brunadonde Bruna Dondé

Escapar de invasões que não sejam as alienígenas, porque se fossem, ela roubaria a nave e encontraria um lugar só dela pra viver.


Short Story Not for children under 13. © Todos os direitos reservados

#flashfiction #textoscurtos
Short tale
2
1.2k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Nos olhos, a estampa

Acordou feliz, tinha certeza de que seria um bom dia. Feliz seguiu por apenas alguns instantes antes da irritação tomar conta de sua cabeça. Seguiu irritada pelo resto da manhã, pensando em formas de fugir de algo que lhe incomodava. Irritada, começou a escrever uma mensagem tentando explicar tudo o que se passava com ela e seus pensamentos. Começou várias vezes a mesma mensagem, apagando na sequência e recomeçando. Várias tentativas depois, a mensagem estava pronta para ser enviada. Tentativas em que não havia nexo foram descartadas. Em que não havia sentido na mensagem, se vista de fora.

Que difícil era compreender o outro! Difícil ser compreendida também. Ser livre estava ficando mais complicado a cada dia. Livre de satisfações que não queria, nem precisava dar. De hoje em diante, ficaria menos disponível para os outros. Hoje decidiu que ficaria mais disponível para ela mesma. Decidiu cuidar de sua mente, cuidar de seu corpo, realizar suas vontades. Cuidar da alma. Da vida que sempre implorou por um pouco de paz. Vida essa que não parecia ser moldada por ela, mas sim por todos que a rodeavam. Essa mudança era importante. Mudança para fugir da sensação de imediatismo que as redes sociais estavam causando no mundo. Para escapar das falsas obrigações com pessoas que estão ali apenas por estar, a mudança seria essencial. Escapar de invasões que não sejam as alienígenas, porque se fossem, ela roubaria a nave e encontraria um lugar só dela pra viver.

De tudo isso vem a expectativa criada com base no desejo de dias melhores, infelizmente, nada é como ela quer. Tudo vai pelo ralo quando a expectativa não é igual a realidade. Vai aprender sozinha que até para criar expectativas existe um limite, evitando sofrimentos exagerados. Aprender que a vida sempre tem dois lados, de vez em quando até três ou mais. Que o meio-termo pode ser útil em várias situações. O que ela precisa é seguir adiante como achar que deve, sabendo que tudo é incerto e nada é eterno. Que em alguns dias conturbados ela precisará manter o controle. Em outros dias, porém, ela só precisará fazer aquela cara de paisagem enquanto um “foda-se” surge como estampa em seus olhos, pois eles nunca negam o que ela sente.

July 19, 2021, 2:08 p.m. 0 Report Embed Follow story
5
The End

Meet the author

Bruna Dondé Bebedora de café, escritora de histórias incompletas, fotógrafa, gateira, leitora (aceito livros de presente, sempre).

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~