Meu vizinho Follow story

larivalk Larivalk .

Katsuki Bakugou precisava de algum jeito conquistar aquele homem que morava no apartamento a sua frente, ja não aguentava mais ter sonhos picantes com o mesmo .


Fanfiction Anime/Manga For over 21 (adults) only.

#Boku no Hero Academia (My Hero Academia) #Bnha #Midoriya Izuku #Bakugo Katsuki #Bakudeku #Bakugou Uke #Midoriya Seme #Boku no Hero Academia #My hero Academia
Short tale
18
7390 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

1

Lá estava Katsuki Bakugou encarando a porta de seu vizinho com certo nervosismo. Segurava em suas mãos algumas correspondências que pertenciam ao mesmo, mas qual o motivo de todo aquele nervosismos? Simples, o loiro solteiro de 21 anos estava morrendo de amores e de tesão por seu vizinho.

Já faziam meses que estava nisso, quando viu o mesmo se mudando quase teve um ataque cardíaco e faltou pouco para que ele ficasse babando pelo mesmo. O pior era que ele nem sabia se o mesmo era gay. Ele não tinha pinta de gay, mas Bakugou também não tinha nada que mostrasse sua sexualidade.

Seu vizinho era alto, um pouco mais forte que ele - coisa que adorava em homens-, sabia que o mesmo possuía 25 anos e era solteiro, o que era ótimo! E nos 6 meses que ele estava morando de frente com o rapaz nunca o viu trazer mulher ou homem.

Bakugou nunca teve problemas em chegar em caras, mesmo ele sendo o passivo, não se importava em ir atrás de uma boa transa por si próprio. Mas por algum motivo ele simplesmente travava quando via o maior lhe sorrir, fazendo as sardas ficarem um tanto em destaque. Chegava a ser ridículo como ele se derretia todo por um simples sorriso.

De inicio, Bakugou achou que era puro tesão e falta de sexo, mas não importava quanto tempo passava, Bakugou tinha uma necessidade de ter aquele homem para si. Nem transando com outros caras ele conseguia perder a vontade de raptar aquele esverdeado e tê-lo para si. Parecia a droga de uma adolescente querendo ser notada por seu senpai. Simplesmente patético.

Estava em uma situação tão lastimável e desesperada que até havia pedido ajuda para a zeladora do prédio, uma velinha muito simpática chamada Chiyo Shuzenji. Ela podia ser pequena e já de idade, mas sabia muito das coisas. Em um dia ela já conseguiu ver que o loiro estava morrendo de amores pelo novo morador do condomínio, e não podia culpá-lo, aquele rapaz era uma gracinha e super educado.

Então para ajudá-lo, a pequena senhora comentou com o loiro que sempre trocaria as correspondências dos dois para que assim pudessem conversar mais, o que funcionou muito bem, o esverdeado jamais reclamaria das correspondências trocadas já que ele era alguém tão bondoso e gentil com aquela pequena senhora. Ela já era de idade, então ele achava normal ela fazer aquele tipo de erro. E como todos amavam aquela mulher no prédio, ninguém achava isso um defeito.

Tinha ajudado e muito! Sempre que um ia até a casa do outro para entregar as correspondências, acabam por conversar um pouco. O loiro já tinha um certo conhecimento do que o esverdeado fazia, o mesmo trabalhava em uma academia. Isso explicava e muito o porte do mesmo, Midoriya era dono de uma, então ficava supervisionando já que dissera não aguentar ensinar ninguém já que muitos ficavam lhe cantando ao invés de fazerem os exercícios.

Bakugou só não mudava de academia para fazer na do esverdeado se não o mesmo provavelmente acharia que ele estaria fazendo o mesmo que aquele bando de oferecidos, queria mostrar ser diferente, mesmo que ele adoraria se oferecer pro vizinho, de preferencia nu.

Bakugou trabalhava e estudava, coisa que o fazia ter um pouco tempo para suas investidas em seu vizinho. Estava estudando designer, e para ajudar nas despesas, trabalhava em uma livraria como gerente. Recebia o suficiente para conseguir se manter, além do fato de ter descontos para os livros da faculdade, não poderia querer trabalho melhor. E como praticamente forçava todos seus amigos e colegas a comprarem os livros onde trabalhava, ganhava um bônus maior no final do mês.

Tivera quase um treco quando o esverdeado lhe visitou no serviço afim de comprar alguns livros, Bakugou havia ganhado um bônus bem gordinho quando o esverdeado fora lá, já que o mesmo faria uma doação para uma instituição, comprou uma boa quantidade de livros. Como podia um ser humano ser tão perfeito como aquele esverdeado? Bonito, educado, simpático e ainda assim ajudando criancinhas. Era o sonho de consumo de qualquer sogra.

Certamente sua mãe agradeceria todos os dias caso fosse levar Midoriya para conhecê-la, do jeito que sua mãe reclamava sempre dos seus namorados, ou até mesmo ficantes, ela certamente lhe apoiaria 100% com o esverdeado. A cada nova descoberta, era uma necessidade nova de tê-lo.

Tocou a companhia e ficou esperando o esverdeado abrir a porta, o que demorou um pouco, até achou que ele não estava em casa. Quando estava pensando em ir embora, a porta se abriu. Bakugou quase teve seus olhos saltando para fora com a visão de Izuku Midoriya, seu vizinho gostoso, apenas de toalha e todo molhado.

A toalha era pequena, o que fazia com que suas coxas grossas ficassem a amostra. As gotículas de água ainda escorriam por seu corpo. O cabelo estava pra baixo, já que estava molhado. E céus, ele havia cortado o cabelo, as laterais estavam um tanto raspadas, deixando um volume no meio. Como ele possuía cabelos enrolados, ficava de alguma forma mais bonito do que ele já era.

Bakugou estava praticamente estático encarando aquele corpo, nem sequer piscava, só conseguia encarar aquele corpo a sua frente. Não se surpreenderia caso começasse a babar ali, criando um pequeno lago particular.

Então sentiu a mão do esverdeado em seu queixo subindo seu rosto, fazendo com que ele encarasse os olhos esverdeados que brilhavam. Bakugou ficou completamente envergonhado, céus, estava secando tanto a ponto do esverdeado subiu seu rosto ? Se o mesmo já não sabia que era gay, agora devia ter certeza.

-Eu... Ehr... -Bakugou não conseguia formular uma frase, que situação mais constrangedora -Correspondência... -Disse completamente envergonhado vendo o sorriso de lado do esverdeado.

-Gostaria de entrar? Eu fiz um bolo de cenoura com muita cobertura -O loiro adorava os doces que o seu vizinho fazia, além de todas as malditas qualidades, ele também era bom na cozinha, era impossível existir alguém tão perfeito.

-Ah... Hm...Claro -Disse ainda sem jeito já que tentava ao máximo não encarar o corpo do maior a sua frente.

Bakugou entrou na casa escutando o esverdeado lhe dizer que colocaria uma roupa, mas que podia ficar a vontade. O loiro estava quase se propondo a ir ajudá-lo a se vestir já que era para ficar a vontade na casa. Devia ter alguma coisa que o esverdeado não fosse bom ou ele era simplesmente um anjo que esta fazendo uma estadia na terra afim de seduzir o maior numero de pessoas possível.

Não demorou muito para que ele voltasse com uma bermuda e uma regata preta que mostrava seus músculos. Bakugou estava um tanto desleixado, usava uma calça de moletom cinza que era justa em sua cintura mostrando bem sua bunda, e uma camisa branca justa de manga.

-Fico surpreso por nossas correspondências ainda estarem sendo trocadas -Comentou o esverdeado indo para a cozinha e sendo seguido pelo loiro.

-Pois é -Bakugou comentando se sentando em um branco que ficava de frente para a bancada da cozinha, vendo o esverdeado pegar um recipiente fechado e abri-lo mostrando o bolo -Vou acabar engordando de tanto comer doce, você só me faz bolo!

-Eu faço porque você fica comendo -Disse vendo o loiro cruzar os braços e soltar um resmungo. Pegou os pratos, os talheres e a faca de cerra colocando tudo na frente do loiro.

-Pra alguém que comanda uma academia, você é uma má influencia -Disse encarando o bolo que parecia estar delicioso.

-Eu só quero deixar as pessoas gordas para que elas tenham que fazer academia -Disse com um sorriso de lado vendo o loiro rir com aquilo.

Midoriya cortou um pedaço bem generoso para o loiro. Se dirigiu até a pia e pegou um pote contendo mais calda de chocolate caso o mesmo quisesse. O loiro não pensou duas vezes ao despejar mais calda sobre o bolo escutando uma risada do esverdeado, ele podia reclamar de ficar gordo comendo tanto bolo, mas era impossível resistir aquele pedaço de açúcar.

Como não gostava de usar talheres para comer nenhum tipo de doce -detestava ter que fazer isso em encontros familiares ou em festas- quando estava sozinho ou na presença do esverdeado, comia como gostava e achava melhor. Então pegou o pedaço sem se importar de sujar um pouco as mãos e o mordeu fazendo com que seu rosto ficasse sujo de calda.

Midoriya encarou o loiro aproximando a mão do rosto do mesmo limpando a parte onde tinha chocolate e levando o dedo até a boca, sendo observado por Bakugou que ficou sem reação ao ver aquilo. Ainda sem desviar do olhar predatório do esverdeado, ele mordeu o pedaço de bolo novamente, fazendo questão de sujar bem mais o rosto.

Mas dessa vez o esverdeado não usaria a mão para limpar, ele se aproximou o suficiente para que pudesse lamber a bochecha suja de chocolate sentindo o loiro abaixo de si tremer pelo contato, fazendo-o abrir um sorriso ao se afastar.

Mas antes que pudesse se afastar o suficiente, o loiro segurou sua camisa e selou seus lábios. Midoriya ficou surpreso de início, mas logo segurou os cabelos dourados com força, puxando o rosto para mais próximo de si. Por ainda se encontrar de pé, precisava ficar um tanto curvado para continuar o beijo, mas isso não era um incomodo.

Midoriya fez o loiro dar a volta na bancada levando as mãos até a cintura do mesmo, o levantando e fazendo com que ele envolvesse sua cintura com as pernas sem desfazer do beijo. O apoiou em uma parede fazendo com que seu volume já desperto roçasse no membro do loiro o fazendo gemer.

Apressado, o loiro separou os lábios olhando para o esverdeado que tinha um sorriso de lado. Retirou tanto sua camisa quanto a do esverdeado. Quando estava começando a abaixar a calça do maior, sentiu ser jogado com certa brutalidade em cima do sofá, vendo Midoriya ficar sobre si.

Em um movimento rápido, o maior puxou tanto a calça quanto a boxer do loiro, o deixando completamente nu. Olhou com desejo para o corpo abaixo de si, principalmente o membro desperto, fazendo com que dirigisse a cabeça próxima ao membro e lambesse sem desviar o olhar dos olhos vermelhos.

-Diga-me, o que quer que eu faça? -Falou rouco encarando o loiro que estava um tanto ofegante pela cena a sua gente.

-Além de me chupar? -Respondeu com um sorriso malicioso e logo mordendo o lábio inferior -Me foder pelo resto do dia?

-Só hoje? -Perguntou dando outra lambida e chupando a cabeça do membro fazendo o loiro jogar a cabeça para trás.

-Por mim, todos os dias -Falou ainda com a cabeça para trás.

Midoriya riu com a resposta do loiro, mas adorou escutar aquilo. Abocanhou o membro todo escutando um gemido satisfeito do loiro que rapidamente segurou os cabelos esverdeados implorando que fosse mais rápido. Atendendo a súplica, o esverdeado fazia sucções fortes e dava leves lambidas pelo membro e os testículos.

-Ahhh...Izu...Ahh...Ku -Falava entre gemidos enquanto rebolava praticamente estocando na boca do esverdeado.

Sentiu o corpo tremer e uma sensação boa lhe preencher fazendo com que gemesse mais alto e gozasse. Olhou para baixo tendo um visão maravilhosa de Midoriya lambendo os lábios satisfeitos. Viu o mesmo pegar um pouco de seu próprio gozo em alguns dedos, fazendo com que entendesse o que estava por vim.

Bakugou sentiu um dedo entrar em si, fazendo-o gemer. Estava um tanto incomodado com o fato do esverdeado ainda estar de roupa, mas não conseguia falar direito sentindo o mesmo lhe estocar rapidamente com um dos dedos. Midoriya se aproximou para selar os lábios novamente, assim, Bakugou aproveitou para começar a descer a bermuda do esverdeado novamente, mas sentiu suas mãos serem retiradas.

-Se continuar sendo tão apressadinho, serei forçado a te fuder tão forte que vai acabar informando a todos nesse prédio sobre a nossa brincadeirinha- Falou rouco próximo do ouvido do loiro, dando uma leve mordida no ombro e chupando seu pescoço.

-Hmm... Então os vizinhos vão ter que começar a se acostumar... -Falou o loiro travesso abaixando novamente a bermuda do esverdeado - A escutar meus gemidos o dia todo.

Midoriya puxou os cabelos do loiro com certa força para um beijo selvagem. Sentiu o mesmo abaixar sua bermuda e boxer, deixando seu membro que já estava lhe incomodando devido a tantos panos. Colocou outro dedo no loiro e já começou a aumentar a velocidade das estocadas.

O esverdeado se afastou fazendo com que uma fina linha de saliva se formasse. Retirou a bermuda ficando agora completamente nu sobre Bakugou que lhe encarava com desejo, encarando fixamente seu membro desperto.

-É bom se familiarizar, vai cavalgar nele a noite inteira -Falou apertando a cintura do loiro com certa força, o fazendo gemer sem desviar o olhar.

-Então por qual motivo seus dedos ainda estão... Em mim ? -Falou com um sorriso sacana não deixando de rebolar a cada nova penetração.

Midoriya rosnou em excitação retirando os dedos e puxando o loiro para seu colo. O mesmo foi pego de surpresa, mas não deixou de sorrir sacana com a situação. Bakugou aproveitou e passou a mão pelo peitoral definido do esverdeado enquanto mordia levemente o lábio inferior.

O maior levou suas duas mãos para as nádegas do loiro, apertando com força e as abrindo. Sentiu as mãos do loiro lhe apertarem um pouco os ombros por conra disso. Sorriu sacana ao começar a levantar o menor, se posicionando próximo a sua entrada.

-Na minha bermuda tem uma camisinha, por que não coloca em mim ? -Falou o esverdeado beijando o pescoço do loiro que se inclinou um pouco para pegar rapidamente a camisinha.

Bakugou estava ansioso, rasgou a embalagem com o dente enquanto sentia as mãos do esverdeado passarem de sua cintura pra sua bunda dando leves tapas, fazendo-o gemer. Sem contar os beijos e chupões que estava recebendo. Com as mãos um tanto tremulas, conseguiu colocar a camisinha no membro do maior. Quando terminou, sentiu ser penetrado de uma vez, fazendo com que segurasse com força o ombro do maior a ponto de machucar, jogando juntamente a cabeça pra trás.

-Porra !! -Gritou junto a um gemido.

-Céus... Como voce é apertado - Midoriya disse ofegante, dando uma mordida no ombro do loiro.

Midoriya esperou até que a respiração do loiro ficasse um pouco mais calma para se mover. Começou a levantar e abaixar o corpo de Bakugou para que ficasse sempre sendo penetrado por inteiro, o fazendo gemer alto enquanto rebolava em cima de si. O barulho obsceno dos corpos se chocando deixava ambos mais excitados.

Bakugou já acompanhava o ritmo do esverdeado, cavalgando sobre o membro do outro que pulsava sobre si. Sentia sua próstata ser atingida a cada nova penetração fazendo com que gemesse mais alto e falasse palavras que nem ele entendia.

Afim de intensificar ainda mais as estocadas, o esverdeado deitou o corpo do loiro no sofá. Bakugou prendeu suas pernas na cintura do esverdeado enquanto suas mãos apertavam com força as costas que já estavam bem marcada. O sofá acabou por se movimentar junto, sendo acompanhado por uma melodia de gemidos cada vez mais alto.

Midoriya começou a masturbar o loiro na mesma velocidade que o estocava. Já Bakugou tinha a cabeça para trás deixando seu pescoço exposto para receber mais marcas do maior. Tinha um pouco de saliva escorrendo pela sua boca aberta enquanto seus olhos estavam lacrimejando pelo prazer.

Não demorou muito para que gozasse sujando ambos os corpos. Aquilo fez seu canal se fechar e apertar mais ainda o membro do esverdeado que gemeu e deu mais alguns estocadas até por fim gozar. Ambos tinham a respiração ofegante. Midoriya saiu com cuidado de dentro do loiro, tirou a camisinha, e a jogou ao lado do sofá.

-Eu... Devia... Ter fudido você bem antes - Disse o esverdeado ficando por cima do loiro que puxou seu cabelo para aproximar os rostos.

-Podemos... Compensar... O tempo perdido... -Comentou vendo o sorriso malicioso do esverdeado aumentar junto ao seu.

-Não vai sair... Tão cedo da minha casa... Loirinho... -Falou puxando o lábio inferior do menor enquanto suas mãos já apertavam de leve a cintura do mesmo.

-Quem disse... Que eu quero ir embora? - Disse se esfregando no corpo do maior que gemeu com o ato, fazendo com que atacasse os lábios do loiro para um novo beijo.

Bakugou estava satisfeito, finalmente tinha conseguido sua transa com o vizinho. E estava louco para aproveitar o restante dos dias com o mesmo. Se achavam que ele deixaria um homem daqueles solto na pista, estavam bem enganados!

Feb. 25, 2018, 10:02 p.m. 0 Report Embed 4
The End

Meet the author

Larivalk . Local, onde as fics estão em dia >https://www.wattpad.com/user/LariValk

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~