Acting Loving Follow story

victorica Victorica Chan

Um ator frustrado que tenta a todo custo realizar seus sonhos. Carregando mais perdas do que realizações ele decide fazer um último teste antes de desistir de tudo e mudar completamente sua vida. Sem muita esperança ele vai para a audição de uma nova série de tv sem saber exatamente do que se trata. A única certeza que tinha era que ao sair dali tudo seria muito diferente, para melhor ou pior.


Fanfiction For over 18 only.

#seungbaexchokerboy #chokerboy #seungbae #jieun #Alcool #Nudez #SangwooxBum #Killing Stalking #Linguagem Impropria #Universo Alternativo #Yuri #Fuffly #Yaoi #Sexo #Violencia #drogas #Misterio #Drama #Romance
39
7597 VIEWS
In progress - New chapter Every 15 days
reading time
AA Share

Tentativas

"A ficção faz com que o mundo não se limite ao infinito"
{Arthur Hisoka}


Los Angeles, Califórnia


As ruas da cidade estavam sempre cheias de turistas, de curiosos e moradores. Mas naquele dia o tráfego estava mais lento do que o normal para o rapaz. Quando finalmente conseguiu estacionar seu carro velho na rua já infestada de veículos. ele suspirou aliviado. Olhou seu relógio de pulso mais uma vez. "Atrasado! Merda!"


Saiu do carro levando uma pasta amarela enquanto evitava que o celular caísse do bolso da jaqueta e disparou pela calçada correndo. Ainda estava uma quadra longe do portão de entrada. Um tic tac imaginário soava em sua mente ritmado com as batidas do seu coração.


Ele chegou no portão onde uma multidão já se encontrava, alguns com câmeras, tirando fotos, fazendo vlogs e causando a baderna de sempre. O rapaz passou por eles com certa dificuldade e finalmente chegou na guarita.


— Estamos fechados hoje. — a mulher falou antes que ele tivesse a chance. — Mas pode comprar o ticket para o tour de amanhã.


— Não, eu... — só então reparou que estava ofegante, afinal aquele dia desde o começo se resumia em correria. — Eu sou... Eu tenho um horário... — ele tirou um crachá de dentro do envelope junto com sua identidade.


— Ah entendo. — a mulher empurrou a cadeira de rodinhas para o lado e mexeu em alguns papeis, carimbou o crachá e devolveu a ele. – Certo, pode entrar.


Finalmente passou pelos guardas e deixou a multidão para trás. O lugar era enorme, havia galpões por todos os lados, carrinhos elétricos parecidos com os de golfe circulavam, os mais diversos tipos de sons, caminhões levando materiais de todos os tipos e pessoas correndo... sempre apressadas.


"É mesmo, a hora! Droga."


O rapaz abriu novamente a pasta enquanto andava rápido, conferiu o endereço e o número do galpão. Chegando numa esquina viu a placa com o nome da rua. "Que incrível.... É outra cidade aqui dentro." Olhou novamente o horário no celular e se apressou. Cinco minutos. Não estava muito longe.


Logo chegou na porta escura com travas de barra e entrou. O lugar estava lotado de pessoas e equipamentos. Holofotes, câmeras, cadeiras, pedaços de cenários.... Uma fila se estendia paralela a uma das paredes. O rapaz correu até o balcão ali perto para terminar sua inscrição bem em cima da hora.


— Bom dia... — falou um pouco menos ofegante entregando os documentos. — Estou aqui para o teste de elenco.


O recepcionista pegou a pasta e conferiu a papelada.


— Certo, assine aqui, por favor. – entregou uma folha que ele nem se deu ao trabalho de ler. - Aqui está suas instruções e roteiro do teste. – ele entregou outra pasta para ele dessa vez com a logo do estúdio. – As audições começam agora naquela sala, basta esperar na fila Senhor... — ele leu o nome assinado. — Senhor Kailan Mooron.


— Obrigado. — ele agradeceu e se dirigiu para fila já enorme. O relógio digital acima da porta metálica marcou oito horas da manhã. O tempo havia acabado, os candidatos seriam jugados agora. Kailan era só mais um na multidão de pessoas com histórias tristes e um pouco de coragem acumulada.


ᴥᴥᴥᴥᴥᴥ


— Ei! Hyung! — o homem entrou na sala de projeção. — Ainda aqui? Estão nos esperando lá embaixo. — Tinha altura mediana e cabelos loiros bem cortados, um porte físico compatível com a idade e olhos charmosos que escondiam o fogo que podiam conter. — Hyung!


— Eu ouvi. — o rapaz de cabelos e olhos escuro respondeu, mas continuou parado. Estava na sala de projeção de um dos auditórios do galpão. Pelo vidro da janela podia ver a movimentação lá em baixo. As luzes estavam acessas, o palco fora preparado e nas primeiras fileiras era possível distinguir quatro figuras. Diretor, produtor, diretor de elenco, roteirista.


— Ah! Não comece com isso agora Hyung. — o homem mais velho falou. — Por mais que Harold seja o produtor você sabe que não vão aceitar alguém sem sua aprovação, afinal você é a grande estrela.


— Eu nunca disse que não ia ajudar na audição. Só que observo melhor daqui Alek.


— Mas que desculpa horrível, mal dá pra ver o palco daqui. E não vão usar microfones.


— Isso é o de menos. – Ele finalmente desviou a atenção para uma pilha de papel encadernada ao seu lado na mesa. – Para passar nesse teste apenas uma coisa será essencial. — Esticou a mão e tocou o manuscrito com a ponta dos dedos abrindo a capa, na primeira página havia um nome em negrito centralizado em letras maiúsculas.


KILLING STALKING


ᴥᴥᴥᴥᴥᴥ


— Muito bem, atenção. — o homem falava no megafone. — Você entrarão no auditório e subirão direto para o palco. A primeira fase da audição será em conjunto. Não percam seus materiais de cena.


Kailan subitamente se sentiu nervoso. Havia se preparado para o teste? É claro. Mas fora o suficiente? Outros candidatos com certeza teriam um currículo melhor e apresentariam ótimos demo reel, mas ele não tinha muito a oferecer.


"Será que realmente devia ter vindo?"


Encarou o teto alto enquanto caminhava com a multidão para dentro do auditório refletindo. Sim, devia estar ali. Devia tentar. Só mais uma vez. Só mais um não pelo menos. Já ouvira e perdera o suficiente na vida para pensar em desistir sem um último esforço. Não era uma opção. Ser aprovado. Isso era tudo que importava. Caso contrário... seria o fim.


— Bom dia senhores. — um homem de paletó falou num microfone se levantando da primeira fileira. — Eu sou o produtor Harold Miller, sejam bem vindos. Como já devem ter lido nas informações a audição é para encontrar um novo rosto para o papel principal de uma nova série e que irá contracenar com um ator renomado. Mas também escolheremos dez figurantes para as externas e cinco coadjuvantes que alternarão entre alguns personagens.


Um homem do megafone desceu do palco e entregou uma das pastas que levava ao tal produtor. Harold Miller ajustou os óculos e coçou a cabeça já um pouco grisalha antes de voltar a falar.


— Certo, vocês passaram nos testes preliminares ou foram indicados. Mas que já fique claro que isso não importa nenhum pouco para mim, se não tiverem perfil, se não atuarem bem podem ser amigos do Johnny Depp e não passarão. — A tensão subiu no ar com sua fala. — Muito bem, temos cento e trinta e dois candidatos. E eu não estou disposto a ficar aqui o dia todo, então vamos começar a eliminá-los. – Kailan percebeu que o homem parecia se divertir e sorrir. — Dentro de seus envelopes tem um adesivo com um numero, preguem nas camisetas, a primeira etapa já vai começar.


ᴥᴥᴥᴥᴥᴥ


— Harold está satisfeito. — Alek comentou, agora ao lado do rapaz.


— Como sempre, ele gosta de fazer pressão psicológica. — observou Hyung. — Não é à toa que se interessou por essa série. — Alek riu.


— Tem toda razão. Mas também estou curioso para ver como vão escolher o cara. — O celular tocou no bolso do paletó do homem que logo desligou, Hyung o encarou confuso. Afinal como seu agente era de se esperar que nunca recusasse uma chamada, nunca se sabe quando pode surgir uma oportunidade.


— O que foi? — questionou Alek vendo o olhar do rapaz. — Como seu agente tenho que ter certeza dos métodos utilizados e a pessoa escolhida para contracenar com você. Já que tiveram essa ideia ridícula de colocarem um ator desconhecido no maldito papel principal, não posso deixar que escolham qualquer um e estraguem sua imagem que eu tanto lutei para construir.


Hyung sorriu de canto para ele.


— Claro. Afinal o que seria de você sem minha imagem? — provocou. — Além disso não é como se estivéssemos procurando um futuro psicopata. – O rapaz colocou a mão no queixo concentrando-se no palco a sua frente. — Estou aqui me perguntando... quantos sobrariam se descobrissem para quê é o teste.


— Olá, sou a diretora. — lá embaixo a mulher tomou as rédeas da situação e falou no microfone. — Vamos começar o primeiro teste.



NOTAS FINAIS

Bom, é minha primeira fanfic e acho que preciso dizer algumas coisas importantes.
Primeiro... Não romantizo SangxBum no contexto do manhwa de Killing Stalking. Justamente por isso estou criando esse AU, pois é a unica maneira de shippar eles como casal. A autora tem um proposito com aquela história e eu tenho outro com essa. Então por favor nada de lição de moral.
Segundo, link da fanart em que a fanfic é baseada:
http://otakumi.tumblr.com/post/157206350080/the-cast-of-killing-stalking-series-happy
Veja novidades dos capítulo no twitter: @VictoricaChan
Alguma dúvida? Sugestão? Não tem conta no Spirit?: https://ask.fm/Victorica_Chan

Fanart da capa: psychosnrosesart http://dirtdirection.tumblr.com/










Feb. 26, 2018, 4:49 p.m. 0 Report Embed 4
Read next chapter Escolhidos

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 7 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

Related stories