alicealamo Alice Alamo

Um passo... e eu morri.


Poetry Not for children under 13. © Todos os direitos reservados

#Angst #Drama #Poesia
Short tale
10
7.2k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único


Ajoelhada diante da miséria,

a alma lutava para permanecer em pé

enquanto o corpo pendia ao solo,

como se fossem dois seres

a discordarem se a vida valia à pena viver


Os olhos se fechavam,

na dolorosa decisão de não mais se abrirem

embora o coração, revoltado,

teimasse a continuar a bater.


Os ouvidos foram os primeiros a notar

as vozes curiosas,

as sirenes apressadas,

os flashes midiáticos,

o assombro diante daquilo pelo qual todos ainda viriam a passar


A alma se partia e,

quebrada em mil pedaços,

ansiava por juntar seus cacos e abraçar-se,

segurando-os firme na vã esperança de se recompor.


A boca

Que boca?

Não falava, não soluçava, ainda que o peito clamasse pelo choro.

Não gritava, mesmo que a dor o dilacerasse.

Não implorava, apesar do arrependimento


Os olhos nada viam.

Os ouvidos tudo escutavam.

A boca se calava e, aos poucos,

o corpo se unia ao asfalto,

a alma deixava cair seus pedaços, um a um.


Tudo que restava era

apenas mais um fato curioso,

mais uma sirene ligada em vão,

mais flashes a registrar a comum tragédia

daqueles que o mundo tanto rejeita.

Feb. 27, 2018, 2:03 a.m. 2 Report Embed Follow story
4
The End

Meet the author

Alice Alamo 24 anos, escritora de tudo aquilo em que puder me arriscar <3

Comment something

Post!
tiago líreas tiago líreas
(btw a quarta estrofe foi a melhor conjunção de versos que vi até agora no site)
August 25, 2019, 21:45
tiago líreas tiago líreas
Acho que essas palavras poderiam se usar como descritivas do que se sente no momento de suicídio. Eu próprio felizmente nunca pensei em cometer tal coisa, mas imagino que essa contradição de sentimentos se expresse muito na hora da decisão. Muito boa escolha de palavras e excepcional o poema, num geral!
August 25, 2019, 21:44
~