sabrina_ternura Sabrina Ternura

Tortura e Imperatriz estão se preparando para seu baile de formatura, enquanto Diablair faz uma "ótima" recepção para Blake e Damon. O quarteto de amigos, entretanto, não faz ideia do encontrarão no local da festa. Com muita comédia, romance e uma boa dose de ação, estes personagens terão seus destinos mudados por conta dos acontecimentos desta noite.


Scripts/Screenplays Not for children under 13.

#terror #drama #romance #comédia #InfernalFamily
8
5.7k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Em Busca do Baile Perfeito

PRIMEIRA CENA: INT. MANSÃO INFERNAL - MADRUGADA

Diablair está sentado no enorme sofá de sua sala com os braços cruzados e um semblante irritado. A pequena Ternura, que está usando seu chapéu de caubói e sentada ao lado do tio, está imitando-o. Diante do líder Infernal e de sua sobrinha, encontram-se Blake — que está apoiado contra o beiral da lareira, encarando o fogo — e Damon, que está sentado em uma poltrona com os braços cruzados e uma cara emburrada, encarando Diablair. Os dois rapazes estão usando smoking e gravata borboleta.

DAMON (diz em tom sério, ainda encarando Diablair): Você já comeu churrasco de demônio, Blake?

BLAKE (com indiferença, sem desviar os olhos do fogo): Ainda não tive o prazer de caçar um.

DIABLAIR (irritado): Você não consegue caçar nem mosca, Blake!

TERNURA (animada, imitando Diablair): Nem mosca!!!

DAMON (entre os dentes, enfurecido): Talvez você tenha a oportunidade de caçar um agora.

DIABLAIR (inclinando o corpo para frente, com deboche): Para um vampiro canibal, você fala muito, Brilhinho.

[Damon se levanta, mas é impedido de continuar por Blake. Sarah está descendo as escadas.]

BLAKE (segurando o braço de Damon): Calma, Damon. O hobby do Diab é nos chamar de vagabundos, porque ninguém está à altura das sobrinhas dele.

[Sarah se aproxima do grupo e se senta ao lado de seu marido.]

TERNURA (animada, imitando Blake): Vagabundos, vagabundos!

[Diablair, Blake e Damon arregalam os olhos. Ternura bate palmas.]

SARAH (em tom de reprovação, perplexa): Ei, mocinha! Que modos são esses?

[Ternura dá um pulinho do sofá e aponta as duas pequenas mãos para o chão. Ela passa a recitar um feitiço.]

TERNURA: Chão limpinho, chão amigo! Leve-me para o esconderijo!

[Uma fumaça rosa explode no local e, quando ela se dissipa, Ternura já desapareceu, deixando para trás apenas seu chapéu de cowboy.]

SARAH (para Diablair): Me lembre de colocar um coelho debaixo da cama dela mais tarde.

DIABLAIR: Com todo prazer. Essa menina está impossível, não tenho ideia com quem ela aprendeu tal conduta...

[Blake, Sarah e Damon encaram com incredulidade Diablair, que está olhando para o outro lado, onde não há ninguém.]

SARAH (para Damon e Blake): Rapazes, as meninas estão quase prontas. Só mais um momentinho e…

[Sarah é interrompida pelo barulho de um raio, fazendo com que todas as velas flutuantes do ambiente tremam. A Imperatriz abre uma das portas perto da escada com violência.]

IMPERATRIZ (irritada e gritando): TRISTEZA!!!!!! PARE DE CHORAR, SUA DEMÔNIA! VOCÊ VAI ESTRAGAR NOSSO BAILE!

[Tortura sai da mesma porta pela qual a Imperatriz acabara de passar.]

TORTURA (em tom de reprovação): Ei! Pare de gritar com a minha irmã!

IMPERATRIZ (apontando o dedo para Tortura): Pois avise a sua querida irmã que está tendo uma tempestade, porque ela não para de chorar.

[Tristeza solta um espirro, chamando a atenção de todos. A garota acabou de sair do corredor do andar térreo que possui acesso à cozinha. Ela está carregando uma xícara de chá e seu nariz está vermelho, assim como seus olhos.]

TRISTEZA (fungando): Ouvi alguém me chamar…

SARAH (com carinho): Querida, você está fazendo chover bastante de novo.

IMPERATRIZ (do alto da escada, com ironia): Bastante é eufemismo.

DIABLAIR (em tom de preocupação): O que está afligindo seu coração, pequenina?

[O semblante de Tristeza muda completamente e ela começa a chorar. Blake caminha na direção dela. Quando se aproxima, ele se abaixa para ficar na mesma altura da menina.]

BLAKE (diz docemente): Por que você está chorando?

TRISTEZA (fungando): É que… É que… É que… elas estão crescendo muito rápido e vão ir embora em algum momento… E eu não quero chorar, porque sei que vou estragar tudo, como sempre… Então fico segurando e segurando... Mas parece que chove mais e mais lá fora quando faço isso.

[Blake sorri com a inocência de Tristeza e coloca a mão na cabeça dela. Todos estão calados. Uma atmosfera sentimental toma o ambiente.]

BLAKE (com doçura): Você é a mais forte entre todos nós, mas sempre que quiser chorar, o faça. Você vai se sentir leve como uma nuvem. Além disso, você é muito gentil. Tenho certeza que as meninas vão ficar tristes quando forem embora, mas quer saber um segredo?

[Tristeza acena positivamente com a cabeça. Blake faz um sinal para ela se aproximar e assim a menina o faz.]

BLAKE: Lar é onde está o nosso coração. Enquanto você amar aquelas duas psicopatas ali [Blake aponta para Imperatriz e Tortura, que estão no topo da escada], elas sempre estarão com você.

[Tristeza abre um sorriso tímido, assim como todos no local. Subitamente a chuva para e os corvos voltam a cantar. Blake pisca para Tristeza e retorna ao seu posto original, perto da lareira, mas ao olhar para o topo da escada e ver Tortura, a boca dele se abre. Damon estica um lenço na direção ao amigo.]

DAMON: Blake, você está babando.

[Blake nada responde, apenas continua acompanhando com os olhos os movimentos de Tortura descendo as escadas. Ela está trajando um vestido estilo princesa preto com saia de tule. Blake caminha até o último degrau da escada e estende a mão para a sua namorada.]

BLAKE (galanteador): Pela Deusa, a senhorita tem companhia para essa noite?

[Tortura solta uma risadinha e segura a mão de Blake. Diablair bufa, mas recebe uma cotovelada de Sarah. Ternura subitamente aparece no topo da escada tocando My Heart Will Go On em seu violino rosa.]

TERNURA (após parar de tocar): É para combinar com o clima romântico.

[Enquanto todos estão prestando atenção em Ternura, Blake tira uma pequena caixinha do bolso. Tortura coloca as duas mãos na boca, soltando um pequeno grito de surpresa.]

BLAKE (com sinceridade): Você merece todas as pedras preciosas deste mundo, mas, enquanto eu não posso te dar todas, aceite essa em nome de meu amor e devoção.

[Blake abre a caixinha e dentro dela há um anel que possui uma pequena turmalina negra moldada em formato de coração. Tortura está com lágrimas nos olhos e estica a mão direita. Blake insere o anel no dedo anelar dela. Uma luz branca faz com que o casal fique temporariamente cego.]

SARAH (abaixando sua câmera): Desculpem, eu precisava registrar esse momento.

IMPERATRIZ (do topo da escada, impaciente): Já terminaram aí? Quero mostrar para o meu namorado como como estou.

[Blake e Tortura saem do caminho e vão para perto da porta. Tristeza se senta no sofá para tomar seu chá. Sarah tira diversas fotos de Imperatriz conforme ela desce as escadas. A moça está trajando um vestido preto justo de mangas bufantes e um colar com pingente de faca que lhe foi dado por seu namorado anteriormente. Damon se aproxima da escada quando a jovem moça já desceu todos os degraus. Ambos estão com um sorriso malicioso no rosto.]

DAMON: A senhorita pretende assassinar todos no recinto? Porque você está de matar.

IMPERATRIZ: Você também está de matar!

DIABLAIR (com raiva): Então você não se importa se eu matar ele…

[Ternura começa a tocar L’inverno de Vivaldi no violino por conta da tensão no ar.]

SARAH (para Ternura, surpresa): Onde você aprendeu a tocar todas essas músicas?

TERNURA (abaixando o violino, confusa): Da minha… cabeça?

[Sarah olha para Diablair, que dá de ombros.]

DIABLAIR: A Deusa é apreciadora das mais variadas músicas.

[Sarah acena positivamente com a cabeça para o marido.]

DAMON (sussurrando para a Imperatriz): Vamos aproveitar que seu tio não está olhando e fugir para a minha casa.

DIABLAIR (sem olhar para Damon, com ironia): Posso não estar olhando, mas não sou surdo, Cintilante.

[Damon começa a avançar na direção de Diablair, mas é impedido pela Imperatriz.]

IMPERATRIZ: É melhor irmos antes que eles se matem.

[As garotas se despedem da família e saem pela porta da entrada principal, indo em direção a enorme carruagem em formato de alho do lado de fora. Sarah espia pela janela, tirando mais fotos, mas arqueia uma sobrancelha ao ver a aparência do veículo.]

SARAH: Por que eles estão na carruagem de alho?

[Diablair começa a assobiar despreocupadamente. Um grito é ouvido. Sarah olha para fora e descobre que Damon, ao tocar na carruagem, queimou a mão. Sarah olha para o marido, estreitando os olhos.]

SARAH: Quando eu terminar de chamar outra carruagem para os garotos, teremos uma conversa muito séria.

[Sarah vai para fora. Ternura e Diablair se sentam no sofá junto com Tristeza, que já terminou seu chá.]

TERNURA (balançando freneticamente as pernas): Eu também queria ir a um baile.

TRISTEZA: Sim, poderíamos usar vestidos de princesa.

TERNURA (concentrada): E chapéus de caubói.

[Tristeza balança a cabeça positivamente. Diablair solta uma risada.]

DIABLAIR: Vocês seriam princesas engraçadas.

FIM DA PRIMEIRA CENA.

April 27, 2021, 12:57 p.m. 4 Report Embed Follow story
4
Read next chapter A Felicidade Sempre Termina em Tragédia

Comment something

Post!
Isís Marchetti Isís Marchetti
Olá, Sabrina! Tudo bem com você? Faço parte do Sistema de Verificação e venho para parabenizar pela Verificação da sua história. Que prazer poder ler mais um pouco sobre a Família Infernal! Eu juro que eu ri demais com a fala da Imperatriz gritando “TRISTEZA! PARE DE CHORAR, SUA DEMONIA!” pra mim foi uma sátira sem tamanho, cheguei até a engasgar, haha. O que eu achei mais interessante a principio é que quando eu li o primeiro texto de garraduende e tive o primeiro contato com a Família Infernal era que apesar das particularidades deles, eles sempre foram unidos, mas de certa forma sempre estavam atrás de problemas e confusões, já essa história à parte, me fez ver um lado mais unido deles o que me deixou com aquela impressão de família que se ama mesmo! Achei muito incrível essa relação deles que eu ainda não tinha tido a chance de ver. Bom, vamos lá. A coesão e a estrutura do seu texto estão fantásticas. Mais uma vez gostaria de deixar o quanto eu acho incrível a sua forma de escrever roteiros, já disse isso uma vez e ressalto quantas forem necessárias, seu domínio com esse tipo de escrita é fantástico e na minha opinião, baseado em muitos que eu já vi, não é uma tarefa fácil de se conseguir fazer. O texto leva o leitor para uma família leal e que apesar das diferenças, que são registradas constantemente, matam e morre uns pelos outros. Quanto à gramática, seu texto está muito bem escrito, de verdade. No geral é uma história curta, mas que diz muito sobre aquela primeira história sobre a família, adorei ter tido a oportunidade de lê-la. Desejo a você sucesso e tudo de bom. Abraços.
May 16, 2021, 01:08

  • Sabrina Ternura Sabrina Ternura
    Olá, Isís! É sempre um imenso deleite ler seus comentários tão acolhedores e que capturam exatamente o que eu quis passar com a obra. Fico muito contente em saber que você tenha se divertido durante a leitura! Obrigada pelo comentário e pela presença ♥ June 18, 2021, 02:02
 Silva Silva
Oi Sabrina! Espero que tenha começado pela história certa, mas desde já devo elogiar esse primeiro contato com essa família infernal (literalmente kkk) Desde a AC, vejo que você domina muito bem esse formato de texto em roteiro e particularmente eu acho um ótimo norte para as ações dos personagens, consigo até visualizar melhor. Outra coisa legal é que eu imaginei uma peça com os seus amigos lá da Academia e os personagens tiveram uma química bem nítida. Até o próximo! <3
April 28, 2021, 23:47

  • Sabrina Ternura Sabrina Ternura
    Ah, eu fico encantada em saber que você gostou! Escrever roteiros ainda é um desafio, mas está sendo ótimo desenvolver e aperfeiçoar isso. Muito obrigada pela presença e comentário, Silva <3 May 12, 2021, 02:13
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

Garraduende
Garraduende

Se Garraduende é o centro deste universo, a família Infernal é o campo gravitacional dele. Constituída por seres de raças completamente diversificadas, essa família ensina que existem laços mais fortes do que os sanguíneos e que, por vezes, o amor familiar pode ser desperto até mesmo nos corações mais sombrios. Com personagens carismáticos, misteriosos e poderosos, o leitor ira se divertir e se intrigar conforme realiza a leitura das narrativas — que sempre possuem os gêneros e as estruturas mais diversificados possíveis. Este universo não poderia ter nascido sozinho, por isso, seria inevitável não citar os autores que colaboram com o desenvolvimento dessas histórias. Sempre divertida e criadora de enredos mirabolantes, a @FláviaYvi é uma companheira de teorias e ideias e, neste universo, os leitores a conhecerão pela alcunha de Imperatriz. Sempre me apoiando e desenvolvendo as tramas mais obscuras, o @Honjok é aquele que mantém meus pés no chão e me mostra o quão profundo este universo pode ser; nestas histórias, os leitores irão conhecê-lo por Diablair/Tio Diab. Por último, mas não menos importante, está a pessoa que tornou tudo isso possível e que sempre me incentiva a continuar: o @FelipeVasconcelos, parceiro de todas as horas e da vida, que me ajuda a organizar ideias, planejar roteiros de enredos e criar personagens incríveis. Nas narrativas, os leitores irão reconhecê-lo nas caçadas do Blake, no coração puro do Philip e no espírito aventureiro do Jake. Que este universo possa te fazer viajar para um mundo onde os limites são destruídos, os corações são arrebatados e as diferenças são deixadas de lado. Sejam bem-vindos a Garraduende — e tomem cuidado para não perderem seus olhos. Read more about Garraduende .

More stories