Star Wars - O despertar da safadeza Follow story

b.merlin713617 Beatrice Merlin

Kylo Ren encontra-se como atual Líder Supremo da Primeira Ordem, onde o mesmo se vê a mercê dos desejos mais comuns de um homem, satisfazer suas vontades, e ele tinha seu alvo na mente: Rey; a sucateira de Jakku, que se tornou prodígio na arte jedai, aliada e principal chave da resistência para vencer a Primeira Ordem. Num momento de descontração, Finn juntamente com os pilotos da Resistência e o capitão Poe Dameron, tem a excelente idéia de fazer uma pequena comemoração, depois de terem sido salvos pelo então falecido Luke Skywalker; porém, o “menor” dos problemas é que a confraternização acabou chegando a proporções quase colossais.


Fanfiction For over 18 only. © História e enredo são de minha total autoria.

##romance ##humor ##starwars ##reylo
4
7606 VIEWS
In progress - New chapter Every Saturday
reading time
AA Share

O lado negro da Força é forte, é grande; mas não machuca.


ANO 34 DBY – (Um mês após a destruição da nave Supremacy, - morte do Snoke - e ascensão de Kylo Ren como Supremo Líder).


Irritado, era assim que o general Armitage Hux se encontrava frente aos painéis de controle, com alguns soldados operando o mais novo Destroyer Estelar classe Mega, Supremacy.

-Senhor? Disse um dos soldados stormtroopers.

-Sim?

-O Supremo Líder o aguarda.

O ruivo acenou com a cabeça, dispensando o soldado, era angustiante ver aquele moleque no lugar em que ele tanto almejava; mas precisava manter as aparências, afinal, não podia falhar. Entrou determinado na sala em que estava o atual Supremo líder e fez uma sutil reverência.

-Mandou me chamar, senhor? A palavra quase saia engasgada, era difícil para ele acreditar ainda.

-Sim General, creio que esteja ciente de que nossos recursos bélicos e operacionais são mais que suficientes para encontrar qualquer inimigo estou certo? Disse Ren, com seriedade.

-Lógico senhor.

-Então porque ainda não obteve resultados em relação ao paradeiro daqueles vermes malditos da resistência? Falou com voz alterada, seu dedo coçando para ativar o sabre de luz e cortar algo.

-Senhor, se me permite falar, eu... Tentou falar, mas sua voz saía estrangulada, o ar faltava pouco a pouco e seu rosto estava ficando cada vez mais vermelho.

-O que eu não admito General, é alguém que tem recursos, falhar tão exageradamente.

-Supremo Líder? Disse a stormtrooper platinada.

-Sim, capitã. Alguma notícia útil? Comentou enquanto mantinha Hux ajoelhado com extrema dificuldade de respirar, realmente, seu controle da Força estava se ampliando e melhorando a cada dia.

-Nossos radares encontraram movimento suspeito numa região entre a orla exterior e Endor. Porém as naves de rastreamento que mandamos para lá foram destruídas ou sumiram em algum ponto no percurso do mapa, não encontramos nem sequer uma localização precisa.

-Entendo, então, tem alguma ideia para solucionar esse problema, General Hux? Falou o libertando da pressão que exercia sobre o corpo e garganta do mesmo, que tossia fortemente e tentava se alinhar ao levantar-se.

-Devemos encontrar algum furo nesse “bloqueio” para... Perfeito, era isso que Ren queria ouvir.

-Bem, você demora em elaborar uma estratégia simples, direi eu mesmo: Capitã, você está encarregada de uma missão de reconhecimento e infiltração, e deverá se reportar diretamente a mim via holocron, quando encontrar informação valiosa. Acima de tudo, é uma missão de reconhecimento, não de captura, desejo encontrar esses malditos da resistência e destruí-los de uma vez só, sorrateiramente. Estamos entendidos?

-Sim, senhor. Disse firmemente.

-Ah, outra coisa, não ser reconhecida significa que deverá sair de sua armadura um pouco. Falou com certa ironia.

-Eu entendo senhor, partirei ainda hoje para iniciar a missão.

-Espero que ao menos você, capitã, me traga resultados favoráveis! Disse enquanto olhava para Hux que mantinha um olhar irritado, porém firme.

-Sim senhor! Disse a platinada, retirando-se em seguida, sendo acompanhada por Hux.

-General?

-Senhor? Falou com certo nervosismo pelo estrangulamento anterior.

-Espero que não falhe novamente! Falou enquanto o dispensava.

-Certamente, senhor.

Kylo agora estava em direção a seus aposentos, sua imponente capa tremeluzia e dava um ar soberano e imponente a ele. Stormtroopers abriam caminho enquanto o mesmo se dirigia a seus aposentos, sendo subitamente surpreendido novamente por flashes de imagens da Force Bond, onde via Rey sorrindo, ou treinando com um bastão de metal resistente, ou pior, em momentos extremamente íntimos.

Porque raios ele tinha que passar por essa provação? O contato que tiveram na luta contra os guardas pretorianos sempre vinha a sua mente, ela poderia ter apenas se escorado ao corpo dele e chutado o guarda, mas sua mão deslizou sobre a perna dele. Um toque tão simples, como um toque tão simples era capaz de excitá-lo só de lembrar? E pela terceira, ou quinta vez - não sabia ao certo­ - lá estava ele, aliviando-se, pensando naquela sucateira, que marcou seu corpo, e atiçou seus sentidos. “Você ainda será minha Rey.”

Feb. 26, 2018, 6 p.m. 0 Report Embed 0
To be continued... New chapter Every Saturday.

Meet the author

Beatrice Merlin “Nem sempre faço o que é melhor pra mim, mas nunca faço o que eu não tô a fim de fazer”. -Engenheiros do Hawaii

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Related stories