Quinze minutos Follow story

ohhtrakinas Sasah Trakinas

Nada além de conjuntos característicos que distinguem os seres vivos, com relações á sua função reprodutória ou prazerosa... Ou sexo, basicamente.


Fanfiction For over 18 only.

##yaoi ##lemon ##ohhtrakinas ##kuroko no basket ##KNB ##kise
Short tale
5
7090 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

one-shot

O quarto escuro era apenas iluminado pela luz natural do luar, que estava com certa dificuldade pela janela, com suas cortinas claras. Na cama, dois corpos masculinos interagia entre si de forma carnal.

As bocas trocavam beijos rápidos, separando-se brevemente para puxar ar e juntar-se novamente. As pernas brancas e torneadas de Ryouta circundadas em volta da cintura de Daiki, trazendo-o mais para si, obrigando-o a chegar mais perto, mais do que já estava. Sentia o moreno penetrar-lhe com vontade, indo fundo, tocando em sua próstata com destreza.

Afastara a cabeça apenas para manter sua boca aberta, soltando sons que aos ouvidos de Aomine eram melodias. Aproveitando que não mais o beijava, passou a deixar mais marcas em seu pescoço e clavícula, torcendo mentalmente para que alguém visse aquilo e deduzisse que Ryouta já tinha dono.

-A-aahh~ Daiki! –Dizia Kise quando podia, quando arranjava forças para montar uma palavra e simplesmente dizer. O prazer era imenso. O tesão de ser penetrado, de fazer sexo com a pessoa que ama.

Aomine apenas continua com suas estocadas, sentindo a coluna começar a does e suas coxas dar indício de cãibra. Sinal de que logo menos iria gozar e aquilo tudo acabaria.

Ambos os corpos soando, ambos os corpos gemendo e arfando, soltando murmúrios desconexos; e num momento de ápice, Ryouta revira os olhos e arqueia a coluna, afundando a cabeça mais no travesseiro e gemendo longamente em puro deleite, sentindo o forte formigamento dar pontadas em seu ventre, logo sentindo o alívio do gozo jorrar para fora, enquanto Aomine, sentia as paredes internas do orifício do loiro lhe apertar fortemente, dando uma sensação maravilhosa, aumentando mais sua excitação, se era possível.

E por fim, assim como o parceiro de cama, gozou. Os músculos rígidos, o tremer das pernas, o trincar dos dentes, o jorrar do líquido branco.

Por fim gozou.

Uma bela gozada.

Respirações. Muitas respirações pesadas davam para escutar daquele quarto, naquela madrugada. Ainda permanecidos na mesma posição, os dois rapazes procuravam se recuperar da transa de quinze minutos.

“Quinze minutos? Dessa vez durou mais...” Pensou um certo alguém, satisfeito consigo mesmo.

Cansado demais para se mexer, apenas se retirou de dentro do loiro, porém permaneceu em seu lugar, em cima do menor, que parecia não estar com energias nem para reclamar de seu peso.

Estava tão cansado. Sentia tanto sono...

“Transar cansa.” E dormiu com tal filosofia contemporânea de sua autoria em mente. 

Feb. 27, 2018, 12:42 a.m. 0 Report Embed 3
The End

Meet the author

Sasah Trakinas Alcoólatra triste.

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~