taexy_ ᴄᴀᴍɪ

Park Jimin se apaixonou por um criminoso. Mas não esperava que sua mãe ficasse tão chateada com suas decisões. Afim de conforta-lá, decide escrever um e-mail para sua primogênita explicando os motivos por ser tão irracional depois de conhecer Jeon Jeongguk; provando também que merece ser feliz.


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only.

#oneshot #carta #criminal #bts #boyxboy #jikook #pwp #kookmin #shipp #jktop #park-jimin #jeon-jungkook #jiminbottom #email #lgbtqia+ #musiconread #lee-taemin
1
498 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

I love that guy.





De: Park Jimin

[Desconhecido]

Para: Park Hyejin

[Busan, Coreia do Sul]


Oi.


Eu sei, faz cinco anos e vinte dias que não recebe notícias de seu filho. E finalmente estou retornando seus e-mails com respostas. Dessa vez, com explicações sobre minhas decisões, principalmente aquela que tomei para sumir. Não foi tão fácil como parece. Mas foi a melhor escolha que eu fiz em toda minha vida.


Eu sou livre, finalmente.


E, por favor, pare de chorar todas as vezes que vê meu rosto nos jornais ou quando suas amigas perguntam sobre meu paradeiro. Ninguém nunca irá merecer suas lágrimas. Nem mesmo seu próprio filho.


Você me criou bem.


Me ensinou que ações geram consequências; elas sendo boas ou não, sempre virão. E não se culpe pelas minhas, só eu mereço o que está por vir. E eu não me arrependo de nada que fiz desde que encontrei ele. Nem mesmo naquele dia.


Ainda é difícil pra você aceitar a sexualidade do seu filho, eu entendo. Mas quero que saiba que eu sou muito grato por apoiar todos os relacionamentos que tive em minha vida. E fique tranquila, eu não te culpo pelo que aconteceu com o Lee, eu devia saber o homem podre que estava ao meu lado.


Todos sabiam o relacionamento abusivo que existia entre mim e Taemin, mas ninguém nunca havia feito nada. Nem mesmo eu, sabe por que? Isso mesmo, medo. Porque eu sabia que ninguém acreditaria em mim; porque meu coração era bom demais pra deixar uma pessoa com a certeza de que a solidão é sua única aliada.


As acusações são verdadeiras, mamãe. Enquanto eu chorava preocupado pelo meu namorado e ficava imaginando aonde poderia estar, ele se divertia nas pernas de outra pessoa. E eu poderia estar arrependido da separação ou de quase mandá-lo para o hospital, mas eu não estou.


Nos vimos pela primeira vez na festa do meu ex-sogro. Ele era o segurança. Um impostor e fracassado. Além de ser o homem mais lindo que eu já vi em toda minha vida. Sua mandíbula bem marcada, o cabelo preto que combinava perfeitamente com as orbes de seus olhos, os olhos atentos a qualquer movimentação, seus lábios bem alinhados, e ah, sua pinta adorável abaixo de seu lábio inferior. Quem não cairia aos pés desse homem?


Mas o seu objetivo naquele dia não era proteger as pessoas que estavam no salão. Longe disso, ele comandou o assalto da noite. Eu sei que você lembra.


Ele mente e finge muito bem. E não é nada confiável. Mas eu estava disposto a me arriscar, e bem, olha onde estamos.


Felizmente ninguém saiu ferido naquele dia. Na verdade, infelizmente, Lee Taemin merecia muito mais do que uns socos na cara. Jeon saiu daquele lugar com jóias no bolso e metade do meu coração. Por que quando ele apontou a arma na minha cabeça e me chamou de garoto eu soube que minha vida estava prestes a mudar. Seu olhar era quente e eu estava em chamas.


Dê uma arma para um homem e descubra seus verdadeiros instintos. Aponte uma arma na cabeça de alguém e consiga seus piores segredos.


Eu não terminei com o Lee depois daquele dia, você sabe. Mas eu devia ter feito. Pelo menos eu ganhei um par de olhos me observando por onde eu estivesse. E eu adorava aquela sensação de ser observado. Um verdadeiro exibicionista.


Talvez eu deva agradecer ao pai de Taemin por ter dado uma segunda festa semanas após aquele desastre. Foi nela que tivemos um segundo contato íntimo. E dessa vez eu não hesitei em repudiar seus toques e olhares. Porque, mamãe, eu já estava apaixonado por um idiota com uma arma.


Não, mamãe, não fui sequestrado. Eu subi na moto dele por livre e espontânea vontade depois de chutar as bolas do meu ex. Desde de aquele dia eu refaço meus passos.


Jeon Jeongguk é o nome dele.


Ah, mamãe, se você soubesse o poder que esse homem tem sobre mim.


Na verdade você sabe. Eu lembro da vibração do seu corpo, a expressão em seus olhos, seus suspiros que não eram nada discretos e seu lindo sorriso quando papai atravessava a porta de casa. Eu tenho as mesmas sensações, mais intensas do que você possa imaginar.


O tipo de amor que você tinha pelo seu amado, eu tenho o dobro pelo meu. É carnal e recíproco ao ponto de esquecermos nossos próprios nomes.


Enquanto papai era constantemente carinhoso e dizia que te amava quando entregava um buquê de margaridas, o meu homem é um completo vagabundo que adora se declarar enquanto acerta minha próstata e me chama de vadia.


Porque sim, eu sou a melhor e a única vadia que ele ama.


Eu sei que você me disse pra ficar longe desse tipo de cara. Um cão perdido e um rebelde com um coração estragado. E até eu sei que isso não é bom. Mas nem mesmo você evitaria de deixar um homem desses entrar em sua vida, porque ele entra, para nunca mais sair.


Me desculpe, mamãe, mas infelizmente seu filho não se apaixonou pelo mocinho da história. Ele não esconde flores ou chocolates em suas costas, mas sim uma bela calibre 32; o revólver que nos protege de todos os nossos inimigos.


Ele é um vilão das leis do diabo. E eu não tenho medo.


Às vezes seu impulso me irrita, de fato. Mas não podemos mudar a natureza dos homens; muito menos, especificamente, do meu homem. E é de bom grado o fato dele se controlar muito ao meu lado. Esse é o poder do amor. O seu companheiro faz o impossível pra te ver feliz.


Sinto te decepcionar, mamãe, mas eu não me sinto arrependido ou com medo pelas vidas que ele tirou. Muito menos as que fez em meu nome. A fase de arrependimento já se passou à muito tempo pra ele. E agora, pra mim.


Ele é um assassino por diversão. E convenhamos, nada mais sexy e excitante do que ver um homem com uma beleza incomparável e uma musculatura deslumbrante, segurando uma arma com os ombros bem alinhados e apontando para a cabeça do adversário.


Ah, mamãe, eu sei bem como você analisava o corpo dos atores dos filmes de ação. Quem não reparava nos músculos malhados de Michal B. Jordan em Creed: Nascido para lutar? Eu mesmo já imaginei diversas promiscuidade com esse homem. E, felizmente, Jeon superou todas elas.


Ele é um dedo-duro. Sua teimosia te deixaria de cabelos em pé. E isso pode soar um defeito para o ser humano, se para mim, suas imperfeições não fossem as mais belas e perfeitas qualidades. É como você sempre dizia: "Por trás de todo homem, existe uma grande mulher.", e eu sinto muito por não ter uma mulher atrás de mim, mas há um grande homem ao meu lado disposto a tomar suas decisões com meu auxílio.


Eu sou a consciência que ele não tem. Mas acima de tudo, o seu bem mais valioso. Por que ele não tem nada; em seu coração só existe seu amor por mim. E está mais que provado para você e pro mundo.


Ele não tem uma gangue de fato. Apenas parceiros com quem pode contar; são de enorme confiança para o mais velho. E não era de se esperar que eu sou um desses homens; o seu preferido.


O homem que realiza todos os seus desejos físicos e que o satisfaz de todas as maneiras. E talvez você me pergunte onde estava minha cabeça para aceitar participar daquele roubo. Agora eu te digo, ela estava sendo segurada por ele enquanto controlava suas estocadas em minha cavidade bucal. E depois de despejar sua porra em minha boca e eu engolir de bom grado, não tinha como recusar a oferta.


Acho que seu filho está bem crescidinho para falar sobre a vida sexual dele com a sua primogênita, não? Eu sei que nunca gostou de tratar desses assuntos. E se não fosse por muita pesquisa e experiência da minha parte, nunca falaríamos sobre. Mas, mamãe, seu filho nunca foi inocente. Meus casos e sexos começaram logo na minha maioridade, e não era para dores de cabeça os remédios que eu pedia. Você sabia. De alguma forma sabia para o que eram.


Não foi por qualquer motivo que assaltamos aquele banco. O pai de Taemin era gerente do lugar. E já não bastasse Jeon ser bom com armas e na cama, ainda era um bom estrategista. E com isso conseguimos roubar uma excelente grana e ainda deixar uma lembrancinha no braço de Lee Jisung por ter criado um filho tão escroto.


Pois é, foram meus próprios dedos que apertaram o gatilho. Eu consigo sentir o cheiro da pólvora adentrando minhas narinas no exato momento; ótimo com tiros, sexo, estratégias e um excelente professor. E como se não bastasse toda essa confusão, ainda tenho o sangue do desgraçado em minha camisa favorita. Talvez eu devesse ter aprendido a tirar manchas de roupas antes de fugir.


A adrenalina ainda corre em minhas veias desde o dia em em que fugimos dos disparos contra nós.

E como mais uma prova de seu amor, ele tatuou meu nome em seu braço, é o seu amuleto. Então eu acho que está tudo bem, desde que estou eternizado em sua pele. Ele está comigo.


Com o dinheiro do roubo conseguimos fugir do país e nos escondermos muito bem da polícia. Por isso a demora e o difícil contato. Eu até senti saudades de seus afagos e de seus "Está tudo bem" quando nada estava. Mas esse tempo me deixou refletir em muitas coisas, até mesmo nas palavras certas que estou a te dizer.


E nós ainda escutamos pessoas falando, por onde passamos. Fazendo comentários maldosos, tentando nos separar, talvez por inveja ou preconceito, ninguém nunca irá saber. Mas eu nem escuto, estou preocupado demais em ouvir como meu nome é pronunciado por sua voz quando estou cavalgando nele. Então, eu realmente não ligo.


Porque, mamãe, eu estou apaixonada por um criminoso. E esse tipo de amor não é racional, é físico.


Fizemos loucuras em nome de nosso amor. E pensar racionalmente quando se está perto desse homem está fora de cogitação. Deixamos nos guiar pelos assombrosos instintos biológicos.


Mamãe, por favor não chore, ficarei bem. Pondo a razão de lado, eu não posso negar, eu amo aquele cara.


E, se for pra te acalmar, eu me casei. Há um ano atrás. Não houve cerimônia ou festa. A lua foi nossa única testemunha e o padre do cartório nosso confidente. No final, não era apenas um romance entre dois rebeldes.


Então eu redijo esta carta não mais como Park Jimin.


Espero que fique bem,

Jeon Jimin.

May 8, 2021, 3:02 a.m. 1 Report Embed Follow story
0
The End

Meet the author

Comment something

Post!
Nara Gukie Nara Gukie
UAU😱
May 08, 2021, 10:52
~