Resfriado Follow story

jpstyle JPStyle !

"Otabek sempre descobria novas faces do seu namorado. Descobriu por exemplo, como Plisetsky conseguia ser adorável, mesmo estando resfriado"


Fanfiction All public.

##otayuri ##Otabek/Yuri ##YuriOnIce
Short tale
11
7023 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Atchiiiiiiiiiim

— Atchiiiiiim!

Aquele era pelo menos o 59° espirro que Yuri dava na última hora, isso pelas contas de Otabek. E o cazaque já não sabia o que poderia ser feito para ajudá-lo a melhorar.

Já tinha lhe dado o antitérmico, e a febre, tinha de fato baixado. Tinha feito um chá de limão com mel, colocara uma bolsa de água quente nos pés, mas os espirros não cessavam.

Já tinha os olhos inchados, porque junto do espirro vinham as lágrimas. O nariz já estava levemente ferido, de tanto o russo limpa-lo. Isso porque o líquido transparente, que nem podia ser chamado de meleca, não parava de escorrer.

O rosto estava levemente corado, resultado da febre que sentira a poucas horas. Encontrava-se completamente enrolado em um cobertor, apenas a cabeça para fora, e um braço, com o qual mexia no celular. Tinha outro cobertor sobre o corpo e estava agarrado no noivo. Potya, sua gata, fora colocada estrategicamente sobre seus pés. Uma tentativa do cazaque de fazer com que o frio que sentia se esvaísse.

— Isso não é justo. - reclamou o loiro depois de um tempo, largando o celular em qualquer lugar e abraçando o corpo do moreno - segunda vez que você vem passar o fim de semana aqui em casa, e eu fico doente.

— Não foi uma ideia muito genial vir andando na chuva ontem. Eu te avisei.

— Você também se molhou e está muito… AATCHIIIIIIM. Bem.

— Eu estou acostumado. Já peguei chuva várias vezes por causa da moto. Meu corpo criou imunidade. - Otabek fazia carinho entre os fios loiros, Yuri fechou os olhos, apreciando.

— Pelo menos você está aqui. Seria um porre ficar doente sozinho… E eu preferiria a morte, a pedir ajuda do Velhote e do porco.

— Tenho certeza que Yuri não se incomodaria de fazer um Katsudon para lhe aquecer, não seja uma gatinho rabugento e mal agradecido.

Yuri torceu o nariz. Claro que sabia que os dois patinadores mais velhos não hesitariam em ir ajudá-lo. Principalmente se soubesse que estava resfriado. Ele apreciava isso. Gostava de saber que alguém se preocupava com ele.

Mas ele jamais admitiria. Era óbvio também, que Otabek sabia disso. Por isso não se importava.

— Eu vou pedir uma canja pra você, tudo bem?

O loiro concordou, voltando a apertar forte os braços ao redor das costas do noivo. Agora tinha deitado seu rosto contra seu peitoral. Otabek o abraçava também, enquanto mexia no aplicativo de delivery por cima de suas costas

— Pronto. Eles vão entregar em uma hora.

— Tudo isso, eu vou morrer de fome até lá. - Choramingou Yuri.

— Sua febre está voltando. - O moreno apoiara sua bochecha na testa do menor - acho bom eu te dar um banho.

— Não Beka, ‘tá muito frio. Eu não quero.

Otabek beliscou o bico que Yuri fez, antes de tentar inutilmente se desfazer do aperto em sua cintura, para que pudesse preparar o banho.

— Eu vou ligar o aquecedor, não se preocupe. O banho vai fazer você se sentir bem. Vai tirar esse peso da sua cabeça, e baixar a sua febre. Depois você toma a sopa e dorme.

— Eu não quero dormir, você vai embora amanhã. Eu quero ficar contigo.

— Eu não sabia que você era tão manhoso Yura. - o cazaque finalmente se desvencilhou das mãos que o seguravam, e agora de pé, seguia até o banheiro. - Eu mandei um e-mail ao meu treinador, disse que não iria sair da Rússia enquanto você não estivesse bem. Estamos fora da temporada, não é como se eu precisasse treinar pesado.

Ainda terminava de gesticular com as mãos sobre o que falava quando Yuri pulou em seu colo. Precisou apoiar o pé para trás para que não caíssem os dois no chão.

— Yura! - usou um tom de aviso.

— Eu amo você Beka! Eu sei que eu quase não digo. Você sabe que eu não gosto dessas merdinhas. Mas eu amo você.

— Eu sei Yuratchka. - respondeu Otabek, acariciando suas costas, e beijando-lhe a curva do pescoço. - Eu também te amo gatinho.

— Mas você não precisa prejudicar o seu treino… Eu vou tomar os remédios certinho e… É sua carreira… Seu futuro…

Otabek interrompeu a fala do outro com um selinho nos lábios, puxou sua mão direita pra cima beijando também o anel de noivado igual ao seu que o loiro usava.


— Até onde me consta, essa aliança significa que você é o meu futuro. E é tudo que me importa. 

Feb. 24, 2018, 9:37 p.m. 1 Report Embed 2
The End

Meet the author

Comment something

Post!
Alice Alamo Alice Alamo
Olá! Notei que sua história é uma fanfic e, portanto, está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags ;) Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
March 3, 2018, 6:40 p.m.
~