2minpjct 2Min Pjct

Yoongi e Jimin se conheciam desde seu nascimento e se apaixonaram na adolescência. Herdeiros de empresas bem-sucedidas e famílias que se davam muito bem, já que os Mins e os Parks mantinham uma relação para além do comercial e gostavam de manter a boa imagem a todo custo, Jimin e Yoongi precisavam esconder seu relacionamento até que tivessem idade suficiente para fugir. Mas algo deu errado e eles foram obrigados a se separar. Seria possível uma única carta ser capaz de trazer um grande amor de volta?


Fanfiction Bands/Singers Not for children under 13.

#cartas #bl #bts #suga #yoongi #jimin #boyxboy #boyslove #pwp #yoonmin #separação #sugamin #minimini #suji #romancegay #2min #amor-proibido #friends-to-lovers #reencontro #fanficbts #minmin #jimsu #sujim #herdeiros #btsfic #2minpjct #2minproject #miniminiz #namoro-secreto
11
2.6k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Califórnia, um homem solitário

Escrito por: @AMDSWRITTER

Notas Iniciais: Olá aqui é a Amands, e essa é a minha primeira vez aqui, o que por si só já conta como realização já que eu admiro muito o projeto e cada uma das pessoas por trás dele!

Quero agradecer a @tsukinojojo pela betagem, é demais ter todo esse apoio!

Também deixo minha gratidão a @LenaStuart que fez um trabalho mais do que perfeito nessa capa.

Enfim, espero que aprecie Confidência, e torça para o amor dos YoonMIn junto comigo!


~~~~


O pôr do sol nas praias da Califórnia não se comparava ao de Dadaepo, na opinião de Park Jimin.

Na verdade, as diferenças eram poucas, o mesmo sol espelhado no oceano trazia um brilho dourado à areia branquinha. No entanto, Dadaepo foi a única testemunha de seu mais sincero amor.

Eram seis horas da tarde e Jimin andava pela areia fofa com os pés descalços, seus sapatos tipo derby dividiam espaço em uma de suas mãos com um envelope amarelado. Com a outra mão, Jimin, que vestia um dos seus melhores figurinos cor de rubi, tentava manter os fios loiros longe dos olhos, pois ventava muito naquela hora. Mais adiante, avistou um casal que brincava à beira-mar; a felicidade alheia lhe inspirava a ter esperança de um dia talvez voltar a sorrir como antes.

Sentou-se de qualquer jeito, não se importando em sujar as vestes caras, e acendeu um cigarro, seu único companheiro durante aqueles anos.

O envelope na sua mão pesava uma tonelada de sentimentos reprimidos; ele podia sentir cada noite mal dormida, cada tentativa falha de um novo relacionamento, e todas as vezes que tentou encontrar Yoongi em outras pessoas.

Sentia-se egoísta por ter guardado aqueles sentimentos por tanto tempo. Seu desejo era deixar que o outro rapaz pudesse viver sem maiores problemas, mas a lacuna em seu peito se tornava cada vez mais dolorosa à medida que o tempo passava.

Yoongi era mais do que um amor de adolescente, ele era uma parte de Jimin, assim como Jimin era dele.

Seus olhos se inundaram ao ver os últimos raios de sol despontarem pelo horizonte. Seus dedos tatearam o papel e retiraram uma folha dobrada do envelope.

Sua caligrafia estava péssima, mas Jimin não ligava, Yoongi entenderia suas palavras. Ele sempre o entendia.

(...)

A família Park era uma das mais famosas no ramo dos cosméticos em toda a Ásia. Jimin era apenas um bebê, mas já aparecia nas capas das revistas mais importantes da Coreia: "O filho de Park Ji Hoon, grande empresário, com a modelo internacional Park Byeol, herdou com toda certeza a beleza de sua mãe, que sempre fora o principal rosto da marca Shine Beauty.

Era esperado que JImin viesse ao mundo herdando os principais predicados de seus pais.

Aos quatro anos de idade, Jimin ainda não compreendia nenhuma dessas expectativas, sua única ocupação era correr pelo jardim de sua casa procurando seu único amigo, que havia se escondido há um tempão e ele simplesmente não conseguia encontrar.

— Yoonie! — o garotinho de bochechas gorduchas e cabelo castanho gritava, já desolado, pensando ter perdido de vez seu melhor amigo. — Se você não aparecer, eu vou chorar!

Não demorou mais do que cinco segundos para uma cabeleira negra sair do meio dos arbustos.

Yoongi detestava quando Jimin chorava.

— Não vale, Jiminie! Você nem me procurou direito.

— Procurei sim.

— Não procurou, não. Olha, eu estava bem aqui, e você nem passou perto.

Jimin cruzou os braços, irritado, e esticou o lábio inferior.

— Então não brinco mais.

Yoongi revirou os olhos e deu as costas.

—Tanto faz, eu nem queria mais brincar mesmo.

— Yoonie! — Jimin gritou, chateado por seus protestos não surtirem efeito como gostaria. — Fica aqui! -— exigiu.

Com um sorriso arteiro, Yoongi correu para o lado oposto de onde Jimin estava, obrigando-o a correr atrás dele.

Esse tipo de cena não era raro de se ver: o filho dos Park correndo atrás do filho dos Min com uma cara emburrada, enquanto o mais velho deles gargalhava por ser incrivelmente mais rápido.

A família Min, assim como os Parks, era uma família de renome, donos de uma rede hoteleira. Min Yeong Gi também era o segundo maior acionista da Shine Beauty, por isso se mantinha um bom relacionamento entre as famílias que, além de tudo, eram amigas.

Min Yeong Gi e Park Ji Hoon eram amigos de longa data e se conheceram ainda na faculdade.

Ji Hoon era um jovem simples, mas muito ambicioso, que, ao conhecer o herdeiro Yeong Gi, fez questão de se aproximar.

O Min, por sua vez, como o bom empresário que havia sido treinado para ser, viu no Park o tipo de homem que faria de tudo para alcançar seus objetivos, mesmo que precisasse "sujar suas mãos" de vez em quando.

Era uma boa parceria, apesar de fundada em busca de benefícios próprios.

Aos finais de semana, as famílias se reuniam. Yeong Gi e Ji Hoon passavam a tarde jogando mini golfe e conversando sobre assuntos que apenas os dois sabiam, enquanto os pequenos Jimin e Yoongi, longe de todo aquele poder, apenas brincavam como simples crianças inocentes. Logo após Jimin correr atrás de Yoongi, o garotinho embolou os pés e acabou caindo no gramado. Yoongi correu até ele para ajudá-lo.

Segundos depois, uma pequena menina saiu de trás de um dos arbustos, cansada de se esconder por tanto tempo e assustada ao ouvir o choro de seu irmão.

Eun Ji era a caçula dos Parks, a garotinha de três anos vivia tentando acompanhar o irmão em suas brincadeiras, mas, na maioria das vezes, acabava ficando para trás por ser mais nova e Jimin sempre preferir estar com Yoongi.

Eun Ji apressou o passo ao ver Jimin estirado na grama com lágrimas grossas escorrendo em suas bochechas. Seu pequeno coração acelerou e, por pouco, ela não gritou por sua mãe, mas Yoongi chegou rapidamente e procurou onde doía tanto para Jimin estar naquele estado.

— Eu te odeio! — Jimin empurrou o mais velho, derrubando-o ao seu lado. Eun chegou ao lado dos garotos e sentou-se, esperando o desenrolar da briga.

— Jimin-ah, você não sabe nem brincar! — Yoongi disse, aborrecido.

— Mas por que você se escondeu longe de mim? Eu já disse que não gosto de ficar sozinho.

Yoongi suspirou e buscou paciência em algum lugar daquele extenso gramado, só encontrando o olhar curioso de Eun.

— Jimin-ah, você não estava sozinho, eu estava bem ali. — Apontou para o arbusto onde se escondia momentos antes. — E você estava logo ali!

Jimin não sabia por que, mas a ideia de ficar longe de Yoongi o deixava inquieto. O Min era a única pessoa no mundo que lhe dava atenção, não gostava de tê-lo distante nem por um segundo sequer.

— Não quero mais essa brincadeira boba então!

— Oppa não procurou eu! — Eun cruzou os bracinhos. — Só procura o Yoon oppa e deixa a Eun sozinha!

Jimin encarou a irmã e limpou as lágrimas. Eun era pequena e delicada, Jimin não sabia muito bem como lidar com ela e na maioria das vezes acabava a ignorando sem querer.

— Desculpa, Ji — lamentou. Realmente havia esquecido dela enquanto procurava por Yoongi.

— Hey! E o meu pedido de desculpas?! Você me empurrou, seu tampinha!

— Desculpa, hyung. Mas não corre mais de mim!

— E do que vamos brincar agora? — Yoongi se levantou, limpando a calça suja e dando a mão para o amigo, que a recebeu de bom grado.

Eun Ji foi a próxima a ser levantada pelo pequenino Min, que fez questão de ajustar seus cabelinhos bagunçados.

Longe dali, na sala de Park Ji Hoon, os pais das crianças comemoravam com um brinde o acordo de casamento que uniria ainda mais suas famílias e aumentaria exponencialmente a fortuna de todos.

(...)

Jimin deixou que seu amigo se afastasse por um momento enquanto brincavam de fazer rabisco, o pequeno Park sentia que o mais velho ainda estava chateado por mais cedo ter feito birra, mas não se arrependia, afinal, que culpa tinha ele se simplesmente não conseguia ficar longe do mais velho? Ainda que não se sentisse culpado queria que o Min soubesse de seus motivos, por isso se esforçou para escrever o melhor que conseguia uma carta e depois a escondeu em um lugar que somente Yoongi pudesse encontrar.


Oi, Yoon, é o Jiminie.

Escrevi essa cartinha para dizer que você é o melhor amigo do mundo.

Por isso, não pode deixar o Jiminie sozinho nunca. Quando eu fico sozinho, meu coração dói e eu sinto vontade de chorar, e o Yoon disse que não gosta quando o Jiminie chora.

Agora que o Yoon foi pra casa, o Jiminie ficou sozinho de novo. É chato demais, quero que seja dia de novo para eu ver meu amigo!

~~~~



Notas Finais: Alguém coloca os Yoonmin pequenos num potinho!

Espero que tenham gostado.

Até a próxima!

Dec. 11, 2022, 12:11 a.m. 0 Report Embed Follow story
0
Read next chapter Noivado surpresa

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 5 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!