Russian Roulette Follow story

bdamas Bárbara Maria

"... sentia que seu relacionamento com Neji estava em uma roleta russa: ela estava passiva em relação ao que tinham, temendo profundamente o dia em que o moreno não teria mais sorte e um tiro acabaria com o jogo." [NejiTen] Songfic da música Russian Roulette - Rihanna


Fanfiction For over 18 only. © Personagens pertencentes a Masashi Kishimoto

#fns #NejiTen #Tenten #Neji Hyuuga #Naruto
11
6890 VIEWS
In progress - New chapter Every Saturday
reading time
AA Share

Prólogo

Dezembro, 2017

   Até então, tudo corria de acordo com o planejado, tanto pela Akatsuki, quanto por Neji Hyuuga. No grupo de oito pessoas, três delas, conhecidas pelos nomes Kakuzu, Hidan e Sasori, eram as que mais apoiavam e davam força aos ideais doentes que o líder mascarado da Akatsuki os obrigava a seguir naquela época. O moreno acreditava que se derrubasse a maior parte dos pilares que davam apoio àquele homem doente, conseguiria tirá-lo do poder e fazer com que a organização voltasse a ser nobre como o fora há anos atrás. Nunca antes tinha matado alguém, mas não seria possível mudanças sem que algum sangue sujasse suas mãos.

   Naquela missão passada pelo líder, deveriam assassinar a família inteira de um bem sucedido empresário do país. O sortudo em questão tinha se recusado a colaborar com o fundo monetário da Akatsuki, que era de onde saía o dinheiro usado nos esquemas de agiotagem. Com essa chacina, o líder, conhecido como Tobi, visava passar um recado para toda a população: quem se opusesse à organização ou ao que ela instituía, seria esmagado, independente de seu status social ou culpa.

   Mas Neji não planejava deixar essa barbaridade acontecer e afundar ainda mais o nome da organização que tanto admirou na lama. Daquele pequeno grupo, os outros quatro estavam ao seu lado no plano secreto. Nem todos o faziam pelo mesmo motivo que o Hyuuga, alguns só não suportavam mais o líder, queriam mudança. Dentre seus aliados, estavam: Deidara, um loiro tempestuoso e depravado, mas que era um exímio fabricante de bombas; Kiba Inuzuka, que não era muito querido por Neji, mas se dispôs a ajuda-lo; Zetsu, um cara fechado e distante, e Konan, esposa do falecido Pain, antigo líder, e opositora declarada a Tobi.

   Todos os oito estavam fortemente armados, mas o Hyuuga contava com o maior número e habilidades dos seus aliados para acabar com os outros três.

   Seguindo a formação combinada na base da Akatsuki, eles se esgueiravam pelas ruas, mascarados e usando roupas escuras, se misturando com a noite. Escolheram aquele horário por terem descoberto, depois de dias de vigia, que era o período em que o homem, esposa e os cinco filhos estavam em casa.

   O plano de Neji começava no galpão cheio de containers, onde eles fariam a última parada para revisar a estratégia. Ao adentrarem no espaço escuro, o moreno lançou um olhar significativo para cada um de seus aliados, buscando alguma dúvida.

   Foi ao olhar nos olhos de Zetsu e sentir o cano frio de um fuzil contra sua nuca que o Hyuuga soube que seu plano não correria bem.

   — Obrigado por avisar que temos traidores entre nós, Zetsu. – disse Hidan, caminhando vagarosamente e olhando para Neji com desprezo, enquanto arrancava a arma de suas mãos. O moreno devolveu o olhar, dez vezes pior.

   Como o homem calculista que era, Neji procurou observar a situação ao seu redor, já começando a criar estratégias em sua mente. Konan tinha seu fuzil apontado para a cabeça de quem mirava o Hyuuga, sendo ela mesma alvo da arma de Kakuzu. Já que Deidara estava rendido no chão por Sasori, Konan estava na mira de Kakuzu e Zetsu tinha se voltado contra eles, o moreno concluiu que era Kiba quem o apontava a arma.

   — Da vadia do Pain e do viadinho desgraçado já esperávamos uma traição, mas de você, Deidara? – vociferou Hidan, caminhando até o loiro e lhe dando um chute na nuca que o apagou no mesmo instante. – Você está fodido, Neji. Você, esse viadinho loiro aqui, e essa puta. Já deveríamos ter dado cabo de vocês há muito tempo. – Kiba agarrou os braços do moreno e Hidan voltou a ficar em sua frente, o rosto bem próximo do seu. – Por que não apenas seguiu as ordens? Sempre tem que ter um filho da puta do contra. A ousadia de vocês acaba hoje.

   Neji cuspiu na cara do platinado, que raivoso desferiu um soco em sua barriga, fazendo com que o moreno se curvasse para frente com a dor.

   — Se você ficar quieto, prometo que farei isso rápido, Neji. – sussurrou Kiba em seu ouvido.

   — Vai pro inferno, seu cachorro desgraçado.

   O Hyuuga precisava agir. Se ficasse parado, ele, Konan e Deidara seriam mortos. Através da cortina que seus cabelos longos formavam em seu rosto, desviou o olhar para Konan, e viu que a mulher de cabelos roxos lhe encarava de volta, apenas esperando um sinal para que lutassem. O moreno fez um movimento de cabeça imperceptível ao outros, que foi captado com sucesso pela mulher.

   Só teve tempo de ver Konan atirando diretamente na cabeça de Kakuzu, antes de tomar impulso contra o peito de Kiba e chutar Hidan no rosto. O platinado se abaixou, gemendo de dor, enquanto Neji se livrava da prisão das mãos do Inuzuka e lhe dava seguidos socos na cabeça, até que este estivesse inconsciente. Ao se virar para o resto da luta, teve que desviar às pressas de um disparo feito por Zetsu, caindo de mau jeito sobre o braço direito e esfolando a pele. Só depois de cair no chão é que sentiu a dor do tiro, que acabou lhe atingindo de raspão nas costelas. Se levantou apressadamente, sem se preocupar com o sangue quente que sentia começar a correr por baixo da blusa preta, e foi ao auxílio de Konan, que estava baleada no peito, mas ainda assim trocava tiros com Hidan, Zetsu e Sasori. Deidara já estava morto sem nem mesmo ter participado ativamente do embate, e embaixo de sua cabeça, uma poça enorme de sangue manchava seus cabelos loiros de vermelho.

   O moreno tomou o fuzil das mãos de Konan e disparou contra os homens, atingindo Sasori na barriga e a perna de Zetsu, enquanto a arrastava para longe, saindo do galpão e correndo em passos trôpegos por conta da mulher ferida. Todo o confronto durou menos de cinco minutos, mas para o Hyuuga, pareceu uma eternidade.

   Parou de correr várias quadras depois, quando notou que Konan respirava com muita dificuldade e quase não se sustentava mais nos próprios pés. Fez com que ela se sentasse com as costas apoiadas na parede e depois tirou a máscara que ela usava, afastando os fios roxos que grudavam em sua testa febril e suada.

   — Aguenta só mais um pouco, Konan. Conheço alguém que pode nos ajudar. – disse, segurando o rosto feminino e pálido nas mãos, forçando-a a prestar atenção em si.

   — Não, Neji... – respondeu, a voz enrouquecida e fraca. – Meu caso não tem mais solução. Fuja! Hidan não se feriu, com certeza deve estar nos procurando, como o fiel doente que é...

   — Eu não posso te deixar aqui. Temos objetivos a cumprir, lembra? Em nome do Pain, do Nagato...

   — Saia daqui, Hyuuga! – a moça reuniu as últimas forças que tinha para tirar as mãos do homem se seu rosto e se deitar no chão duro, olhando para o céu nublado, assim como seus olhos.

   — Talvez a Akatsuki não tenha salvação. – agora a voz dela não passava de um sussurro. – Fuja, viva sua vida... Eu vou ficar bem aqui. Obrigada por todo apoio, você é um dos poucos homens íntegros que passou por aquela organização... Pain estaria orgulhoso de você...

   Quando a expressão da mulher suavizou, o moreno soube que ela já tinha partido. Engoliu toda a mágoa e frustração, fechando os olhos dourados de Konan antes de se levantar e partir em busca de cuidados para si mesmo.


betado por ~equinocio

Feb. 24, 2018, 9:31 p.m. 0 Report Embed 1
Read next chapter Capítulo 1

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 2 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!