Uma Dose Follow story

byaaaaa Bya Alves

E agora mais do que nunca quero descobrir o que mais ela quer fazer.


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only. © Personagens de Masashi Kishimoto

#Naruto #Hinata #Ino #Yuri #inohina
Short tale
3
6691 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Uma dose

Sexta-feira e tudo que eu quero é chegar em casa, me livrar dessas roupas, tomar um belo banho e cair na noite! Quando cheguei em meu pequeno e lindo, diga-se de passagem, lar, tratei de pegar o celular e ligar para todas as minhas amigas pra saber quem estaria disponível hoje, todos os nãos que eu podia levar depois, apelei pra mensagens para aqueles contatinhos de sempre. E todo mundo já estava ocupado. Que ótimo!

Começamos muito bem Ino, não tem graça nenhuma ir pra balada sozinha, não tem graça ir pra lugar nenhum sozinha! Mas tudo bem, depois de um belo banho posso encarar qualquer coisa. Uma hora mais tarde, talvez um pouquinho mais, e já estava pronta para sair, não iria a nenhum lugar estravagante então, optei por uma calça jeans cintura alta e um cropped branco ombro a ombro, um saltinho apenas por charme e deixei meu cabelo solto.

Decidi ir a um barzinho, algo mais íntimo, com música e bom onde não vou me sentir tão deslocada só. Escolhi o de sempre e parti já pensando na minha primeira bebida. Eu preciso de álcool ou vou ficar lembrando do quanto gostaria de matar minha chefe! E olha, como eu gostaria! Mas hoje é dia de esquecer ou de traçar planos infalíveis o que vier primeiro.

Me sentei numa mesa estratégica para poder observar todo o lugar, talvez eu possa me dar bem hoje, quem sabe? Olhei a banda, era típica da noite, músicos gatinhos com aquela cara cult que tocavam de tudo, mesmo sendo mais do agito, gosto do clima desses lugares.

Estava começando a ficar entediada quando ela entrou, não tinha cara de quem estava planejando passear, a morena de olhos incrivelmente claros foi se sentar no bar e estava com um biquinho de dar dó. Algum idiota deve ter feito algo a ela, um grande imbecil, uma garota tão fofa e linda, quem teria coragem para machuca-la? Fiquei a observando enquanto bebia, gostaria de saber em que mundo ela estava, porque aqui não era.

Mordi o lábio e chamei um garçom, peguei uma caneta na bolsa escrevi um bilhete no guardanapo e pedi que entregasse a ela com um drink já que pelo visto ela não tinha ideia do que beber. Sorri quando ela me olhou e meu sorriso aumentou quando a vi vir em minha direção se sentar, havia oferecido companhia e ela aceitou de bom grado.

— Boa noite. Que bom que aceitou se sentar comigo.

— Estava sozinha mesmo. Nos conhecemos de algum lugar? — seu tom doce e calmo só me deixou mais interessada.

— Não. Tenho certeza de que nunca nos vimos, seus olhos com certeza não são fáceis de esquecer. — pensei que fosse arrancar um sorrisinho dela mas muito pelo contrário, a garota se entristeceu como se eu tivesse dito algo horrivel. — Desculpe, fiz algo errado?

— N-não. Desculpe, mas foi exatamente com essa cantada que meu ex me conquistou. — ela riu fraco — Quer dizer, não que você estivesse me cantando! Não me entenda mal! Desculpe! — Nunca conheci alguém que ficasse tão vermelha, ri a deixando mais confortável, era claro que eu estava a cantando!

— Não se preocupe querida eu não entendi mal. Está tudo bem.

Vi que era melhor não colocar em prática meu manual de sedutora e apenas deixei a conversa rolar. Descobri que seu nome era Hinata e ela era penas dois anos mais jovem que eu, aos 20 anos parecia uma garotinha fofa de 16, havia terminado a certo tempo com o namorado, acabou caindo em tentação e marcou de se encontrar com ele no restaurante ao lado mas o filho de uma...Calma Ino, não apareceu e teve coragem de deixar essa mulher sozinha!

Conversamos por boa parte da noite, tinhamos muito em comum e muito em oposto também, mas o fato é que estavamos nos divertindo, rindo como bobas e isso que não haviamos nem tomado mais de dois drinks, falavamos tanto que esqueciamos de beber. A banda começou a tocar Green Light num arranjo mais animado, confesso que nunca dei muita bola pra essa música mas hoje eu queria um sinal verde, me levantei a puxando junto e a levei a pequena pista onde poucas pessoas dançavam, a rodopiei vendo-a rir e entrar na brincadeira e se balançando com aquele rock animado, eu beijaria cada um desses caras por trazerem essa versão a tona.

Rodopiavamos e cantavamos juntas como se ninguém mais estivesse ali, juro que tentei resistir mais já estava tão envolvida com a música que a beijei. Tive medo de ser empurrada no vocalista, medo que passou quando a senti corresponder, não só nosso primeiro beijo como todos os outros que demos durante a noite.

O bar estava fechando e a levei ao meu carro, seu sorriso transmitia uma certa curiosidade e ansiedade, fomos para minha casa, olha agradeço a todos que me esnobaram era noite. Liguei o rádio e fomos cantando pelo caminho, ela não estava intimidada e aquilo era ótimo!

Assim que entramos a puxei para outro beijo enquanto guiava o caminho ao meu quarto, quando a deitei no colchão macio, me afastei olhando seus belos olhos, as bochechas vermelhinhas e aquela boca que já me fazia falta.

— Já dormiu com uma mulher antes? — perguntei calma fazendo um carinho em seu rosto.

— Não...— abaixou o olhar envergonhada e levantei seu queixo.

— Não se preocupe, não vamos dormir. — lambi seus lábios e a beijei.

Despir Hinata foi mais do que sensual, fora um dos melhores shows que eu já vi na vida, a cada peça ela corava lindamente, mas não escondia a excitação, estava arrepiada, a vi morder o lábio ao menos duas vezes e quando cheguei a sua calcinha vi o quanto estava molhada, talvez eu estivesse a agradando mesmo antes do que imaginei. Minhas roupas se foram rápidas, queria aproveitar aquele corpo, todo seu calor, brinquei em seu pescoço o mordendo e lambendo tirando todos os suspiros que ela tinha, seus seios. Deus que seios!

Se fartou nos montes e aos montes! A pele branquinha ganhou um tom róseo maravilhoso, sugava os biquinhos cheia de vontade gulosa e os gemidos que recebia em troca faziam valer mais que a pena. Quando desci dei toda atenção a barriga da morena, lambi o caminho para sua perdição, estava chegando onde queria e como queria, afastei suas pernas vendo aquele vale de prazer todo apenas para mim e faria ótimo proveito, olhei a morena que parecia implorar por aquilo, sorri e a lambi de fora a fora sentindo seu gosto, a beijei, lambi, suguei, explorei e a enlouqueci, mais do que satisfeita a fiz jorar, contente com o trabalho bem feito. Mas a noite estava apenas começando, fiquei surpresa pela menina querer retribuir de cara, literalmente, assim que senti sua língua tremi, Hina era tímida, ia me explorando aos poucos, chupava como uma gatinha dengosa, e sua inexperiência me deixava mais excitada, ela tentava imitar o que fiz, mas seu beijo era mais lento e romântico, delicioso! Seu jeitinho foi me conquistando e excitando, meus gemidos devem tê-la incentivado já que a senti ir com mais cede ao pote, ela foi indo cada vez mais rápido como se dependesse de sentir meu mel em sua boca, o que não tardou, me desfiz em seus lábios finos sentindo meu corpo amolecer, aquela menina sabia o que fazer quando qureria.

E agora mais do que nunca quero descobrir o que mais ela quer fazer.

Feb. 26, 2018, 9:42 p.m. 0 Report Embed 2
The End

Meet the author

Bya Alves Autora com o mesmo Nick no Social Spirit!

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~