. Marik riu contra os lábios do maior - Feliz aniversário Bakura. - ele diz antes de se afastar rapidamente e espirrar.

OWARI

Feb. 28, 2018, 1:54 a.m. 0 Report Embed 2
The End

Meet the author

Taimatsu Kinjou ƒαηƒι¢ѕ тαмвéм ησ ηуαн!, ѕριяιт, ƒαηƒι¢тιση.ηєт, ασ3 e ωαттρα∂

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~