Meu ômega Follow story

cupcake_ruivo Lory Cake

Aquela tinha tudo para ser uma manhã comum para Naruto Uzumaki. Era apenas mais um dia comum, afinal. Bem, seria se não fosse o fato de seu cobiçado vizinho estar entrando no cio. Já era bem difícil resistir ao moreno Uchiha em dias comuns, mas naquela noite isso seria praticamente impossível. Principalmente depois de receber uma ligação pedindo por socorro. Seria Naruto capaz de resistir ao chamado do seu ômega?


Fanfiction For over 18 only.

#Naruto #Yaoi #Naruto/Sasuke #SNSChurch
81
8927 VIEWS
In progress
reading time
AA Share

Qual a sua emergência?


Aquela tinha tudo para ser uma manhã tranquila na vida de Naruto Uzumaki.

As coisas estavam tranquilas no batalhão. As chamadas de emergência que alertavam incêndios estavam cada vez mais escassas e ele se sentia orgulhoso do trabalho que vinha fazendo em escolas e instituições, alertando as pessoas dos perigos que haviam dentro de casa e de como elas poderiam se prevenir de possíveis incêndios.

Fora o primeiro da família a ingressar no corpo de bombeiros, mas aquele sentimento de ser o pioneiro não lhe era estranho. Mesmo que tudo apontasse para uma vida comum como beta, foi o primeiro da linhagem de sua família a nascer como um Alfa.

Ele finalmente havia aceitado essa sua nova condição e, mesmo tendo crescido em um ambiente cercado por betas, ele estava se adaptando. Os cios já não eram um grande problema. Graças aos inibidores que vinha tomando, ele já não queria atacar os ômegas que via pela rua.

A única coisa que o perturbava no momento tinha nome e sobrenome: Sasuke Uchiha.

Naruto não sabia dizer o que acontecia. Ele conseguia se controlar perto de qualquer ômega que atravessasse o seu caminho. Até mesmo tinha conseguido se controlar diante de uma armadilha imposta por uma colega de trabalho. Eis que Hotaru, havia entrado no cio em pleno batalhão, durante um plantão, onde coincidentemente, só estavam os dois. Uma armadilha. Foi o que sua amiga Hinata disse ao saber do ocorrido. E embora ele não tenha admitido em voz alta, ele também achava. O fato era que, mesmo Hotaru estando ali, gemendo, implorando para que ele a ajudasse, ele conseguiu simplesmente lhe ignorar e chamar algum beta pra levá-la pra casa.

Entretanto, ele não conseguia fazer o mesmo com Sasuke Uchiha, o maldito vizinho do andar de baixo. Era gostoso como inferno e tinha a porcaria do melhor cheiro do mundo. O Uzumaki precisava tapar o nariz quando se encontravam, e ficar sem respirar quando se encontravam no elevador, para controlar a vontade que tinha de jogar o moreno contra o espelho e fode-lo ali mesmo.

Aquela tinha tudo para ser uma manhã tranquila.

Tinha. De fato. Não fosse o desprazer de encontrar o Uchiha no hall de entrada. Desprazer esse, não porque ele cheirava como um campo de flores, não. Desprazer porque ele carregava uma porção de cobertores e almofadas, o que indicava um possível ninho para cio? Não.

Desprazer porque grudado na cola de seu omega, estava o brutamontes ruivo, que exalava um cheiro alfa, que fazia com que os instintos de Naruto entrassem em alerta. Ruivo esse que olhava para o seu omega de forma possessiva, como se ele fosse sua propriedade.

Naruto bufou. Só a ideia de imaginar o seu omega passando aquele cio com o maldito ruivo, o fazia querer chutar alguém.

Naruto respirou fundo, sentindo aquele cheiro doce lhe arrebatar, apressou-se em tapar o nariz com a gola do uniforme. Deus, como alguém podia cheirar tão bem? Cumprimentou-os com aceno de cabeça, e estranhou quando o Uchiha lhe arregalou os olhos e jogou uma peça de roupa que o ruivo levava no ombro, em cima do grande cesto que carregava.

Tentando não pensar muito no ômega, e no seu possível cio, seguiu até a lavanderia do prédio, precisava buscar suas roupas que havia deixado lavando na noite anterior e encontrar a senhoria para reclamar do sumiço de suas meias.

**

Assim que passou pela porta de casa, Sasuke soltou o cesto de roupas e começou a bater no próprio pescoço e pulso. Por que diabos aquelas malditas glândulas tinham que entrar em parafuso quando viam o Uzumaki gostoso? Inferno.

Usava os melhores inibidores para impedir que aquele cheiro doce ficasse impregnando o ar, mas toda vez que chegava perto de Naruto, não parecia fazer a menor diferença.

Pior, ele parecia odiar. Estava sempre escondendo o nariz ou prendendo a respiração. Era uma agonia trocar um simples bom dia, porque Sasuke ouvia muito bem aquela voz estrangulada de quem não está respirando.

—Juugo - chamou o amigo, um pouco manhoso. Efeito do cio que estava para se iniciar, certamente - Meu cheiro é ruim?

— Está brincando comigo? - perguntou o ruivo, levando os cobertores que carregava até o quarto do moreno - Seu cheiro é maravilhoso. Perdoe a indelicadeza. Mas, se eu não fosse tão apaixonado pelo Kimimaro, eu teria que me controlar para não atacá-lo. Por que a pergunta?

—Você não viu? - perguntou, seguindo o outro até o próprio quarto - O vizinho fica prendendo o ar pra falar comigo. Acho que ele deve odiar esse cheiro. O meu, no caso - pegou uma peça de roupa que não era sua e passou pelo rosto e pescoço, inconscientemente, fazendo seu próprio cheiro se impregnar na meia escura - Se ele me notasse eu não teria que roubar as coisas dele.

— O que? O grande Sasuke Uchiha, o cadete mais novo a se formar na academia, o oficial número um da polícia de Konoha, é na verdade um ladrão de meias?

— Cala a boca - respondeu raivosamente - Eu vou devolver.

Não gostava muito de entrar naquele assunto, mas em épocas como aquela, não podia ignorar seu segundo gênero. Nem podia dizer como sentiu-se mal ao descobrir que era um ômega quando todos em sua família eram Alfas. Passou a vida inteira agindo como um porque tinha certeza de que o resultado de seu teste indicaria sua natureza dominante.

Embora ainda fosse rígido e bastante cabeça dura, descobrir sobre aquilo o deixou em profunda negação por um bom tempo. Estudou e se preparou para entrar na polícia como toda a sua família e, em sua mente jovem, acreditava que não seria capaz de seguir esse planos.

Foi Itachi, seu irmão, que o convenceu de que seus esforços não seriam jogados fora. Sua capacidade não se media por gênero e poderia fazer a escolha que quisesse. Ele era tão - ou mais - capaz que qualquer Alfa. Dedicou-se mais do que qualquer um e, mesmo sendo um ômega, era bastante respeitado em seu ambiente de trabalho.

Entretanto, sempre que se aproximava de seu cio, ele sentia aquela natureza desejosa e necessitada tomando-lhe a consciência. Não conseguia impedir-se de fazer algumas coisas vergonhosas, como roubar as meias do vizinho.

Mas deixaria para se arrepender disso quando seu cio acabasse. Agora, ele precisava terminar de arrumar seu ninho.

— A karin ficou de lhe trazer comida, se você estiver em condições de abrir a porta. Pode deixar uma chave comigo que entrego pra ela. Você poderia também aceitar a oferta do Kiba. Ele foi gentil em se oferecer. E essa sua idéia de se guardar para o bonitão loiro não está dando muito certo.

— Eu não estou me guardando - Sasuke franziu os olhos negros - Eu só não quero passar o cio com uma pessoa com quem eu mal falo. Eu vou ficar bem - pegou outra meia, esfregando no pescoço, o que fez o ruivo lhe lançar um olhar irônico - Vou deixar uma chave contigo, sim. Pede pra Karin não trazer nada ruim de mastigar. Eu já não tenho muita fome nessas épocas, então…

— Tudo bem, se você mudar de idéia me liga. Eu vou indo. O kimi não gosta que eu fique perto de ti nessa épocas - o ruivo riu nervoso.

— Tudo bem - o moreno acompanhou o amigo até a porta e se despediu.

Voltou ao quarto, arrumando suas peças, tecidos, brinquedinhos e tudo que poderia manter seu ninho mais aconchegante. Colocou algumas garrafas de água por ali e decidiu acender velas aromatizantes pela sala, para que seu cheiro ficasse menos evidente para os outros moradores.

Começava a se sentir cada vez mais angustiado. Tomou um banho, sentindo que o corpo estava prestes a responder aos próprios estímulos.

A hora tinha chegado.

Seu cio estava para começar.

**

Karin deixou o elevador com um pouco de dificuldade. Carregava algumas sacolas de comida, com cuidado para não derramar nada e parou em frente ao apartamento do amigo. Mesmo sendo uma beta, ela podia sentir o cheiro de Sasuke. Ela apenas não se sentia afetada por isso. Usou a chave reserva pra entrar na casa, deixando a comida sobre a mesa. O cheiro forte das velas estava deixando-a tonta, mas tentou ignorar isso para ir até o quarto ver como estava o amigo.

Chegou perto da porta, ouvindo os murmúrios lá dentro.

— Naruto - clamava, em diferentes tons - Naruto…

Karin não sabia se devia rir ou chorar. Aquela fixação que o amigo tinha em seu primo chegava a ser engraçada, já que os dois nunca tinham contato de verdade. O pior é que ela sabia que Naruto também estava louco por ele, mas nenhum dos dois dava ouvidos a ela.

Tinha cansado de conversar sobre a burrice dos dois com o namorado, mas ouvir o sofrimento do amigo durante o cio a deixava com o coração apertado.

Por que era tão teimoso?

Olhou a hora no relógio. Já estava perto das 21h. Sasuke devia ter passado o dia todo sem comer, mas, a julgar pelos sons que ouvia, ele não devia querer se alimentar naquele momento.

— Naruto - agora um grito estrangulado.

Chega. Karin tinha que fazer alguma coisa. Era uma emergência. Oh, sim. Uma bela emergência. E ela sabia muito bem a quem devia pedir socorro.

**

Naruto terminava de arrumar suas coisas, havia acabado de sair de um longo banho. Banho esse que fora regado com toques e gemidos indecentes, pensando no vizinho.

O fato era que Naruto não tinha conseguido parar de pensar em Sasuke o dia todo. Só de imaginar que naquele momento, o seu ômega estava sendo fodido pelo maldito ruivo gigante o dava nos nervos. O cheiro que o Uchiha soltava naquela manhã era como uma droga, que havia entrado em cada poro do seu o corpo, o fazendo ter delírios com o moreno.

Como ele podia se sentir tão atraído por alguém que nem mesmo o notava?

Já havia ouvido a respeito de ômegas e alfas que tinham “A ligação da alma” que fazia com que se sentissem atraídos não só sexualmente e, de fato, ele não tinha só desejo pelo moreno. Ele queria protegê-lo, tinha necessidade de saber como ele estava. Vivia rondando sua prima que era amiga do Uchiha, para saber mais a respeito dele. Mas ele achava que, se ele fosse mesmo ligado ao outro, o responsável por tal ligação havia cometido o infeliz engano de ligar apenas ele. Porque Sasuke não lhe dava a mínima. Mal o cumprimentava, e vivia pra cima e pra baixo com os alfas que trabalhavam consigo.

Como o loiro poderia competir com os grandes alfas, que haviam sido treinados para tal desde muito cedo? Quando ele, sempre esperou ser Beta? O pouco que sabia sobre ser alfa, havia aprendido com Gaara. Mas haviam coisas que não podiam ser simplesmente ensinadas e Naruto se perguntava o que poderia fazer.

Seguiu até seu carro sem pressa, não queria voltar pra casa, sua mente iria fazer seus sentidos se apurarem e ele seria capaz de ouvir o que se passava no andar debaixo. Só de fechar os olhos, ele já podia vislumbrar a cena que devia ser o Uchiha no cio, em meio a almofadas, o traseiro empinado, implorando por ajuda. O cheiro dele naquele momento devia ser ainda mais delicioso do que já era normalmente. Céus. O que estava acontecendo com ele?

O telefone tocou, o trazendo de volta para a realidade, visualizou o nome e foto de Karin na tela, e atendeu sem nenhuma motivação.

— O que você quer?

— Naruto? - a voz de Karin estava trêmula, nervosa - Eu preciso de ajuda, acho que o Sasuke não está bem.

— Calma, o que aconteceu com ele? Onde você está? - Naruto sentiu seu corpo todo reagir ao pensar que algo estivesse acontecendo com seu ômega.

— E-eu estou aqui na porta da casa dele. Vim trazer comida, mas ele não atende. Acho que entrou no cio. Mas ele é muito sensível, Naruto. Acho que ele pode estar se machucando. Também estou sentindo cheiro de fumaça. Se tiver alguma coisa pegando fogo, ele não vai ver.

— Eu to indo pra aí. Espera.

Ligou o carro e saiu em disparada, não ligando para os sinais vermelhos, ou se poderia causar algum acidente. Podia ser irresponsável de sua parte, mas só de imaginar seu ômega, passando por qualquer tipo de sofrimento, ou até mesmo perigo, não era capaz de se controlar.

E aquele ruivo? Ele não deveria estar com Sasuke? Que tipo de alfa deixa um ômega, frágil e no cio, sozinho?

Estacionou o carro de qualquer jeito em frente ao prédio, e seguiu às pressas até o elevador, por sorte ele estava no térreo.

Assim que chegou no andar do Uchiha, sentiu seu cheiro lhe atingir como um soco. Puta que pariu, ele não podia ficar ali. Karin estava parada em frente a porta do apartamento, com a mão sobre o nariz e uma feição aflita.

— Karin, por deus, eu não posso ficar aqui, eu não vou conseguir me controlar com esse cheiro. Ele já me detesta, se eu o atacar…

— Naruto, vem cá - Karin chamou acenando com a mão - Escuta.

A contra gosto, o loiro se aproximou da porta, tapando o olfato inutilmente com as mãos. Pôs um dos ouvidos na porta, afim de escutar o que a prima se referia.

— Naru-to - gemeu alto o moreno, dentro da própria casa - Naruto…

O Uzumaki, não podia acreditar no que ouvia, instantaneamente sentiu seu membro ganhar vida, sua respiração tornou-se pesada, as pupilas dilataram. Precisava sair dali.

— Naruto - Karin chamou - Você precisa ajudá-lo.

Um grito foi ouvido de dentro do apartamento.

Esquecendo completamente da presença da prima, Naruto adentrou o apartamento, guiado apenas por seus instintos, seguiu pelo corredor o cheiro tão delicioso que lhe agraciava o olfato e os gemidos que o seduziam.

Encontrou Sasuke, exatamente como em seus devaneios, deitado de quatro sobre o monte de almofadas, usando uma das mãos para se apoiar, enquanto usava a outra para tentar aplacar o desejo que o corroía.

O Uchiha gemeu ainda mais alto e arrastado ao sentir a presença de Naruto tomando o local. O loiro parecia nem perceber que o fazia, mas aquilo deixara o moreno ainda mais desesperado por atenção.

Virou a cabeça em direção a porta com os olhos negros franzidos, observando Naruto petrificado, o encarando-o com desejo.

— Naruto - sussurrou - Me ajuda, por favor.

— Sasuke - Sem mais conseguir controlar, Naruto avançou sobre o ômega.

Sasuke virou-se completamente, ansioso pelo contato e passou os braços em volta do pescoço do loiro, recebendo os lábios sedentos com ardor. Gemeu, remexendo-se, puxando a blusa do vizinho na intenção de tirá-la. Sentiu a pele quente do Alfa sob seus dedos, sua boca sugando sua língua e então o rosto do Uzumaki se enterrou em seu pescoço.

— Esse cheiro, esse maldito cheiro!

Ainda com os braços em volta dos ombros do loiro, Sasuke afastou-se um pouco para olhá-lo.

— Você odeia tanto assim? - perguntou, amuado, mas ainda excitado demais.

— Se eu odeio? Deus, Sasuke, é o melhor cheiro da terra. Eu poderia acordar todos os dias sentindo esse cheiro.

Aquilo fez o Uchiha se contorcer outra vez, gemendo longamente.

— Naruto - chamou, esfregando-se no outro - Eu preciso de você. Dentro de mim. Agora.

Mesmo louco para se enterrar em seu ômega, Naruto segurou-se e desceu o corpo de modo que ficasse com o rosto sobre a pélvis alheia. Sem cerimônias, ele abocanhou o membro do moreno e, usando do líquido que lhe escorria pelas pernas, o penetrou com dois dedos. Sasuke gemeu, o que só fez com o que o loiro quisesse o torturar ainda mais. Usando a mão livre, ele o masturbava enquanto seus lábios e língua, faziam o trabalho em torno de seu falo. Subindo e descendo, usando a língua como se imitasse os movimentos de um beijo. O Uzumaki queria levar o amante ao limite, queria lhe dar todo o prazer que fosse capaz, para que ele lembrasse de si, quando o próximo cio chegasse. Naruto queria marcá-lo. Queria ser o único alfa capaz de estar ali quando esses momentos chegassem.

Os dedos pálidos se enterraram nos cabelos loiros enquanto a boca fina e rosada estava petrificada num “o”. Os sons aumentando gradativamente cada vez que Naruto deslizava o membro do outro pra dentro da boca com destreza. Baixou os olhos, encarando os azuis determinados, mal cabendo em si mesmo de tanto tesão. Os dedos brincando dentro de si acharam seu ponto sensível e seu corpo se projetou ainda mais pra frente e pra trás, alucinado, na tentativa de sentir mais prazer ainda. As pernas tremiam e a respiração estava totalmente descontrolada.

— Naruto - a voz saiu entrecortada em meio aos suspiros e gemidos altos - Por favor…

Talvez aquilo não fizesse muito sentido, mas não importava. Estava totalmente perdido no próprio prazer. Cada pequena fibra de seu corpo convulsionando, sentindo aquela onda cada vez mais próxima de atingí-lo. Os olhos azuis ainda atentos às suas reações o deixavam ainda mais fora de controle. Não ia aguentar muito tempo mais.

O orgasmo o alcançou intensamente, mas não conseguiu avisar ao Uzumaki a tempo. Mesmo assim, o loiro não parecia incomodado com seu gosto. Enquanto um leve cansaço abatia o moreno, a consciência retornava e aquilo o fez encolher os ombros e sentir o rosto corar. Encarou Naruto que se erguia sorridente, lambendo os lábios e passou os braços ao redor do próprio corpo.

— Desculpe - pediu em voz baixa - Eu não queria… Não queria incitá-lo assim… Eu…

— Você fica ainda mais fodidamente perfeito assim corado - O Uzumaki se inclinou sobre o corpo do outro, levando os lábios aos dele, e sugando a parte inferior - Não sabe o quanto eu sonhei com isso.

— Sonhou? - perguntou, já sentindo-se render aos carinhos do Alfa - Achei que não gostasse de mim - não queria admitir, mas naquela situação, estava terrivelmente sensível.

— Por que achou isso? - Naruto voltou a beijá-lo, deitando-se sobre ele , levando de maneira instintiva o joelho para o meio das pernas do outro, instigando-o.

— Hum… Você - gemeu, custando a deixar os olhos abertos - Parecia fugir e prender o ar quando me via. Era muito rude da sua parte.

Naruto levou o rosto até o pescoço de Sasuke aspirando daquela glândula que o levava aos céus.

— Oh, me desculpe por isso, mas eu não queria ser acusado de atacar o filho do delegado. - Lambeu a pele exposta, e roçou os dentes ali, pensando no quanto queria marcá-lo, no quanto queria que ele fosse seu - Eu amo seu cheiro, Sasuke.

O Uchiha deixou escapar outro gemido, sentindo a pele formigar por onde ele passava. Parecia mais uma alucinação, mas sentir aquele corpo grande sobre o seu o estava deixando fora de órbita.

— E eu amo o seu - gemeu outra vez, puxando o rosto do loiro para mais um beijo.

O cio fazendo seu trabalho de deixá-lo pronto pra mais uma rodada. Dessa vez, no entanto, precisava de mais. Queria-o por completo, totalmente entregue a si, assim como ele também estava entregue ao outro.

Roçou uma das pernas pelo lado do corpo do Uzumaki, friccionando-se em busca de contato e alívio.

— Preciso de você, Naruto - sussurrou.

O Uzumaki já não era capaz de lutar contra a vontade de se enterrar no outro, então ele apenas chutou as calças para longe e se colocou sobre o moreno, encaixando-se em sua abertura, o olhou no olhos, pedindo por uma confirmação, que veio com um aceno.

— Sasuke, eu nunca fiz isso, quer dizer, eu nunca estive com um homem ômega antes, então, se eu te machucar…

— Eu confio em você. Pode vir - mordeu os lábios, satisfeito de algum modo, por ser o primeiro homem com quem o Uzumaki estaria.

Naruto entrou devagar, sentindo-se ser apertado pelo outro, soltou um gemido quando estava completamente dentro. Por sorte, Sasuke estava bem lubrificado e ele pode escorregar sem muita dificuldade. Esperou uns segundos, de modo que o outro pudesse se acostumar com o incômodo, mas logo sentiu o moreno rebolando, incentivando-o a se mexer. Sem conseguir controlar de fato seus instintos, ele começou um vai e vem incessante, a imagem do Uchiha abaixo de si, gemendo e se contorcendo, apenas o instigava a ir mais fundo, com mais força.

Saiu de dentro dele por completo, apenas o tempo necessário para virá-lo de costas, puxando-o pelo quadril, incentivado-o a fica de quatro, para então, voltar a se enterrar nele, entrando e saindo, de novo e de novo.

Jogou seu tronco sobre suas costas, levando uma mão até seu cabelo, puxando-o para cima, fazendo com que o Uchiha ficasse de joelhos, continuava a lhe estocar com força, cravando os dentes de leve em seu pescoço, puxou o rosto do Uchiha de lado, para que pudesse beijá-lo.

— Você é tão perfeito, Sasuke! Tão apertado.

— Naruto - gemeu com a voz engasgada - Eu preciso de mais.

O moreno remexia o quadril cada vez mais rápido, perdendo-se na sensação incrível que era ter Naruto dentro de si. Estava louco, totalmente à mercê daquele loiro e precisava de mais… Mais… Mais…

Naruto já não raciocinava, seu lado alfa queria apenas satisfazer as vontades de seu ômega, então, como se fosse a coisa mais normal do mundo, e como se ele e Sasuke fossem parceiros antigos, ele sentiu seu membro esquentar, latejar, sentia-o inchando. Não sabia o que estava acontecendo.

Sasuke sentiu o inchaço ainda fora de si. Por mais que estivesse ainda em êxtase pelo prazer que sentia, remexeu-se virando de frente para o Uzumaki, sentando-se em seu colo. Percebeu que não estava imaginando coisas. Naruto havia formado o nó e apenas a consciência disso o deixou ainda mais excitado e eufórico.

— Eu quero sentir, Naru - chamou-o pelo apelido recém-criado, beijando-lhe os lábios - Por favor…

Naruto segurou firme na cintura no Uchiha, ajudando-o a descer sobre seu membro, levou alguns segundos para que conseguisse preenchê-lo com todo seu volume, devido ao nó recém formado, mas assim que sentiu que estava quase no seu limite, o orgasmo do amante o atingiu.

— Naru - chamou com a voz arrastada - Me marca. Eu quero ser só seu.

Ao ouvir tais palavras o Uzumaki não pode fazer outra coisa, senão enterrar seus dentes na carne do, agora Seu, ômega, sentindo o orgasmo lhe atingir em cheio.

— Sas-sasuke!

Naruto estava extasiado, sentindo-se completo, leve. Passou a língua de leve sobre a marca que havia feito. A marca que significava que agora pertenciam um ao outro.

— Espero que você não se arrependa disso quando seu cio acabar. - Sussurrou inseguro, aproveitando o fato de estarem atados e que o Uchiha não poderia fugir de si.

Sasuke sorriu, sentindo a plenitude de ter Naruto dentro de si.

— Não vou me arrepender - sussurrou de volta, selando os lábios do loiro - Eu estou muito certo do que eu quero. Espero que você é que não se arrependa.

Naruto apenas sorriu, entregando-se ao beijo, abriu os olhos admirando a beleza de Sasuke.

— Meu ômega!

Voltou a beijá-lo por minutos que pareceram a eternidade, sentiu que seu nó começava a desmanchar. Permitiu-se admirar o ninho tão aconchegante que o outro havia feito, quando teve uma surpresa.

— Aquelas são minhas meias de treino? - Perguntou fingindo uma carranca e segurando o riso.

— E-eu ia devolver - gaguejou envergonhado - É que você tem um cheiro tão bom… E eu fiquei…

Naruto voltou a beijar-lhe o pescoço;

— No seu próximo cio, não precisará roubar meias, porque Seu Alfa estará aqui.

---------------------

Isso aqui era uma one aidnaejfmaem mas não é mais

Ela tá em andamento e eu tb faço ela com a Nina (sério gente, vai lá no perfil dela. https://getinkspired.com/pt/u/jpstyle/) @JPStyle


Tem mais dois caps, mas ela ainda não acabou. Esperamos que gostem <3

Feb. 26, 2018, 11:19 p.m. 1 Report Embed 17
Read next chapter Orgulho Uchiha

Comment something

Post!
Dani Miranda Dani Miranda
Amei❤️
Aug. 3, 2019, 1:33 a.m.
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 2 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!